Conheça as características gerais da Arte Românica

A arte românica é marcada pela relação com a igreja e seus dogmas. Respeitando a ordem clerical da idade média, o objetivo principal era o de imortalizar e difundir os ensinamentos cristãos para todas as camadas sociais.

A arte românica teve uma forte influência da cultura romana, é daí que vem o nome. Esse estilo foi desenvolvido e praticado especialmente entre os séculos V e IX, período conhecido como Alta Idade Média. Ele é amplamente identificado em construções, pinturas e esculturas.

A Idade Média é um período muito marcado pela ascensão e domínio da Igreja sobre todos os aspectos da sociedade. Como não poderia deixar de ser, a produção artística da época reflete este constructo social.

Nesta aula vamos entender as principais características da Arte Românica, inserida neste contexto.

Contexto histórico

O período medieval, entre os séculos V e XV, teve início a partir da queda do Império Romano do Ocidente. Este é o marco que determina o início da Idade Moderna. A Idade Média é, portanto, o período intermediário entre as três grandes eras históricas, que veio depois da antiguidade e antecedendo a Idade Moderna.

Durante essa época a estrutura social da época se dava através dos feudos, ou seja, pequenas ou médias sociedades rurais autônomas, comandadas por um rei. Outros integrantes que compunham as diferentes camadas sociais eram o clero, os camponeses, a nobreza e o povo.

Levando em consideração essa divisão, na Idade Média, somente as pessoas da burguesia sabiam ler. Dessa forma, a prática de pinturas religiosas, especialmente dentro das igrejas, tornou-se muito comum. Assim, por meio de imagens com temas religiosos, a igreja aproximava os fiéis analfabetos e contava histórias nas pinturas de uma forma didática e acessível.  

Características da Arquitetura Românica

Dentre suas principais características arquitetônicas, presente especialmente nas igrejas, uma das mais recorrentes é o uso de abóbadas. Essa particularidade da arquitetura na época tinha o intuito de substituir os telhados das basílicas. As igrejas tinham a aparência robusta, sempre grandes e de forma sólida.

Um outro ponto importante que ajuda a identificar esse período, são os pilares que envolviam as construções. A sua formação era de aparência maciça e sustentavam as paredes espessas. Havia também a presença recorrente de torres. Mais um detalhe dessa obra eram as janelas, que apareciam como pequenas aberturas nas paredes.

Sendo assim, as igrejas românicas têm como característica fundamental a robustez de suas construções. Outro atributo que marca a visualidade românica é a horizontalidade, ou seja, não havia a preocupação de construir edifícios altos, todos eram planos.

A estética presente na arte de Românica

A teoria mais aceita sobre o motivo das escolhas de características estéticas nestas construções, seria porque as igrejas eram construídas de acordo com as exigências do clero, e não da nobreza. Assim, preocupavam-se especialmente com o que era funcional. Dessa maneira podemos afirmar que a estética presente na arte romana tinha um estilo estritamente clerical.

Apesar de toda simplicidade e funcionalidade, foi na França que as igrejas começaram a ser adornadas com esculturas. Ainda assim todas elas mantinham alguma função definida e carregavam o intuito de transmitir uma ideia específica. Isso quer dizer que mesmo que as igrejas fossem adornadas, nada estava colocada sem motivo, tudo era previamente pensado e planejado.

Exemplos artísticos e estruturais

Um dos exemplos mais clássicos é a igreja de St. Trophime:

Fachada da igreja da Saint Trophime, em Arles, exemplo de arte românica Fachada da igreja de St. Trophime, em Arles França construída em 1180.

Aqui podemos ver que o portal ou a entrada, construída no final do século XII, é um dos exemplos que mais representam o estilo românico. Ao centro do arco, observa-se a imagem de Cristo, cercado por símbolos de quatro santos: São Marcos, São Mateus, São Lucas e São João. Teólogos interpretaram a sustentação do trono como sendo estes quatro santos, o que faz com que a imagem esteja muito adequada para a entrada de uma igreja.

Ainda observando a mesma imagem da igreja, observe que baixo do portal, encontra-se a figura dos doze apóstolos. Na foto podemos ver à esquerda de Cristo, diversas figuras nuas acorrentadas que significam as almas perdidas, à direita estão os “bem-aventurados”, aqueles que estão salvos na glória de Cristo.

Esse é um exemplo clássico da arte românica da época que buscava exibir os ensinamentos clericais de forma clara e simples logo na frente do portal de entrada da igreja. Importante dizer que tudo foi construído com a intenção de lembrar os fiéis sobre os caminhos que lhes poderiam ser possíveis, de acordo com o que fizessem em vida.

Detalhes da arte românica

Outro exemplo interessante é o do castiçal da igreja de Gloucester.
Abaixo, vemos um detalhe do objeto:

Escultura da arte românica, detalhe do castiçal de Gloucester, 1104 d.CDetalhe do castiçal de Gloucester, 1104 d.C.

Aqui podemos observar que o candelabro é composto por monstros e dragões entrelaçados. No detalhe exibido na foto é possível identificar que a figura humana silencia a criatura que está ao lado, segurando sua mandíbula com as mãos. Outra parte interessante é que ao mesmo tempo, as garras da criatura estão no tornozelo do humano.

Ainda no topo do castiçal encontra-se uma inscrição latina que, em tradução livre, diz: “Este porta-luz é uma obra virtuosa – com seu brilho prega a doutrina, a fim de que o homem não se perca nas trevas do vício”.

A pintura Românica e suas características

           A pintura românica não é diferente da arquitetura no que se refere à temática. Igualmente religiosa e voltada a igreja, as histórias bíblicas adornavam as igrejas da idade média e serviam de ferramenta educadora. A principal técnica usada era a do afresco, prática utilizada para pintar enquanto a parede estava úmida, de forma geral as pinturas eram reproduzidas como grandes murais.

Uma característica relevante da pintura românica é a deformação das imagens. Com esse método é possível criar a imagem de Jesus com mais liberdade, fazendo assim que ele fosse retratado de forma perfeitamente simétrica. De acordo com a visão da época isso simbolizava a visão cristão de forma a trazer uma sensação de magnitude para o povo.

Outro detalhe importante a ser notado é que a imagem de Cristo é sempre representada maior do que qualquer outra figura. Em várias imagens clericais, era utilizado o colorismo que consistia no uso de cores puras. Os artistas por sua vez ao empregar esse método não se preocupavam em relação a luz e a sombra.

Obras importantes da arte românica

           A pintura intitulada “Anunciação”, do ano 1150 d.C, é uma imagem sem movimento que lembra a imobilidade da representação humana dos egípcios. Na obra, a mulher que usa o vestido azul simboliza a “virgem”. Aqui ela é vista de frente e está com as mãos erguidas, enquanto uma pomba branca desce aos céus sobre ela.

Pintura em afresco da arte românica, A Anunciação, de Jan Van Erick.

A Anunciação, de Jan Van Erick.

            Ainda observando a pintura acima, veja a mulher de vestido vermelho e grandes asas que representa o anjo, a mão direita está estendida, num gesto que, na representação da arte medieval, é o mesmo que falar.

A grande característica desse quadro é que ela é uma pintura imóvel, sem movimento. Aqui nota-se o emprego de cores puras. O intuito do artista não era ser fiel à realidade, e sim utilizar símbolos sacros tradicionais, a fim de transmitir a mensagem da anunciação.

            Este foi um passo importante para o curso da história da arte. Ela marca o momento que os artistas abandonaram a necessidade de registrar o mundo da forma mais naturalista possível. Mesmo com seu importante papel de documentação histórica, ela também nos possibilita abandonar as rédeas que a verdade e o mundo real tomam, abrindo um novas perspectivas.

Vídeo sobre a Arte Românica

     

Exercício

1.    Dentre as técnicas de pintura mais utilizadas na arte românica, está:

A)   O guache;

B)   A técnica bidimensional;

C)   O afresco;

D)   A tinta a óleo;

E)   A tinta acrílica.

2. A temática recorrente do período românico está ligada a:

A)   Representação dos deuses, pois eram politeístas;

B)   Representação do cotidiano e dos milagres;

C)   Representação das figuras da nobreza;

D)   Representação de passagens bíblicas;

E)   Representação das figuras do alto clero.

3.Quanto à arquitetura, é correto dizer:

A)   A arquitetura românica precedeu a Barroca. Com formas simples, robustas, uso de janelas pequenas;

B)   A arquitetura românica contemplava o gênero clássico e ligado ao racional;

C)   A arquitetura românica sofreu fortes influências da Índia;

D)   A arquitetura românica fazia uso de janelas de grandes tamanhos;

E)   N.D.A

GABARITO: 1-C, 2-D, 3-A

Sobre o(a) autor(a):

Renata Gambagorte é formada em Licenciatura em Artes Visuais pela Universidade Estadual do Paraná com pós graduação em Cenografia pela Universidade Federal do Paraná. Atualmente atua na rede de ensino em Curitiba. Facebook: https://www.facebook.com/renatagmbgrt

Compartilhe: