Resumo de Conjunções Adverbiais, com Simulado Enem

Veja agora um resumo de conjunções Adverbiais e depois teste o seu nível no simulado de Português para o Enem. São 10 questões pra você treinar pro Enem e pros vestibulares!

Você costuma a suar frio só de ouvir falar em análise sintática? Relaxa, você não é a única pessoa! Dominar as conjunções adverbiais pode ser um empurrãozinho na hora de reconhecer uma oração subordinada adverbial. Confira agora no resumo de Conjunções Adverbiais.

As Conjunções Adverbiais

Aprenda agora no resumo de Conjunções Adverbiais que “Conjunção” é uma palavra invariável – pois não tem flexão de número ou gênero – que conecta orações ou termos de uma oração, estabelecendo muitas vezes uma relação de significado:

– Maria saiu, mas volta depois;
-Disseram-me que Maria saiu;
-Cedeu-lhe a casa quando precisava.

Publicidade

A gramática classifica as conjunções como coordenativas ou subordinativas. São coordenativas as conjunções que conectam termos numa oração ou duas orações sintaticamente independentes (orações coordenadas).

Já a conjunções subordinativas indicam dependência sintática, introduzindo orações que complementam a oração principal (oração subordinada substantiva) ou que transmitem a ideia de circunstância (oração subordinada adverbial). Não se lembra muito bem de análise sintática e orações subordinadas? Não tem problema, a gente revisa.

Resumo de Conjunções Adverbiais

Existem dois tipos de conjunção adverbial: as subordinativas e as coordenativas. As conjunções adverbiais subordinativas obrigatoriamente estabelecem uma relação de dependência sintática.

Você pode ver na aula a seguir com a professora Jéssica Forini, do canal do Curso Enem Gratuito, uma rápida retomada de alguns conceitos básicos para facilitar a sua compreensão. Tudo faz parte do Resumo de Conjunções Adverbiais:

Muito bom este resumo. Vale a pena ver de novo, e ir anotando as ideias centrais que a professora Jéssica passou pra você.

Dica de Análise Sintática:

Para fazer análise sintática, basta começar procurando o verbo. Se houver dois verbos, significa que há duas orações. Como identificar a relação que existe entre as orações? Visualizar a conjunção adverbial (o conectivo) facilita sua análise.

Se a conjunção for subordinativa, há relação de subordinação entre as orações. Sabendo o tipo de conjunção adverbial encontrada, você descobre o tipo de oração subordinada.

Conjunções coordenativas

Veja agora no resumo de Conjunções Adverbiais que As orações coordenadas são aquelas que possuem apenas uma relação semântica (de significado) e não sintática. Por exemplo:

“Maria saiu, mas volta depois”.

Existem dois verbos (ações): “saiu” e “volta”, logo existem duas orações.

Os termos integrantes de uma oração – ou seja, obrigatórios – são, de modo geral: sujeito + verbo + objeto caso o verbo seja transitivo.

Isso significa que a primeira oração está sintaticamente completa, pois possui sujeito (Maria) e verbo intransitivo que não precisa de complemento (saiu).

O verbo “sair” não precisa de complemento, pois transmite o significado da ação por si só.

A segunda oração também está completa, pois possui sujeito oculto (ela) e verbo intransitivo “volta”. Sendo que “depois” é um advérbio de tempo – um termo não obrigatório.

É importante ressaltar que a palavra “Maria” não pode ser sujeito das duas orações ao mesmo tempo, por isso a segunda oração possui sujeito oculto. Isso indica apenas a relação entre as palavras, já que semanticamente sabemos que é a Maria quem realiza ambas as ações.

Logo, se as duas orações estão completas sintaticamente, isso indica que o conectivo “mas” não faz parte de nenhuma elas, indicando apenas uma relação de oposição. Por isso, “mas” é um conectivo ou conjunção coordenativa, indicando orações independentes sintaticamente.

Simulado sobre as Conjunções Adverbiais

.

Compartilhe: