Arte Romana

Um povo marcado pelo fabuloso uso de abóbadas, por uma arquitetura que ainda hoje causa fascínio até aos mais entendidos de engenharia… Bem-vindos à civilização romana!

A civilização romana foi bastante longa. Durante mil anos, desde a República (509 a.C a 27 a.C) até o Império (27 a.C a 476 d.C) os romanos estenderam-se por territórios que compreendem Ilhas Britânicas, Europa Ocidental, Grécia, bem como regiões do norte da África e Oriente Médio. Inicialmente, muito influenciada pelos etruscos (especialmente na arquitetura) e gregos, tal miscigenação deu à arte romana diversas influências estéticas.

A arquitetura é um campo muito fértil nas criações romanas. Elementos etruscos e gregos foram combinados com materiais, desenhos e texturas essencialmente romanos e usados principalmente em construções de aspectos funcionais.

Ao contrário dos gregos, que construíam grandes estruturas para moradas de deuses, os romanos trataram a arquitetura como uma forma de unir e possibilitar a convivência das pessoas, porém, sem perder sua majestade.

Duas das características mais significativas da arquitetura romana são os arcos e as abóbadas. Os romanos desenvolveram uma técnica apurada (e uma verdadeira façanha) quando formavam um arco a partir de várias pedras em forma de cunha. O domínio dessa técnica possibilitou a construção cada vez mais elaborada de tetos em abóbadas, tornando os romanos verdadeiros especialistas na construção de arcos e de abóbadas.

Utilizavam bastante concreto, material econômico e capaz de criar diversas formas, como as abóbadas e arcos sem sustentação nas estruturas. O exemplo mais representativo é o Coliseu:

arte romana e o coliseu
Coliseu (Foto Curso Enem Gratuito)

 

O Coliseu é considerado uma obra prima da engenharia. É um grande teatro que fora palco de espetáculos e abrigava 50 mil pessoas. As colunas e demais elementos atestam a grande influência grega. Entretanto, as enormes estruturas alcançadas (49 metros de altura), a  arquibancada oval, tudo coberto por abóbadas em semicírculos são características atribuídas especialmente aos romanos.

arte romana interna no coliseu
Vista interna do Coliseu de Roma (Foto Blog do Enem)

 

Outro exemplo que não pode ser esquecido é o Panteão, o templo de todos os deuses. Em seu interior, existe um grande teto abobadado e uma abertura circular no topo, de onde se vê o céu e por onde a claridade se espalha por todo o ambiente interno. Dessa forma, embora não existam outras janelas, seu interior recebe uma iluminação ampla e uniforme.

panteao e a arte romana
Panteão Romano visto de fora (Foto Blog do Enem)

 

panteao e a arte romana interna
Vista interna do Panteão Romano (fonte: http://www.janelaitalia.com/o-panteao-romano/)

 

Uma característica interessante do povo romano era o hábito de absorver o que lhes interessava na arquitetura e na arte grega e moldá-las ao seu modo, de acordo com seus próprios interesses. Assim, embora tenham de fato sido fortemente influenciados pela escultura grega, a arte romana enfatiza especialmente os detalhes realísticos, como contornos e dobras da pele.

escultura de lacoonte arte romana
Escultura de Lacoonte, exposta no Museu do Vaticano. Produzida em Roma, aproximadamente em 40 a.C. (Foto Blog do Enem)

 

Na pintura, alguns afrescos sobreviveram à erupção vulcânica do monte Vesúvio, como a obra “Natureza-morta com ovos e tordos”, proveniente da Villa di Giulia Felice, Pompéia, no século I d.C. Trata-se de uma pintura que representa ovos e outros dois recipientes ao lado.

Os artistas mostraram uma boa noção do uso de luz e sombra para dar tridimensionalidade aos objetos.  Esse estilo de Pompéia também foi bastante influenciado pelos etruscos e gregos, embora tratassem dos interesses romanos. Costumavam retratar uma variedade de assuntos em pinturas, como cenas do cotidiano, acontecimentos históricos, conquistas, lendas e natureza-morta.

exemplo de arte romana

A arte romana tinha ainda o hábito de reproduzir, através de pinturas, cenas reais. Os artistas costumavam representá-las perto da paisagem real, como nas proximidades da janela que tinha aquela vista. Pintavam também personagens em tamanho natural. Em murais encontrados na Villa dei Misteri, havia a representação da iniciação do culto a Dionísio (deus do vinho e da alegria) pintados com cores fortes e vívidas.

Portanto, embora a arte grega e de outras civilizações tenham exercido uma grande influência na expressão romana, os romanos selecionavam o que lhes caberia melhor, formando assim  uma nova identidade artística que tinha, de fato, a identidade dessa grande civilização.

Para saber mais sobre a arte romana, acompanhe o vídeo do canal Vomitando Arte e fique mais por dentro desse assunto!

Exercícios:

1) Os romanos se inspiraram por várias vezes na arquitetura etrusca e grega para desenvolver seus projetos, embora possuíssem elementos únicos desenvolvidos por eles, bem como avançadas técnicas de arquitetura. Além do Panteão, qual outro exemplo de arquitetura romana reflete a ideia de espaço amplo na arquitetura?

a) Coliseu
b) Templo de Zeus
c) Partenon
d) Jardim de Versalles
e) Templo de Atenas

2) A técnica de pintura utilizada pelos romanos recebia seu nome em relação ao processo que era usado na sua composição. Que técnica era esta?

a) Pintura a Óleo
b) Técnica em gesso
c) Encáustica
d) Afresco
e) Técnica do ocre

3) São elementos importantes da arquitetura romana:

a) Abóbodas e portas

b) Portas e escadarias

c) Abóbadas e arcos

d) Arcos e escadarias

e) Escadarias e portas

GABARITO: 1-A, 2-D, 3-C.