Os Recursos hídricos em risco: resumo com simulado

Veja o que sabe sobre os recursos hídricos em risco. Veja a Hidrografia brasileira para entender que muitos de nossos maiores rios nascem fora do país.

A hidrografia é o conjunto de recursos hídricos de um território, as bacias hidrográficas, os rios, lagos, lagoas, arquipélagos, golfos, baías, cataratas, usinas hidrelétricas, barragens e afins! Bora revisar esse conteúdo super importante para o Enem 😉

Os Recursos Hídricos em Risco

Confira com o professor Raphael Carrieri um super resumo sobre os Recursos Hídricos em Risco. Ele te dá as dicas sobre como é possível utilizar e preservar a água ao mesmo tempo. Confira:

Muito bom este resumo do professor Carrieri. Têm mais aulas de Geografia com ele no canal do Curso Enem Gratuito.

As águas continentais no Brasil

Os rios e lagos das diferentes bacias hidrográficas da Terra concentram a água doce mais acessível para o consumo humano e dos demais seres vivos.  Isso porque o restante da água doce está nas geleiras e no subsolo.

As águas continentais possuem um volume aproximado de 38.000.000 km³, valor que representa 2,5% da água do planeta. A maior parte, 68,9%, é de difícil acesso por estar concentrada nas geleiras. 30,8% são águas subterrâneas (armazenadas em aquíferos) e solos encharcados. Apenas 0,3% encontra-se nos rios e lagos.

É por isso que tanto se fala acerca do tema da preservação e uso mais sustentável da água. Esse recurso, inacessível para muitas pessoas, pode gerar – ou ampliar – conflitos geopolíticos e problemas sociais complexos em um futuro talvez não muito distante.

Corpos d’água e cursos d’água, o que são?

Corpo d’água é uma denominação genérica para qualquer manancial hídrico, como curso d’água, trecho de rio, reservatório artificial ou natural, lago, lagoa ou mesmo um aquífero subterrâneo. Cursos d’água, por sua vez, remetem a água em movimento, ou seja, fluxos de água em canal natural de drenagem de uma bacia, tais como rio, riacho, ribeirão, córrego, etc.

Mas o que são rios?

Na hidrografia, os rios são classificados como cursos d’água geralmente caudalosos. Quando possuem menores dimensões, podem receber outras denominações como córregos, riachos ou ribeirões. Quando um rio, riacho ou córrego despeja suas águas em outro maior, podemos chamá-lo de afluente.

Os rios podem ser perenes, que não “secam”, ou intermitentes, rios temporários que somem na estiagem.

O ponto onde termina o curso de um rio se chama foz, e ela pode ter a forma de estuário (sem acúmulo de sedimentos) ou de delta (o acúmulo de sedimentos cria pequenas ilhas).

O que são e o que diferencia uma rede hidrográfica de uma bacia hidrográfica?

A rede hidrográfica nada mais é que o conjunto de rios de uma bacia. Já a bacia hidrográfica é a união da rede hidrográfica e toda a sua área de captação de água. O principal modo de classifica-las é entre:

Exorreica: com a sua drenagem voltada para o oceano.

Endorreica: a drenagem se faz dentro do continente, desaguando num lago, por exemplo.

Lago e lagoa: tem diferença?

Os lagos e lagoas são depressões no solo que retêm e acumulam água. Diferenciá-los não é tarefa tão simples, pois o único consenso que existe é a partir do critério do tamanho: lago é maior que lagoa. Porém, não há medidas mínimas e máximas para uma definição mais apurada.

E as lagunas?

As lagunas também são definidas na hidrografia como ambientes de águas paradas, mas têm algum tipo de conexão com o mar. Essa conexão se dá por uma ou mais entradas que se dão entre formações rochosas, barreiras de areia, recifes, entre outros. As lagunas são alimentadas por água doce da chuva e dos rios e água salgada, quando as marés sobem.

As Bacias Hidrográficas do Brasil

Veja no Resumo com o professor Carrieri os principais elementos da crise da água no Brasil. Sim, temos recursos hídricos em risco permanente. Pode ser risco pela poluição, risco pelos regimes de cheias e secas alteradas pelas Mudanças Climática, e mesmo risco pela transposição de rios ou construção de represas.

Confira com o professor Carrieri:

Nessa aula, o professor Carrieri explicou melhor a questão da crise hídrica no Brasil, abordando os aspectos importantes para você ficar craque nesse tema.

Sem a água não haveria vida na Terra. Essa afirmação pode parecer exagerada, mas é absolutamente verdadeira! A partir dela, podemos compreender a importância que a água tem para o planeta e, em especial, para nós seres humanos!

Confira as principais Bacias Hidrográficas brasileiras:

Bacia Platina

A bacia Platina (ou do rio da Prata) é composta em nosso território por três importantes subdivisões, que são as bacias do Paraná, Paraguai e Uruguai. Na fronteira entre Argentina e Uruguai, todas essas águas se juntam rumando ao oceano Atlântico.

Bacia do Paraná

A bacia do Paraná é planáltica e, por isso, tem uma grande produção hidrelétrica. Dentre muitas outras importantes usinas, é nessa bacia que está localizada a gigante binacional Itaipu (brasileira e paraguaia).

Bacia do Paraguai

A bacia do Paraguai, típica de planície, tem o seu rio principal nascendo no estado do Mato Grosso e atravessando o Complexo do Pantanal – onde está sua maior extensão – até chegar no país vizinho, de mesmo nome, onde encontra o rio Paraná. Desde o município de Cáceres, possui uma grande extensão navegável que chega até as capitais Buenos Aires e Montevideo, em nossos países vizinhos Argentina e Uruguai, respectivamente.

A bacia do Uruguai tem grande trecho de relevo planáltico. O rio Uruguai nasce na junção dos rios Canoas e Pelotas, dividindo grande parte do limite territorial entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Além disso, percorre a fronteira entre Brasil e Argentina e entre Uruguai e Argentina, até desembocar no rio da Prata.

Bacia do Tocantins-Araguaia

A bacia do Tocantins-Araguaia vincula-se ao mesmo ecossistema que a bacia Amazônica e possui grande importância para a organização socioespacial da Amazônia Oriental. Por drenar terras elevadas, possui grande potencial hidrelétrico. 

Nessa bacia está localizada a maior usina de Tucuruí, uma das maiores e totalmente brasileira. Numa área entre os estados do Tocantins, Pará e Maranhão, o rio Tocantins recebe as águas do Araguaia, seu principal afluente. Ali se encontra a ilha do Bananal, maior ilha fluvial do planeta. O rio Tocantins é ainda uma importante hidrovia para escoar a produção de grãos das proximidades, principalmente a soja.

Bacia do rio São Francisco

A bacia do rio São Francisco localiza-se quase que inteiramente em áreas de depressão. Ela é alongada e seu rio principal, o São Francisco (com 3.100km), nasce na serra da Canastra, em Minas Gerais, atravessa o sertão semiárido, o que lhe confere grande importância, e limita os estados de Sergipe e Alagoas, até desembocar no oceano Atlântico.

Esse rio não tem muitos afluentes e é muito utilizado para a navegação e irrigação – sobre essa atividade e esse rio é importante conhecer o projeto de transposição. No seu curso inferior há geração de hidreletricidade. Destacam-se ali, entre outras, as usinas de Sobradinho e Paulo Afonso.

Bacia do rio Parnaíba

A bacia do rio Parnaíba também se localiza em região semiárida, apresentando pequena vazão média ao longo do ano. O rio Parnaíba tem afluentes temporários e, no baixo curso, alguns perenes. Esse rio divide politicamente os estados do Maranhão e do Piauí.

Há ainda um conjunto de bacias hidrográficas brasileiras que merecem destaque. São as bacias secundárias que localizam-se na região litorânea, apresentando rios de pequena extensão, com poucos afluentes de modo geral. Dentre elas temos:

Bacias do Nordeste

Com destaque aos rios Mearim, Turiaçu e Itapecuru (MA), Parnaíba (MA/PI); Beberibe e Capibaribe (PE). Entretanto, os rios temporários no sertão são a maioria, como é o caso do Jaguaribe (CE), um dos maiores rios temporários do mundo.

Bacias do Leste

Com destaque aos rios Jequitinhonha (MG), Doce (MG) e Paraíba do Sul (SP/RJ).

Bacias do Sudeste-Sul

Com destaque aos rios Ribeira do Iguape (SP), Itajaí (SC) e o Tubarão (SC). No Rio Grande do Sul, ainda se destacam os rios Guaíba e Jacuí. 

Agora, é hora de testar o que você aprendeu nesta aula.

Simulado de Recursos Hídricos

.

.

E ai, mandou bem no Simulado sobre os Recursos hídricos em risco? Se você não acertou pelo menos sete questões, é preciso ir mais fundo para se garantir no Enem. Veja aqui um resumo especial sobre os Recursos Hídricos.