A Filosofia de Sócrates: ensinou liberdade, foi condenado à morte

Ele mudou o foco dos filósofos para investigar a mente, a moral e o comportamento do ser humano. Sócrates defendia a busca do conhecimento, a liberdade de pensamento e de expressão. E, por isso, foi condenado à morte, obrigado a tomar veneno. Veja no resumo:

A importância do pensamento inovador e das metodologias utilizadas na Filosofia de Sócrates está na ruptura que ele provocou. Antes dele, os filósofos gregos olhavam para os mitos ou para o cosmo e a terra, em busca da compreensão da origem do universo e da vida. Eram os filósofos da Natureza.

Mas, quando Sócrates entra em cena, ele muda tudo e cria a Filosofia Clássica junto com os pensadores gregos Platão e Aristóteles. O foco da Filosofia passa olhar o ser humano, o seu pensamento, as formas de agir, de conviver e de governar na sociedade.

A Filosofia de Sócrates, de Platão e de Aristóteles são os pilares do pensamento que originou a sociedade ocidental. Sócrates foi professor de Platão, e um divisor de águas no mundo da Filosofia.

Publicidade

Introdução à Filosofia de Sócrates

Veja com o professor Marciel Evangelista Cataneo o resumo básico sobre o pensamento e a Filosofia de Sócrates. Marciel é professor de Filosofia no canal do Curso Enem Gratuito:

Antes dele o mundo da Filosofia na Grécia Antiga olhava para os temas dos mitos, dos deuses do Olimpo, e para os fenômenos da natureza. Por isso foram chamados de Filósofos da Natureza.

Veja o básico para gabaritar Sócrates nas provas:

1 – Sócrates é o pensador que trouxe a filosofia dos céus para a terra. Antes dele, uma parte dos pensadores estava focada na mitologia, na compreensão dos fenômenos e da vida a partir da narrativa dos deuses do Olimpo.

E, outra parte, com os filósofos Pré-Socráticos, estavam os pensadores que investigavam a origem do cosmo, do universo, da terra e da vida. A Filosofia estava orientada para investigar “as coisas”, a matemática e a arquitetura. Buscavam a origem e as causas dos fenômenos físicos.

Veja Os Filósofos da Natureza:

Confira no resumo os principais Filósofos da Natureza. Muitos deles se destacaram no campo da matemática. O Teorema de Tales, por exemplo, vem desde aquela época. O Teorema de Pitágoras também.

Confira no resumo do professor de filosofia e de história Alan Ghedini, do Curso Enem Gratuito:

Entendeu agora porque existe uma diferença tão grande entre Sócrates e os filósofos pré-socráticos? O olhar da filosofia sai “das coisas”, e vai para “a mente”, para investigar e compreender o ser humano.

Ética e Política na filosofia de Sócrates

2 – Sócrates promove uma inversão radical. Como você acompanhou com os professores Marciel Evangelista e Alan Ghedini, Sócrates colocou a Filosofia para investigar a realidade do ser humano.

O foco do pensamento de Sócrates foi o pensamento individual e o conhecimento de cada pessoa, e o comportamento dos humanos na vida na coletividade.

3 – Ele foi o primeiro pensador a formular sobre a Ética, que deveria desenvolver nos seres humanos a capacidade de mensurar, de julgar, de avaliar e de escolher os comportamentos.

E, também o estudo da arte da política, entendida por Sócrates como a capacidade de conviver com outras pessoas num mesmo espaço, em uma sociedade.

4 – Conhece-te a ti mesmo

Sócrates foi o pioneiro na arte do pensamento a formular a busca pelo autoconhecimento. Ele dizia que ao se dedicar a conhecer a si mesmo, que o homem estaria conhecendo também a realidade do mundo, pois este conhecimento estaria antropomorfizado, relacionado à compreensão do ser humano.

5 – Quem sou eu? Quem é você

Estas são perguntas imanentes à filosofia de Sócrates, e que exigiam do pensador uma atitude de humildade em relação à condição humana de “não saber”, e da necessidade de buscar o conhecimento.

 Estas eram atitudes diferenciadas propostas por Sócrates, como um reconhecimento da ignorância, e que levariam a uma atitude questionadora, de curiosidade.

6 – O que eu sei é que nada sei

 O ser humano tinha uma necessidade de conhecer, de saber, de preencher-se com o conhecimento. Por isso mesmo Sócrates nunca se autodenominou como “um sábio”. Ele entendia que dentro das possibilidades do conhecimento, era que “o que eu sei é que nada sei”.

 Para Sócrates, o conhecimento para o ser humano era como mergulhar num oceano. Cada vez que você mergulha mais fundo, maiores vão ficando as possibilidades de novas descobertas, de mais aprendizado ao seu redor.

7 – A filosofia como prática de vida

Portanto, Sócrates, ao trazer a Filosofia da esfera dos Mitos e dos Céus para a Terra, passa a ideia de que a Filosofia deveria ser prática, orientada para a vida, para viver melhor. E, isto exige dedicação, coerência, e diálogo permanente.

Quando ele demonstra que a Filosofia parte do reconhecimento da própria humildade, ele pede que os discípulos façam uma autocrítica para entrar no caminho do pensamento, para reconhecer que “não sabem”. E que esta seria uma condição prévia para o indivíduo iniciar o aprendizado no caminho do conhecimento.

8 – A Maiêutica de Sócrates

O caminho de Sócrates para ensinar a Filosofia estava alicerçado no diálogo permanente com os seus interlocutores, com seus aprendizes. E, ele utilizava como método a Maiêutica, estruturada em conversas e ironias que provocavam a dúvida no interlocutor, para que ele próprio fizesse as descobertas ao longo do caminho.

Para Sócrates, em cada ser humano existiria a verdade, e que bastaria um esforço para despir-se das ilusões que se confundiam com conhecimento, e trazer para a consciências conhecimentos novos através do diálogo.

Desta forma, Sócrates levava os seus alunos ou discípulos a trazer para a consciência a racionalidade que tirava o véu para deixar a realidade à mostra.

9 – O caminho da virtude para Sócrates

Assim, com esta “prática filosófica”, e com seu testemunho de vida que é através da Filosofia que se busca o caminho da virtude. Isto significa “ser o que se é”.

A essência de cada ser humano, enquanto seres racionais, capazes de pensar e refletir sobre a vida, que isto se encontrasse com a essência de cada um e na existência junto com todos, sendo este o campo da política.

E, por pensar e propor que a verdade estaria dentro de cada um, Sócrates foi perseguido pelos poderosos da época que defendiam que a verdade estaria na tradição, na religião, e por aqueles que defendiam o poder político.

10 – Por que Sócrates foi condenado à morte?

O pensamento de Sócrates incomodava o poder dominante da época, pois na origem da Filosofia Socrática estava um processo contínuo de contestação e busca de novos conhecimentos, e de fortalecimento do indivíduo pela descoberta do saber.  Era, na época, uma postura revolucionária.

Ele foi condenado à morte por envenenamento em janeiro do ano 399 antes de Cristo, quando ele tinha 71 anos de idade. Foi acusado de “ateísmo” em relação aos deuses da pátria, e de corromper os jovens com a sua filosofia. No entanto, estas acusações formais apenas encobriam os ressentimentos dos poderosos que governavam a cidade.

A morte de Sócrates

Sócrates  foi vítima da perseguição pela ignorância contra o saber que libertava as pessoas de crenças mitológicas ou de costumes tradicionais. Porém, para infortúnio daqueles que o condenaram, o pensamento de sócrater eternizou-se.  

Piintura francês Jacques-Louis David, executada em 1787, representando a morte de Sócrates. Ele, ao centro, reunido em despedida com seus discípulos, e com o cálice com o veneno na mão.

Sócrates recusou uma oferta de plano de fuga. Disse aos seus discípulos que partiria em paz e convicto de suas próprias ideias, e tomou um cálice com o veneno.

Compartilhe: