Oração reduzida

Revise as orações reduzidas do infinitivo, particípio e gerúndio. Estude Português para mandar bem nas questões de línguas do Enem e dos vestibulares!

A classificação de oração reduzida diz respeito ao uso de formas nominais de verbos. Mas o que são formas nominais de verbos mesmo?

Quando um verbo não está conjugado, ele assume uma das formas nominais abaixo:

1. Gerúndio: terminação em -ando, -endo, -indo.
2. Infinitivo: terminação em -ar, -er, ir.
3. Particípio: terminação em -ado, -ada, -ido, -ida.

Mas por que utilizar formas nominais? De modo geral, elas evitam a repetição de termos e tornam o texto mais objetivo.

Outro ponto importante é relembrar as funções sintáticas obrigatórias e acessórias. Quando uma oração subordinada é Substantiva, isso significa que muito provavelmente ela ocupe uma função sintática obrigatória.

A primeira delas é a função de sujeito. Sujeito da oração é aquele termo que concorda em número e pessoa com o verbo. Por exemplo:

– Lucas é importante para a família.

O que é importante? Lucas. Logo, “Lucas” concorda com o verbo na terceira pessoa do singular (ele) “é”.

– Empregar bem o tempo é importante.

Já nesse caso, a posição de sujeito foi ocupada pela oração “Empregar bem o tempo”. Isso significa que essa oração faz parte da oração principal “é importante”. Assim, existe uma relação de subordinação entre elas, ou seja, de dependência sintática.

Observe que a oração subordinada “Empregar bem o tempo” está na forma nominal infinitivo, por isso, não está conjugada e pode realizar a concordância na terceira pessoa do singular com o verbo “é”. Portanto, “Empregar bem o tempo” é uma Oração Subordinada Substantiva Subjetiva (ocupa posição de sujeito) Reduzida de Infinitivo. Vamos ver outros exemplos de orações subordinadas reduzidas:

-Jandira sentiu pulsar o coração.

Para iniciar a análise sintática, recomendo que primeiro você identifique os verbos (ações). Nesse caso, temos “sentiu” e “pulsar”. “Sentiu” é o verbo conjugado, por isso vamos começar por ele. Já que “pulsar” está no infinitivo e faz parte, assim, da oração subordinada reduzida. Vamos começar localizando o sujeito:

– Quem sentiu pulsar o coração? “Jandira”, que concorda com o sujeito na terceira pessoa do singular (ela).

– Agora, é hora de analisar o verbo. Sentir é um verbo transitivo direto, pois precisa de complemento e não utiliza preposição: quem sente, sente algo.

– O que Jandira sentiu? Pulsar o coração. Logo, essa oração complementa o verbo sentir, atuando como objeto direto.

Assim, temos uma oração subordinada substantiva objetiva direta reduzida de infinitivo. As orações reduzidas também podem ocupar a função de objeto indireto. Observe o caso abaixo:

-Arrependo-me de revelar a existência dos meus estudos.

Nesse exemplo, quem se arrepende, se arrepende de algo. De que me arrependi? De revelar a existência dos meus estudos. Logo, a oração complementa o sentido do verbo “arrepender-se” e é antecedida por preposição “de”, assumindo a função de objeto indireto.

Logo, é uma oração subordinada substantiva objetiva indireta reduzida de infinitivo. Ainda assim, não são apenas verbos que podem precisar de complemento. Alguns nomes, geralmente substantivos abstratos, também podem utilizar complementos.

-Tenho medo de falar a verdade.

Medo é um substantivo abstrato, pois expressa um conceito, não algo material que podemos acessar por meio dos sentidos. Assim, para ter sentido completo, precisa de complemento. No caso, a oração “de falar a verdade”.

Portanto, temos uma oração subordinada substantiva completiva nominal reduzida de infinitivo que complementa o objeto direto “medo”.

-A solução é falar sempre a verdade.

Já esse exemplo é um pouquinho diferente, pois temos o verbo de ligação “é”, que é o verbo “ser” conjugado. A função do verbo de ligação é unir uma característica ao sujeito. Mas Jéssica, “falar sempre a verdade” não parece uma característica. Ok, vamos substituir a oração subordinada por um exemplo mais simples:

-A solução é difícil.

Percebe que tanto “difícil” quanto “falar sempre a verdade” fornecem alguma informação sobre a solução? Essa é a ideia do que chamamos de predicação ou caracterização. Além disso, a expressão “a solução” é formada por artigo + substantivo, o que geralmente indica o sujeito de uma oração, restando apenas a função de característica ou predicativo. Portanto, nesse caso, há uma oração subordinada substantiva predicativa reduzida de infinitivo.

-Há nele um só desejo: viver.

Finalmente, vamos observar a última função substantiva, ou seja, obrigatória, que uma oração subordinada reduzida pode ter: aposto. O aposto apenas explica um termo anterior e no caso das orações subordinadas, geralmente é precedido por dois pontos. Assim, “viver” explica qual é o desejo, formando uma oração subordinada substantiva apositiva reduzida de infinitivo.

Orações subordinadas adjetivas reduzidas

As orações subordinadas adjetivas recebem esse nome, pois caracterizam a oração principal. Elas podem ser restritivas (sem vírgula) ou explicativas (com vírgula).

A água, correndo por um canal, passava por ele com um murmúrio leve.

Nesse exemplo, “correndo por um canal” não exerce função sintática obrigatória, apenas caracteriza o termo anterior “a água”. Assim, temos uma oração subordinada adjetiva explicativa reduzida de gerúndio (terminação em -endo). É importante ressaltar que a oração subordinada adjetiva difere do aposto, pois não explica o termo anterior, apenas o caracteriza.

Ele comprou as fotos publicadas nos jornais.

Nessa frase, ocorre o mesmo. “publicadas no jornal” caracteriza o objeto direto da oração anterior, que não é um substantivo abstrato. Logo, existe uma oração subordinada adjetiva restritiva de particípio (terminação em -adas).

Orações subordinadas adverbiais reduzidas

As orações subordinadas adverbiais reduzidas exercem a função de advérbio, ou seja, estabelecem a circunstância de uma ação. Observe os tipos de circunstância que podemos identificar.

Causa:

-Desesperado, saiu batendo a porta.

Oração Subordinada Adverbial Causal Reduzida de Particípio (-ado).

-Não conseguindo a vitória, procurou desmoralizar o concurso.

Oração Subordinada Adverbial Causal Reduzida de Gerúndio (-indo).
-Por perder várias vezes, não quis mais jogar.

Oração Subordinada Adverbial Causal Reduzida de Infinitivo (-er).
Se for difícil reconhecer a circunstância, tente alguns conectivos adverbiais subordinativos. Nesse caso, o conectivo “porque” poderia ser encaixado em todas as orações, mesmo exigindo um verbo conjugado:
-Porque estava desesperado, saiu batendo a porta.

Oração Subordinada Adverbial Causal
-Porque não conseguiu a vitória, procurou desmoralizar o concurso.

Oração Subordinada Adverbial Causal
-Porque perdeu várias vezes, não quis mais jogar.

Oração Subordinada Adverbial Causal

Concessiva

-Apesar de desconhecer o assunto, foi fazer a conferência.

Oração Subordinada Adverbial Concessiva Reduzida de Infinitivo (-er).
-Mesmo pedindo, continuo sem dinheiro.

Oração Subordinada Adverbial Concessiva Reduzida de Gerúndio (-indo).
-Mesmo ferido, conseguiu livrar-se.

Oração Subordinada Adverbial Concessiva Reduzida de Particípio (-ido).

Nesse caso, as orações já têm conectivos que indicam concessão (mesmo, apesar de), ou seja, quando você tenta impedir que algo, mas não consegue.

Condicional

Não sairá sem dizer toda a verdade.

Oração Subordinada Adverbial Condicional Reduzida de Infinitivo (-er).
Precisando, disponha.

Oração Subordinada Adverbial Condicional Reduzida de Gerúndio (-ando).
Entendido este capítulo, o restante da obra torna-se fácil.

Oração Subordinada Adverbial Condicional Reduzida de Particípio (-ido).

Final
Indica objetivo, finalidade.

Só falei isso para te ajudar.
Oração Subordinada Adverbial Final Reduzida de Infinitivo (-ar).

Temporal

Ao falares a verdade, serás castigado.

Oração Subordinada Adverbial Final Reduzida de Infinitivo (-ar).
Nesse caso, existe o infinitivo pessoal, que indica apenas a pessoa do discurso:

Se eu falar
Se tu falares
Se ele / ela / você falar
Se nós falarmos
Se eles falarem

Estando em casa, chegou a dolorosa notícia.
Oração Subordinada Adverbial Final Reduzida de Gerúndio (-ando).

Terminada a apresentação, os atores foram cumprimentados pelo público.
Oração Subordinada Adverbial Final Reduzida de Particípio (-ada).

Assim, a única diferença da oração subordinada para a oração subordinada reduzida, é o fato do verbo estar em uma forma nominal (infinitivo, particípio ou gerúndio).

Agora, para finalizar sua revisão sobre oração reduzida, veja a aula do CEG, nosso canal no youtube!

Para praticar, tente fazer esses exercícios sobre oração reduzida:

“Tomo a liberdade de perguntar a V. Exa. se as locuções repolhudas do ilustre colega são parlamentares; e, se o são, peço ainda a mercê de se me dizer onde se estudam aquelas farfalhices.”
(Camilo Castelo Branco)

1. “de perguntar a V. Exa.” é oração subordinada:

a) substantiva objetiva indireta, reduzida de infinitivo
b) substantiva completiva nominal, reduzida de infinitivo
c) adverbial causal, reduzida de infinitivo
d) adjetiva explicativa, reduzida de infinitivo
e) substantiva apositiva

Resposta: “b”

2. (UEPG-PR) Marque a alternativa onde se encontra a oração reduzida de infinitivo, substantiva objetiva direta:

a) Tenho esperança de seres aprovado.
b) Ao chegar, o candidato foi ovacionado.
c) Nada me impedirá de ir embora.
d) Recomendo-te seres paciente.
e) n.d.a

Resposta: ”d”

3. (FMU) No texto: “Um se encarrega de comprar camarões”, a oração destacada é uma:

a) subordinada substantiva completiva nominal, reduzida de gerúndio
b) subordinada substantiva objetiva direta, reduzida de infinitivo
c) subordinada substantiva subjetiva, reduzida de gerúndio
d) subordinada substantiva objetiva indireta, reduzida de infinitivo
e) subordinada substantiva apositiva, reduzida de infinitivo

Resposta: “d”

4. (FUVEST) No período: “É possível discernir no seu percurso momentos de rebeldia contra a estandardização e o consumismo”, a oração grifada é:

a) subordinada adverbial causal, reduzida de particípio
b) subordinada objetiva direta, reduzida de infinitivo
c) subordinada objetiva direta, reduzida de particípio
d) subordinada substantiva subjetiva, reduzida de infinitivo
e) subordinada substantiva predicativa, reduzida de infinitivo

Resposta: “d”