Voz passiva sintética e a partícula “se”

Venha conhecer a voz passiva sintética com esta aula de Espanhol para o Enem! Tire suas dúvidas e faça bonito na prova de linguagens!

A voz passiva é chamada assim porque o sujeito não pratica a ação, a sofre ou a recebe, enquanto que na construção ativa o sujeito a pratica. A voz passiva é utilizada quando não se conhece o agente da ação, ou mesmo quando não interessa identifica-lo. A utilização da partícula “se” diante do verbo serve para formar dois tipos de orações em voz passiva: a voz passiva sintética (pasiva refleja, em espanhol) e as orações impessoais.

voz passiva sintética
Figura 1: Exemplo passiva SE PUEDE. Fonte: http://www.comperve.ufrn.br/conteudo/concursos/ifrn2010docente/provas/414.pdf

Voz passiva sintética

Nas orações passivas sintéticas a forma “se” vem antes de um verbo em terceira pessoa do singular ou do plural, dependendo do sujeito. Por tratar-se de uma forma passiva, esta construção só se dá com verbos transitivos. Normalmente, o sujeito destas orações é uma COISA, mas pode ser também uma PESSOA INDETERMINADA.

Exemplo: Se buscan actores para una película. (Procura-se atores para um filme.)

A voz passiva sintética é mais utilizada na linguagem coloquial do que a voz passiva analítica, por se tratar de uma linguagem mais simples de se usar. Esta formação verbal concorda em número com o receptor da ação.

Exemplo: Se explicaron los pasos para proteger la Tierra.

Usamos a preposição “a” e o verbo conjugado na terceira pessoa do singular quando o receptor é um ser animado e se estiver no singular ou plural. No Brasil, esta estrutura é conhecida como objeto direto preposicionado.

Exemplos: Se ve a la gente. / Se ve a las personas.

Orações impessoais

As orações impessoais são chamadas assim por carecerem de sujeito gramatical. Nestas orações, a forma “se” precede sempre um verbo em terceira pessoa do singular. Essa construção pode dar-se com verbos intransitivos, com verbos copulativos ou com verbos transitivos quando recebem um complemento direto de pessoa precedido da preposição “a”. Exemplos:

Intransitivo: Se trabaja mejor en equipo. (Trabalha-se melhor em equipe.)

Copulativo: Se está mejor solo, que mal acompañado. (Está melhor sozinho, que mal acompanhado.)

Transitivo: Se busca a los culpables del crimen. (Procura-se os culpados do crime.)

A confusão entre as orações passiva sintética e impessoais ocorre somente com verbos transitivos, pois são os únicos que podem gerar os dois tipos de orações. Em caso de dúvidas, as seguintes indicações podem ser úteis:

– Se o sujeito sobre o qual recai a ação do verbo expressar coisa, usa-se a passiva sintética. Portanto, caso seja necessário, o verbo vai para o plural. Exemplo: Se hacen fotocopias.

– Se o sujeito expressa pessoa e não vai precedido da preposição “a”, também se usa a passiva sintética. Exemplo: Se necesitan especialistas en informática.

– Caso o sujeito expresse pessoa e tenha como precedente a preposição “a”, será uma construção impessoal. Sendo assim, o verbo vai no singular mesmo que o sujeito esteja no plural. Exemplo: Se entrevistó a los candidatos para el puesto.

voz passiva sintética
Figura 2: Exemplo SE SOLICITA. Fonte: http://www.tnrelaciones.com/informacion/meme/se-solicita-abrazo-de-buenas-noches/
Neste vídeo do canal do YouTube “Profe em [email protected]” você terá um resumo das três maneiras de construir uma oração passiva

Exercícios

1 – “Se piensa que el español es fácil de aprender”. La forma verbal resultante de la transposición de la frase arriba para la voz activa es:

a) La persona piensa que el español es fácil de aprender

b) Pensamos que el español es fácil de aprender

c) Piensas que es español es fácil de aprender

d) Las personas piensan que el español es fácil de aprender

e) Vosotros pensáis que el español es fácil de aprender

2 – En la frase: “Se aprende a andar antes de correr”, el término destacado tiene función de:

a) formación verbal en el presente de indicativo

b) voz pasiva refleja

c) voz activa

d) voz pasiva analítica

e) voz modal

 

GABARITO

1 – D

2 – B

Sobre o(a) autor(a):

Marcia é formada em Língua e Literatura Espanhola pela Universidade Federal de Santa Catarina e Especialista em Estudos Linguísticos e Literários Aplicados ao Ensino da Língua Portuguesa pela Unisul. Dá aulas de espanhol em escolas da grande Florianópolis desde 2003. Facebook: https://www.facebook.com/mcardosocanto

Compartilhe: