Estrutura das Angiospermas: as flores

Venha comigo nesta aula de Biologia para o Enem revisar as estruturas das florais das Angiospermas!

As angiospermas são o grupo de maior diversidade de plantas do planeta. A sua enorme variedade de formas e estratégias de sobrevivência faz com que seja um grupo extremamente bem sucedido, com espécies habitando praticamente todos os ambientes da Terra. Boa parte desse sucesso evolutivo deve-se às suas estratégias reprodutivas e a estrutura das angiospermas.

Sendo assim, para que você entenda o ciclo vital das angiospermas, é importante que você compreenda a estrutura das flores desse grupo, bem como seus diferentes tipos. Então, acompanhe esta aula de Biologia para o Enem e mande bem na prova!

Estrutura das Angiospermas: as flores

Em geral as flores das angiospermas se configuram como as partes mais chamativas dessas plantas. Tanto é que as utilizamos para ornamentar ambientes. Porém, obviamente, as estruturas das angiospermas não servem somente para que possamos admirá-las. Elas são seus órgãos reprodutivos e produzem os gametas necessários para a reprodução sexuada.

estrutura das angiospermas flor de cacto
Imagem 1: Flor de cacto. Os cactos são espécies de angiospermas. Foto da autora.

Além disso, a maior parte das angiospermas têm sua polinização realizada por animais. Sendo assim, as estruturas florais muitas vezes têm a função não só de proteger os órgãos sexuais das plantas, mas também de atrair polinizadores para que estes possam carregar seus gametas de uma planta para a outra. Dessa maneira, as flores das angiospermas geralmente são coloridas e odoríferas.

polinização angiospermas
Imagem 2: Borboleta em uma flor. As borboletas são importantes polinizadores. Foto da autora.

Como você já sabe, as flores são formadas por conjuntos de folhas modificadas. Essas folhas se organizam de maneira concêntrica, formando diferentes conjuntos que chamamos de verticilos florais. Conheça a estrutura das angiospermas:

– Pedúnculo: O pedúnculo, também conhecido como haste, é o “cabinho da flor”. É a estrutura que irá sustentar as demais estruturas florais, ligando-as ao caule.

– Receptáculo floral: O receptáculo floral é uma porção mais “gordinha” da extremidade do pedúnculo. Sobre ela os vários conjuntos de verticilos florais (conjuntos de folhas modificadas que formam as flores) irão se inserir e se organizar. Além disso, muitas flores têm nos receptáculos células que irão se especializar na produção de néctar, um líquido adocicado que atrai os polinizadores. Essa região pode ser chamada de nectário.

– Cálice: O cálice é uma estrutura que geralmente possui a coloração verde. É composto de folhas modificadas chamadas de sépalas. Essas sépalas têm principalmente a função de proteger a flor quando ela está ainda na forma de botão, antes de desabrochar. Algumas vezes as sépalas podem também ser coloridas, exercendo assim função semelhante à das pétalas.

estrutura das angiospermas receptáculo
Imagem 3: Botão de rosa onde podemos visualizar as sépalas, o receptáculo e o pedúnculo.

– Corola: a corola, em geral, é a parte mais vistosa e chamativa de uma flor. Ela é composta por folhas modificadas chamadas de pétalas. Essas pétalas geralmente possuem coloração chamativa, formatos variados e podem secretar diferentes odores.

Muitas flores possuem odores agradáveis não só aos polinizadores, mas também para os humanos, tanto é que as utilizamos para a produção de perfumes e outros cosméticos.

Imagem 4: Flor conhecida como Dama-da-noite. É uma flor que desabrocha durante a noite, liberando forte perfume para atrair polinizadores de hábitos noturnos.

Porém, há flores que possuem odores muito ruins para o olfato humano. Há flores, por exemplo, que cheiram a carniça. Isso porque seus polinizadores são moscas que comumente visitam cadáveres.

Imagem 5: Amorphophallus titanum, flor que libera odor de carne podre para atrair seus polinizadores.

A maior parte das pétalas possuem uma textura bastante aveludada. Essa textura é produzida pela presença de estruturas da epiderme da pétala, chamadas de papilas.

Imagem 6: Fotomicrografia feita a partir de microscópio eletrônico de varredura e colorida artificialmente. A imagem mostra a superfície da pétala de uma rosa, onde se encontram as papilas que dão textura aveludada à estrutura.

Além de trair os polinizadores, as pétalas têm também a função de proteger os verticilos internos (partes mais internas das flores).

– Androceu: O androceu é um conjunto de folhas modificadas que formam a parte masculina da flor. As suas folhas são tão modificadas que nem sequer lembram a estrutura de uma folha. Chamamos essas estruturas de estames.

Em cada estame há uma parte mais dilatada em uma das extremidades, que chamamos de antera. A antera é dividida em dois compartimentos, com um tecido conectivo entre eles. Cada compartimento da antera possui dois sacos polínicos (microsporângios) que produzem esporos. Esses esporos são os responsáveis por produzirem o gametófito masculino, que chamamos de grão de pólen. O grão de pólen, por sua vez, será o responsável por produzir os gametas masculinos.

Imagem 7: Androceu de papoula.

Ligando a antera ao receptáculo floral há o filete. O filete é uma continuidade do tecido conectivo que divide os dois compartimentos presentes na antera.

Imagem 8: Fotomicrografia feita a partir de microscópio óptico. Na imagem vemos um corte transversal de uma antera de lírio.

– Gineceu: O gineceu é o conjunto de folhas modificadas que forma a parte feminina da flor. As folhas modificadas que formam a estrutura feminina são chamadas de carpelos. Cada um dos carpelos possui uma base dilatada, que chamamos de ovário.

Dentro do ovário, dependendo da espécie de angiosperma, podemos encontrar um ou mais óvulos (microsporângios). Lembre-se que nas plantas, os óvulos não são os gametas femininos, mas sim a estrutura que irá gerá-los. Sendo assim, os óvulos irão gerar esporos. Quando os óvulos crescem, formam-se os sacos embrionários (gametófito feminino), onde está a oosfera (gameta feminino).

Imagem 9: Fotografia de um carpelo com a indicação de suas partes.

Sobre o ovário há uma estrutura que se assemelha a um tubo, chamada de estilete. Na ponta do estilete encontramos uma segunda dilatação, chamada de estigma. O estigma, em geral, possui estruturas aderentes, para que os grãos de pólen grudem ali. É nessa região que o tubo polínico produzido pelos grãos de pólen irá penetrar na parte feminina da flor.

Imagem 10: Fotomicrografia produzida a partir de microscópio eletrônico de varredura e colorida artificialmente. Na imagem podemos ver um corte transversal do ovário de uma flor.

A maior parte das angiospermas possuem o gineceu formado por carpelos independentes, cada um com seu ovário. E, em cada um desses ovários, encontramos uma cavidade ou loco, onde um ou mais óvulos de desenvolvem. Porém, há espécies onde os carpelos se fundem, formando um único ovário, dentro do qual se desenvolvem um ou mais óvulos.

Imagem 11: Gineceus da flor de açafrão. Essas estruturas florais são utilizadas como um tempero alimentício muito aromático e valioso.
Estrutura das angiospermas: classificação das flores

Como você acabou de ver, há uma enorme variedade de flores dependendo da estrutura das angiospermas. Sendo assim, classificamos as flores de acordo com diferentes características. Veja:

  • Classificação das flores quanto ao sexo:

– Flores hermafroditas: Ao contrário do que ocorre nas espécies de gimnospermas, onde as flores (estróbilos ou pinhas) possuem apenas um sexo, a maior parte das espécies de angiospermas produzem flores com ambos os sexos. Chamamos essas flores de hermafroditas.

Como a intenção de uma planta é fazer fecundação cruzada com um outro indivíduo, as plantas com flores hermafroditas possuem estratégias para evitar que ocorra autofecundação. Assim, podemos ter flores onde o estigma do gineceu é muito mais alto que os estames, evitando assim que o pólen da flor caia e fecunde sua própria parte feminina. Além disso, em algumas espécies, as partes masculinas e femininas podem amadurecer em épocas diferentes.

As plantas que possuem flores hermafroditas são chamadas de monoicas, uma vez que produzem gametas masculinos e femininos ao mesmo tempo. São também chamadas de monoclinas, uma vez que os dois sexos estão juntos em uma flor.

estrutura das angiospermas tulipas
Imagem 12: Tulipa aberta. A tulipa é uma flor hermafrodita. Nela é possível notar uma estrutura triangular central: o estigma da parte feminina. Em volta, há estruturas alongadas e escuras, que são as anteras dos estames. Foto da autora.

– Flores unissexuadas: Algumas espécies de plantas possuem flores com apenas um sexo, ou seja, flores femininas separadas das flores masculinas. Essas flores são chamadas de unissexuadas.

As plantas com flores unissexuadas podem produzir ao mesmo tempo flores masculinas e flores femininas. Nesse caso são plantas monoicas chamadas de díclinas. Podem também ser plantas dioicas, tendo indivíduos que produzem apenas flores masculinas e plantas que produzem flores femininas, como o mamoeiro.

  • Classificação das flores quanto ao número de flores por pedúnculo:

– Flores simples: São as flores mais comuns nas angiospermas. Nesse tipo de flor, há apenas uma flor por pedúnculo. É o caso das tulipas e das rosas, por exemplo.

– Inflorescências: São conjuntos de várias flores em um mesmo pedúnculo. Há dois tipos de inflorescências:

a) Inflorescências definidas: São as inflorescências em que há uma flor na extremidade do arranjo (flor terminal), que floresce antes das demais. Sendo assim, a inflorescência possui um crescimento definido. É o caso, por exemplo, da coroa-de-cristo.

estrutura das angiospermas coroa de cristo
Imagem 14: Flor da planta conhecida como coroa-de-Cristo.

b) Inflorescências indefinidas: São inflorescências onde há uma gema na ponta do arranjo floral ou em seu centro, que continua crescendo indefinidamente.

Esse é o caso das margaridas e girassóis. Quando olhamos essas estruturas, parece que são uma única flor. Porém, o que achamos que são as pétalas das margaridas são, na verdade, brácteas. As brácteas são folhas modificadas para se parecem com pétalas. As flores da margarida, são na verdade, seu miolo. Se você olhar com atenção essa estrutura verá que há inúmeras pequenas flores. No centro da formação há uma gema que continua produzindo pequenas flores.

estrutura das margaridas
Imagem 15: A margarida de praia é uma Inflorescência na forma de capítulo. Observe que no “miolo” há várias pequenas estruturas que são minúsculas flores. Em cima das flores há um polinizador. Foto da autora.
  • Classificação das flores quanto à simetria floral:

– Flores trímeras: São flores que possuem em seus verticilos florais três peças (três pétalas, três sépalas, três estames…) ou múltiplos de três. Essas flores são típicas do grupo das monocotiledôneas.

flor trímera
Imagem 16: Exemplo de flor trímera.

– Flores tetrâmeras: são as flores que possuem quatro peças em cada verticilo ou múltiplos de quatro. Muitas plantas dicotiledôneas possuem esse tipo de flor.

– Flores pentâmeras: são as flores que possuem cinco peças florais em cada verticilo, ou múltiplos de cindo. São também encontradas em dicotiledôneas.

  • Classificação das flores quanto à presença ou não de verticilos florais

– Flores completas: São as flores que possuem todos os verticilos florais: cálice, corola, androceu e gineceu.

– Flores incompletas: São as flores onde não há a presença de algum verticilo floral.

Para finalizar sua aula sobre estrutura das angiospermas e tirar todas as suas dúvidas, veja esta aula do canal O Kuadro:

Agora, para finalizar seus estudos sobre as flores e a estrutura das angiospermas, teste seus conhecimentos resolvendo os exercícios que selecionei para você:

Questão 01 – (IFMT/2018)

Na evolução das plantas, as angiospermas conseguiram conquistar praticamente todos os ambientes terrestres, e até mesmo, os meios aquáticos graças às adaptações morfológicas e funcionais de seus sistemas. O sistema reprodutor destaca-se pela produção de aromas, néctar e coloração para atrair os diferentes polinizadores, o que torna mais eficiente a reprodução neste grupo. Abaixo, está representado um esquema de uma flor típica. Analise as informações e assinale a alternativa que apresenta as informações CORRETAS sobre as partes da flor e suas funções.

desenho de angiospermas com numeração

a) o número 1 corresponde ao receptáculo floral que se transforma em fruto após a fecundação.

b) o número 2 corresponde às pétalas, estruturas que não apresentam funções na flor.

c) o número 3 corresponde às sépalas e normalmente são verdes e não atrativas para os polinizadores.

d) o número 4 corresponde aos estames (partes do androceu) e tem função de produzir os grãos de pólen que são transportados exclusivamente pelo vento.

e) o número 5 corresponde ao aparelho reprodutor feminino, cujo ovário se transforma em frutos e o óvulo se desenvolve em semente após a fecundação.

Questão 02 – (UNITAU SP/2018)

As plantas angiospermas, atualmente classificadas como filo Anthophyta, reúnem mais de 230.000 espécies, como as árvores frutíferas, além de plantas ornamentais, como as que produzem as rosas e as tulipas, cuja principal característica é o surgimento da flor. A morfologia básica de uma flor inclui um pedicelo, ou pedúnculo, que, em uma das extremidades está preso ao caule, e, na outra, apresenta o receptáculo floral.

Assinale a alternativa CORRETA sobre as estruturas originadas nos verticilos florais.

a) Cálice: conjunto de pétalas, geralmente verdes, mas que podem apresentar coloração variada.

b) Corola: conjunto de sépalas, geralmente verdes, mas que podem apresentar coloração variada.

c) Androceu: formado por estames, folhas modificadas que formam a antera, que origina o grão de pólen.

d) Gineceu: formado por pétalas modificadas, chamadas carpelos, que originam o ovário.

e) Perianto: formado por um ou mais pistilos, originando uma estrutura alongada, o estilete.

Questão 03 – (UECE/2016)

Atente ao que se diz sobre flores, e assinale com V o que for verdadeiro e com F o que for falso.

(   ) Flores que apresentam órgãos reprodutores de ambos os sexos, masculino e feminino, são chamadas dioicas.

(   ) Flores hermafroditas são denominadas completas quando constituídas por quatro conjuntos de verticilos florais.

(   ) Nas espermatófitas, o ovário, que fica na base do gineceu, corresponde ao fruto desenvolvido a partir da fecundação.

(   ) As sépalas são geralmente verdes e sua função é cobrir e proteger o botão floral antes de ele se abrir. A sequência correta, de cima para baixo, é:

a) F, F, V, V.

b) V, F, V, F.

c) V, V, F, F.

d) F, V, F, V.

GABARITO:

1) Gab: E

2) Gab: C

3) Gab: D

Sobre o(a) autor(a):

Juliana é bióloga formada pela Universidade Federal de Santa Catarina e cursa o Mestrado em Educação na mesma instituição. Ministra aulas de Ciências e Biologia em escolas da Grande Florianópolis desde 2007 e é coordenadora pedagógica do Blog do Enem.