Brasil no contexto da Terceira Revolução Industrial

Já estamos acostumados a ouvir sobre as revoluções industriais nos países europeus. Mas você sabe como a Terceira Revolução Industrial se comporta na realidade brasileira? Vamos revisar este conteúdo para o Enem!

Como já sabemos, por conta do período colonial, a industrialização brasileira aconteceu de forma tardia, se consolidando de fato somente no século XX. Enquanto os países considerados desenvolvidos já estavam avançados em muitas técnicas de produção, a indústria no Brasil começava a receber os primeiros incentivos para mecanização do processo de produção das indústrias.

vale do silicio
Figura 1: Vale do Silício (Califórnia – EUA), um dos maiores polos tecnológicos do mundo.

 

O início da Terceira revolução Industrial é marcado pela implementação de novas tecnologias avançadas no processo de produção industrial. A utilização destas novas tecnologias possibilitou o avanço das técnicas de produção já utilizadas e também a introdução de novas técnicas.

Toda essa modificação tecnológica no meio industrial foi possibilitada pelo desenvolvimento dos estudos de elétrica e eletrônica em conjunto com o início dos estudos na área da informática. Possibilitando a revolução conhecida como Revolução Técnico-Científico Informacional.

A terceira revolução leva este nome por conta da grande introdução destas novas técnicas possibilitadas pela informática. E também pela facilitação da troca de informações por meio das novas tecnologias de comunicação, que facilitaram as negociações entre as empresas e entre os países.

Essas novas técnicas foram pensadas com a utilização de tecnologia de ponta. Sendo assim, passou-se a necessitar cada vez mais de mão de obra qualificada para criação e implementação destas tecnologias. Além das técnicas modernas, o material utilizado para produção do maquinário, que agora contava com o processo de automação, também era novo.

Entre os materiais que passaram a ser utilizados na construção do maquinário, temos como destaque o silício. Não é à toa que um dos maiores polos tecnológicos do mundo leva o nome de “Vale do Silício”.

Na Terceira Revolução Industrial, o foco principal é agregar o valor do produto com a utilização da tecnologia de ponta. Apesar de que o material utilizado para construção dos bens de consumo tenha reduzido sua qualidade desde o início da terceira revolução.

A Indústria no Brasil

Enquanto os países desenvolvidos saíam a frente, países subdesenvolvidos, como é o caso do Brasil, encontravam-se com as técnicas e tecnologias atrasadas.

No Brasil, as revoluções foram atropelando umas as outras, pois enquanto por exemplo, o Brasil passava pelas adaptações do período da Segunda Revolução Industrial, a Revolução Técnico-Científica já ocorria nos países “desenvolvidos”. Deste modo, o país passava pelas revoluções “correndo”, sem tempo de corrigir os problemas e erros causados pelos processos industriais anteriores.

Por conta da industrialização tardia e dos “atropelos” entre as mudanças, somente ao fim do século XX é que o Brasil realmente entra no processo de informatização e implementação da tecnologia de ponta em seu processo industrial.

O final do século XX no Brasil foi marcado pelo “boom” das telecomunicações, início da internet e processo industrial mecanizado. A diferença da modernização das indústrias no Brasil para a modernização dos países desenvolvidos era que o Brasil não produzia suas tecnologias e maquinário.

Como o país não produzia a sua modernização, toda essa tecnologia passou a ser comprada dos demais países que já a produziam. O Brasil ficou refém desta relação, pois no momento não tinha condições de produzir sua própria tecnologia e maquinário, o que não é diferente até hoje.

Após iniciar a relação de compra de tecnologia dos países de “primeiro mundo” o Brasil passou a depender destes países economicamente. Pois sem o maquinário importado, não havia produção.

Indústria no Brasil atualmente

No início do século XXI o país passou a produzir novas tecnologias voltadas a criação de softwares. Que, por sinal, nos últimos anos tem recebido grande destaque. Porém, o maquinário utilizado na indústria no Brasil ainda é todo importado de países europeus.

Apesar de uma melhoria significativa na produção de softwares e adaptação do maquinário importado, todo esse serviço é prestado por empresas privadas que dominam o setor tecnológico. Não há grandes incentivos públicos para que as universidades produzam as novas tecnologias e técnicas utilizada na industrialização do país.

O Brasil hoje apresenta uma economia que enfrenta problemas por não possuir uma base industrial própria, organizada e qualificada para a realidade do país. Isso se reflete em problemas econômicos que atingem diretamente a população brasileira, que acaba adquirindo os bens produzidos por um preço elevado, ou simplesmente não adquirindo por não possuir condições.

Por fim, a Revolução Técnico-Científico Informacional ainda acontece no Brasil. Porém o país não consegue implementar as mudanças de forma efetiva devido aos problemas não resolvidos das revoluções anteriores. Esse processo acaba agravando ainda mais a economia do país e promovendo o avanço das desigualdades, pois o Brasil não possui um modelo de desenvolvimento industrial apropriado para sua realidade.

mapa das industrias pelo mundo
Figura 2: Mapa de distribuição das indústrias no globo.

 

Para aprender mais sobre a Terceira Revolução Industrial, recomendamos a videoaula a seguir e a resolução dos exercícios!

Questões sobre a Indústria no Brasil e a Terceira Revolução Industrial

.

Sobre o(a) autor(a):

Este texto foi elaborado pelo geógrafo e professor de Geografia Marcelo de Araújo para o Curso Enem Gratuito. Marcelo é formado em Geografia (licenciatura) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atualmente trabalha como autônomo. https://www.facebook.com/mdearaujo22

Compartilhe: