O processo da Deriva Continental – Formação dos continentes

Veja o que foi a Deriva Continental, como e porque ela ocorreu nesta aula gratuita de Geografia para o Enem e vestibulares.

Você conhece a história da movimentação das massas continentais? E saberia dizer o que foi a Deriva Continental? Então vamos revisar o conteúdo para a prova do Enem.

formação atual depois da deriva continental
Figura 1: Formação atual dos continentes.

A deriva continental é conhecida como a teoria que traz à tona a ideia da movimentação das grandes massas continentais que antes se encontravam em uma formação diferente da atual. Toda esta modificação da localização dos continentes foi alterando-se com o passar das eras geológicas até chegarmos à formação atual das massas continentais.

A movimentação das massas continentais não é algo recente. Há milhares de anos, quando estas massas ainda encontravam-se em sua composição original, iniciou-se esta movimentação que percorreu as eras geológicas e ocorre até os dias de hoje. A teoria defende que, a milhares de anos atrás as massas continentais encontravam-se agrupadas como uma única massa, que possuía forma e localização diferentes.

Com a demarcação e o mapeamento de terras, surge a desconfiança de que talvez um dia, os continentes possam ter sido um só. Tal desconfiança surge a partir de teorias como a de Francis Bacon em 1620, a qual dizia que a forma da costa leste da América do Sul encaixava-se perfeitamente com a costa oeste do continente africano, remetendo a uma possível separação.

Com o aprofundamento da hipótese de separação dos continentes, posteriormente os estudos foram despertando cada vez mais a curiosidade dos cientistas e tornando-se cada vez mais aprofundados.

Desta forma, em 1912, Alfred Wegener cria a teoria da deriva continental. O nome deriva continental vem da comparação entre o fenômeno de separação dos continentes com o desvio do caminho de uma embarcação.

Evidências da Deriva Continental

Segundo a teoria de Wegener, as massas continentais encontravam-se reunidas em um único continente (Pangea). Com o início da movimentação, este único continente transformou-se em dois e posteriormente foram se fragmentando, afastando-se e até mesmo unindo-se em outros pontos, até chegarmos na formação atual.

as mudanças da deriva continental
Figura 2: Mudança da formação dos continentes ao longo das eras geológicas.

Mesmo com o avanço da teoria, ela ainda não era completamente aceita, tendo em vista que esta causava um embate com a perspectiva da igreja católica na época. Além disso, ainda não apresentava comprovações suficientes para ser tomada como uma verdade, apesar da semelhança de aspectos geográficos e biológicos entre continentes separados pelos oceanos.

Além do encaixe da América do Sul com o continente africano, entre as principais evidências da deriva continental, podemos destacar: a existência de fósseis e espécies de plantas em comum no continente africano e na América (evidência paleoclimática), a presença de espécies animais em comum nos dois continentes (evidência paleontológica) e a formação geológica semelhante (evidência litológica).

Apesar da análise realizada a partir da pesquisa empírica das evidências desta separação, outro fato que acarretou na não credibilidade total da teoria foi a falta de um motivo para a separação dos continentes, embora já haviam desconfianças de que o interior da Terra não era totalmente sólido.

Com o avanço das técnicas e o desenvolvimento de novas ferramentas tecnológicas, ao passar dos anos os estudos foram tornando-se cada vez mais aprofundados. Deste modo, após o fim da Segunda Guerra Mundial (1945) foi possível comprovar a teoria de Wegener ao perceber que a superfície terrestre (crosta terrestre) é dividida em fragmentos, nomeados de placas tectônicas, que se encontram em constante movimentação.

É importante relembrar que a movimentação dos continentes continua acontecendo, porém a uma velocidade muito lenta. Esta movimentação gera um deslocamento de pouquíssimos centímetros em muitos anos, desta forma, acredita-se que somente daqui a milhões de anos, a configuração dos continentes seja realmente diferente da que conhecemos hoje.

Para fixar o conteúdo de Deriva Continental, veja nossa videoaula

(UFRN/1997) De acordo com a Teoria da Deriva Continental (ou Tectônica de Placas):

  1. a massa continental está dividida em grandes placas, sendo que os limites dos continentes não coincidem com os das placas.
  2. a divisão da grande massa continental resultou na formação de pequenas placas ou blocos que se movimentam sobre o substrato sedimentar.
  3.  a massa continental divide-se em grandes placas, cada uma correspondendo aos limites continentais.
  4. o deslocamento horizontal das placas provoca a ocorrência de várias deformações e fenômenos, como dobramentos, falhas e terremotos.

Assinale a alternativa que contém o conjunto de afirmações corretas:

a) 1, 2, 3 e 4.

b) 1, 2 e 3.

c) 3 e 4.

d) 2 e 3.

e) 1 e 4.

Gabarito: E

(UFPE/2008) A Deriva dos Continentes e a Teoria da Tectônica de Placas são os dois  modelos teóricos das geociências que, no século XX, causaram uma revolução dos conceitos relativos, sobretudo, aos processos geológicos internos. Sobre esses assuntos, o que é correto afirmar?

I. a velocidade e a taxa de expansão das placas litosféricas variaram ao longo do tempo geológico, demonstrando, assim, que as forças responsáveis pelos movimentos dessas placas também modificaram-se.

II. a teoria da Tectônica de Placas fornece uma explicação geométrica e cinemática de como a expansão do fundo oceânico e a deriva das placas litosféricas ocorrem numa superfície aproximadamente esférica.

III. os aspectos paleoclimáticos que foram apresentados pelo autor da hipótese da Deriva dos Continentes não podem ser empregados como argumentos favoráveis à teoria da Tectônica de Placas.

IV. a hipótese da Deriva dos Continentes propõe que o posicionamento relativo das massas continentais mudou de forma considerável ao longo do tempo geológico.

V. a hipótese da Deriva dos Continentes foi elaborada pelo geógrafo Alexander Von Humboldt e se apoiou na teoria do “Caos Continental”, estruturada por Ratzel.

Gabarito: I, II e IV.

(UFC/2002) A Teoria da Deriva Continental afirma que os continentes se separaram a partir de um bloco único denominado Pangéia. O perfil do litoral de dois continentes possui um perfeito encaixe, embasando essa teoria. Assinale a opção que aponta corretamente esses continentes.

a) Antártica e Europa.

b) África e América do Norte.

c) América do Sul e África.

d) Europa e Oceania.

e) Oceania e América do Norte.

Gabarito: C

Sobre o(a) autor(a):

Este texto foi elaborado pelo geógrafo e professor de Geografia Marcelo de Araújo para o Curso Enem Gratuito. Marcelo é formado em Geografia (licenciatura) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atualmente trabalha como autônomo. https://www.facebook.com/mdearaujo22