Cnidários: características, classificação e reprodução

Os cnidários são animais com simetria radial quando adultos. Apresentam sistema nervoso e sistema digestivo primitivo.

As águas-vivas são os representantes mais famosos do Filo dos Cnidários. Mas, esse grupo é composto por uma grande variedade de animais extremamente importantes para os ecossistemas aquáticos.

Quando pensamos em uma água-viva logo lembramos das queimaduras que elas podem causar. Isso porque os ferimentos causados por esses animais costumam ser bastante dolorosos e há espécies que podem até matar seres humanos com as toxinas que produzem.

Nesse sentido, essa capacidade urticante presente nas águas-vivas e nos demais cnidários é a característica que define este grupo de animais. Tanto que a presença de células urticantes dá no nome ao grupo, já que o prefixo cnida vem do grego (κνίδη knidē) e significa “urtiga”.

agua viva cnidários
Imagem 1: Fotografia de várias vespas-do-mar. Essa espécie de água-viva tem toxinas capazes de matar um ser humano adulto. Fonte da imagem: Getty Images.

Exemplos de Cnidários

Atualmente, existem mais de 11.000 espécies de Cnidários descritas. As mais conhecidas provavelmente são as águas-vivas. Todavia, há uma grande diversidade de espécies e formas corpóreas dentro desse filo.

São classificados dentro do filo dos Cnidários, por exemplo, os corais e também as anêmonas. Esses animais ajudam a compor os recifes, estruturas extremamente importantes para os ecossistemas marinhos.

Anêmona
Imagem 2: Fotografia dos tentáculos de uma anêmona onde dois peixes-palhaços estão se abrigando. As anêmonas são cnidários na forma de pólipos que vivem fixas ao substrato marinho. Fonte da imagem: Getty Images.

Há ainda as hidras, animais que são menos famosos que as águas-vivas, mas não menos curiosos. Muitas espécies de hidra habitam ambientes dulcícolas e se movem dando “cambalhotas” pelo substrato.

Habitats dos Cnidários

Os Cnidários são animais exclusivamente aquáticos. Há espécies de água doce, mas a grande maioria das espécies é marinha. Esses animais podem ser encontrados tanto em águas rasas, como os que formam os recifes, como também em grandes profundidades, nas zonas abissais.

Características gerais dos Cnidários

Na escala zoológica, os Cnidários são os segundo grupo de animais a surgirem. Por isso, são animais que conservam características bastante primitivas. Mesmo assim, há novidades evolutivas nesse grupo que os permitem serem mais complexos que os indivíduos do Filo dos Poríferas.

Uma dessas novidades evolutivas é o fato de que os cnidários já apresentam uma maior organização de suas células. Elas se diferenciam e se agrupam, formando tecidos.

Desenvolvimento embrionário dos Cnidários

Como os Cnidários formam tecidos, seu desenvolvimento embrionário é mais complexo que o dos Poríferas. Nos Poríferas, por exemplo, o embrião não atinge o estágio de gástrula. Já nos Cnidários, há a formação desse estágio.

Essa gástrula tem duas camadas de células, que chamamos de folhetos embrionários. Como os Cnidários possuem apenas dois folhetos embrionários, são considerados animais diblásticos.

Externamente o embrião é formado pelo folheto embrionário chamado de ectoderme. Esse conjunto de células dará origem ao revestimento externo do animal. Enquanto isso, internamente temos o folheto chamado de endoderme. Esse folheto embrionário dará origem à cavidade digestiva dos Cnidários.

Simetria nos Cnidários

Os Cnidários são animais que possuem simetria radial quando adultos. Isso quer dizer que podemos fatiá-los como uma pizza e cada fatia será simétrica às demais.

Esse tipo de simetria é característico de animais que são fixos ou possuem baixa mobilidade. Isso ocorre porque eles acabam tendo contato com o ambiente em várias direções.

Anatomia dos Cnidários

Basicamente os Cnidários apresentam dois tipos de formas corpóreas: os pólipos e as medusas.

Pólipos

Os pólipos são cnidários que possuem, geralmente, forma cilíndrica com a boca e os tentáculos voltados para cima. A maior parte dos cnidários que se encontram na forma de pólipos são bentônicos sésseis. Ou seja, permanecem fixos ao substrato.

Todavia, há espécies de cnidários com formato de pólipo que são bentônicos livres. Isso quer dizer que vivem sobre o substrato, mas são capazes de se deslocar. Esse é o caso das hidras, por exemplo. São animais que se deslocam sobre o substrato realizando movimentos de cambalhotas.

Outra característica importante dos pólipos é o fato de que muitos deles são coloniais. Por fim, como veremos ainda nesta aula, a reprodução assexuada por brotamento é recorrente nos cnidários, facilitando a formação de colônias.

Medusas

As medusas são as formas natantes dos cnidários, como as águas-vivas. Elas possuem formato arredondado ou circular achatado e se deslocam através da contração de seus músculos circulares. Esses animais possuem a boca voltada para baixo e tentáculos circundando-a.

Pólipo e medusa - cnidários
Imagem 3: Desenho esquemático demonstrando os dois tipos de formas corpóreas que os cnidários podem apresentar. Fonte da imagem: https://bit.ly/3hYAMPi

Outro fator importante quanto à anatomia dos cnidários são as camadas celulares que os compõem. A parede do corpo dos cnidários é composta, basicamente, por três grupos celulares distintos: a epiderme, a mesogleia e a gastroderme.

Epiderme

A epiderme é a camada de células que reveste o corpo dos cnidários. Na epiderme encontramos as células urticantes que dão nome ao grupo: os cnidócitos. Essas células estão presentes em toda a epiderme. Entretanto, concentram-se em maior quantidade nos tentáculos.

Além disso, ainda encontramos ainda algumas células sensoriais na epiderme, geralmente relacionadas à percepção de substâncias químicas na água.

Há ainda células semelhantes à células musculares que auxiliam na movimentação do animal.

Mesogleia

A mesogleia é uma camada gelatinosa situada entre a epiderme e a gastroderme. Nas medusas encontramos uma camada mais espessa de mesogleia do que nos corais. Isso faz com que as águas-vivas tenham um aspecto gelatinoso.

Gastroderme

Por fim, a gastroderme é a camada de células que reveste a cavidade gástrica dos cnidários.

Sistema digestório

Os Cnidários são os primeiros animais a apresentarem um sistema digestório. Entretanto, as estruturas digestivas presentes nesses animais são extremamente rudimentares. Basicamente, o sistema digestório dos cnidários é composto de uma boca e uma cavidade gastrovascular ou celêntero (daí o nome “celenterados).

A fim de digerir os alimentos capturados, a gastroderme secreta enzimas digestivas. Dessa forma, a digestão nesses animais ocorre tanto de maneira extraceular (na cavidade gástrica), quanto intracelular (no interior da célula).

Como não possuem ânus, os restos dos alimentos não aproveitados são eliminados pela boa. Sendo assim, dizemos que os cnidários têm sistema digestório incompleto.

Respiração, excreção e circulação dos cnidários

Os cnidários não possuem estruturas específicas para realizarem as trocas gasosas, para transportar substâncias em seu organismo ou para excretar produtos metabólicos.

Por isso a absorção de oxigênio e a liberação de gás carbônico se dá através da superfície corpórea. O mesmo ocorre com a liberação de excretas. Isso é possível pois esses animais possuem poucas camadas celulares.

Dessa forma, o transporte de substâncias pode ser feito de célula para célula através de osmose e difusão, não sendo necessária a presença de um sistema circulatório.

Sistema nervoso

Os cnidários são os primeiros animais a apresentarem sistema nervoso. Contudo, esse sistema, assim como o seu sistema digestório, é bastante primitivo.

Nesses animais o sistema nervoso se apresenta como uma rede de neurônios, sem a formação de agrupamentos ou gânglios. Embora possua essas características simples, esse sistema nervoso difuso possibilita a esses animais uma grande interação com o meio e a possibilidade de locomoção.

Estrutura e importância dos cnidócitos

Como vimos ao longo dessa aula, os cnidários possuem células especiais capazes de causar queimaduras em outros animais.

Isso ocorre porque, ao serem pressionados, os cnidócitos liberam o nematocisto. O nematocisto é uma estrutura penetrante, constituída de um longo filamento através do qual as substâncias urticantes em seu interior entram na pele do animal que encostou nos cnidócitos.

Essas substâncias urticantes são toxinas que variam de espécie para espécie. Em geral, elas têm a capacidade de paralisar animais pequenos ou matá-los. Nos seres humanos, geralmente causam queimaduras dolorosas.

Essas células são extremamente importantes para os cnidários. Isso porque elas os ajudam na captura de presas, já que, muitas vezes, as toxinas conseguem paralisar animais pequenos. Além disso, podem ajudar na defesa desses animais, já que seus corpos são bastante frágeis.

Desenho esquemático de um cnidócito
Imagem 4: Desenho esquemático de um cnidócito. Fonte da imagem: https://bit.ly/3jPpqOm

Reprodução dos cnidários

Os cnidários podem se reproduzir tanto sexuadamente quanto assexuadamente.

Reprodução assexuada

A reprodução assexuada nesses animais ocorre através de brotamento ou estrobilização.

No brotamento ocorre a formação de um pequeno broto na superfície externa do animal adulto. Esse broto pode se soltar do animal originário ou, mais frequentemente, ficar aderido e ele, formando colônias.

Brotamento de hidra - cnidários
Imagem 5: Fotomicrografia feita com microscópio óptico. Na imagem vemos uma hidra com vários brotos aderidos ao seu corpo, resultantes da reprodução assexuada por brotamento. Fonte da imagem: Getty Images.

Enquanto isso, na estrobilização o corpo de um pólipo se divide em vários pedaços, como fatias. Cada uma dessas fatias dará origem a um novo animal.

Reprodução sexuada

Na reprodução sexuada, os cnidários (a maioria é dióica) produz gametas e os lançam na água, onde irão se unir. Dessa maneira, a fecundação dos cnidários é uma fecundação externa.

A partir da fecundação, há a formação de uma célula-ovo e, posteriormente, forma-se uma larva ciliada chamada de larva plânula. Sendo assim, dizemos que os cnidários possuem desenvolvimento indireto.

Além disso, os cnidários podem também realizar um tipo especial de reprodução chamado de metagênese ou alternância de gerações.

Nesse tipo de reprodução, há estágios em que o animal se apresenta na forma de pólipo e, em outros momentos, na forma de medusa. Simplificadamente falando, na fase de medusa os indivíduos lançam gametas na água, realizando uma reprodução sexuada.

A larva formada pela reprodução sexuada das medusas irá se fixar no substrato e dar origem à um pólipo. Esse, por sua vez, realiza uma reprodução assexuada através de estrobilização. Cada estróbilo gerado nesse processo dará origem à uma éfira, nome dado às águas vivas jovens.

Metagênese realizada por cnidários
Imagem 6: Infográfico demonstrado as diferentes etapas da metagênese realizada por cnidários.

Para complementar seus estudos, veja esta videoaula do canal Biologia Prof Guilherme:

Exercícios

Por fim, que tal testar seus conhecimentos com alguns exercícios que selecionei para você?

1- (UniCESUMAR PR/2020)

Um dos principais problemas atuais relacionados à perda da biodiversidade são as espécies invasoras. Um caso muito conhecido no litoral brasileiro é o do coral-sol, que vem causando sérios impactos ecológicos, econômicos e sociais. Sobre o coral-sol, é correto afirmar que pertencem ao filo

a) Porifera, sendo animais sésseis, filtradores, possuindo células dotadas de flagelos.

b) Cnidaria, do qual também fazem parte as anêmonas-do-mar e as águas-vivas.

c) Echinodermata, assim como os ouriços e as estrelas-do-mar, possuindo pés ambulacrais para se fixar nas rochas.

d) Cnidaria, sendo animais sésseis, filtradores, possuindo células dotadas de flagelos.

e) Porifera, que possui duas fases distintas de desenvolvimento: pólipo e medusa.

2- (IFCE/2016)

Sobre os cnidários, é correto afirmar-se que

a) sua digestão é exclusivamente intracelular.

b) os tipos morfológicos denominados pólipos são considerados livre-natantes.

c) os principais representantes são as medusas e as esponjas.

d) possuem uma célula especial denominada coanócito.

e) são animais que apresentam dois folhetos embrionários.

3- (IFRS/2015)

Complete as lacunas abaixo.

Os corais pertencem à classe Anthozoa, do Filo ________________________. Alguns outros representantes deste filo são as hidras, ______________________, anêmonas-do-mar e caravelas.

A alternativa que contém os termos que completam corretamente as lacunas é

a) cnidaria – medusas

b) porifera – esponjas

c) platyhelmintes – planárias

d) trematoda – medusas

e) cnidaria – esponjas

GABARITO:

  1. B
  2. E
  3. A

Sobre o(a) autor(a):

Juliana Evelyn dos Santos é bióloga formada pela Universidade Federal de Santa Catarina e cursa o Mestrado em Educação na mesma instituição. Ministra aulas de Ciências e Biologia em escolas da Grande Florianópolis desde 2007 e é coordenadora pedagógica do Blog do Enem e do Curso Enem Gratuito.