Como evitar a fuga do tema da redação do Enem: aprenda a delimitar o assunto, o tema e a proposta

Nesse post falaremos sobre um problema comum: a fuga do tema da redação. Baseado numa proposta recente, comentaremos a importância de delimitar a proposta, o assunto e o tema da redação do Enem. 

Um dos problemas mais comuns apresentado pelos estudantes é a fuga do tema da redação do Enem. Para auxiliá-lo a ficar dentro dos limites da proposta e não incorrer na fuga total ou parcial do tema, vejamos aqui algumas boas sugestões e exemplos.

Antes de qualquer coisa, é importante ter em vista três pontos principais e norteadores: imagine uma pirâmide que inicia da base para o topo na seguinte sequência: assunto, tema e proposta. Para entender melhor, vamos analisar o exemplo a seguir.

Veja a proposta da redação do Enem 2015

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Para melhor interpretar essa proposição, vamos passar por esses três níveis fundamentais de nossa pirâmide: partindo do mais geral – o assunto – para então, após a leitura dos textos de apoio, você poder identificar o tema da redação.

Nesse exemplo, o assunto é “o contexto da mulher brasileira” e o tema é “a violência contra a mulher brasileira”. Perceba o título: “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”. Contudo, se você parar por aí, pode acabar chegando à uma fuga parcial do tema, o que é tão ruim quanto a fuga do tema, pois também zera a questão.

É o caso de querer explorar essa proposta com uma tese que julgue positiva ou negativamente esse tema – a violência contra a mulher, simplificando a sua abordagem e tratando parcialmente da proposta. Precisamos de uma análise mais atenta da proposta, ok?

Para poder ir além do tema, o candidato deve procurar em todos os textos, e também no enunciado da proposta, qual é a situação problema que deve ser questionada. Nesse caso, o tema é não só a violência contra a mulher, mas a sua “persistência”. Vejamos novamente o título: “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”.

Note, portanto, que a violência em si já é um fato, bem nítido em nossa sociedade – conforme os dados apresentados, inclusive – e que é a sua manutenção o foco principal.

Escolha uma tese bem delimitada

Outro meio de evitar essa situação é você ter uma tese bem delimitada.

Isso significa que assim que você identifica a situação problema da proposta, você deve assumir um posicionamento crítico em relação a ela para que possa selecionar os argumentos de forma mais eficiente em vez de começar pela seleção de argumentos para só então chegar a uma tese.

Se você só seleciona esses argumentos sem ter um posicionamento claro, você pode acabar correndo o risco de abordar somente o tema da proposta e não a situação problema, já que você simplesmente selecionou fatos e não os organizou em torno de uma tese que lhes dê objetivo.

Dessa forma, definir a tese é primordial para que você perceba se está abordando realmente a situação problema, no caso, “a manutenção da violência contra mulher”, e não apenas “violência contra mulher” ou “a mulher brasileira”. Tenha em mente exatamente a ideia que você vai defender!

Vamos ver agora o exemplo de uma redação onde a autora captou bem o tema dessa proposta, e isso fica claro logo na introdução, como deve ser:

De acordo com o sociólogo Émile Durkheim, a sociedade pode ser comparada a um “corpo biológico” por ser, assim como esse, composta por partes que interagem entre si. Desse modo, para que esse organismo seja igualitário e coeso, é necessário que todos os direitos dos cidadãos sejam garantidos.

Contudo, no Brasil, isso não ocorre, pois em pleno século XXI as mulheres ainda são alvos de violência. Esse quadro de persistência de maus tratos com esse setor é fruto, principalmente, de uma cultura de valorização do sexo masculino e de punições lentas e pouco eficientes por parte do Governo.

Essa redação, intitulada “Parte Desfavorecida”, foi escrita pela estudante do Ensino Médio Anna Beatriz Wreden. Confira clicando neste link.

Perceba que na última frase desse parágrafo, a autora define a situação problema ”Esse quadro de persistência” e em seguida expõe a sua tese, que deve ser defendida e comprovada no decorrer no texto: “Esse quadro de persistência de maus tratos com esse setor é fruto, principalmente, de uma cultura de valorização do sexo masculino e de punições lentas e pouco eficientes por parte do Governo.”

Espera-se, então, que a autora do texto desenvolva essa sua tese, busque ilustrar e comprovar, com fatos, os motivos pelos quais a persistência da violência contra a mulher no Brasil esteja ligada ao machismo e à política judicial.

Exemplo de redações com boa pontuação, como a de Anna Beatriz, podem servir de bom parâmetro para quem quer se dar bem no Enem.