Tecido nervoso

O tecido nervoso é o responsável por permitir a comunicação do organismo com o ambiente externo, assim como manter a homeostase do corpo. Vem com a gente nesta revisão de biologia estudar as estruturas e funções do tecido nervoso.

O tecido nervoso é um tecido que diferencia os animais dos demais seres vivos. Presente em quase todos os animais (exceto nos Poríferas), esse tecido é responsável pela interação do organismo com o ambiente, recebendo e interpretando estímulos e elaborando respostas a eles.

Além disso, o tecido nervoso é responsável por controlar uma série de processos metabólicos essenciais para manter a homeostase do organismo. E, é no tecido nervoso que são armazenadas as memórias e onde estão as emoções. De modo geral, é principalmente o tecido nervoso que faz de nós quem somos.

Características do tecido nervoso

O tecido nervoso é um tecido encontrado em todos os órgãos do sistema nervoso. Esse tecido é caracterizado pela presença de pouca substância extracelular e pela presença de dois principais tipos de células: os neurônios e as células da glia.

esquema de tecido nervoso
Imagem 1: Imagem computadorizada que demonstra a complexidade do tecido nervoso. Em amarelo estão os neurônios, em laranja estão os astrócitos e em cinza os oligodentrócitos. Fonte da imagem: Science Photo Library.

Neurônios

Os neurônios são as principais células do sistema nervoso. Para você ter uma ideia, só o cérebro possui mais de 100 bilhões de neurônios. Eles são as células responsáveis por gerar e transportar os impulsos nervosos. Sendo assim, são responsáveis pela percepção dos estímulos e pela sua compreensão. Além disso, é a interação entre os neurônios que possibilita a elaboração de respostas aos estímulos.

Para realizarem essas funções, os neurônios irão exercer duas propriedades específicas: a excitabilidade e a condutibilidade.

A excitabilidade é a propriedade que permite que essas células respondam a estímulos, sejam eles provenientes do organismo ou do ambiente em que nos encontramos. A resposta à esta excitação, é o que chamamos de impulso nervoso. Os impulsos nervosos são fenômenos tanto elétricos como químicos, como veremos a seguir.

Já a condutibilidade é a capacidade apresentada pelos neurônios de transportar os impulsos nervosos. E, a anatomia dos neurônios está diretamente ligada à esta capacidade.

Anatomia dos neurônios

Os neurônios são células de formato estrelado com um longo prolongamento. Ela se assemelha a uma pipa, com uma longa rabiola.

Há, basicamente, três partes em um neurônio: o corpo celular, os dendritos e os axônios.

estrutura dos neurônios
Imagem 2: Desenho esquemático demonstrando a estrutura dos neurônios, que será descrita a seguir.
Corpo celular

No corpo celular, também chamado de pericário, encontra-se a maior parte do citoplasma dessas células, assim como a maior parte das organelas celulares. O núcleo da célula, com seu material genético, também se encontra nessa região dos neurônios.

Dentritos

Por outro lado, os dendritos são pequenos prolongamentos que partem do corpo celular e se ramificam, assemelhando-se a pequenas raízes ou galhos. Neles encontramos os receptores para os neurotransmissores, substâncias químicas responsáveis por propagar um impulso nervoso de um neurônio para o outro. Por isso, dizemos que os dendritos são os responsáveis por receberem os estímulos nos órgãos sensitivos e também de outros neurônios. Como possuem várias ramificações, os dendritos conseguem interagir com várias células vizinhas fazendo várias conexões.

Axônios

Por fim, os axônios são a “rabiola” dos neurônios. Normalmente, um neurônio possui apenas um axônio, mas pode haver células com mais de um. Eles são caracterizados por serem prolongamentos celulares muito longos e são os responsáveis por transportar a parte elétrica do impulso nervoso.

Além disso, na ponta dos axônios encontramos uma região específica chamada de telodendro. Nessa região da célula encontramos pequenas vesículas, que são responsáveis por liberarem os neurotransmissores quando a região é estimulada.

neurônios do tecido nervoso
Imagem 3: Fotomicrografia feita com microscópio óptico de neurônios encontrados no tecido nervoso do cérebro. Na imagem é possível observar vários neurônios em cor roxa (coloração artificial) e observar os seus corpos celulares, assim como seus dendritos e axônios. Fonte da imagem: Science Photo Library.

Assim como estudar a anatomia dos neurônios, compreender sua classificação é muito importante. Eles podem ser classificados de acordo com o número de ramificações que apresentam ou ainda de acordo com a função que exercem. Veja:

Classificação de acordo com a anatomia

Multipolares: são os neurônios mais comuns. Eles possuem vários dendritos partindo do corpo celular e apenas um axônio.

Bipolares: são os neurônios que possuem apenas um dendrito e um axônio.

Unipolares: são os neurônios que têm apenas um prolongamento partindo do corpo celular que se divide em dois.

Classificação pela função

Neurônios sensoriais: são também chamados de aferentes. São os neurônios responsáveis por captar os estímulos e levar em direção aos órgãos do sistema nervoso central.

Neurônios motores: são também chamados de neurônios eferentes. São as células que levam os impulsos dos órgãos do sistema nervoso central em direção aos órgãos efetores.

Neurônios mistos: também chamados de interneurônios. Isso porque podem tanto levar quanto trazer informações do sistema nervoso central. São, em geral, encontrados entre os neurônios sensoriais e os motores, fazendo as ligações entre os dois tipos no meio dos circuitos nervosos.

Células da glia

As células da glia são as demais células que compõem o tecido nervoso. Em geral, as células da glia têm a função de auxiliar os neurônios. Elas podem envolver os neurônios, ou apenas estar ao lado deles, ajudando em sua nutrição, proteção e transmissão dos impulsos nervosos. Para isso, elas podem atuar sintetizando substâncias nutritivas, ou ainda fagocitando antígenos.

Astrócitos

São células que, assim como os neurônios, têm formato estrelado. Elas se “enraízam” no tecido nervoso, auxiliando na sustentação do tecido e também atuam na manutenção dos íons presentes no ambiente fora dos neurônios.

Oligodentrócitos

São células presentes nos órgãos do sistema nervoso central. Elas possuem prolongamentos que se enrolam em volta dos axônios e produzem a bainha de mielina. Essa “capa” em volta dos axônios se comporta como um isolante elétrico, melhorando a transmissão de impulsos nervosos.

oligodentrócito envolvendo trechos do axônio do neurônio no tecido nervoso
Imagem 4: Desenho esquemático demonstrando um oligodentrócito envolvendo trechos do axônio de um neurônio. Os oligondentrócitos possuem vários prolongamentos que podem envolver axônios de diferentes neurônios ao mesmo tempo. Fonte da imagem: https://neuroibb.wixsite.com/brainy/oligodentrocitos

Células de Schwann

Assim como os oligodentrócitos, as células de Schwann criam um isolante em volta dos axônios. Todavia, essas células estão localizadas no sistema nervoso periférico.

Do mesmo modo, as células de Schwann também se enrolam em volta dos axônios para criar o isolamento. Mas, ao contrário dos oligodentrócitos que têm vários prolongamentos que podem se enrolar em vários neurônios simultaneamente, as células de Schwann de enrolam completamente em volta de um único trecho do axônio.

Entre uma célula de Schwann e outra, há um pequeno espaço que chamamos de região descontínua da bainha. Isso faz com que haja uma espécie de estrangulamento do axônio, formando um nódulo, chamado de nódulo de Ranvier ou nós neurofibrosos.

Esses pequenos nodos fazem com que o impulso nervoso, elétrico, salte entre as células de Schwann, aumentando a velocidade da transmissão do impulso nervoso.

Além disso, outro detalhe importante a ressaltar sobre a bainha de mielina é que a gordura presente nessas células confere ao tecido uma cor esbranquiçada. Dessa forma, regiões em que encontramos grande quantidade de axônios envoltos em suas bainhas são chamados de substância branca do sistema nervoso. Por outro lado, as regiões onde há grandes concentrações de corpos celulares são mais acinzentadas, chamadas de massa cinza.

axônio dos neurônios
Imagem 5: Fotomicrografia feita com microscópio eletrônico de varredura e coloria artificialmente. Na imagem podemos observar um corte transversal de axônios dos neurônios no tecido nervoso. Em rosa estão os axônios. Já em verde está a bainha de mielina. Através dessa imagem podemos entender como a bainha de mielina faz um isolamento em volta dos axônios. Fonte da imagem: Science Photo Library.

Micróglias

São células bem pequenas, com poucos prolongamentos. Têm a função de fagocitar antígenos que entrem no sistema nervoso. São originárias de células da medula óssea e circulam entre as demais células.

Tecido nervoso e regeneração

O tecido nervoso é um tecido que possui baixa regeneração. Uma vez diferenciados, os neurônios não se dividem mais. Assim, caso uma região do tecido nervoso seja lesionada, não há formação de novos neurônios a partir dos já existentes, diminuindo muito a capacidade de regeneração do tecido nervoso.

Mesmo assim, alguns axônios podem se regenerar, caso sejam cortados acidentalmente. Todavia, seus corpos celulares não podem ter sido lesionados.

Em seguida, veja uma aula sobre o tema para aprofundar seus conhecimentos sobre tecido nervoso. A aula é do profº Guilherme, do canal Biologia Prof. Guilherme:

Por fim, faça os exercícios que selecionei para você:
Questão 01 – (IFPE/2015)  Os vertebrados apresentam basicamente quatro tipos de tecidos: epiteliais, conjuntivos, musculares e nervoso. Os tecidos surgem por diferenciação celular durante o desenvolvimento embrionário, em que grupos de células se especializam para a realização de diferentes funções no organismo.

Analise as afirmativas abaixo sobre os tecidos.

I. Os tecidos epiteliais possuem células justapostas, com pouco material intercelular e podem ainda se diferenciar em tecidos de revestimento e de secreção.

II. Uma importante característica dos tecidos conjuntivos é a de apresentarem uma grande quantidade de material intercelular.

III. Os tecidos musculares apresentam células alongadas chamadas de fibras musculares, as quais são sempre polinucleadas e com capacidade de realizar contrações e relaxamentos.

IV. No tecido nervoso, encontramos apenas dois tipos celulares: os neurônios e as células da glia. O primeiro tipo celular responde pela condução do impulso nervoso e o segundo apresenta outras funções auxiliares.

Estão corretas, apenas:

a) I, II e III

b) II, III e IV

c) I, III e IV

d) I, II e IV

e) I, II, III e IV

Questão 02 – (IFPE/2015) Os vertebrados apresentam basicamente quatro tipos de tecidos: epiteliais, conjuntivos, musculares e nervoso. Os tecidos surgem por diferenciação celular durante o desenvolvimento embrionário, em que grupos de células se especializam para a realização de diferentes funções no organismo.

Analise as afirmativas abaixo sobre os tecidos.

I. Os tecidos epiteliais possuem células justapostas, com pouco material intercelular e podem ainda se diferenciar em tecidos de revestimento e de secreção.

II. Uma importante característica dos tecidos conjuntivos é a de apresentarem uma grande quantidade de material intercelular.

III. Os tecidos musculares apresentam células alongadas chamadas de fibras musculares, as quais são sempre polinucleadas e com capacidade de realizar contrações e relaxamentos.

IV. No tecido nervoso, encontramos apenas dois tipos celulares: os neurônios e as células da glia. O primeiro tipo celular responde pela condução do impulso nervoso e o segundo apresenta outras funções auxiliares.

Estão corretas, apenas:

a) I, II e III

b) II, III e IV

c) I, III e IV

d) I, II e IV

e) I, II, III e IV

Questão 03 – (UNIFOR CE/2015) Os neurônios são considerados a unidade básica do sistema nervoso. Estas células são as principais condutoras do tecido nervoso, responsáveis pela recepção e pela transmissão dos impulsos sob a forma de sinais elétricos. São células que não possuem a capacidade de se regenerar.

Marque a opção que apresenta componentes estruturais de um neurônio.

a) Corpo celular, dendritos e axônio.

b) Bainha de mielina, microglia e astrócito.

c) Oligodendrócito, capilares e mielina.

d) Pericário, células de Schwann e glia.

e) Nódulos de Ranvier, nucléolo e astrócito fibroso.

Questão 04 – (UEM PR/2014)  Sobre o tecido e o sistema nervoso, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

01. Os principais componentes da substância branca e da substância cinzenta do sistema nervoso central são, respectivamente, gânglios e tratos nervosos.

02. Células da glia ou gliócitos têm a função de envolver, de proteger e de nutrir os neurônios, além de darem sustentação física.

04. Axônios são ramificações do neurônio e têm a função de receber estímulos de outros neurônios ou de células sensoriais.

08. Ações involuntárias, como o ato reflexo medular, envolvem a participação de órgãos receptores, de neurônios sensoriais ou sensitivos, de neurônios associativos, de neurônios motores e de órgãos efetores.

16. Esclerose múltipla é uma doença em que ocorre degeneração da mielina dos axônios da medula espinhal e leva à perda de controle dos músculos.

Marque o valor da soma de cada alternativa.

GABARITO: 1. D; 2. D; 3. A; 4. 26.

Sobre o(a) autor(a):

Juliana Evelyn dos Santos é bióloga formada pela Universidade Federal de Santa Catarina e cursa o Mestrado em Educação na mesma instituição. Ministra aulas de Ciências e Biologia em escolas da Grande Florianópolis desde 2007 e é coordenadora pedagógica do Blog do Enem e do Curso Enem Gratuito.