Fontes de energia e a matriz energética brasileira

Revise as fontes de energia que compõem a matriz energética brasileira, ou seja, o conjunto de recursos de energia utilizados por um país, região ou estado e suas formas de uso!

A matriz energética é um conjunto de recursos de energia utilizados por um país, região ou estado e suas formas de uso. A energia é essencial para o funcionamento de todos os setores da sociedade, por isso é importante ter recursos provenientes de diversas fontes de energia.

Estudar as diferentes fontes de energia que compõem a matriz energética brasileira é muito importante, especialmente quando a cada dia mais fica evidente o impacto ambiental causado por fontes não renováveis. Pensar em alternativas de energia limpa é uma necessidade cada vez maior para a nossa sociedade e para todos os países! Então vamos lá?

Fontes de energia

Todos os países calculam quanto recursos possuem quanto gastam e quais são os usos dessa energia. Dessa forma, desenvolvem um relatório anual: no Brasil esse relatório é publicado pelo Balanço Energético Nacional, o BEN.

Publicidade

Uma das formas de elaborar a matriz é calculando a produção e o consumo de fontes primárias e secundárias:

  • Fontes de energia primárias

São os recursos obtidos diretamente da natureza: petróleo, xisto, carvão mineral, lenha, cana de açúcar, mamona e soja, urânio, água, sol, ventos.

  • Fontes de energia secundárias

São os recursos derivados dos primários: óleo cru e diesel, gasolina e querosene, biodiesel, bagaço de cana, etanol (álcool), carvão vegetal e eletricidade, entre outros.

fontes de energia do Brasil

A energia é classificada também como renovável e não renovável:

  • Energia renovável

É aquela produzida com fontes primárias que se renovam ou podem ser renovadas, poluentes ou não: a energia obtida da água, do sol, e dos ventos. A madeira está entre os renováveis, pois pode ser replantadas, apesar de haver a controvérsia de ser fortemente poluente quando é queimada.

  • Energia não renovável

É aquela produzida com fontes primárias que, em princípio acabarão, como o petróleo, o carvão mineral e o gás natural. Pode ser mais barata e prática sendo a mais utilizada no mundo, mas gera grandes preocupações com a escassez no futuro.

A matriz energética brasileira

A industrialização de uma sociedade sempre provoca um notável aumento do consumo energético. As fontes de energia constituem um dos pré-requisitos básicos para o desenvolvimento da atividade industrial, pois para haver fábricas é necessário que existam petróleo, carvão, além de matérias-primas – minérios, madeiras, etc.

No Brasil, notamos que o setor que mais gasta energia é o industrial, com mais de 40% do total. Em segundo lugar, vêm os transportes, com mais de 20%. Depois aparecem, como maiores consumidores de energia, o setor residencial, o comércio e o setor público.

Energia hidroelétrica

O potencial hidráulico brasileiro é considerado o 3° do mundo, e sua utilização, apesar de cerca de 70% desse potencial permanecer ainda aproveitado, tem sido intensa, pois cerca de 93% da eletricidade do país provém das usinas hidrelétricas. Como podemos observar, a energia hidráulica pode perfeitamente suprir todas as necessidades brasileiras de eletricidade até bem depois do ano 2000.

E ela apresenta uma série de vantagens em relação à em usinas termelétricas e atômicas. Uma delas é que a água não se esgota, outra que seu custo operacional é menor que o das usinas nucleares e termelétricas. Outra vantagem é o fato de ser menos poluente que essas outras formas de obtenção de eletricidade.

A grande desvantagem das usinas hidroelétricas é o espaço que ocupa com o lago artificial imposto pela construção da usina: com o represamento do rio e a formação do lago, sempre há perda de bons solos agricultáveis e a necessidade de remoção de populações.

Carvão mineral

As maiores reservas nacionais de carvão mineral encontram-se no sul do país, em formações sedimentares do Paleozoico, e vão do Rio Grande do Sul ao Paraná. As jazidas de melhor qualidade encontram-se em Santa Catarina, de onde se extrai a maior parte de carvão utilizado no país.

O Brasil é um país importador de carvão mineral, não tanto devido à carência desse produto, mas sim pelo fato de os altos-fornos das siderúrgicas necessitarem de carvão de boa qualidade, que não deixa resíduo.

Energia nuclear

No final da década de 60, o governo brasileiro começou a definir o Programa Nuclear Brasileiro, em especial o acordo nuclear com a Alemanha, que vem sendo objeto de inúmeras críticas, por vários motivos. Em primeiro lugar, foi uma decisão tomada de “cima para baixo”, isto é, sem consulta à população e nem a associações científicas do país.

Em segundo lugar porque se percebeu que o argumento usado para assinatura do Acordo Nuclear era falso, pois o potencial hidráulico do país não estava se esgotando (como foi dito). Devemos lembrar, ainda, que os custos de construção e operação das usinas nucleares são bastante altos, cerca de 3 vezes mais que os de uma usina hidroelétrica equivalente. Além disso, os riscos que a energia nuclear envolve são muito enormes.

Termelétricas: biomassa, gás, óleo e carvão mineral

Há uma diversidade de fontes de produção de energia térmica no Brasil. Na prática são ‘máquinas a vapor’ que consomem combustível na queima para produzir vapor que gira as turbinas que produzem a energia elétrica.

As Usinas a Gás lideram o grupo, com 10,5% da matriz energética. Em seguida vêm a queima de matéria orgânica como a palha da cana de açúcar, palha de arroz, aparas de madeira e outros rejeitos vegetais, e mesmo resíduos orgânicos de origem animal como estrume de gado, com 5,5% da produção.

A produção de energia em usinas a óleo combustível (petróleo) responde por 5,8% da matriz energética. Em seguida as usinas a carvão produzem 1,5% da energia no Brasil.

Energia eólica

A busca por fontes de energia limpas se acentuou em razão do aquecimento global. No Brasil, que já possuía uma matriz equilibrada por produzir eletricidade principalmente em represas, a produção de biocombustíveis se acentuou com a fabricação de automóveis com motores flex, que combinam gasolina ou diesel com etanol. Nos anos recentes, cresce a produção de biodiesel de cana e cereais, de energia eólica e a solar.

A eletricidade de energia eólica experimenta um crescimento muito forte.

Em 2014, o Brasil investiu 6,6 bilhões de dólares nessa energia, o quarto maior valor do mundo. Já em 2015 a produção eólica cresceu mais de 50% em apenas um ano, passando de 2% para 3,5% do total da eletricidade gerada. Por fim, em 2016 o país possuía 417 parques eólicos ativos ( a maioria no Nordeste que possui ventos predominantes), 133 em construção e outros 202 previstos.

Agora espera-se crescimento semelhantes na energia solar. Em 2016, o país possuía 42 usinas solares de eletricidade, 12 em construção e 99 em estudo.

Videoaula sobre fontes de energia

Para finalizar sua revisão, assista ao vídeo sobre fontes de energia, gravado pelo prof. Carrieri:

Exercícios sobre fontes de energia

1-(Fac. Direito de São Bernardo do Campo SP/2020)    

Muitos países e seus respectivos governos concordam que os impactos ambientais negativos de ordem antrópica estão aumentando e são cada vez mais danosos ao meio ambiente. Um tema bastante importante é a mudança climática global e um dos principais agentes que contribuem para essa mudança são os gases originados da queima dos combustíveis fósseis, ainda a principal matriz energética mundial. Como agente mitigador, a produção de “energia limpa” tornou-se prioridade em vários países preocupados com a mudança climática global.

Assinale a alternativa que contenha somente afirmações CORRETAS.

I. O termo “energia suja” tem uma relação com a matriz energética fóssil, como petróleo, carvão mineral e gás natural.

II. A técnica de fracking ou fraturamento hidráulico se apresenta como uma nova saída para a produção de energia limpa e renovável.

III. As fontes de energias alternativas, como solar e eólica, avançam na produção de energia elétrica global, mas ainda apresentam contribuições modestas, devido, entre outros motivos, ao elevado custo de investimento.

IV. A biomassa se apresenta como uma alternativa viável e de baixo custo na produção de energia, mas seu maior problema é a pequena variedade de espécies vegetais para a queima eficiente em termoelétricas.

a) I, II e III.

b) III e IV.

c) II, III e IV.

d) I e III.

2- (UERJ/2019)    

Memórias de um carbono

Pouco tempo atrás, o átomo de carbono foi liberado de sua prisão química. No processo de transformação industrial do petróleo, ele foi incorporado à gasolina que era processada em uma refinaria. Não demorou muito e ele estava participando de uma reação de queima no motor de um automóvel e rapidamente estava novamente livre na atmosfera. A excessiva liberação desses átomos de carbono que ficaram aprisionados por milhões de anos no subsolo é um dos maiores problemas que a humanidade enfrenta atualmente.

ADILSON DE OLIVEIRA Adaptado de cienciahoje.org.br.

O futuro já está entre nós

 O gestor hospitalar Edgar Escobar comprou um carro elétrico em 2016. Ele tem um dos 4 784 veículos elétricos ou híbridos que circulam pelas ruas do Brasil hoje. São carros e ônibus que ajudam a preservar o meio ambiente. E cerca de 300 deles são 100% elétricos. Ou seja, a emissão de gases poluentes é zero. Todo o funcionamento do carro é sustentado pela bateria, que pode ser carregada numa tomada dentro de casa.

Adaptado de cbn.globoradio.globo.com. 14/07/2017.

O desenvolvimento de veículos elétricos é uma das medidas para enfrentar o problema apontado acima, no primeiro texto.

A eficácia ambiental dessa medida, considerando as tecnologias comercialmente viáveis a curto prazo no mundo, depende principalmente do seguinte fator:

a) perfil da matriz energética

b) tamanho da carga tributária

c) qualidade da rede rodoviária

d) automação da cadeia produtiva

3- (UECE/2019)    

No que tange à exploração de petróleo como matéria-prima e como recurso energético, assinale a afirmação verdadeira.

a) Ocorre um processo controlado de extração de jazidas na terra e no mar, porém, os acidentes com escape de material radioativo para a atmosfera causam distúrbios socioambientais imediatos e a longo prazo.

b) A produção de energia e de matéria-prima é limpa, mas há impactos ambientais marcantes, tais como a emissão de ruído, o impacto visual e as interferências eletromagnéticas em pessoas.

c) Esse tipo de exploração não acumula resíduos poluentes e o potencial de produção é igual em todos os tipos de formação geológica.

d) Possui alto potencial de impactos ambientais que são resultantes de sua exploração e produção industrial, sendo capaz de causar a morte de animais e plantas, além de comprometer a qualidade do solo, do ar e das águas.

Gabarito:

  1. D
  2. A
  3. D

Sobre o(a) autor(a):

Priscila é formada em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Compartilhe: