Cubismo – Revisão de Artes para o Enem

Você já ouviu falar em Cubismo? E em Pablo Picasso? Pelo sim, pelo não, vem com a gente entender mais sobre um dos momentos mais importantes da História da Arte para mandar bem no Enem!

O Cubismo talvez seja um dos mais disseminados movimentos artísticos. Surgiu e se desenvolveu em Paris nas duas primeiras décadas do século XX.

Mas você sabe quais foram os motivos para tamanho sucesso? Não? Então, estude o Cubismo com este post para se dar bem nas questões de Línguas envolvendo Artes no Enem!

Para começo de conversa, no ano de 1907, Pablo Picasso (1881-1973) pintou o quadro Les demoiselles d’Avignon”. Essa obra é considerada a primeira pintura cubista e retrata prostitutas em um bordel de Barcelona.

Em princípio foi exposta exclusivamente para críticos e artistas, tais como Matisse e Braque (o primeiro, líder do Movimento Fauvista; o segundo, após transitar algum tempo no Fauvismo, passa para o Cubismo), e não foi vista com bons olhos pelos presentes.

cubismo - Les demoiselles d’Avignon
PICASSO, Pablo. “Les demoiselles d’Avignon”, 1907. Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Les_Demoiselles_d%27Avignon#/media/File:Les_Demoiselles_d%27Avignon.jpg

Por tratar-se de uma obra com estilo absolutamente inovador e inédito, causou estranheza e rejeição. Podemos notar que tanto os corpos quanto o fundo são geometrizados. A perspectiva também perturba e foge aos padrões da academia.

Quanto aos rostos, são fruto da influência das máscaras africanas e são bastante angulosos. As cores não possuem muita variedade.

Essa obra, portanto, quebrou inúmeros padrões e foi uma ruptura, tanto com as obras do próprio Picasso quanto com a arte em si, pois fragmenta as figuras.

Esse artifício viria a ser largamente utilizado por artistas do século XX e seria o precursor de técnicas que surgiriam adiante, tais como a colagem.

Além de Picasso, naturalmente houverem outros adeptos. Georges Braque (1882-1963) é um deles. Com alguma resistência e após romper com o Fauvismo, aderiu ao movimento e, junto com Picasso, foi um dos precursores Cubistas. Dentre suas obras, está “Casas em L’Estaque”.

cubismo - Casas em L’Estaque
BRAQUE, Georges. “Casas em L’Estaque”, 1908. Fonte: https://br.pinterest.com/pin/278308451947932636/

Esta obra, assim como a de Picasso, apresenta angulosidades que não condizem com a realidade. É igualmente geometrizada. Existe a distorção dos elementos e a paleta de cores, embora simplificada, é uma das grandes marcas do artista. Na época, a obra foi analisada por um crítico que acusou o artista de reduzir tudo a contornos geométricos e cubos.

Em 1912, o movimento entra em uma nova fase: o Cubismo sintético. Nela, os artistas passaram a utilizar a colagem juntamente à pintura. Além disso, utilizava cores mais fortes, as figuras passaram a ser representadas de forma mais reconhecível. Outros representantes do Cubismo sintético são Fernand Léger (18881-1955) e Marcel Duchamp (1887-1968).

No Brasil, o Cubismo ganhou espaço após a Semana de Arte Moderna, em 1922. Embora não haja nenhum artista que se dedicou exclusivamente ao movimento por aqui, diversos artistas passearam e produziram obras mescladas ao Cubismo. Dentre eles estão Tarsila do Amaral (1886-1973), Anita Malfatti (1889-1964) e Di Cavalcanti (1897-1976).

Veja a aula do prof. Rolo e conheça todas as vanguardas europeias:

Agora que você já relembrou o movimento cubista, que tal testar seus conhecimentos?

1. No início do século XX, em Paris, Pablo Picasso e Georges Braque criaram um novo estilo que mudou a ideia de como se fazer arte. Estamos falando do Cubismo. Quanto a esse movimento, marque uma ÚNICA alternativa FALSA. Os cubistas:

a) romperam com a ideia de arte como imitação da natureza.

b) passaram a valorizar as formas geométricas.

c) acreditam que a cor é o elemento mais importante da obra.

d) reproduziam os objetos e figuras em dezenas de pedaços.

2. (ENEM/2011) O pintor espanhol Pablo Picasso (1881-1973), um dos mais valorizados no mundo artístico, tanto em termos financeiros quanto históricos, criou a obra Guernica em protesto ao ataque aéreo à pequena cidade basca de mesmo nome. A obra, feita para integrar o Salão Internacional de Artes Plásticas de Paris, percorreu toda a Europa, chegando aos EUA e instalando-se no MoMA, onde sairia apenas em 1981. Essa obra cubista apresenta elementos plásticos identificados pelo

a) painel ideográfico, monocromático, que enfoca várias dimensões de um evento, renunciando à realidade, colocando-se em plano frontal ao espectador.

b) horror da guerra de forma fotográfica, com o uso da perspectiva clássica, envolvendo o espectador nesse exemplo brutal de crueldade do ser humano.

c) uso das formas geométricas no mesmo plano, sem emoção e expressão, despreocupado com o volume, a perspectiva e a sensação escultórica.

d) esfacelamento dos objetos abordados na mesma narrativa, minimizando a dor humana a serviço da objetividade, observada pelo uso do claro-escuro.

e) uso de vários ícones que representam personagens fragmentados bidimensionalmente, de forma fotográfica livre de sentimentalismo.

3. (ENEM/2002) O autor da tira utilizou os princípios de composição de um conhecido movimento artístico para representar a necessidade de um mesmo observador aprender a considerar, simultaneamente, diferentes pontos de vista.

cubismo - tirinha

Das obras reproduzidas, todas de autoria do pintor espanhol Pablo Picasso, aquela em cuja composição foi adotado um procedimento semelhante é:

cubismo - exercício

GABARITO:

1-C, 2-A, 3-E