Sistema reprodutor masculino

Você conhece a anatomia e a fisiologia do sistema reprodutor masculino? Não? Então vem comigo nesta aula de Biologia para mandar bem no Enem!

Primeiramente, vamos falar sobre a importância do sistema reprodutor masculino (ou sistema genital masculino).

Os seres humanos são animais muito complexos. Sendo assim, não é possível que a nossa espécie consiga realizar reprodução assexuada. Dessa maneira, os seres humanos realizam reprodução sexuada para perpetuar a espécie.

A realização desse tipo de reprodução requer maior consumo de energia e tempo para a realização. Todavia, ela tem uma grande vantagem: a alta variabilidade genética. Isso porque, para que essa reprodução ocorra, há mistura de material genético de dois indivíduos através da união de gametas.

Sistema reprodutor masculino

Para que estes gametas sejam produzidos e se encontrem, os seres humanos, assim como os demais animais, possuem órgãos específicos. O conjunto desses órgãos é chamado de sistema reprodutor ou reprodutivo. Ou ainda, em uma nomenclatura mais atual, sistema genital.

Nesta aula de biologia, você revisará o sistema reprodutor masculino, responsável pela produção dos gametas masculinos – os espermatozoides. Bora revisar?

O que compõe o sistema reprodutor masculino?

sistema reprodutor masculino esquema do sistema genital masculino
Imagem 1: Desenhos esquemáticos do sistema genital masculino. A primeira imagem representa uma vista lateral e a segunda uma vista frontal.

Testículos

Os testículos são as gônadas masculinas. Ou seja, são os órgãos responsáveis pela produção dos gametas masculinos, os espermatozoides.

Eles se diferenciam no embrião masculino por volta da 7ª semana de gestação. Nesse momento, os testículos se encontram no interior do abdômen do embrião. Ali eles permanecem até o 7º mês de desenvolvimento gestacional, quando migram para fora do abdômen. Em seguida, alojam-se no saco escrotal.

Algumas crianças podem ter uma má formação, quando um ou os dois testículos permanecem presos na região pélvica. Essa condição é chamada de criptorquidia. Muitas vezes é necessário fazer uma correção cirúrgica, pois casos contrário a criptorquidia pode causar infertilidade.

Os testículos possuem formato oval e internamente são formados por muitos “fios” enrolados sobre eles mesmos, chamados de túbulos seminíferos. Nas paredes dos túbulos seminíferos encontramos as células germinativas.

Essas células vão iniciar o processo de gametogênese. À medida que o processo meiótico vai ocorrendo, essas células vão se deslocando para a luz desses tubos.

É possível ver os diferentes estágios da formação dos espermatozoides na parede desses tubos, no microscópio, ao fazermos um corte em um testículo. Além disso, é possível ver, também, as células já diferenciadas no centro.

sistema reprodutor masculino fotografia de cortes transversais de túbulos seminíferos
Imagem 2: Fotografia de cortes transversais de túbulos seminíferos. Na imagem, as células estão coloridas artificialmente, apresentando coloração rosada com núcleos roxos. Neste corte podemos observar as células presentes nas paredes dos túbulos. Estas células estão em diferentes estágios da meiose. No interior dos túbulos observamos prolongamentos que correspondem aos flagelos dos espermatozoides recém-formados. Entre os túbulos seminíferos é possível ver também as células de Leydig e as células de Sertoli.

O papel das células de Leydig e das células Sertoli dentro do sistema reprodutor masculino

Além desses tubos enovelados, encontramos, entre esses tecidos, células chamadas de células de Leydig e as células de Sertoli.

Primeiramente, vamos falar sobre ass células de Leydig. Elas são responsáveis pela produção do hormônio testosterona. Isso ocorre quando são estimuladas pelo hormônio LH (hormônio luteinizante) proveniente da glândula hipófise.

A testosterona é um hormônio que agirá de várias maneiras no organismo masculino. Além de ser uma das responsáveis pela produção das características sexuais secundárias, a testosterona também é responsável pelo desejo sexual.

Nesse ínterim, vamos entender o que são as células de Sertoli, que têm várias funções. Entre elas, o auxílio para a troca de nutrientes e metabólitos entre as células do túbulo seminífero. Além disso, elas produzem um líquido que é secretado para o interior do túbulo, auxiliando no deslocamento dos gametas.

Os testículos são considerados glândulas mistas. Isso porque produzem substâncias/células que são secretadas tanto para dentro do organismo quanto para fora. Eles produzem tanto espermatozoides (que serão eliminados no fim da relação sexual) como hormônios (que agem dentro do corpo masculino).

Saco escrotal

O saco escrotal (ou simplesmente escroto) é uma bolsa de pele e musculatura dentro da qual estão os testículos. Ela tem a função de envolver e proteger as gônadas masculinas.

Sendo assim, as gônadas masculinas se localizam fora da região pélvica, ao contrário do que ocorre nas mulheres. Essa localização externa tem a função de manter a temperatura dos testículos mais baixa que a temperatura corpórea.

Dessa forma, podemos dizer que o saco escrotal funciona como um “ar condicionado” para os testículos. Isso porque ele precisa estar entre 3 a 4 graus mais frios que a temperatura corpórea para produzirem espermatozoides.
Através da musculatura presente nessa bolsa, os testículos podem ser aproximados ou afastados do corpo. Em dias muito frios, o saco escrotal pode se contrair, encolhendo e aproximando os testículos do corpo para deixá-los mais aquecidos. Em contrapartida, nos dias quentes, o saco escrotal pode se dilatar. Quando ele se dilata, deixa os testículos mais distantes do corpo, ficando, portanto, mais frescos.

Epidídimos

Os epidídimos estão situados acima de cada um dos testículos. Eles são formados a partir da convergência dos túbulos seminíferos. E nada mais são que um emaranhado de túbulos.

Além disso, os epidídimos têm a função de armazenar os espermatozoides que são produzidos pelos testículos. Os gametas ficam ali esperando uma ejaculação, quando serão lançados para fora do corpo masculino.

Geralmente, os espermatozoides ficam nos epidídimos entre uma e três semanas, enquanto completam o seu processo de maturação. Com isso, ganham maior mobilidade. Caso os espermatozoides fiquem ali durante muito tempo, eles podem ser reabsorvidos pelos tecidos adjacentes, dando espaço para novos gametas.

Túbulos deferentes

De cada um dos epidídimos parte um tubo muscular chamado de canal (túbulo ou ducto) deferente. Os canais deferentes partem de cada um dos testículos e penetram na musculatura pélvica, seguindo para a região pélvica do homem.

Esses canais são as vias de transporte dos espermatozoides. Já na região pélvica, esses ductos irão se juntar para formarem um canal único: o ducto ejaculatório.

Na cirurgia masculina de esterilização permanente, a vasectomia, esses tubos são cortados e cauterizados. Sendo assim, os espermatozoides não têm mais passagem para chegarem ao pênis e não são eliminados ao fim da relação sexual.

sistema reprodutor masculino cirurgia de vasectomia
Imagem 3: Desenho esquemático representando a cirurgia de vasectomia. Ao lado do desenho principal (onde vemos o sistema genital masculino) há um detalhe mostrado que os ductos deferentes são cortados e amarrados ou cauterizados.

Vesículas seminais

As vesículas seminais são duas pequenas glândulas alongadas que desembocam no ducto ejaculatório. Elas produzirão o líquido seminal que é a primeira secreção a se juntar aos espermatozoides.

O líquido seminal é uma secreção rica em carboidratos. Sendo assim, ela possui a função de nutrir os espermatozoides durante sua jornada. Além disso, esse líquido possui pH alcalino. Dessa forma ele também ajuda a neutralizar a acidez da uretra, causada por resquícios de urina.

Próstata

A próstata é uma glândula volumosa situada abaixo da bexiga. Ela é responsável pela produção de uma secreção viscosa e esbranquiçada.

Esse líquido leitoso tem a função de ajudar no deslocamento dos espermatozoides. Além disso, ela também tem pH alcalino, auxiliando na neutralização da uretra e também da vagina. Juntamente com os espermatozoides e com o líquido seminal, a secreção da próstata irá formar o esperma. Ele é lançado para fora do organismo masculino durante a ejaculação.

Além disso, é no interior da próstata que um ducto vindo da bexiga se une ao ducto ejaculatório.

Glândulas bulbouretrais

As glândulas bulbouretrais desembocam no início da uretra. Quando um homem é estimulado sexualmente, essas glândulas produzem uma secreção que é eliminada antes mesmo da ejaculação. Ela tem a função de limpar a uretra para a passagem dos espermatozoides.

Uretra

A uretra masculina é um tubo muscular que percorre todo o comprimento do pênis, iniciando na próstata.

Nos homens, a uretra tem uma outra função além da eliminação da urina: a liberação do esperma. Além disso, outra diferença da uretra masculina em relação à uretra feminina é o fato de ela ser mais comprida. Isso porque acompanha o tamanho do pênis para fora da pelve.

Pênis

O pênis é o órgão sexual masculino, responsável pela cópula. Ele é responsável por introduzir os gametas masculinos no interior do corpo feminino durante a relação sexual.

Em seu interior encontramos tecidos esponjosos chamados de corpos cavernosos. Os corpos cavernosos são altamente vascularizados.

Quando ocorre o estímulo sexual (excitação sexual) o sistema nervoso envia estímulos. Esses estímulos fazem com que as artérias presentes nos corpos cavernosos dilatem. Isso faz com que sangue se acumule no interior desses vasos. Assim, o órgão fica entumecido, tendo um aumento de volume e ficando ereto. Isso permite a penetração durante o ato sexual.

diltação dos corpos cavernosos
Imagem 4: Infográfico demonstrando a dilatação dos corpos cavernosos durante a ereção do pênis.

Além dos corpos cavernosos, outra estrutura do pênis a ser destacada é a glande, popularmente chamada de cabeça do pênis. Nessa região são encontradas grande quantidade de terminações nervosas relacionadas ao prazer sexual. É nessa região que se encontra o orifício de abertura da uretra para o meio externo.

Quando o pênis não está sendo estimulado sexualmente (está flácido, “mole”) a glande, em geral, está coberta por uma pele chamada de prepúcio. Quando o pênis fica ereto, essa pele se estica e deixa de cobrir a glande.

Alguns homens podem ter um quadro chamado fimose. Na fimose o prepúcio não tem abertura suficiente para permitir que a glande seja liberada. Em alguns casos, é necessária uma intervenção cirúrgica, chamada de circuncisão. Nessa cirurgia, parte do prepúcio é cortado e ele é costurado imediatamente abaixo da glande, deixando-a permanentemente exposta. Esse procedimento não influencia negativamente as funções sexuais.

cirurgia de fimose
Imagem 5: Desenho esquemático demonstrando os procedimentos realizados na cirurgia para corrigir fimose, chamada de postectomia ou circuncisão.
Por fim, para fixar melhor o conteúdo de sistema reprodutor masculino, veja a minha videoaula sobre o sistema reprodutor masculino:

Em seguida, para finalizar sua revisão sobre sistema reprodutor masculino, que tal testar seus conhecimentos? Para isso, faça os exercícios a seguir:

Questão 01 – (UFAC/2010) O pênis é um órgão constituinte do sistema reprodutor masculino. Esse órgão, na espécie humana, é percorrido pela uretra, que serve tanto para eliminar urina como esperma. A figura abaixo apresenta as principais estruturas internas do pênis humano. Observe a figura e indique a alternativa que possui o número correspondente à localização correta da uretra.

a) 1

b) 2

c) 3

d) 4

e) 5

Questão 02 – (FAMERP SP/2018) Por causa de um câncer, um homem de 40 anos foi submetido a uma prostatectomia radical, ou seja, a retirada total da próstata. A ausência da próstata pode afetar a reprodução humana natural porque essa glândula

a) armazena os espermatozoides produzidos pelos testículos.

b) secreta substâncias que alcalinizam o pH do fluido vaginal.

c) secreta o volume total do sêmen, que nutre os gametas.

d) produz o hormônio testosterona, que estimula a ereção peniana.

e) contém um conjunto de nervos que desencadeia a ereção peniana.

Questão 03 – (FCM MG/2014) O desenho acima retrata a condição que ocorre quando a descida de um ou ambos os testículos não se faz de modo normal.

Com relação à condição anormal, podemos afirmar, EXCETO:

a) Pode causar infertilidade.

b) Recebe o nome de Criptorquidia.

c) Pode ser corrigida cirurgicamente.

d) É responsável pelas hérnias inguinais.

Questão 04 – (IFGO/2010) Sobre o sistema de reprodução masculina, assinale a proposição correta.

a) Os testículos são órgãos destinados exclusivamente à produção de espermatozoides.

b) Vesículas seminais são estruturas responsáveis pela produção de um líquido liberado no ducto ejaculatório que, juntamente com o líquido prostático e os espermatozoides, entrarão na composição do sêmen.

c) A vasectomia consiste na retirada dos epidídimos.

d) Os espermatozoides são produzidos nos epidídimos e ficam armazenados na próstata até o momento da ejaculação.

e) A próstata produz uma secreção transparente que é lançada dentro da uretra para limpá-la e preparar a passagem dos espermatozoides. Também tem função na lubrificação do pênis durante o ato sexual.

Gabarito dos exercícios sobre sistema reprodutor masculino: 1. D; 2. B; 3. D; 4 B

Sobre o(a) autor(a):

Juliana Evelyn dos Santos é bióloga formada pela Universidade Federal de Santa Catarina e cursa o Mestrado em Educação na mesma instituição. Ministra aulas de Ciências e Biologia em escolas da Grande Florianópolis desde 2007 e é coordenadora pedagógica do Blog do Enem e do Curso Enem Gratuito.

Compartilhe: