Maneirismo : A história do movimento e principais obras

Maneirismo é um estilo artístico que tem como fundamento o exagero e a intenção de causar estranhamento. Vamos entender um pouco mais sobre esta vertente artística e por quê ela recebe posições tão diferentes.

Maneirismo é um estilo artístico que se desenvolveu como movimento artístico em 1515 e 1600 na europa. Marcado por obras exageradas, a arte maneirista cresceu em Roma com os artistas mais famosos do movimento sendo o italiano Pontorno, a renascentista Brunelleschi entre outros grandes nomes.

O movimento maneirista também buscava expressar em sua arte uma revisão de valores que remetiam ao movimento clássico e humanista da arte. Sendo por sua vez críticos dessa realidade.

Contexto histórico do Maneirismo

Em torno do ano de 1520, paralelamente ao Renascimento desenvolve-se, na cidade de Roma, um movimento cultural cujas obras afastam-se, propositalmente, dos ideais renascentistas.

Publicidade

Dessa forma, a produção artística maneirista recebe adjetivos como “artificial” ou “esquisita”. Como todo movimento artístico se desenvolve em contraposição ao anterior, com o Maneirismo não foi diferente. Ele foi uma forma de reação ao naturalismo da Alta Renascença. Há, inclusive, historiadores que defendem que o movimento foi um período de transição entre o Renascimento e o Barroco.

O artista italiano Pontormo (1494-1557) é considerado um dos primeiros expoentes do Maneirismo na Itália. Estudou com Leonardo da Vinci (1452-1519) e Piero Di Cosimo (1462-1522). Uma de suas obras, denominada “A deposição da cruz” (também intitulada de “A lamentação”), foi pintada como um altar para a Capela Barbadori, do arquiteto Renascentista Brunelleschi:

“A deposição da cruz”, 1528, Pontormo. Fonte: Wikipedia“A deposição da cruz”, 1528, Pontormo. Fonte: Wikipedia

A obra retrata Cristo crucificado, após ter sido retirado da cruz. A pintura de tinta a óleo sobre madeira é um expoente da produção maneirista e considerada um dos melhores trabalhos de Pontormo, e muito disso é porque a representação se afasta clara e radicalmente dos ideais renascentistas.

O Maneirismo e as obras cristãs

Outro ponto importante da obra acima “A deposição da cruz”, é que o artista abordou um tema bastante explorado e conhecido. Porém de uma maneira incômoda: não é possível vermos a cruz, Cristo não é o centro da pintura. Além disso, a imagem não possui um trabalho minucioso de tridimensionalidade, tornando a obra plana e os corpos aparentemente torcidos – de tal forma que, em alguns pontos, não seja possível distinguir a quem pertence.

Observe também que a Virgem Maria é retratada desmaiando de tristeza e buscando apoio. O artista pinta a mulher em uma escala maior que a dos outros componentes. Seus braços são muito longos e sua expressão de dor trazem um impacto profundo ao espectador.

Maneirismo e religiosidade

Como vimos, uma das principais fontes da escola é a religiosidade. Portanto, a religião exerce forte influência. Dentro do contexto em que a Europa estava vivendo, com uma grande divisão após a reforma de Lutero, o Maneirismo é marcado por estilizações exageradas, uso de cores fortes e em tons ácidos, como é o caso do artista que veremos a seguir:

arte do maneirismo “Laocoonte”, 1610-1614, El Greco. Obra do Maneirismo. Fonte: Unicamp “Laocoonte”, 1610-1614, El Greco. Obra do Maneirismo. Fonte: Unicamp 

O artista El greco (1541-1614) pintou a obra acima, de óleo sobre tela, ilustrando o sacerdote Laocoonte sendo punido pelos deuses, que estão do lado direito da pintura. Laocoonte teria alertado a população de Tróia para que não aceitassem o Cavalo, que trazia consigo um grupo de soldados gregos escondidos. Por esse motivo, serpentes, enviadas pelos deuses, mataram o sacerdote e seus dois filhos.

A luz intensa e branca na obra sugere que a cena foi iluminada pelo clarão de um raio. A sensação é reforçada pelas nuvens carregadas que estão ao fundo. A atmosfera inserida no quadro através do uso das cores traz a ideia de que se trata de um evento divino.

Devido à grande quebra de padrões e parâmetros que El Greco proporcionou, diversos críticos no passado consideravam que sua obra dava indícios de insanidade. Um traço em comum com muitas obras maneiristas é o fato de a pintura se mostrar complexa e criativa.

Proporções das obras no Maneirismo

Outra característica marcante não só de El Greco, mas de todo o movimento maneirista, é o alongamento das silhuetas e das proporções, feitos de forma intencional. Um exemplo claro é a obra “A virgem do pescoço longo”, de Parmigianino (1503-1540): o artista representa a virgem com o pescoço e mãos mais alongadas que a proporção real.

A mulher segura no colo o menino Jesus, cuja perna esquerda também é mais longa. Entretanto, o grau de distorção das figuras humanas varia bastante de acordo com cada artista.

Virgem de pescoço longo, de Parmigianino. Fonte: Virus da ArteVirgem de pescoço longo, de Parmigianino. Fonte: Virus da Arte

Esculturas Maneiristas

Quanto à escultura, o artista Giambologna (1509-1608) foi o executor da obra a seguir:

“O rapto das Sabinas”, 1583, Giambologna. Fonte: Guia FLorença  arte do maneirismo“O rapto das Sabinas”, 1583, Giambologna. Fonte: Guia FLorença 

A obra apresenta um alongamento mais sutil das figuras para solucionar os complexos problemas espaciais que uma escultura rica em detalhes como esta apresenta. Rica em detalhes, é possível ver com facilidade a musculatura das figuras e o emaranhado muito bem resolvido em que as três pessoas se encontram. Apresenta um homem com uma mulher em seus braços e, abaixo deles, outro homem que busca impedir o acontecimento.

Assim como em outros movimentos, tais como o romantismo e o impressionismo, o Maneirismo, apesar de suas ideias centrais, uniu um grupo de artistas com interesses e inclinações artísticas diversas. Maneiristas franceses e holandeses, por exemplo, costumavam aplicar os ideais cada qual a seu modo.

O artista italiano: Arcimboldo

Giuseppe Arcimboldo (1527-1593) teve uma produção muito expressiva, e viria, mais tarde, a se tornar inspiração para os surrealistas. Criou retratos humanos simbólicos e intrigantemente atraentes a partir da disposição de frutas e legumes. É interessante notar que, de longe, as figuras representadas pareciam, de fato, com retratos.

Entretanto, quando o espectador olha mais de perto, se depara com frutas, flores, legumes e verduras que, dispostos sistematicamente, formam uma imagem. Sua produção é muito importante pois o estranhamento causado levou o Maneirismo a um novo patamar.

“Vertumnus”, 1591, Arcimboldo. Fonte: Arte Seed“Vertumnus”, 1591, Arcimboldo. Fonte: Arte Seed

A obra Vertumnus representa um monarca, Rudolfo II. Na obra, ele é o deus romano da metamorfose. Podemos observar que o rosto de Rudolfo é inteiramente representado com frutas e flores. A intenção do artista era simbolizar o equilíbrio perfeito entre a natureza e a harmonia perfeita que seu reinado representava.

Principais obras do Maneirismo

Assim como em outros movimentos, tais como o romantismo e o impressionismo, o Maneirismo, apesar de suas ideias centrais, uniu um grupo de artistas com interesses e inclinações artísticas diversas. Maneiristas franceses e holandeses, por exemplo, costumavam aplicar os ideais cada qual a seu modo.

Entretanto, ao contrário de outros artistas Maneiristas como Tintoretto (1518-1534) e El Greco, Arcimboldo não teve grande influência da igreja. Para ele, o ocultismo foi uma fonte de inspiração para suas obras. Diante das diversas obras mencionadas, é possível constatar que o grande legado que o Maneirismo deixou não é a intenção de ser um estilo coerente, único, mas uma nova forma de compreender a arte como uma criação particular, pessoal e distinta. Assim, cada artista pôde colocar suas aspirações artísticas mais íntimas.

Video-aula

Para complementar os estudos, separamos o vídeo “Maneirismo – Artes”, do canal reVisão:

Exercícios

1 – (Concurso – Prefeitura de Venda Nova do Imigrante – ES/2016)

A obra apresentada anteriormente pertence à série “As Quatro Estações”, de Giuseppe Arcimboldo, em que o artista utilizou em cada tela elementos que correspondem ao tema retratado. Sendo “A Primavera” composta basicamente de flores. Considerado o precursor da arte surrealista do século XX, Giuseppe Arcimboldo foi um dos grandes representantes do movimento artístico do século XVI, denominado:

arte do maneirismo - artisita Giuseppe Arcimboldo

A) Rococó
B) Barroco
C) Realismo.
D) Maneirismo.

2- (Professora Renata)
Como se configura a representação das figuras
humanas no Maneirismo?

A) As silhuetas são alongadas e não obedecem às proporções estabelecidas pelo clássico.
B) A simetria é a premissa básica.
C) As figuras humanas são representadas de forma naturalista, com cores que correspondem à realidade.
D) As pessoas são representadas com formas atléticas, influência da Grécia.

3- Dentre os artistas abaixo, NÃO é considerado Maneirista:

A) Filippo Brunelleschi
B) Pontormo
C) El Greco
D) Parmigianino

GABARITO:

1-D, 2-A, 3-A

 

Compartilhe: