A Terceira Revolução Industrial: resumo completo e simulado

As empresas que trabalham com tráfego de dados, conexão entre pessoas, softwares e dispositivos móveis avançados lideram a Terceira Revolução Industrial.

Veja o ciclo de mudanças profundas que levaram o mundo até à Terceira Revolução Industrial. Tudo começou na Inglaterra, no Século XVIII, quando a energia produzida pela máquina a vapor criou um novo tipo de organização fabril, de produção com exploração intensiva da mão de obra.

A Primeira Revolução Industrial data de 1760, e vai até a primeira metade do século seguinte. As principais características daquele novo arranjo produtivo foram o uso intensivo de mão de obra em regime concentrado nas novas “fábricas” e o  sistema mecanizado para acelarar a produtividade das máquinas.

Antes da Revolução Industrial o mundo conhecia os produtos manufaturados, feitos à mão, com uso de equipamentos manuseados pelos artesãos e demais trabalhadores.

Com a chegada da Primeira Revolução Industrial vieram a queima do carvão (combustível fóssil) para alimentar as máquinas a vapor, o uso do ferro para criar a maquinaria da produção em série, e a exploração exaustiva da mão de obra.

Veja esta paródia do professor Felipe, do Curso Enem Gratuito, para você entender a diferença entre a Manufatura e a Indústria:

As paródias do professor Felipe são um sucesso na Internet, pois ele conta a história de maneira bem divertida, e você aprende fácil. Têm mais aulas com ele no canal do Curso Enem Gratuito.

A Segunda Revolução Industrial 

Na metade do Século XIX, nas décadas entre 1850 e 1870 acontecem mudanças profundas no arranho produtivo da Primeira Revolução Industrial. Entram em cena a indústria química, a eletricidade, o aço e o petróleo como grandes motores da riqueza mundial.

A gestão da força de trabalho melhora com a chegada de conhecimentos científicos para tornar os processos mais lógicos, racionais, controláveis e previsíveis. Este modelo espalha-se pelo mundo, para além da Inglaterra. Surgem potências industriais como Alemanha, Japão e Estados Unidos.

Este padrão “da indústria do aço” vigora até o final da Segunda Guerra Mundial, quando têm início as mudanças que duas décadas depois iriam inaugurar uma nova era.

Veja com o professor Felipe as características da Primeira e da Segunda Revoluções Industriais:

Percebeu  bem as características? Agora você vai ler sobre um novo tempo, bem diferente. Confira:

A Terceira Revolução Industrial

A diferença radical entre as duas etapas anteriores a a Terceira Revolução Industrial é que o foco agora está na indústria digital, conectada, onde os produtos muitas vezes são bens intangíveis como as marcas mais valiosas do mundo, o tráfego de dados na internet, fluxos de audiência, e cadastros de usuários para comércio online.

Veja as  marcas com maior valor de mercado global em 2020, e percebe a predominância de corporações da “nova economia”:

  1. Amazon: US$ 221bilhões (tecnologia e varejo)
  2. Google: US$ 160 bilhões (tecnologia e dados)
  3. Apple: US$ 141 bilhões (tecnologia)
  4. Microsoft: US$ 117 bilhões (tecnologia)
  5. Samsung: US$ 94 bilhões (tecnologia)
  6. ICBC: US$ 81 bilhões (financeiro)
  7. Facebook: US$ 80 bilhões (mídia e dados)
  8. Walmart: US$ 78 bilhões (varejo)
  9. Ping An: US$ 69 bilhões (seguros)
  10. Huawei: US$ 65 bilhões (tecnologia)

.

E chega a 3ª Revolução Industrial

A Terceira Revolução Industrial começa na década de 1970 dentro das fábricas tradicionais, quando uma parte da força de trabalho humana começa a ser substituída por robôs. Foi o ciclo da Automação Industrial.

As máquinas controladas remotamente através de programas de informática faziam operações repetitivas com mais precisão que os humanos, e funcionavam 24 horas por dia.

Logo em seguida, com a difusão das redes de comunicação por dados, e que resultaram na Internet, uma nova forma de organização industrial surgiu, e tornou-se hegemônica como você viu na lista acima. Em poucos anos tornaram-se as mais valiosas marcas do mundo.

Surgem empresas de tecnologia informática tanto para criar os dispositivos móveis como Apple e Samsung, quanto empresas “puras do mundo digital”, como o Google e o Facebook, e empresas especializadas em sistemas que “descomplicam” operações até então complexas, como é o caso dos softwares da Microsoft.

Aula Gratuita sobre a 3ª Revolução Industrial

Confira com o professor Raphael Carrieri um resumo simples e rápido antes de você responder ao simulado da Terceira Revolução Industrial:

Excelente esta aula. Olhe na descrição do conteúdo os tópicos mais importantes:

A Terceira Revolução Industrial, chamada também de Revolução Informacional, começou em meados do século XX, momento em que a eletrônica aparece como verdadeira modernização da indústria. Isso aconteceu após a segunda guerra mundial (1939-1945) e abrange o período que vai de 1950 e até a atualidade.

– A aula de hoje é Terceira Revolução Industrial. Antes de falar da terceira revolução industrial, vamos recapitular um pouquinho da primeira e da segunda revolução industrial.

Na Primeira revolução industrial, no século XVIII no Reino Unido, a gente tem então a introdução das máquinas a vapor no processo produtivo.

Na segunda revolução industrial, revolução nos transportes, mudanças de matriz energética, sai o carvão e entra o petróleo. Além disso, temos a eletricidade, o que faz com o que o transporte seja muito mais rápido. E aí a gente chega na terceira revolução industrial!

– A Terceira Revolução Industrial tem tudo a ver com isso aí que você tem no seu bolso: o seu celular. Estamos falando de uma revolução na comunicação. Ela vem para romper os paradigmas no que diz respeito principalmente à comunicação, sobre a forma pela qual a informação vai se propagar.

Então, na década de 70, a gente vai ter o pontapé inicial: o desenvolvimento da eletrônica e da informática. Os computadores começaram a diminuir de tamanho e se tornaram mais acessíveis e simplificados para uso. Uma das partes dessa revolução é o uso do silício, que vai permitir a existência dos microchips – que vai então facilitar o processamento e o armazenamento de dados.

– Com a terceira revolução industrial, muda-se também a forma de produzir. O Toyotismo, por exemplo, ganha força. Por que? Porque a partir daí é possível introduzir nas fábricas o processo de mecanização e robotização. A informática vai influenciar, inclusive, no processo produtivo 😉 Assim, também é possível agora a produção por demanda determinada.

– Também tivemos muita diminuição dos custos de produção. Ou seja, a mão de obra, em alguns setores, se torna obsoleta e é substituída por robôs. Isso vai gerar uma crise de empregos estrutural, com o desaparecimento de uma função que agora é realizada por um robô.

– A biotecnologia e da engenharia genética também entram no jogo e ajudam a selecionar produtos mais resistentes (como transgênicos, por exemplo). Por exemplo: em Santa Catarina, recentemente, um hospital realizou a primeira cirurgia com robôs! \o/

– As fontes energéticas também se tornam mais eficientes (que carecem de pesquisa). É necessário buscar fontes mais limpas e duráveis (como a solar).

Agora, bora responder ao Simulado para testar o seu nível!!!

Simulado a Terceira Revolução Industrial

.

.

==

E ai, mandou bem? Acertou as questões sobre a Terceira Revolução Industrial?

Compartilhe: