Veja o Sistema reprodutor feminino: órgãos e características

Veja agora todas as características e funcionalidades do Aparelho Genital e de todo o complexo de órgãos que forma o Sistema Reprodutor Feminino. Entenda como atuam os hormônios e os órgãos reprodutivos específicos do corpo da mulher no resumo de Biologia Enem.

O sistema reprodutor feminino, ou sistema genital feminino, é o sistema responsável (principalmente) pelas funções ligadas à reprodução. Primeiramente, é importante destacar que falar sobre esse sistema e sobre a sexualidade, infelizmente, é algo cercado de tabus. A sexualidade, especialmente para as mulheres, sempre foi um assunto cercado de polêmicas e mitos. No final da aula veja também o Aparelho Genital Masculino.

Em função dos diversos tabus e mitos que foram construídos sobre o Sistema Reprodutor da mulher, a construção da sexualidade feminina acaba sendo podada e muitas mulheres adultas encontram dificuldades para vivenciá-la plenamente. Enquanto professora e mulher, entendo que um dos motivos é a falta de conhecimento do próprio corpo, da própria anatomia.

Nesta aula de Biologia para o Enem, você vai estudar as características dos órgãos do sistema genital feminino. Assim, vai mandar bem na vida e também nas provas do Enem e dos vestibulares. Fique com a gente!

Sistema reprodutor feminino

O sistema reprodutor feminino contém os órgãos responsáveis pela produção de hormônios sexuais. Além disso, esses órgãos são responsáveis pela cópula e pelo desenvolvimento do embrião/feto humano durante a gestação.

Assim como no sistema genital masculino, os órgãos sexuais femininos têm um pico de desenvolvimento durante a puberdade. Nesse período, os hormônios produzidos pela hipófise e pelos próprios ovários estimulam o desenvolvimento das características sexuais secundárias.

Aparelho genital feminino interno

O sistema genital feminino, assim como o masculino, possui estruturas internas e externas.

No interior da pelve feminina encontramos os ovários, as tubas uterinas, o útero e a vagina. Veja as funções desses órgãos a seguir:sistema reprodutor feminino - aparelho reprodutor feminino internoImagem 1: Desenho esquemático demonstrando o aparelho genital feminino interno. Fonte: Science Photo Library (modificado).

Ovários

  • Os ovários são dois órgãos de formato oval, com comprimento entre dois e três centímetros de comprimento. Eles estão localizados um de cada lado do útero, na região pélvica.
  • Os ovários são glândulas mistas, porque são responsáveis por produzirem substâncias/células secretadas para dentro do organismo e para fora.
  • Sendo assim, na sua função exócrina, os ovários são responsáveis pela produção dos gametas femininos. Já na sua função endócrina, eles são responsáveis pela produção de hormônios.
  • Para que essas substâncias sejam produzidas, os ovários terão estruturas específicas. Ao fazermos um corte nos ovários, é possível observar duas regiões: o córtex e a medula.

Córtex e medulaovário visto pelo microscópioImagem 2: Fotomicrografia de um corte de um ovário feita com microscópio óptico. Os tecidos foram corados artificialmente (corante roxo) para destacar as estruturas ovarianas. Note os círculos brancos, eles correspondem aos folículos ovarianos. No córtex (região mais externa) é possível notar ainda outras estruturas circulares. Elas também são folículos ovarianos em diferentes estágios de desenvolvimento. Os ovários são as gônadas do sistema reprodutivo feminino. Fonte: Science Photo Library.

No córtex encontramos o que chamamos de folículos ovarianos. Eles são conjuntos de células, que se apresentam em diferentes fases de desenvolvimento. Isso depende da idade da mulher e do período do ciclo menstrual.

As células dos folículos têm a função de produzir os hormônios sexuais femininos: o estrógeno e a progesterona. Além disso, em seu interior irá ocorrer o amadurecimento do gameta feminino.ovário - que faz parte do sistema reprodutor femininoImagem 3: Fotomicrografia de um corte de um ovário feita a partir de microscópio óptico, colorida artificialmente. Em rosa podemos observar os folículos. Em seu interior, parecendo “um ovo frito” está o gameta feminino em desenvolvimento. Os folículos produzem também hormônios que estão relacionadas ao desenvolvimento do sistema reprodutivo feminino. Fonte: Science Photo Library.

Na medula do órgão encontramos tecido conjuntivo frouxo, com uma grande vascularização.

Tubas uterinas

As tubas uterinas são também chamadas de ovidutos ou trompas de falópio. Elas são constituídas de dois tubos musculares com aproximadamente 10 cm de comprimento. Essas estruturas ligam os ovários ao útero.

Basicamente, a função das tubas uterinas é servir como uma passagem para o gameta feminino, do ovário até o útero. Além disso, é no interior da tuba uterina que ocorre a fecundação. Ou seja, o espermatozoide se une ao óvulo na terça parte distal da tuba (região mais próxima ao ovário), formando o embrião.

Na extremidade próxima ao ovário, a tuba se assemelha a um funil com bordas irregulares. Essas bordas irregulares são formadas por fímbrias, semelhantes a dedos. As fímbrias ajudam a capturar o gameta liberado pelos ovários.

Além disso, sobre anatomia das tubas uterinas, existe um epitélio ciliado na parte interna desses órgãos. Esses cílios são importantes para ajudar a transportar o gameta feminino até o útero.tecido interno de tuba uterina - sistema reprodutor femininoImagem 4: Fotomicrografia do tecido interno de uma tuba uterina feito através de um microscópio eletrônico de varredura e colorido artificialmente. Na imagem podem visualizar os cílios do epitélio da tuba uterina em rosa. Esses cílios, juntamente com as microvilosidades (das células em roxo) ajudam a empurrar o gameta ou o embrião ao longo da tuba. Fonte da imagem: Science Photo Library.

O Útero

O útero é um órgão oco. Em geral, possui o formato de uma pequena pera invertida e se localiza na região pélvica, entre os dois ovários. Sua função é abrigar o embrião/feto em desenvolvimento durante a gestação.

Por conta de sua função, o tamanho do útero pode variar bastante. Um útero não grávido tem, em média, 7,5cm de comprimento e 5 cm de largura. Todavia, o útero pode chegar ao tamanho de uma melancia, quando abriga um feto perto da 40ª semana de gestação.

Para permitir toda essa elasticidade e capacidade de transformação, o útero é constituído externamente por uma camada de músculo liso chamado de miométrio. Esse músculo é responsável por contrações involuntárias durante o período menstrual e na fase de expulsão de um feto durante o parto vaginal.

Internamente, o útero possui uma camada de tecido altamente vascularizada chamada de endométrio. O endométrio muda a sua aparência e espessura ao longo do ciclo menstrual. Essa camada uterina tem a função de permitir a fixação do embrião no útero e facilitar o desenvolvimento de seus anexos.

Quando não há a presença de um embrião, por ação hormonal do ciclo menstrual o endométrio se descama, formando a menstruação.

A Vagina

A vagina é um órgão muscular, em formato de tubo, com aproximadamente 10 cm de comprimento. Ela se estende do colo do útero até a vulva, onde se abre para o exterior.

A vagina é o órgão copulador feminino. Durante o ato sexual, a vagina recebe o pênis. Para isso, em seu interior há glândulas que liberam líquidos lubrificantes. Essas glândulas são estimuladas pela excitação sexual e suas secreções deixam o ato sexual mais confortável, diminuindo a fricção entre a pele da vagina e do pênis.

Além de ser participar do ato sexual, a vagina também funciona como um canal de saída do útero. Durante o período menstrual, o endométrio é eliminado através da vagina. E, durante o parto vaginal, a vagina permite a passagem do feto.

Outro detalhe presente neste órgão é o hímen. Essa estrutura se localiza próxima a abertura da vagina. Ela é um tecido fino que fecha parcialmente a entrada da vagina em mulheres que nunca tiveram relações sexuais. Essa estrutura possui anatomias variáveis.

Aparelho genital feminino externosistema reprodutor feminino - aparelho genitalImagem 5: Desenho esquemático demonstrando o aparelho genital feminino externo. Fonte: Science Photo Library (modificado).

Região externa da Vagina

A região externa do aparelho genital feminino é chamada de vulva. Nessa região, encontramos diferentes estruturas (ordenadas de fora para dentro):

Monte púbico: o monte púbico é uma região onde há acúmulo de tecido adiposo. Situa-se logo acima dos órgãos genitais e em frente à sínfise pubiana, que corresponde à articulação que une os ossos do púbis, formando a bacia. Sobre essa região crescem pelos, chamados de pelos pubianos.

– Grandes lábios: São duas dobras de pele e tecido adiposo que cobrem parcialmente as estruturas da vulva.

– Clitóris: A ponta do clitóris fica situada acima da vagina e do meato urinário. Essa região, assim como a cabeça do pênis, é chamada de glande. Nessa região encontram-se mais de 8000 terminações nervosas, sendo uma zona extremamente sensível ao prazer sexual.

Além dessa região externa, o clítoris possui uma estrutura complexa, que se enraíza no aparelho genital. Essas estruturas contêm também corpos cavernosos, que ficam entumecidos durante o ato sexual.clitoris - sistema reprodutor femininoImagem 5: Desenho esquemático do clitóris.

– Meato urinário: Abaixo do clitóris encontra-se o meato urinário. Na região do meato urinário temos a abertura da uretra, por onde a urina será eliminada.

– Pequenos lábios: os pequenos lábios são duas pregas de pele que protegem a entrada da vagina.

Mamas

As mamas são também partes do sistema genital feminino. Isso porque elas possuem uma importante função reprodutiva: a amamentação.

As mamas são glândulas exócrinas responsáveis pela produção do leite materno. O leite materno é uma substância branca rica em gorduras, proteínas e carboidratos. Esse líquido se constitui como o alimento ideal para nutrir os bebês em seus primeiros meses de vida.

No interior dos seios, encontram-se um conjunto de várias glândulas que desembocam nos mamilos. Os mamilos são regiões extremamente sensíveis à estimulação do bebê, facilitando a secreção do leite.

As glândulas mamárias se desenvolvem bastante durante a gestação pela ação do hormônio progesterona. Após o parto, a estimulação da produção de leite se dá pelo hormônio prolactina, produzido pela adenoipófise.

Resumo do Sist. Reprodutor Feminino

Agora que você já estudo com detalhes o sistema reprodutor feminino, que tal ver uma videoaula para fixar o conteúdo? Veja a minha videoaula sobre o sistema reprodutor feminino, e que está disponível no canal do Curso Enem Gratuito:

Muito bom este resumo para “fechar” a sua revisão. A melhor dica é você assistir de novo. Bora lá. Em seguida, antes dos exercícios, veja o sistema equivalente para os homens

O Sistema Reprodutor Masculino

Confira agora com a professora Juliana Evelyn Santos um resumo completo com o Aparelho Genital Masculino e o Sistema Reprodutor no organismo dos homens. A principal função do sistema reprodutor masculino é produzir os gametas (espermatozoides). Para isso, esse sistema conta com órgãos que possuem funções específicas.

Os testículos – as gônadas masculinas – são consideradas glândulas mistas, uma vez que secretam hormônios que agem dentro do organismo e produzem espermatozoides que são eliminados durante o ato sexual. Eles ficam armazenados no saco escrotal, uma bolsa de pele que os envolve e protege.

As gônadas masculinas estão ali alojadas (ao contrário das femininas que ficam dentro do abdômen), pois elas precisam de uma temperatura mais baixa (entre 33º e 34º C) do que a do organismo para funcionar. O saco escrotal, portanto, é uma espécie de “ar condicionado” que refrigera os testículos. Veja agora:

Muito bom este resumo. Assim você consegue entender o Sistema Reprodutor Feminino e o Masculino, completando a sua visão para as questões de Biologia sobre a reprodução sexuada nos seres humanos.

Exercícios sobre o Sistema Reprodutor

Por fim, faça as atividades sobre sistema reprodutor feminino que selecionei para você:

Questão 01 – (UEPA/2015) O ato sexual, em muitas espécies animais, é precedido por uma sequência de atitudes comportamentais bem definidas, como observado na espécie humana. Neste caso, o caminho percorrido pelos espermatozoides, nos órgãos/estruturas femininas, até que se complete a fecundação do ovócito, está representado pela seguinte sequência:

a) vagina – útero – tuba uterina

b) uretra – vagina – tuba uterina

c) vagina – útero – uretra – tuba uterina

d) epidídimo – canal deferente – uretra

e) uretra – canal deferente – vagina – útero

Questão 02 – (IFGO/2013) Na reprodução humana, o óvulo é formado (I), e o encontro do óvulo com o espermatozoide acontece (II), sendo que o desenvolvimento do embrião será (III).

I, II e III correspondem, respectivamente:

a) no útero, nas tubas uterinas e nos ovários.

b) nas tubas uterinas, no útero e nos ovários.

c) nos ovários, nas tubas uterinas e no útero.

d) nos ovários, no útero e nas tubas uterinas.

e) nas tubas uterinas, nos ovários e no útero.

Questão 03 – (UFSC/2011) As figuras abaixo mostram procedimentos cirúrgicos no aparelho reprodutor masculino e feminino denominados de vasectomia (Figura 1) e ligação tubária (Figura 2).
vasectomia e ligação tubária
AMABIS e MARTHO. Biologia das células. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2004.     p. 369.

Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).

01. Um homem  que  se  submete  à  vasectomia (mostrada na Figura 1) tem preservada a capacidade de ejacular normalmente.

02. Uma mulher  submetida  ao  procedimento  de  ligação tubária (mostrada na Figura 2) mantém a produção de óvulos (ovócitos secundários), mas estes não podem ser alcançados pelos espermatozoides.

04. Os ovários  continuarão  produzindo  os  hormônios FSH (hormônio estimulante do folículo),
LH (hormônio luteinizante), estrogênio e progesterona mesmo depois da cirurgia.

08. O homem vasectomizado mantém a produção normal do hormônio testosterona, uma vez que este é lançado diretamente na corrente sanguínea.

16. Ambos os  procedimentos  cirúrgicos  são  considerados  métodos  anticonceptivos e são eficientes na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

32. Como um homem vasectomizado não mais elimina espermatozoides, não pode mais transmitir o vírus da AIDS para seus parceiros sexuais.

64. No caso  da  mulher  submetida  ao  procedimento de ligação tubária (mostrada na
Figura 2), com o passar dos anos, os óvulos (ovócitos secundários) acharão um novo caminho até o útero, por isso este procedimento cirúrgico deve ser sempre repetido a cada dez anos.

Gabarito: 1. A; 2. C;  3. 11.

Sobre o(a) autor(a):

Juliana Evelyn dos Santos é bióloga formada pela Universidade Federal de Santa Catarina e cursa o Mestrado em Educação na mesma instituição. Ministra aulas de Ciências e Biologia em escolas da Grande Florianópolis desde 2007 e é coordenadora pedagógica do Blog do Enem e do Curso Enem Gratuito.

Compartilhe: