Fontes de luz e fenômenos luminosos

O que são fontes primárias e secundárias de luz? O que são fontes puntiformes? O que são os meios transparentes, translúcidos e opacos? Qual a diferença entre reflexão regular de reflexão difusa? O que é refração da luz? Revise tudo isso nesta aula de Física para o Enem!

Nesta aula de Física para o Enem você aprenderá o que são fontes de luz primárias e secundárias, fontes puntiformes de extensas e reflexão regular de reflexão difusa. Saberá diferenciar os meios onde a luz incide e ainda entenderá os fenômenos ópticos reflexão regular e difusa da luz, refração e absorção da luz. Vai perder tudo isso? Fique com a gente e mande bem nas questões de Ciências da Natureza do Enem e dos vestibulares!

Fontes de luz primárias e secundárias

Os corpos que emitem a luz que produzem são chamados corpos luminosos. Estes corpos são também conhecidos como fontes primárias de luz. São exemplos o Sol, uma vela acesa, uma fogueira etc.

Já os corpos que reenviam a luz que recebem para o espaço ou para qualquer outra direção são chamados de corpos iluminados. São também denominados fontes secundarias de luz. São exemplos de corpos iluminados a Lua, a Terra e quaisquer outros objetos que recebam a luz e reenviem para outra direção.

Fontes puntiformes e extensas

Quando as fontes de luz possuem dimensões muito pequenas, desprezíveis, são chamadas de fontes puntiformes ou fontes pontuais. Já quando possuem dimensões consideráveis, são chamadas de fontes extensas.

Fontes simples e externas

As fontes simples de luz são também conhecidas como monocromáticas, pois emitem uma só cor. São exemplos de fontes simples as lâmpadas de vapor de sódio, pois emitem apenas a cor amarela.

Já as fontes compostas, também conhecidas como policromáticas, são aquelas cuja luz que emitem resulta de uma superposição de luzes de cores diferentes. Um exemplo de fonte de luz composta é a luz solar.

Qualquer que seja a luz monocromática, (vermelho, alaranjada, amarela, verde azul, anil ou violeta), sua velocidade de propagação no vácuo é sempre a mesma e aproximadamente igual a 300.000 km/s.

Já em um meio material, a velocidade da luz varia conforme o tipo de luz monocromática.

Meios transparentes, translúcidos e opacos

Os meios de propagação da luz são classificados de acordo com a maneira se comporta através deles. Veja:

Meios transparentes → São meios pelos quais a luz atravessa totalmente sem nenhum desvio. Através desses meios consegue-se enxergar um objeto com grande nitidez. São exemplos de meios transparentes, o ar, o vidro comum, água em fina camada, etc.

Meios translúcidos → São meios em que luz atravessa, porém com dificuldades e sofrendo desvios. Se consegue enxergar objetos através desses meios porém, não com nitidez. É o caso de papel de seda, papel vegetal, vidro fosco,etc.

Meios opacos → Nesses meios a luz não consegue atravessar, impedindo de ver objetos através deles. É o caso de madeira, concreto, etc.

Fenômenos luminosos

Agora iremos analisar um feixe de raios paralelos propagando de um meio, por exemplo o ar, e incidindo em uma superfície S que separa de outro meio, por exemplo água, papel, chapa de metal, etc.

Ao incidir nessa superfície, os raios sofrem simultaneamente quatro fenômenos: reflexão regular, reflexão difusa, refração e absorção. Dependendo do segundo meio e da superfície, podem ocorrer todos ao mesmo tempo, porém um com maior ou menor intensidade.

Vejamos cada um desses fenômenos separadamente:

  • Reflexão regular: O feixe de raios paralelos que se propaga no meio 1 incide na superfície plana S e retorna ao meio 1, mantendo o paralelismo. É o que acontece por exemplo, sobre a superfície plano e polida de um metal. Veja o esquema.

reflexão regular

  • Reflexão difusa: O feixe de raios paralelos que se propaga no meio 1 incide na superfície S e retorna ao meio 1 perdendo o paralelismo e espalhando-se em todas as direções. A difusão é devido a irregularidade da superfície. É por meio da reflexão difusa que enxergamos todos os objetos que nos cercam. Veja o esquema.

reflexão difusa

  • Refração da luz: O feixe de raios paralelos que se propaga no meio 1 incide na superfície S e passa a propagar no meio 2. É o que acontece, por exemplo, quando a luz se propaga do ar e incide sobre a superfície da água em uma piscina. Veja o esquema.

refração da luz

  • Absorção da luz: O feixe de raios paralelos que se propaga no meio 1 incide na superfície S e não retorna ao meio 1 e nem atravessa para o meio 2. Ocorre absorção da luz pela superfície. Veja esquema.

absorção da luz

Confira a videoaula sobre as fontes de luz e seus fenômenos luminosos:

Agora resolva 10 exercícios sobre as fontes de luz:

.

Sobre o(a) autor(a):

Rodinei Pachani é mestre em Geofísica pela USP-SP, com licenciatura plena em matemática, possui pós-graduação em Gerência Financeira e especialização em Estatística Aplicada. Possui experiência de mais de 28 anos em sala de aula, tendo trabalhado com ensino médio, cursinhos e Faculdades. É autor do livro “Ciência ao alcance de todos” e possui um canal no YouTube onde realiza experimentos, explica conteúdos e resolve exercícios de física.