Pré-Simbolismo

Entenda os fatos que antecederam e fundaram o movimento artístico do Simbolismo

Esta aula vai te apresentar aos principais pontos do período denominado Pré-Simbolismo. Como o próprio nome revela, tal momento histórico, de efervescência cultural e artística, compreende os eventos que antecedem a consolidação do que viria a ser o movimento artístico do Simbolismo.

Pode-se dizer que o Simbolismo, antes de se firmar como um movimento artístico, contou com alguns episódios decisivos para a sua consolidação. Em outras palavras, é possível dizer que uma espécie de Pré-Simbolismo antecedeu o Simbolismo.

O Pré-Simbolismo

As origens do Pré-Simbolismo até a sua estabilidade se deram na França.  A partir de 1881, poetas, pintores, dramaturgos e escritores em geral, influenciados pelo misticismo advindo do grande intercâmbio com as artes, pensamento e religiões orientais, procuram refletir em suas produções a atmosfera presente nas viagens a que se dedicavam.

Marcadamente individualista e místico, foi, com desdém, apelidado de decadentismo.  O emprego do termo é uma clara alusão à decadência dos valores estéticos então vigentes e a uma certa afetação que neles deixava a sua marca. Em 1886, um manifesto trouxe a denominação que viria marcar definitivamente os adeptos desta corrente: Simbolismo.

Dito de outro modo, o Pré-Simbolismo diz respeito ao período ou estilo que anunciou alguns dos traços distintivos do Simbolismo. A negação das tendências artísticas realistas, o culto da arte pela arte, e a aproximação entre a poesia, a música e a pintura constituem os principais traços que nortearam a constituição da estética simbolista.

Principais influências do período pré-simbolista

Em 1877, o escritor francês Charles Baudelaire publicava a icônica obra As Flores do Mal. Tal obra provocou uma expressiva revolução poética e figura, até hoje, como a precursora do Simbolismo. Os poemas escritos por Baudelaire foram um modelo e também a inspiração para os demais poetas simbolistas que surgiram em todo mundo.

baudelaire e pré-simbolismo
O poeta francês Charles Baudelaire, autor de As Flores do Mal e uma referência do movimento simbolista

Segundo a crítica literária, o ponto de partida para o estabelecimento dos aspectos formais e conteudísticos do Simbolismo é o soneto Correspondances, de Baudelaire. Isso porque o referido poema apresenta as diretrizes fundamentais do movimento.

Baseando-se nas teorias de Edgar Allan Poe sobre a criação poética, Baudelaire projetava o poeta como intérprete de uma simbologia universal que manifesta uma ideia por meio de cada objeto do mundo sensível. Nesse sentido, a criação poética e a criação cósmica seriam paralelas. Além de Baudelaire, as teorias de outros quatro escritores embasaram o movimento simbolista: Novalis, Poe, Richard Wagner e Emanuel Swedenborg.

Além dos nomes citados, destaca-se a obra de Villiers de L’Isle-Adam. Em suas produções, sobretudo na peça Axel, publicada postumamente em 1890, estão presentes quase todos os elementos da poética de Baudelaire e da dramaturgia wagneriana. O refinamento estético, o misticismo e a evasão também estão presentes em suas obras pré-simbolistas e se tornariam marcas fundamentais do movimento.

As artes plásticas no momento Pré-simbolista

O cenário das artes plásticas também tem papel de destaque no Pré-Simbolismo. Em 1872, Claude Monet inaugura o movimento impressionista com a pintura Impression. Trata-se de um estilo de arte voltado para as mudanças e o movimento, para a captação do momentâneo, do fugaz, para as impressões efêmeras do momento. Essas características influenciarão e estarão presentes na pintura simbolista, uma expressão artística essencialmente sugestiva e mística.

pintura pre-simbolista
Impression (1872), de Claude Monet, um marco nas artes plásticas impressionistas e referência para os pintores simbolistas

A reação contra o materialismo e o cientificismo vigentes nessa época foram determinantes para a consolidação do Simbolismo. Intelectuais e artistas de diferentes esferas tentavam resgatar certos valores românticos destituídos pelo Realismo. Assim, o espiritualismo, o misticismo, o desejo de transcendência serão a base e temas caros às artes simbolistas.

Do mesmo modo que os ultrarromânticos, atitudes marcadas pelo negativismo e pelo pessimismo instituirão o pensamento e a arte simbolista. Tal postura ficou conhecida como decadentismo e será constante nas produções literárias.

Em virtude dessa nova poética, Baudelaire e outros poetas franceses adeptos do movimento – Paul Verlaine, Arthur Rimbaud e Stéphane Mallarmé – ficaram conhecidos como poetas malditos ou poetas decadentes.

Embora compartilhassem características comuns no Simbolismo, cada qual possuía luz própria e escrevia seus versos com personalidade:

  • Charles Baudelaire: concebia a poesia como a expressão da correspondência entre o concreto e o abstrato, entre as realidades física e metafísica. Além disso, o escritor frequentemente utilizava a linguagem sinestésica, isto é, entrecruzava sensações e ou dois ou mais sentidos humanos. Todos esses recursos estilísticos também serão visíveis nas produções de outros escritores simbolistas;
paul verlaine
O poeta Paul Verlaine
  • Paul Verlaine: sua poesia reflete a contradição entre uma conduta de boêmia e um ideal quase primitivo de pureza e misticismo. O lirismo musical e evanescente de Verlaine exerceu influência decisiva no desenvolvimento do Simbolismo (embora o próprio poeta quisesse se manter independente de qualquer corrente literária) e abriu novos caminhos para a poesia francesa. Teve uma vida de altos e baixos e uma relação amorosa conturbada com outro poeta contemporâneo, o jovem Arthur Rimbaud.
Stéphane Mallarmé pré-simbolismo
Stéphane Mallarmé, outro precursor do Simbolismo
  • Stéphane Mallarmé: valia-se dos símbolos para expressar a verdade através da sugestão, mais que da narração. Sua poesia e sua prosa se caracterizam pela musicalidade, a experimentação gramatical e um pensamento refinado e repleto de alusões que pode resultar em um texto às vezes obscuro. Seus poemas mais conhecidos são L’après-midi d’un faune (1876), que inspirou Prélude à l’après-midi d’un Faune, do compositor Claude Debussy, e Herodias (1869). Outras obras importantes de Mallarmé são a antologia Verso e prosa (1893) e o volume de ensaios em prosa Divagações (1897). Mallarmé destacou-se por uma literatura que se mostra ao mesmo tempo lúcida e obscura. É por isso considerado um poeta difícil e hermético.
Arthur Rimbaud pré-simbolista
O jovem poeta Arthur Rimbaud: fama de libertino e uma alma inquieta
  • Arthur Rimbaud: talvez o mais instigante e versátil poeta simbolista. Teve sua obra consagrada como fundadora da poesia moderna. Apesar da efêmera carreira literária, sua produção inspirou o movimento dos decadentes e dos surrealistas além de influenciar músicos e literatos até nossos dias. Com grande talento, capacidade de inovação e vocação experimental, em apenas quatro anos variou entre três estilos poéticos completamente diferentes. O grande poeta, ficcionista e dramaturgo francês, Victor Hugo, o descrevia como um “Shakespeare adolescente”. Toda a sua obra poética é realizada antes dos vinte anos, quando se retira para a África em uma expedição que põe fim à sua carreira de poeta e cristaliza a fama de peregrino que adquiriu muito cedo.
Conheça mais sobre os poetas malditos do Pré-Simbolismo e Simbolismo assistindo ao vídeo:

Os seguidores deste movimento acreditavam que a arte devia capturar as verdades mais absolutas, as quais podiam ser obtidas através de métodos indiretos e ambíguos. Dessa forma, escreviam armados de um estilo altamente sugestivo e metafórico.

O manifesto dessa corrente, concebido ao mundo por Jean Moréas, definia o Simbolismo como inimigo da instrução, da declamação, da falsa sensibilidade e da descrição objetiva e assinalava que o seu objetivo não está contido em si mesmo, mas sim em expressar o Ideal.

O movimento simbolista também se desenvolveu no Brasil e em Portugal. Em Portugal liga-se às atividades das revistas Os Insubmissos e Boêmia Nova, fundadas por estudantes de Coimbra, entre eles Eugénio de Castro. Ao publicar um volume de versos intitulado Oaristos, o autor instaurou essa nova estética em Portugal.

Contudo, o consolidador estará, a esse tempo, residindo verdadeiramente no Oriente: trata-se do poeta Camilo Pessanha. Esse escritor era venerado pelos jovens poetas que iriam constituir a chamada geração Orfeu. O movimento simbolista durou aproximadamente até 1915, altura em que se iniciou o Modernismo.

No Brasil, o Simbolismo tem início em 1893 com a publicação de dois livros: Missal (prosa) e Broquéis (poesia), ambos de Cruz e Sousa. Estende-se até o ano de 1922, data da Semana de Arte Moderna.

Questões sobre o Pré-Simbolismo e o Simbolismo

Questão 1 (UEL-PR)

Assinale a alternativa que contém apenas características da estética simbolista:

a) temática social; hermetismo; valorização dos tons fortes; materialismo; antítese.

b) temática intimista; ocultismo; valorização dos tons fortes; espiritualidade; sinestesia.

c) temática intimista; hermetismo; valorização do branco e da transparência; espiritualidade; sinestesia.

d) temática bucólica; hermetismo; valorização do branco e da transparência; espiritualidade; antítese.

e) temática bucólica; ocultismo; valorização das tonalidades verdes; materialismo; sinestesia.

Resposta: c.

Questão 2 (UFV-MG)

Assinale a alternativa em que todas as características de estilo são do Simbolismo.

a) impassibilidade, vida descrita objetivamente, ecletismo

b) hermetismo intencional, alquimia verbal, musicalidade

c) favor da forma, expressões ousadas, fidelidade nas observações

d) atmosfera de imprecisão, realismo cru, religiosidade

e) complexidade, ressurreição dos valores humanos, materialismo pornográfico.

Resposta: b.

Questão 3 (UFES-ES)

“Ah! plangentes violões dormentes, mornos,

Soluços ao luar, choros ao vento…

Tristes perfis, os mais vagos contornos,

bocas murmurejantes de lamento.”

(Cruz e Sousa)

O fragmento de texto apresenta características da poesia simbolista, exceto:

a) imaginação estimulada por elementos sensoriais.

b) comparação da poesia com a música.

c) preferência por temas subjetivos, místicos e espirituais.

d) poesia evocadora de emoções e sentimentos.

e) descrição objetiva da realidade.

Resposta: e.

Sobre o(a) autor(a):

Texto produzido pelo Professor João Paulo Prilla para o Curso Enem Gratuito. JP é licenciado em Letras- Português, Inglês e respectivas Literaturas (2010) pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões e mestrando em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Ministra aulas de Literatura, Língua Portuguesa e Redação em escolas da Grande Florianópolis desde 2011.