Industrialização Mundial

Você já ouviu falar sobre as revoluções que definiriam os processos produtivos mundiais? Vamos revê-las para a prova do Enem!

A industrialização mundial nada mais é do que os métodos de produção industriais que revolucionaram os processos produtivos ao redor de todo o globo terrestre. Vale lembrar que esta matéria é vista a partir de um ponto de vista europeu (assim como a maior parte dos conteúdos escolares). A modernização destes processos industriais é propiciada a partir da implementação de novas tecnologias.

aula de industrialização
Figura 1: Ilustração representando o período da primeira revolução industrial.

 

Os efeitos da industrialização

Além da modernização dos processos, a industrialização causa intensas mudanças no espaço geográfico. Pois, ao se instalar uma indústria em uma região, os impactos são dos mais diversos.

As indústrias, além de possuírem toda uma logística que vai modificar a mobilidade de determinado recorte espacial, são grandes geradoras de emprego, movimentando também a economia local. O êxodo rural, por exemplo, foi propiciado pela modernização dos processos industriais que antes se baseavam na manufatura.

Tratando das indústrias em uma escala maior, os processos industriais alteram os índices econômicos das nações em um geral. Isso porque são elas que produzem tanto para o mercado consumidor interno, como (e principalmente) para o externo. Consequentemente alterando também as taxas de desemprego de acordo com a sua demanda de mão de obra para produção.

Quando falamos do processo de industrialização mundial, é importante ressaltar que o início deste processo ocorreu de forma desigual. Ou seja, algumas nações se industrializaram antes e outras tiveram a industrialização mais tardia, como é o caso do próprio Brasil.

Os países que iniciaram sua industrialização por meados do século XVIII, participaram do período intitulado de período da industrialização clássica. Enquanto os que se industrializaram somente no século XX, participaram do processo de industrialização tardia.

A Primeira Revolução Industrial

A Primeira Revolução Industrial, que introduziu a utilização de maquinário na produção fabril, ocorreu na Inglaterra. Antes disso, toda a produção era voltada aos produtos manufaturados, ou seja, manuais e artesanais, sem o uso de máquinas.

Deste modo, a Primeira Revolução Industrial ocorreu pela implementação de uso de máquinas à vapor, as quais a fonte de energia era o carvão. Esta primeira revolução, alterou completamente o espaço geográfico europeu, com destaque para a Inglaterra e a França. As cidades passaram a crescer de forma desenfreada, e a geração de empregos sofreu um grande aumento, acarretando na migração da população do campo para as cidades.

Segunda Revolução Industrial

Já na Segunda Revolução Industrial, com a evolução tecnológica, o petróleo se tornou a fonte de energia utilizada. A mão de obra que antes era mais barata e menos qualificada, foi ficando em baixo devido a maior complexidade de produção. Sendo assim, a busca pela mão de obra qualificada tornou-se o destaque neste processo.

A maior exigência da qualificação da mão de obra ocorreu entre diversos fatores. Especialmente pela modificação da energia do maquinário, que antes era à vapor e passou a ser elétrica, necessitando de maior conhecimento elétrico para manutenção das máquinas.

Os modelos de produção

O período marcado pela Segunda Revolução Industrial teve como modelo dominante de produção, o modelo fordista. O modelo fordista, criado por Henri Ford, era focado na produção em série e na utilização de esteiras, fazendo com que os estoques das fábricas fossem maiores. O fordismo complementava o Taylorismo, onde o operário especializava-se em somente uma tarefa.

Terceira Revolução Industrial

Na segunda metade do século XX, os processos industriais passaram a se modificar novamente, caracterizando a etapa da Revolução técnico-cientifica informacional, ou Terceira Revolução Industrial. Este período é marcado pelo desenvolvimento dos meios de comunicação, pela informatização da sociedade, desenvolvimento dos transportes, em geral, pelo desenvolvimento avançado da tecnologia.

É neste período que temos a ascensão das empresas globais (multinacionais) que propiciaram a industrialização dos países subdesenvolvidos, que antes eram apenas fornecedores de matéria-prima para as indústrias de países desenvolvidos.

Deste modo, a Terceira Revolução Industrial foi responsável pela maior comunicação entre os países e o estreitamento das relações econômicas. Além de tornar o processo produtivo mais acelerado devido à evolução da tecnologia do maquinário.

É na Revolução técnico-cientifica informacional que há a substituição do modelo fordista de produção pelo Toyotismo, onde a produção em massa é deixada de lado e a produção conforme demanda toma seu lugar. O trabalho dos funcionários passou a ser mais flexibilizado, onde o mesmo funcionário realiza mais de uma tarefa na produção.

Atualmente, é possível perceber que os países que se industrializaram primeiro, são aqueles que até hoje são considerados os “mais desenvolvidos” e modernizados, apesar da presença de desigualdades sociais e precariedade em serviços públicos.

Vê-se também, as indústrias globais cada vez mais expandindo-se e dominando o mercado, além de dominarem determinadas técnicas e processos de produção.

Para aprender mais sobre o processo de industrialização mundial e sobre as revoluções, a videoaula a seguir pode te ajudar a reforçar o conteúdo para a prova do Enem. Recomendamos também a resolução dos exercícios abaixo!
Questões sobre industrialização

.

Sobre o(a) autor(a):

Este texto foi elaborado pelo geógrafo e professor de Geografia Marcelo de Araújo para o Curso Enem Gratuito. Marcelo é formado em Geografia (licenciatura) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atualmente trabalha como autônomo. https://www.facebook.com/mdearaujo22

Compartilhe: