Globalização

Veja esta revisão de Sociologia para o Enem sobre globalização. Este é um tema sempre presente nas provas, porque é impossível pensar o mundo atual sem falar de globalização. Revise o tema para gabaritar Ciências Humanas no Enem!

Você já reparou que a todo o momento estamos utilizando mercadorias que foram produzidas em diversas partes do planeta? E que essas mesmas mercadorias também são utilizadas por outras milhões de pessoas nos quatro cantos do planeta? A globalização é um fenômeno muito importante a ser estudado pela Sociologia, pois é responsável por boa parte das transformações sociais pelas quais o mundo contemporâneo vem passando. É uma tarefa quase impossível citar atividades que escapam desse fenômeno social de dimensão planetária.

A globalização está intimamente ligada com as novas tecnologias da comunicação e traz uma série de consequências positivas e negativas para as pessoas do mundo. Ao mesmo tempo em que a globalização estimula o intercâmbio de conhecimento e de informação entre diferentes sociedades em todo o planeta, ela é um processo desigual e modifica maneiras tradicionais de viver, produzir e se identificar culturalmente.

O que é globalização?

Globalização é um conjunto de transformações mundiais de dimensões econômicas, culturais, sociais, políticas, religiosas e jurídicas interligadas de modo complexo.

Apesar de muitos autores situarem o início do processo de globalização lá nas grandes navegações, quando se estabeleceu um mercado transatlântico de mercadorias, o termo globalização foi criado na década de 1970.

Globo, Mafalda, globalização

A globalização resulta do avanço da tecnologia, como a invenção dos computadores e da internet. A principal característica da globalização é tornar o mundo interligado, o que levou as pessoas a falar de uma aldeia global: não seríamos mais cidadãos de um país, mas sim cidadãos planetários.

Nesse novo contexto, a própria Sociologia teve que ampliar seu olhar sobre seu objeto de estudo: não podia mais enxergar a sociedade como algo fechado, restrito a uma pequena comunidade, cidade ou nação. A sociedade se tornou global!

Alguns dos efeitos da globalização são: a mundialização dos sistemas de produção e das transferências financeiras, disseminação de informação e imagens através de novos e instantâneos meios de comunicação, deslocamentos em massa de pessoas, seja como turistas, como trabalhadores migrantes ou refugiados.

É como se o mundo tivesse encolhido: as diferentes partes do planeta parecem estar mais próximas e o tempo passando mais rápido. Para perceber como o mundo mudou, pergunte para seus avós como eram as coisas na época da juventude deles!

Globalização e capitalismo

A globalização é vista como uma etapa transnacional do capitalismo. As empresas passaram a sair das fronteiras dos seus países de origem em busca de novos mercados. Dessa forma, uma empresa pode comprar matéria-prima em outro continente, instalar sua fábrica onde a mão de obra é mais barata e distribuir sua mercadoria para qualquer lugar do mundo.

Entretanto, o processo de globalização não se dá de maneira igual entre os países e pessoas do mundo. Os países mais ricos tendem a concentrar os meios de informações, tecnologias, empresas e capital financeiro, enquanto aos países periféricos cabe servir matéria prima e mão de obra barata para as multinacionais. A consequência é o aumento da desigualdade social em escala planetária.

Desigualdade social, globalização tecnologia, fome
A integração à globalização se dá de maneira extremamente desigual

A globalização econômica também tem graves impactos no meio ambiente, pois promove a exploração da natureza de maneira insustentável e predatória, poluindo e contaminando os ambientes naturais.

Além disso, a globalização promove a homogeneização cultural, disseminando os padrões de vida dos países mais ricos, e tem como consequência a destruição das formas tradicionais de vida.

Dica: Assista ao vídeo em que a professora Andréa resume o tema da Globalização:

Entendeu bem o que é Globalização? Resolva os exercícios abaixo para testar seus conhecimentos!

1- (IFMG, 2017)

globalização exercício

Analise o fragmento de texto a seguir.

 “Decerto, o que estamos vivendo agora foi longamente preparado, e o processo de internacionalização não data de hoje. O projeto de mundializar as relações econômicas, sociais e políticas começa com a extensão das fronteiras do comércio no princípio do século XVI, avança por saltos através dos séculos de expansão capitalista para finalmente ganhar corpo no momento em que uma nova revolução científica e técnica se impõe…”

SANTOS, Milton. Metamorfose do Espaço Habitado, 2008 6º ed. pág. 14.

A partir da leitura compreende-se que:

a) o autor faz um resgate do processo das grandes navegações e sua importância para a economia europeia.

b) é abordado pelo autor o imediato instante de crise e seus pressupostos históricos.

c) no texto o autor discute claramente os preceitos básicos para o entendimento do fenômeno globalização.

d) é feita uma referência de como a mundialização se estabelece de forma rápida, e portanto, não podendo apresentar sobre ela antecedentes históricos.

2- (ENEM, 2016)

TEXTO I

Dezenas de milhares de pessoas compareceram à maior manifestação anti-troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e FMI) em Atenas contra a austeridade e os cortes de gastos públicos aprovados neste domingo no parlamento grego. (Disponível em: www.cartamaior.com.br. Acesso em: 8 nov. 2013).

TEXTO II

As políticas de austeridade transferem o ônus econômico para as classes trabalhadoras. Para diminuir os prejuízos do capital financeiro, socializam as perdas entre as classes trabalhadoras. O capitalismo não foi capaz de integrar os trabalhadores e ao mesmo tempo protegê-los. (Entrevista com Ruy Braga. Revista IHU online. Disponível em: www.ihu.unisinos.br. Acesso em: 8 nov. 2013 adaptado).

Diante dos fatos e da análise apresentados, a política econômica e a demanda popular correlacionada encontram-se, respectivamente, em

a) controle da dívida interna e implementação das regras patronais.

b) afrouxamento da economia de mercado e superação da lógica individualista.

c) aplicação de plano desenvolvimentista e afirmação das conquistas neoliberais.

d) defesa dos interesses corporativos do capital e manutenção de direitos sociais.

e) mudança na estrutura do sistema produtivo e democratização do acesso ao trabalho.

3- (ENEM, 2015)

Um carro esportivo é financiado pelo Japão, projetado na Itália e montado em Indiana, México e França, usando os mais avançados componentes eletrônicos, que foram inventados em Nova Jérsei e fabricados na Coreia. A campanha publicitária é desenvolvida na Inglaterra, filmada no Canadá, a edição e as cópias, feitas em Nova York para serem veiculadas no mundo todo. Teias globais disfarçam-se com o uniforme nacional que lhes for mais conveniente. (REICH, R. O trabalho das nações: preparando-nos para o  capitalismo no século XXI. São Paulo: Educator, 1994 adaptado).

A viabilidade do processo de produção ilustrado pelo texto pressupõe o uso de

a) linhas de montagem e formação de estoques.

b) empresas burocráticas e mão de obra barata.

c) controle estatal e infraestrutura consolidada.

d) organização em rede e tecnologia de informação.

e) gestão centralizada e protecionismo econômico.

4- (ENEM, 2015)

No final do século XX e em razão dos avanços da  ciência, produziu-se um sistema presidido pelas técnicas da informação, que passaram a exercer um papel de elo entre as demais, unindo-as e assegurando ao novo sistema uma presença planetária. Um mercado que utiliza esse sistema de técnicas avançadas resulta nessa globalização perversa.

SANTOS, M. Por uma outra globalização. Rio de Janeiro: Record, 2008 (adaptado).

Uma consequência para o setor produtivo e outra para o mundo do trabalho advindas das transformações citadas no texto estão presentes, respectivamente, em:

a) Eliminação das vantagens locacionais e ampliação da legislação laboral.

b) Limitação dos fluxos logísticos e fortalecimento de associações sindicais.

c) Diminuição dos investimentos industriais e desvalorização dos postos qualificados.

d) Concentração das áreas manufatureiras e redução da jornada semanal.

e) Automatização dos processos fabris e aumento dos níveis de desemprego.

Gabarito:

1 – C

2 – D

3 – D

4 – E

Sobre o(a) autor(a):

Luiz Antonio é formado em Ciência Política pela Universidade de Brasília (UnB) e mestre em Sociologia também pela UnB. Atualmente é doutorando em Sociologia da Universidade de São Paulo (USP).