Filosofia Iluminista

A filosofia iluminista defendia o uso da razão e da ciência para alcançar o progresso. Estude o Iluminismo e os principais filósofos iluministas neste resumo de Filosofia para o Enem!

O Iluminismo foi um importante movimento que surgiu na França no século XVII e que defendia o uso da razão como o instrumento para alcançar a autonomia, a liberdade e a emancipação. Foi um movimento que permeou todas as áreas de conhecimento da época, que foram influenciadas pela filosofia iluminista que predominava.

O nome de iluminismo vem da palavra alemã Aufklärung que significa esclarecimento, iluminação. Esse termo foi criado em reação ao período Medieval, que ficou conhecido como Idade das Trevas.

O que defendia a filosofia iluminista?

O movimento iluminista foi um movimento global que uniu diversas áreas: filosofia, política, social, cultural e econômico. Dentro do campo da Filosofia, Gilberto Cotrin em seu livro Fundamentos da Filosofia apresenta três indicadores:

  • Estudo da natureza e ser humano: nada mais é explicado pelo teocentrismo. Ou seja, Deus deixa de ser o centro de tudo e a explicação das coisas que aconteciam. Agora temos um antropocentrismo e busca por resposta a partir da capacidade e do próprio ser humano.
  • História: tem-se o uso da história como explicação e resposta para o bem estar do ser humano.
  • Progresso: tem-se um novo ideal a partir das descobertas.

Immanuel Kant, filósofo alemão, chama este período de “Saída do homem da menoridade”, da qual ele é o próprio responsável. Segundo ele, o homem é responsável por essa causa quando deixa que os outros pensem por ele.

Vamos exemplificar: quando vamos ao médico, temos uma postura de estar diante de alguém que sabe tudo, enquanto nós somos leigos, não sabemos nada. O diagnóstico do médico torna-se uma profecia, algo inquestionável e tomamos isso como uma verdade. No entanto, esquecemos que ele pode estar sujeito ao erro e, por isso, nós também devemos usar da nossa razão para pesquisar, questionar e buscar outros diagnósticos. Por isso, segundo Kant, devemos usar nosso próprio entendimento e não confiar em tudo que nos é dito.

Os filósofos, em suma, davam uma importância central à educação como instrumento promotor de mudança e melhoria na civilização.

Principais pensadores iluministas

Iluminismo, Filosofia das Luzes, Ilustração ou Século das Luzes é a crença de que a razão, a ciência e a tecnologia seriam os meios pelos quais levariam a humanidade ao progresso e a verdade. Neste contexto, os pensadores desse período acreditavam que seriam iluminados pelo uso razão e não mais pela submissão à religião e a um ser superior.

Os principais filósofos do Iluminismo foram:

  • John Locke (1632-1704) acreditava que o homem adquiria conhecimento com o passar do tempo através do empirismo;
  • Voltaire (1694-1778) defendia a liberdade de pensamento e não poupava crítica a intolerância religiosa;
  • Jean-Jacques Rousseau (1712-1778) defendia a ideia de um estado democrático que garanta igualdade para todos;
  • Montesquieu (1689-1755) defendeu a divisão do poder político em Legislativo, Executivo e Judiciário;
  • Denis Diderot (1713-1784) e Jean Le Rond d´Alembert (1717-1783), que juntos organizaram uma enciclopédia que reunia conhecimentos e pensamentos filosóficos da época.

O Iluminismo, em resumo, foi um grande movimento que envolveu diversas áreas com o intuito de usar a razão como instrumento de emancipação. Recebeu este nome em reação à Idade das Trevas, expressão criada para caracterizar a Idade Média. A filosofia iluminista, enfim, defende que a educação é o ponto chave dessa grande mudança para o uso da razão.

Para terminar sua revisão sobre o Iluminismo, confira a paródia abaixo!
Agora, teste seus conhecimento com exercícios sobre o Iluminismo selecionados pelo professor:
1. (Uerj 2012) O Iluminismo é a saída do homem do estado de tutela, pelo qual ele próprio é responsável. O estado de tutela é a incapacidade de utilizar o próprio entendimento sem a condução de outrem. Cada um é responsável por esse estado de tutela quando a causa se refere não a uma insuficiência do entendimento, mas à insuficiência da resolução e da coragem para usá-lo sem ser conduzido por outrem. Sapere aude!* Tenha a coragem de usar seu próprio entendimento. Essa é a divisa do Iluminismo. IMMANUEL KANT (1784)

*Expressão latina que significa “tenha a coragem de saber, de aprender”.
In: BOMENY, Helena e FREIRE-MEDEIROS, Bianca. Tempos modernos, tempos de sociologia. São Paulo: Ed. do Brasil, 2010.
No contexto da expansão capitalista no século XIX, uma das ideias centrais do Iluminismo, de acordo com o texto, está associada diretamente à valorização da:
a) superioridade técnica
b) soberania econômica
c) liberdade política
d) razão científica

2. (Fatec 2003) O iluminismo surgiu na França, no século XVIII, e se caracterizava por procurar uma explicação racional para todas as coisas. É correto afirmar que
a) a filosofia iluminista preocupou-se com o estudo da natureza, por isso, acreditava-se em Deus e no poder da Igreja para chegar a Ele.
b) seus pensadores eram divididos em dois grupos: os filósofos e os economistas, sendo estes últimos defensores de uma economia totalmente supervisionada pelo Estado.
c) os déspotas esclarecidos, monarcas e ministros europeus adeptos de ideias iluministas, modernizaram seus Estados abandonando o poder absoluto.
d) para corrigir a desigualdade social era preciso modificar a sociedade, dando a todos liberdade de expressão e de culto, além de proteção contra a escravidão, a injustiça, a opressão e as guerras.
e) um de seus maiores pensadores foi Montesquieu, que escreveu o Contrato Social, no qual criticava a Igreja e defendia a liberdade dos homens.

3. (Pucrj 2002) Analise as afirmativas abaixo referentes ao Iluminismo:
I – Muitas das ideias propostas pelos filósofos iluministas são, hoje, elementos essenciais da identidade da sociedade ocidental.
II – O pensamento iluminista caracterizou-se pela ênfase conferida à razão, entendida como inerente à condição humana.
III – Diversos pensadores iluministas conferiram uma importância central à educação enquanto instrumento promotor da civilização.
IV – A filosofia iluminista proclamou a liberdade como direito incontestável de todo ser humano.
Assinale:
a) se apenas a afirmativa II estiver correta.
b) se apenas as afirmativas I e IV estiverem corretas.
c) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
d) se apenas as afirmativas I, II e IV estiverem corretas.
e) se todas as afirmativas estiverem corretas.

4. (Mackenzie) Sobre o iluminismo, é correto afirmar que:
a) defendia a doutrina de que a soberania do Estado absolutista garantiria os direitos individuais e eliminaria os resquícios feudais ainda existentes.
b) propunha a criação de monopólios estatais e a manutenção da balança de comércio favorável, para assegurar o direito de propriedade.
c) criticava o mercantilismo, a limitação ao direito à propriedade privada, o absolutismo e a desigualdade de direitos e deveres entre os indivíduos.
d) acreditava na prática do entesouramento como meio adequado para eliminar as desigualdades sociais e garantir as liberdades individuais.
e) consistia na defesa da igualdade de direitos e liberdades individuais, proporcionada pela influência da Igreja Católica sobre a sociedade, através da educação.

05) Assinale a alternativa que apresenta um princípio filosófico do Século das Luzes.
a) Crença na razão como fonte para a crítica social e política.
b) Defesa do ideal monárquico para a garantia da unidade política.
c) Ideia do Direito Divino dos Reis para legitimar o Absolutismo.
d) Ideia de indivisibilidade do Estado em poderes independentes.

06) ENEM 2013 QUESTÃO 41 – Os produtos e seu consumo constituem a meta declarada do empreendimento tecnológico. Essa meta foi proposta pela primeira vez no início da Modernidade, como expectativa de que o homem poderia dominar a natureza. No entanto, essa expectativa, convertida em programa anunciado por pensadores como Descartes e Bacon e impulsionado pelo Iluminismo, não surgiu “de um prazer de poder”, “de um mero imperialismo humano”, mas da aspiração de libertar o homem e de enriquecersua vida, física e culturalmente.
CUPANI, A. A tecnologia como problema filosófico: três enfoques, Scientiae Studia. São Paulo, v. 2 n. 4, 2004 (adaptado).
Autores da filosofia moderna, notadamente Descartes e Bacon, e o projeto iluminista concebem a ciência como uma forma de saber que almeja libertar o homem das intempéries da natureza. Nesse contexto, a investigação científica consiste em
A) expor a essência da verdade e resolver definitivamente as disputas teóricas ainda existentes.
B) oferecer a última palavra acerca das coisas que existem e ocupar o lugar que outrora foi da filosofia.
C) ser a expressão da razão e servir de modelo para outras áreas do saber que almejam o progresso.
D) explicitar as leis gerais que permitem interpretar a natureza e eliminar os discursos éticos e religiosos.
E) explicar a dinâmica presente entre os fenômenos naturais e impor limites aos debates acadêmicos.

07) ENEM 2012 QUESTÃO 2 – Esclarecimento é a saída do homem de sua menoridade, da qual ele próprio é culpado. A menoridade é a incapacidade de fazer uso de seu entendimento sem a direção de outro indivíduo. O homem é o próprio culpado dessa menoridade se a causa dela não se encontra na falta de entendimento, mas na falta de decisão e coragem de servir-se de si mesmo sem a direção de outrem. Tem coragem de fazer uso de teu próprio entendimento, tal é o lema do esclarecimento. A preguiça e a covardia são as causas pelas quais uma tão grande parte dos homens, depois que a natureza de há muito os libertou de uma condição estranha, continuem, no entanto, de bom grado menores durante toda a vida.
KANT, I. Resposta à pergunta: o que é esclarecimento? Petrópolis: Vozes, 1985 (adaptado)
Kant destaca no texto o conceito de Esclarecimento, fundamental para a compreensão do contexto filosófico da Modernidade. Esclarecimento, no sentido empregado por Kant, representa
A) a reivindicação de autonomia da capacidade racional como expressão da maioridade.
B) o exercício da racionalidade como pressuposto menor diante das verdades eternas.
C) a imposição de verdades matemáticas, com caráter objetivo, de forma heterônoma.
D) a compreensão de verdades religiosas que libertam o homem da falta de entendimento.
E) a emancipação da subjetividade humana de ideologias produzidas pela própria razão.

Respostas: 1: d; 2: d; 3: e; 4: c; 5: a; 6: c; 7: a

 

Sobre o(a) autor(a):

Gilson Luiz Corrêa é bacharel em Filosofia pela UNISUL, Licenciado em Filosofia pela UFSC e Especialização em Psicopedagogia pela FMP. Professor do Colégio Catarinense e do Colégio Salvatoriano Nossa Senhora de Fátima.