Dominação britânica na Índia e a Revolta dos Cipaios

A dominação britânica na Índia ocorreu do século XVIII até 1947, quando o país se tornou independente. A luta pela independência iniciou com a Revolta dos Cipaios, em 1857.

A dominação britânica na Índia é um dos maiores exemplos do imperialismo europeu na Ásia. Diferentemente do modelo colonial das Américas, os britânicos exerceram o controle do país de forma um pouco mais indireta. Eles exploravam as rivalidades entre as lideranças locais e mantinham a

Índia e Reino Unido

Já reparou como a Índia e o Reino Unido estão relacionados de diferentes formas? Além do idioma hindi, a outra língua mais popular na Índia é o inglês. Muitos indianos trabalham ou têm negócios não só na Inglaterra, como também em países que foram colonizados pelos ingleses, como a África do Sul.

Além disso, a Índia que aparece em “A volta ao mundo em 80 dias”, de Júlio Verne, está sob controle inglês. E o famoso escritor inglês Eric Arthur Blair (mais conhecido pelo pseudônimo George Orwell) nasceu em Motihari, e não nas ilhas britânicas.

Encontramos explicações para esses e outros fatos na colonização britânica que perdurou no subcontinente indiano por praticamente dois séculos.

Início da dominação britânica nas Índias

A chegada dos britânicos naquela região do globo ocorreu no início do século XVII e é um dos resultados da expansão marítima empreendida por aquele reino. Contudo, os britânicos só passaram a exercer maior controle sobre a região a partir de 1757, através da Companhia das Índias Orientais, uma empresa que tinha interesse na exploração do território indiano.

Até aquele ano, os britânicos disputavam o controle do território indiano com autoridades nativas e com a concorrência de outros impérios europeus, sobretudo com os franceses.

Sendo assim, o ano de 1757 é marcado pela batalha de Plassey, quando os britânicos firmam sua autoridade após derrotar o governante de Bengala, Siraj-ud-Daula, apoiado pela França, retomando o importante porto de Calcutá.

Isso mesmo, a Companhia das Índias Orientais tinha tropas de homens armados ao seu serviço para manter o controle sobre os territórios de seu interesse.

Sikhs - dominação britânica na ÍndiaPintura retratando uma tropa de Sikhs. Eles atuaram como guerreiros em favor dos britânicos em vários momentos e lugares do seu império, inclusive contra a revolta dos Cipaios, em 1857. Imagem retirada do livro: FURTADO, Peter. History of Nations: How their identities were forged. Editora Thames and Hudson. Londres, 2013, pp. 15.

Como era a dominação britânica na Índia

Uma das táticas invasoras de dominação mais comuns que se tem na história é através do estabelecimento de alianças com autoridades nativas. Os líderes invasores exploram as rivalidades entre as lideranças locais com promessas de controle e riquezas.

Essa era uma forma de poupar recursos. Ao permitir que um líder nativo ocupasse um posto de autoridade, os invasores diminuíam as chances de rebeliões por parte do povo dominado.

Os ingleses souberam utilizar este tipo de estratégia. A dominação britânica na Índia não foi direta, mas por meio de líderes nativos. Em 1765, os ingleses obtêm do imperador mongol a permissão para coletar impostos (diwani) sobre os bengaleses. Dessa forma, os britânicos encontraram outra maneira de lucrar para além do comércio de especiarias.

Em Bengala, os próprios coletores de impostos eram proprietários indianos, conhecidos como zamindares. Já no sul, vigorou um sistema denominado ryotwari, onde cada camponês era responsável por pagar tributos equivalentes a suas posses territoriais.

No nordeste, por sua vez, os impostos eram cobrados coletivamente sobre as aldeias num sistema que ficou conhecido como mahalwari. Isso revela como mesmo a dominação estrangeira não se dava de maneira homogênea sobre os territórios controlados.

Em 1803, os britânicos conquistam Délhi e aprisionam o imperador Mongol em seu palácio. Alguns anos depois, consolidam ainda mais seu poder sobre a Índia ao derrotar o ministro (peshwa) Baji Rao II em 1818, e conquistando o Estado de Punjab em 1849. Em suma, o século XIX é o ápice do Raj (governo) britânico no subcontinente indiano.

Segregação racial

Apesar de se utilizarem das autoridades locais para exercer maior controle e coletarem impostos sobre diferentes grupos e castas, os britânicos não se viam como iguais aos indianos.

Assim como viam os ameríndios e os africanos com inferioridade, os indianos não recebiam melhor tratamento. Dessa maneira, assim como na África do Sul e em diferentes nações do globo, na Índia existiu um regime de Apartheid.

É certo que os filhos de ricos comerciantes indianos obtiveram, em certo momento, a oportunidade de estudar em universidades britânicas, como foi o caso de Gandhi.

Entretanto, isso não significou que eles possuíssem o mesmo status que os brancos europeus. O racismo é um preconceito tão profundo e estrutural que nem o dinheiro consegue anular. Além disso, para a maioria da população indiana, pobre e camponesa, as consequências desse preconceito eram ainda mais violentas.

A Revolta dos Cipaios

Assim, diversas sublevações ocorreram durante a dominação britânica na Índia, como é comum que aconteça em qualquer relação de dominação. Dentre elas, talvez uma das mais importantes tenha sido a Revolta dos Cipaios, de 1857.

Revolta dos Cipaios - dominação britânica na ÍndiaGravura representando a Revolta dos Cipaios. Fonte: https://bityli.com/LQgiS.

Os cipaios eram soldados profissionais e sua atuação tinha uma profunda faceta religiosa. Realizavam rituais e cultuavam entidades em prol de sua atividade guerreira.

Atribui-se as causas da guerra tanto às interferências britânicas na integridade cultural e religiosa dos cipaios como às péssimas condições a que eram submetidos e tratados.

Essa guerra caracterizou-se mais como uma rebelião do que uma revolta pela independência, apesar de alguns estudiosos caracterizarem como a primeira batalha por emancipação.

O fato é que os cipaios e seus simpatizantes estavam fartos com relação aos desmandos dos colonizadores, acusados, entre outras coisas, de tentarem cristianiza-los.

Sendo assim, em 1857 esses guerreiros começaram a matar e aprisionar os colonizadores europeus que encontravam. Dessa maneira, somente após alguns meses os britânicos conseguiram retomar as cidades onde os cipaios haviam tomado o controle.

Em 1858, resolveram extinguir a Companhia das Índias Orientais, substituindo-a pela administração direta do governo inglês. A independência da Índia só viria cerca de 90 anos depois, em 1947.

Videoaula

Revise esta aula sobre a dominação britânica na Índia com este vídeo do canal Leitura Obrigahistória e, em seguida, resolva os exercícios:

Exercícios sobre a dominação britânica na Índia

1- (ENEM/2015)

A conquista pelos ingleses de grandes áreas da Índia deu o impulso inicial à produção e venda organizada de ópio. A Companhia das Índias Orientais obteve o monopólio da compra do ópio indiano e depois vendeu licenças para mercadores selecionados, conhecidos como “mercadores nativos”. Depois de vender ópio na China, esses mercadores depositavam a prata que recebiam por ele com agentes da companhia em Cantão, em troca de cartas de crédito; a companhia, por sua vez, usava a prata para comprar chá, porcelana e outros artigos que seriam vendidos na Inglaterra.

SPENCE, J. Em busca da China moderna. São Paulo: Cia. das Letras, 1996 (adaptado).

A análise das trocas comerciais citadas permite interpretar as relações de poder que foram estabelecidas. A partir desse pressuposto, o processo sócio-histórico identificado no texto é

a) a expansão político-econômica de países do Oriente, iniciada nas últimas décadas do século XX.

b) a consolidação do cenário político entreguerras, na primeira metade do século XX.

c) o colonialismo europeu, que marcou a expansão europeia no século XV.

d) o imperialismo, cujo ápice ocorreu na segunda metade do século XIX.

e) as libertações nacionais, ocorridas na segunda metade do século XX.

2- (UFF RJ/1999)

A expansão imperialista sobre os territórios asiáticos e africanos no decorrer do século XIX foi, antes de tudo, um ato de conquista.

A partir desta afirmativa, identifique a opção que indica a nação européia expan-sionista, a região colonizada e o movimento de resistência possíveis de inter-relacionar-se corretamente.

a) França / Argélia / Guerra do Boxers

b) Inglaterra / Índia / Revolta dos Cipaios

c) Inglaterra / Sudão / Revolta dos Boers

d) Portugal / Angola / MPLA

e) Alemanha /  China  / Movimento Taiping

3- (UNIMONTES MG/2015)

Acerca do domínio britânico sobre o subcontinente indiano, marque com a letra C (CORRETA) ou com a letra I (INCORRETA) cada uma das afirmativas.

(   ) Entre o final do século XVIII e início do XIX, os ingleses intensificaram seu controle na região, impondo aos nativos uma administração britânica.

(   ) A introdução de novas estruturas econômicas afetou profundamente os costumes locais, destruindo a tradicional indústria têxtil indiana, que foi incapaz de concorrer com a produção inglesa de tecidos de algodão.

(   ) Os ingleses introduziram o ópio na Índia, durante o seu domínio, levando a disseminação do vício entre os indianos, ocasionando, assim, a chamada Guerra do Ópio em 1841.

A sequência CORRETA é

a) C, I, I.

b) C, C, I.

c) I, I, C.

d) I, C, C.

Gabarito:

  1. D
  2. B
  3. B

Sobre o(a) autor(a):

Os textos acima foram preparados pelo professor Angelo Antônio de Aguiar. Angelo é graduado em história pela Universidade Federal de Santa Catarina, mestrando em ensino de história na mesma instituição e dá aulas de história na Grande Florianópolis desde 2016.

Compartilhe: