O e-mail como gênero textual

Com o advento das tecnologias, as cartas foram deixadas um pouco de lado e se tornaram e-mails. É importante entender a ferramenta do e-mail como gênero textual, pois esse gênero pode aparecer na sua prova do Enem ou de outros vestibulares. Vem para a aula!

Um envelope branco em um fundo azul, simbolizando o envio de um e-mail como gênero textual

Essa revisão vai dar o que falar – ou o que escrever – já que o assunto é o e-mail como gênero textual. Para nossa revisão de hoje, vamos entender que e-mail nada mais é do que uma carta eletrônica, virtual.

A mensagem eletrônica – e-mail – é, também, um gênero discursivo que surgiu com o advento da internet. Tem como principal característica permitir uma comunicação escrita muito rápida entre interlocutores conectados em rede virtual.

Podemos afirmar que o principal objetivo do e-mail como gênero textual é manter, por escrito, um “diálogo” no qual são relatados – ou narrados – e comentados os principais acontecimentos envolvendo os interlocutores – quem escreve e quem lê – durante um determinado espaço de tempo (geralmente, o tempo transcorrido entre o envio de uma carta ou e-mail e o recebimento de uma resposta).

Às vezes, a ideia de necessidade de contar vários acontecimentos faz com que os e-mails sejam extensos. Neles, também é frequente a expressão de sentimentos pessoais como saudade, alegria, tristeza, ironia, entre outros.

Comparação: carta x e-mail

Se fôssemos fazer uma comparação entre os textos das cartas pessoais e os do e-mail como gênero textual, isso nos permitiria constatar a forte relação existente entre esses dois gêneros. Os e-mails são muito parecidos com as cartas do ponto de vista da sua finalidade, de seu objetivo principal. Contudo, uma das vantagens do e-mail é o fator rapidez de envio e recebimento.

Hoje em dia, com um maior acesso à internet por boa parte das pessoas, o envio e recebimento de e-mails se tornou corriqueiro na vida das pessoas, que, claro, cada vez menos escrevem cartas para enviá-las pelo correio.

A expressão “e-mail” vem do inglês que corresponde à abreviação de “eletronic mail”. O e-mail pode substituir, em partes, as antigas cartas, enviadas pelo correio. Contudo, não podemos nos esquecer de que as cartas ainda fazem parte do mundo atual. No entanto, também não se pode negar a importância do e-mail como suporte e veículo de comunicação contemporânea.

Para que os e-mails sejam enviados, como você bem sabe, é necessário criar em uma página específica chamada de “provedor”. Ou seja, as empresas destinadas a esses serviços, como Yahoo, Hotmail, Globomail, Gmail e MSN. Então, para ter acesso à página do seu e-mail, é preciso que seja criada uma senha para que possa ter liberado esse acesso sempre que se quiser entrar na página e verificar sua caixa de e-mail. Esse sistema de segurança ajuda a prevenir a invasão de privacidade.

Formato do e-mail

O formato do endereço de e-mail é padrão no mundo todo, algo como [email protected] em que o termo “com” se refere à palavra comercial e o “br” refere-se à sigla do país de origem, no caso o Brasil. O símbolo @ (arroba) é obrigatória para que um endereço de e-mail seja reconhecido pelo sistema computacional.

Remetente e destinatário

Comumente, acima do espaço destinado à mensagem aparece o destinatário “Para” (“to” em inglês), que pode ser para uma ou para várias pessoas. Já na linha abaixo, surge o assunto (“subject” em inglês) do e-mail. Para que ele seja enviado há uma caixa abaixo com a palavra “enviar” (ou “send” se estiver em inglês).

Além disso, existem dois campos de preenchimento opcionais abaixo do “Para”. Eles são observados pelas siglas “Cc” (com cópia) e Cco (com cópia oculta). No primeiro caso, pode ser inserido outro(s) endereço(s) de e-mail(s), onde as pessoas que o recebem conseguem visualizar para quem ele foi enviado.

Por sua vez, o campo “Cco” indica que a mensagem será enviada com cópia para outros e-mails. No entanto, as pessoas que o recebem não conseguem visualizar os outros receptores (remetentes). Além disso, a data e hora são enviadas com a mensagem de maneira automática. Assim, o usuário não precisa preencher esses campos ou mesmo indicar acima, como ocorre nas cartas.

Organização da ferramenta

Tudo fica gravado no sistema e ainda separados por pastas, por exemplo, os e-mails recebidos (entrada), enviados, importantes, rascunhos e lixeira. O próprio utilizador pode criar pastas e organizar as informações da maneira que preferir. Além disso, você também pode enviar uma mensagem e ainda arquivos em anexo (fotos, documentos, imagens, vídeos, etc.) em tempo real, sem custo e de maneira eficaz.

Embora seja bastante usado no âmbito pessoal, os e-mails são utilizados largamente por ambientes profissionais. E, dependendo da proximidade entre o emissor (remetente) e o receptor (destinatário), a linguagem utilizada pode ser formal ou informal.

Estrutura do e-mail como gênero textual e exemplos

A estrutura de produção dos e-mails assemelha-se a das cartas, a saber:

Assunto

Representa o tema do e-mail preenchido na caixa de diálogo que aparece acima do corpo da mensagem.

Ele é chamado de assunto (“subject” em inglês), por exemplo:

Nota da Prova, Currículo Lattes, Vaga de Emprego, etc.

Vocativo

Já no corpo da mensagem, coloca-se o nome do receptor, ou seja, para quem a mensagem está sendo destinada, por exemplo:

“Caro Senhor Rodrigues”, numa linguagem mais formal; ou simplesmente o nome do amigo “Carol” numa linguagem mais coloquial ou informal, que pode surgir de maneira abreviada.

Texto

No corpo de texto (ou corpo da mensagem) são colocadas as informações que o emissor quer expressar segundo o assunto da mensagem.

Como exemplo, vamos sugerir uma mensagem com o tema “Vaga de Emprego”:

“Venho por meio desta afirmar meu interesse na vaga de Marketing oferecida pela empresa Risus. Para tanto, envio em anexo meu currículo para análise. Desde já agradeço a atenção e aguardo retorno!” (linguagem formal).

Ou ainda um e-mail informal com o assunto “Babados da Festa”:

“Então, quero saber como foi o desfecho da festa. Por favor, me conta todos os detalhes!!! Mande notícias quando puder.

P.S.: Aliás, você tem a prova de geografia comentada? Preciso entregar o exercício semana que vem.

Por favor, me ajuda!”

Despedida

Indica a finalização da mensagem com expressões de despedida como:

“Atenciosamente”‘ ou “Saudações” (linguagem formal);

“beijos grandes” ou “com carinho” (linguagem informal)

Assinatura

Em geral, ao final da mensagem, o emissor assina seu nome. Dependendo do teor da mensagem, a linguagem deve ser mais formal, onde o emissor assina seu nome completo; ou informal, com abreviações, nomes no diminutivo, apelido, etc.

No e-mail, o spam é uma pasta que armazena geralmente mensagens publicitárias recebidas.

Além disso, alguns deles são mensagens disfarçadas que contém vírus ou conteúdo indesejado.

E aí, estudante? Entendeu como funciona o e-mail como gênero textual?

Sobre o(a) autor(a):

Anderson Rodrigo da Silva é professor formado em Letras Português pela UNIVALI de Itajaí. Leciona na rede particular de ensino da Grande Florianópolis.

Compartilhe: