Resolva exercícios de genética com o quadro de Punnett

O quadro de Punnett é o método mais simples para resolver a maior parte dos exercícios de genética. Saiba como ele funciona nesta aula de Biologia para o Enem e para os vestibulares.

O quadro de Punnett, criado pelo geneticista inglês Reginald Punnett (1875-1967), é a maneira mais simples e rápida para resolver exercícios de genética no Enem e nos vestibulares.

Com ele você pode visualizar os gametas produzidos por cada um dos genitores, testar todos os cruzamentos que podem ocorrer entre esses gametas e conhecer os possíveis genótipos e fenótipos produzidos a partir desses cruzamentos.

O Quadro de Punnett

Você sabe como usar este quadro em problemas de monoibridismo e diibridismo? Não? Então veja esta revisão e mande bem em Biologia no Enem e nos vestibulares!

Publicidade

É muito provável que você já esteja familiarizado(a) com o quadro de Punnett. Ele parece um “jogo da velha”, com diversos espaços onde colocamos várias letras que representam os genes nos exercícios de genética.

Ele pode parecer um pouco complicado à primeira vista. Mas, na verdade, ele facilita muito a sua vida na hora de responder exercícios de genética envolvendo a primeira e a segunda lei de Mendel. Vamos ver como montá-lo?

Veja agora na Introdução com a professora Juliana Evelyn Santos como usar o quadro de Punnett nos exercícios de genética.

Mandou bem a professora Juliana. Têm mais aulas dela no canal do Curso Enem Gratuito.

Montagem do quadro de Punnett

O quadro de Punnett é um diagrama semelhante a uma tabela. Na primeira linha e na primeira coluna dessa tabela, escrevemos os gametas que podem ser produzidos pelos genitores envolvidos no cruzamento que queremos testar.

Lembre-se que segundo a primeira Lei de Mendel, para determinarmos uma característica é preciso a combinação de um par de alelos. Esses alelos (de um mesmo par de cromossomos, de um mesmo gene) são separados durante a meiose, divisão celular onde são produzidos os gametas.

Sendo assim, sempre que você pensar em um par de alelos, eles devem ser separados na gametogênese e um irá para a metade de todos os gametas produzidos e o outro para a outra metade.

Exemplo no Quadro de Punnett

Para você entender melhor a como devemos representar esses gametas no quadro de Punnett, vamos pensar no exemplo a seguir:

Exercício de Genética – Análise de caso:

“Maria está grávida de João. Ambos estão preocupados com a possibilidade de que seu bebê tenha albinismo, apesar de apresentarem coloração de pele típica. Isso porque tanto o pai de João quanto o de Maria são albinos. Sabendo que o albinismo é condicionado por homozigose recessiva, ajude o casal e calcule as possibilidades de seu bebê ter albinismo.”

Passo 1 – determinar o genótipo dos genitores

Como você pôde ver, o enunciado dá pistas sobre o genótipo dos pais e também sobre o mecanismo de herança envolvido. Os pais têm coloração típica, porém um dos genitores de cada lado possui albinismo. Além disso, o enunciado diz que essa condição é condicionada por homozigose recessiva.

Sendo assim, podemos concluir que a coloração típica de João e Maria é condicionada por um gene dominante e que seus genótipos são heterozigotos para o albinismo, já que os pais deles têm albinismo e só produzem gametas com gene para albinismo.

Está um pouquinho difícil de entender? Então veja o diagrama abaixo:exercícios de genética

Passo 2 – Encontrar os gametas de cada genitor

Maria tem genótipo “Aa”. Sendo assim, quando suas células ovarianas prosseguirem a meiose, esses alelos irão ser separados e cada gameta receberá apenas um alelo do par. Dessa maneira, metade dos gametas de Maria terá o alelo “A” e a outra metade terá o alelo “a”. Como João também é heterozigoto para esta característica, também produzirá gametas “A” e gametas “a”.

Passo 3 – Montar o cruzamento no quadro

Para iniciar a montagem de seu quadro de Punnett, use a primeira linha e a primeira coluna para escrever os possíveis gametas de cada um dos genitores.quadro de punnett exercícios de genética

Passo 4 – Construir os possíveis genótipos

Os espaços em branco no diagrama são para você inserir os resultados de cada um dos possíveis cruzamentos. Para isso, você deve juntar os gametas que se cruzam na mesma coluna e linha do quadradinho. Veja:como usar o quadro de punnett

.

quadro de punnett

Passo 5 – Analisar os possíveis resultados dos cruzamentos

Os quatro quadradinhos que representam os genótipos resultantes do cruzamento correspondem a 100% das possibilidades. Sendo assim, cada quadradinho corresponde à 25% das possibilidades. Veja:resultados do quadro de punnett

  • Fique atento (a) a isso, pois os exercícios de genética podem pedir duas diferentes possibilidades de análise dos resultados:
  • a) calcular as possibilidades relacionadas aos genótipos (genes dos indivíduos);
  • b) calcular as possibilidades relacionadas aos fenótipos (características dos indivíduos).

Veja nos diagramas abaixo as duas maneiras de analisar os possíveis resultados:

a) Análise dos possíveis genótipos:quadro de punnett genótipos

 

b) Análise dos possíveis fenótipos:exercícios de genética fenótipos

 

Exercícios de genética com o Quadro de Punnett

Para finalizar sua revisão, resolva os exercícios de genética abaixo. Você irá utilizar o quadro de Punnett em todas elas!

Questão 01 – (ENEM/2017)

A acondroplasia é uma forma de nanismo que ocorre em 1 a cada 25 000 pessoas no mundo. Curiosamente, as pessoas não anãs são homozigóticas recessivas para o gene determinante dessa característica. José é um anão, filho de mãe anã e pai sem nanismo. Ele é casado com Laura, que não é anã.

Qual é a probabilidade de José e Laura terem uma filha anã?

a) 0%

b) 25%

c) 50%

d) 75%

e) 100%

Gab: B

Questão 02 – (ENEM/2017)

O heredograma mostra a incidência de uma anomalia genética em um grupo familiar.

exercícios de genética enem heredograma

O indivíduo representado pelo número 10, preocupado em transmitir o alelo para a anomalia genética a seus filhos, calcula que a probabilidade de ele ser portador desse alelo é de

a) 0%.

b) 25%.

c) 50%.

d) 67%.

e) 75%.

Gab: D

Questão 03 – (ENEM/2015)

A fenilcetonúria é uma doença hereditária autossômica recessiva, associada à mutação do gene PAH, que limita a metabolização do aminoácido fenilalanina. Por isso, é obrigatório, por lei, que as embalagens de alimentos, como refrigerantes dietéticos, informem a presença de fenilalanina em sua composição. Uma mulher portadora de mutação para o gene PAH tem três filhos normais, com um homem normal, cujo pai sofria de fenilcetonúria, devido à mesma mutação no gene PAH encontrada em um dos alelos da mulher.

Qual a probabilidade de a quarta criança gerada por esses pais apresentar fenilcetonúria?

a) 0%

b) 12,5%

c) 25%

d) 50%

e) 75%

Gab: C

Questão 04 – (ENEM/2011)

Em abelhas, Apis mellifera, os óvulos não fertilizados originam machos haploides. Experimentos em laboratório têm obtido machos diploides e demonstram que os machos têm de ser homozigotos para um gene, enquanto as fêmeas têm de ser heterozigotas.

Disponível em: http://www.nature.com (adaptado).

Supondo que uma fêmea com genótipo AB se acasale com cinco machos com genótipos diferentes A, B, C, D e E, conforme o esquema. Qual a porcentagem de machos na prole desta fêmea?

enem 2011 exercício

a) 40%, pois a fêmea teria descendentes machos apenas nos cruzamentos com os machos A e B.

b) 20%, pois a fêmea produz dois tipos de gameta com relação a esse gene, e os machos, cinco tipos no total.

c) 20%, pois a fêmea produz um tipo de gameta com relação a esse gene, e os machos, cinco tipos no total.

d) 50%, pois a fêmea produz dois tipos de gametas com relação a esse gene, e os machos, um tipo.

e) 50%, pois a fêmea produz um tipo de gameta com relação a esse gene, e os machos, cinco tipos.

Gab: B

Questão 05 – (ENEM/2009)

Considere que exista um gene com dois alelos: um dominante, que permite a expressão da cor, e um recessivo, que não permite a expressão da cor. Considere, ainda, que, em um oceano, existam duas ilhas próximas e que, na ilha 1, todos os ratos apresentem pelagem branca e, na ilha 2, todos apresentem pelagem selvagem. Nesse contexto, considere que a consequência de uma atividade vulcânica tenha sido o surgimento de uma ponte entre as duas ilhas, o que permitiu o transito dos ratos nas duas ilhas. Suponha que, em decorrência disso, todos os acasalamentos tenham ocorrido entre ratos de ilhas diferentes e a geração seguinte (F1) tenha sido composta exclusivamente de ratos com pelagem selvagem.

Considerando-se que os acasalamentos para a formação da próxima geração (F2) sejam ao acaso, é correto afirmar que essa geração será constituída de ratos com pelagem

a) branca

b) selvagem

c) 50% branca e 50% selvagem.

d) 75% branca e 25% selvagem.

e) 75% selvagem e 25% branca.

Gab: E

Sobre o(a) autor(a):

Juliana Evelyn dos Santos é bióloga formada pela Universidade Federal de Santa Catarina e cursa o Mestrado em Educação na mesma instituição. Ministra aulas de Ciências e Biologia em escolas da Grande Florianópolis desde 2007 e é coordenadora pedagógica do Blog do Enem e do Curso Enem Gratuito.

Compartilhe: