Coesão e Coerência na Redação Enem: evite Redundâncias e Repetições

Atenção para a redundância e a repetição de palavras em sua redação do Enem. Veja dicas de como tornar o seu texto mais coeso e coerente, evitar as redundâncias e repetições e fortalecer a sua argumentação!

Um dos pontos avaliados na sua Redação Enem é a coesão e a coerência do seu texto. Um texto coeso é aquele que apresenta uma conexão evidente e harmoniosa entre os seus parágrafos. Confira aula gratuita e depois veja um texto aprovado pelo MEC como Redação Nota 1000.

Para que um texto seja avaliado como coeso é preciso que o autor utilize palavras e expressões que deem uma sequência lógica às frases. Já a coerência de um texto reside na relação lógica entre as ideias apresentadas. Um texto coerente é aquele que mantém a mesma “linha de pensamento” do seu início até o fim. Assim, Coesão e Coerência somam pontos na hora da correção da Redação do Enem.

Para você treinar em casa redações com coesão e coerência, vamos observar neste post os problemas de coesão mais comuns e as possíveis medidas para solucioná-los. Para isso, utilizaremos um texto que iremos analisar ao longo da nossa aula. Vem com a gente e arrase na sua Redação Enem.

No parágrafo de introdução do texto que vamos analisar a seguir, é possível observar vários pontos problemáticos em relação à Coesão e Coerência, e que vamos pontuar utilizando números para identificá-los:

  • a repetição de palavras (1),
  • a ausência de conectivos (2),
  • o uso excessivo de pessoalidade (3) (primeira pessoa do plural – nós),
  • marcas de oralidade devido a erros no uso da norma culta (4),
  • redundância do raciocínio (5), e,
  • o senso comum(6).
  • Veja o texto a seguir para identificar estes pontos problemáticos:

“A palavra uniforme(1) faz menção à igualdade, já que o uniforme(1) escolar serve para identificação, nivelamento social, ou(1) em outros ofícios, ressaltar traços de quem o utiliza, como(1) a sabedoria dos jalecos(6) ou (1) a autoridade de uma farda.

Assim(2), roupas dão a primeira impressão de uma pessoa(6), ou(1) talvez a única, se nunca(5) chegarmos(3) a conhecer(5) ela(4). Logo(2), é o jeito mais fácil de dizer ao mundo quem(6) somos(3),como(1) estamos(3) nos sentindo e o que(5) vamos(3)fazer(5).”

Equívocos na Coesão e Coerência

Como você pode ver, além dos problemas listados acima, existe a contradição entre os termos igualdade e nivelamento social, o qual não é explicado de acordo com o tema.

Para tornar esse parágrafo mais competitivo, poderíamos utilizar sinônimos, inserir conectivos, utilizar a terceira pessoa do singular, observar o uso correto da norma culta e evitar ideias vagas ou muito próximas ao senso comum. Observe como ele pode melhorar:

“A palavra uniforme faz menção à igualdade, já que o vestuário serve para a identidade coletiva, reconhecimento ou em profissões, para enfatizar características, como a autoridade de uma farda. Assim, roupas são uma forma de comunicação social.”

Veja que para manter a ideia de “igualdade”, a palavra “coletiva” é utilizada a fim de reiterar esse sentido. Ademais, a tese é colocada de maneira mais formal e distante do senso comum “roupas são uma forma de comunicação social”.

Agora, no próximo parágrafo do desenvolvimento, existe uma descrição(6) com traços literários que generaliza a situação do saneamento básico no Brasil, sendo pouco objetiva e criando um cenário mais passional que argumentativo. Além disso, há períodos muito longos(7), como o segundo e uma metáfora(8) não desenvolvida ao final do parágrafo. Observe:

“O fétido cheiro da podridão espalha-se pela cidade, praias e rios, enquanto isso bueiros entupidos e esgotos clandestinos entopem e poluem o ambiente e finalmente, ratos e baratas surgem para completar a festa.(6) Em um cenário que remete ao medievo, as cidades brasileiras sofrem cada vez mais com a falta de saneamento básico, obra fundamental para o bom funcionamento do ambiente urbano, cuja falta é sentida e sofrida pela população, que dá seu jeito para contornar o completo abandono e descaso político(7). Afinal, olhos são a barganha dos partidos para movimentar o curral eleitoral e a questão, como tudo na vida, é puramente política.”(8)

Novamente os problemas de Coesão e Coerência aparecem. Para tornar esse parágrafo mais coeso e coerente, poderíamos relacionar a descrição em seu início com uma área brasileira específica, tornando-a mais objetiva.

Além disso, teríamos de utilizar períodos mais curtos articulados por conectivos, evitar marcas de oralidade e tornar a metáfora mais didática.

“Não há água encanada nas casas que estimule a hábitos de higiene, prática básica para a profilaxia de muitas doenças. Além disso, o esgoto corre a céu aberto, desafiando a civilidade e tornando-se estopim de pragas urbanas. Essa é a realidade de 33 cidades brasileiras que não possuem distribuição de água, como Santarém, e de mais outros 2.000 mil municípios sem tratamento de esgoto.

Logo, em um cenário que remete ao medievo, brasileiros sofrem cada vez mais com a falta de saneamento básico, obra fundamental para o bom funcionamento urbano. Sendo que sua ausência afeta diretamente a população, a qual tem de lidar com o descaso politico.

Afinal, investimentos visíveis aos olhos, como pavimentação, iluminação pública ou construções, acabam agindo em detrimento daqueles em infraestrutura. Portanto, a atenção política movimenta-se por interesses publicitários dos partidos e não pelo bem estar social.”

Ficou bem melhor, não é mesmo?

Para reforçar, assista nossa videoaula de como tirar 1000 na redação do Enem e outra aula sobre como ter coesão e coerência!

Dica do Curso Enem Gratuito

Complete agora a sua revisão lendo uma Redação Enem Nota 1000 aprovada pelo Ministério da Educação com a nota máxima:

Redação Enem 2017 Nota 1000: Beatriz Albino Servilha (Rio de Janeiro)

Educação inclusiva   Durante o século XIX, a vinda da Família Real ao Brasil trouxe consigo a modernização do país, com a construção das escolas e universidades. Também, na época, foi inaugurada a primeira escola voltada para a inclusão social de surdos.

Não se vê, entretanto, na sociedade atual, tal valorização educacional relacionada à comunidade surda, posto que os embates que impedem sua evolução tornam-se cada vez mais evidentes. Desse modo, os entraves para a educação de deficientes auditivos denotam um país desestruturado e uma sociedade desinformada sobre sua composição bilíngue.

 A princípio, a falta de profissionais qualificados dificulta o contato do portador de surdez com a base educacional necessária para a inserção social. O Estado e a sociedade moderna têm negligenciado os direitos da comunidade surda, pois a falta de intérpretes capacitados para a tradução educativa e a inexistência de vagas em escolas inclusivas perpetuam a disparidade entre surdos e ouvintes, condenando os detentores da surdez aos menores cargos da hierarquia social. 

Lê-se, pois, é paradoxal que, em um Estado Democrático, ainda haja o ferimento de um direito previsto constitucionalmente: o direito à educação de qualidade.

Além disso, a ignorância social frente à conjuntura bilíngue do país é uma barreira para capacitação pedagógica do surdo. Helen Keller – primeira mulher surdo-cega a se formar e tornar-se escritora – definia a tolerância como maior presente de uma boa educação.

O pensamento de Helen não tem se aplicado à sociedade brasileira, haja vista que não se tem utilizado a educação para que se torne comum aos cidadãos a proximidade com portadores de deficiência auditiva, como aulas de Libras, segunda língua oficial do Brasil.

Dessa forma, torna-se evidente o distanciamento causado pela inexperiência dos indivíduos em lidar com a mescla que forma o corpo social a que possuem. Infere-se, portanto, que é imprescindível a mitigação dos desafios para a capacitação educacional dos surdos.

Para que isso ocorra, o Ministério da Educação e Cultura deve realizar a inserção de deficientes auditivos nas escolas, por meio da contratação de intérpretes e disponibilização de vagas em instituições inclusivas, com o objetivo de efetivar a inclusão social dos indivíduos surdos, haja vista que a escola é a máquina socializadora do Estado.

Ademais, a escola deve preparar surdos e ouvintes para a convivência harmoniosa, com a introdução de aulas de Libras na grade curricular, a fim de uniformizar o laço social e, também, cumprir com a máxima de Nelson Mandela que constitui a educação como segredo para transformar o mundo. Poder-se-á, assim, visar a uma educação, de fato, inclusiva no Brasil.

Fonte: https://g1.globo.com/educacao/noticia/leia-redacoes-nota-mil-do-enem-2017.ghtml

Dica do Curso Enem – Desenvolver os Argumentos com Coesão e Coerência estão no centro da elaboração da Redação. De acordo como Manual do Ministério da Educação para a Redação do Enem, a Estrutura do texto dissertativo-argumentativo deve ser organizada em três movimentos clássicos.

Veja a divisão e as aulas correspondentes no Curso Enem Gratuito. Acesse os links para melhorar sua preparação para a Redação do Enem:

  1.  – Introdução (criar uma Tese ou Ponto de Vista);
  2.  – Desenvolvimento ( os Argumentos); e,
  3.  – Conclusão (a Proposta de Intervenção).

Sobre o(a) autor(a):

Renato Luís de Castro é graduado em Letras/Francês pela Unesp-Araraquara, e mestrado em Estudos Literários também na Unesp, atualmente concluindo Licenciatura pela UFSC.