A Estrutura e a reprodução dos vírus: veja resumo & Simulado

A estrutura dos vírus é tão simples que eles nem se encaixam nas categorias de seres vivos que conhecemos. Mas, mesmo assim, eles têm muito poder. Confira no resumo.

A estrutura dos vírus é muito simples. Mas, mesmo assim eles têm um poder muito grande. De tempos em temos os vírus assustam a humanidade. No passado eram as “pestes”, verdadeiras ondas virais que devastavam grande parte da população por onde passavam.

Você já estudou a “Gripe Espanhola”, a “Peste Negra”, o “Ebola”, a “SARS”, e agora em 2019 e 2020 o mundo foi impactado pelo Coronavírus Covid-19. Os vírus surpreendem o organismos dos humanos quando ainda não têm os anticorpos para se defender.

A Estrutura especial dos vírus

Para você entender como é a Estrutura de um Vírus, como ele atua no organismo humano, e como ele se reproduz, veja o resumo gratuito com a professora Juliana Evelyn Santos:

Muito boa esta introdução.

Os vírus são responsáveis por boa parte das doenças que atingem os seres humanos! Porém, apesar de sua fascinante capacidade de parasitar nossas células, a estrutura dos vírus é extremamente simples.

Tão simples que não podem nem ser considerados células. Essa existência peculiar dos vírus é intrigante e confunde até mesmo os cientistas mais renomados!

Agora, para auxiliar você na revisão, veja a transcrição do vídeo, que ajuda você a escolher o ponto exato que precisa rever:

00:00 – Oi, estudantes, tudo bem? A aula de hoje vai ser sobre vírus, um assunto bem importante para o Enem e para os vestibulares. Esse assunto aparece muito em questões que relacionam problemas de saúde humana com biologia.

Para ti entender bem essa questão dos problemas de saúde relacionados às doenças virais, é necessário entender muito bem a estrutura dos vírus, as características gerais desse grupo e também os ciclos que eles desempenham dentro das células.

00:24 – A gente vai começar pelas características gerais! A primeira coisa que tu tem que lembrar é que os vírus são acelulares. Isso significa que eles não possuem célula/estrutura celular. Nem mesmo célula procarionte (que é super simples), muito menos eucarionte! Por isso, muitos cientistas discutem se vírus são seres vivos ou não. Como eles não possuem estrutura celular, eles também não vão conseguir se reproduzir, a não ser que estejam parasitando uma célula de outro ser vivo.

1:39 – Então, se eles são acelulares (sem célula), quando eles estão fora da célula, eles se comportam como partículas inertes, como um pedaço de poeira. Eles só atuam quando entram dentro de uma célula, escravizam ela e usam a sua maquinaria celular para produzir suas próprias estruturas.

Ou seja, os vírus também não possuem metabolismo! Por conta disso, eles são todos parasitas intracelulares obrigatórios. Fora dela, existe o termo virión para classificar o vírus quando ele está fora da célula hospedeira com seu comportamento inerte.

Como o vírus sempre parasita uma célula para poder completar o seu ciclo, nós falamos que os vírus são todos agentes infecciosos. Ou seja, são agentes que podem/causam doenças em todos os grupos de seres vivos. Eles vão atingir todos os grupos de seres vivos, desde o reino monera até os animais.

Só que os vírus são super específicos e existem diversos deles para cada tipo de ser vivo ou inclusive dependendo da parte do corpo do ser vivo. São parasitas extremamente específicos!

4:09 – E, como eles não tem células, eles não sofrem ação de antibiótico! Isso é muito importante. Usar antibiótico para um vírus não faz diferença, ele não vai ser combatido dessa maneira. Quem precisa expulsar o vírus é nosso próprio organismo através do sistema imunológico.A Estrutura dos vírus

A Estrutura dos vírus: RNA & DNA

4:59 – Vamos pensar agora sobre a estrutura viral. Os vírus são formados basicamente por uma cápsula de proteínas que guarda dentro dela o material genético do vírus. Esse material genético pode ser DNA, RNA ou ainda ambos. Além desse material genético, dentro dessa cápsula de proteína, é possível encontrar também algumas enzimas.

Por exemplo, o vírus do HIV possui RNA e também uma enzima chamada transcriptase reversa, que vai ajudar ele a produzir DNA a partir de RNA quando ele conseguir parasitar uma célula.

6:20 – Muitos vírus tem apenas a formação de cápsula de proteína + DNA/RNA/ambos. Alguns vírus, além dessa cápsula de proteína e do material genético, também podem ter um envoltório (envelope), que é um pedaço da membrana plasmática da célula hospedeira da qual ele saiu anteriormente.

E, nessa membrana, vamos encontrar glicoproteínas que vão ajudar o vírus a entrar nas células hospedeiras. Alguns vírus, além disso, também podem ter outras estruturas que ajudam a injetar seus materiais genéticos dentro da célula hospedeira.

7:48 – Por hoje era isso, gente! No próximo vídeo vamos falar também sobre vírus, sobre a parte dos ciclos que eles realizam dentro das células hospedeiras para se reproduzir 😉

A Reprodução dos vírus

Confira agora o resumo da professora Juliana sobre como os vírus se reproduzem, e como eles se utilizam do organismo invadido para realizar isto.

Como você aprendeuno vídeo, a forma de reprodução está vinculada aos ciclos que os vírus realizam dentro das células hospedeiras.

Veja a Descrição da aula

00:00 – Oi, estudantes, tudo bem? Hoje a gente vai falar de uma partezinha do conteúdo de biologia bem pequenininha mas que é muito importante para entendermos como ocorrem as doenças virais. São os ciclos que os vírus realizam dentro das células hospedeiras!

00:14 – Antes da gente pensar nos ciclos virais, é importante que tu lembre das características essenciais/gerais sobre os vírus e a estrutura viral. Temos uma aula sobre isso, vai lá e assiste ela e depois volta aqui 😉

00:25 – De início, tem que lembrar que os vírus não conseguem fazer nada se ele estiver fora de uma célula hospedeira! Então ele precisa parasitar uma célula para usar a maquinaria celular/estrutura celular dela para conseguir produzir suas próprias estruturas. Sem isso, o vírus é uma partícula inerte.

00:47 – E aí ele pode fazer dois tipos de ciclos diferentes dentro de uma célula. Para isso, ele precisa entrar dentro da célula ou pelo menos injetar o seu material genético. Os vírus vão ter diferentes maneiras para entrar dentro de uma célula. Basicamente dividimos em três tipos diferentes de introdução viral dentro de uma célula.

O que vamos ver aqui, que é muito usado como exemplo, é o exemplo do bacteriófago. O bacteriófago é um vírus que vai parasitar especificamente células bacterianas. Esse vírus tem uma estruturinha que parece uma navezinha espacial, que além da cápsula de proteínas e o material genético dentro dessa cápsula, ele também vai ter uma cauda que vai servir tanto para ele conseguir se acoplar na célula tanto para conseguir injetar material genético dentro dela.

Essa cauda forma como se fosse uma agulha que vai dissolver a membrana da célula para injetar somente seu material genético dentro da célula, o resto do vírus fica para fora.

2:00 – Mas nem todo vírus tem toda essa estrutura. Alguns deles são envelopados, como é o caso do vírus da gripe. Nesse caso, a técnica utilizada é a de fundição do seu envelope com a membrana celular.

O envelope de um vírus é justamente um pedaço de membrana da célula hospedeira anterior que ele estava. Então ele vai fundir essas duas membranas e assim entrar totalmente na célula, ao contrário do bacteriófago onde só existe a injeção do material genético. E tem alguns vírus que acontece a fagocitação da célula.

2:52 – Sabendo de tudo isso, agora vamos pensar como que o vírus vai agir dentro das células. Vamos dividir esse modo de ação dentro da célula em dois ciclos: o ciclo lítico e o ciclo lisogênico. O vírus pode fazer tanto um quanto o outro.

O ciclo lítico é o ciclo onde o vírus vai injetar material genético dentro da célula, e aí uma vez que esse material genético está dentro da célula, ele passa a escravizar esse material genético – a célula entende como se esse material genético fosse dela, e ela passa a produzir dentro dela (com suas organelas celulares) os materiais virais.

E assim ela vai replicando vários vírus dentro dela, como se fosse uma fábrica! Vai ter tanto vírus dentro da célula, que ela acaba se rompendo e liberando vários novos vírus no ambiente em que ela se encontra – e assim esses vírus vão procurar novas células para parasitar. Então vejam que além de prejudicar a célula durante seu ciclo vital, o vírus também vai matar a célula no fim pois vai arrebentá-la.

4:27 – E nós temos também o ciclo lisogênico. Esse ciclo ocorre quando o material genético do vírus se incorpora ao material genético da célula e fica meio que escondido ali, latente, ele não vai ativar nenhuma produção de material viral. Esse material genético incorporado vai ser replicado sem querer pela própria célula quando ela entrar em divisão celular.

Então, por exemplo, uma bactéria sofre uma divisão celular e acaba copiando junto com seu material genético o material genético viral. As células-filha vão ter cópia desse material genético viral. Ali, ele pode continuar latente ou ele pode se ativar e voltar para o ciclo lítico.

5:50 – Por hoje era isso! Qualquer dúvida deixa aqui embaixo nos comentários 🙂 Não esquece de deixar o like no vídeo, se inscrever no canal, ler a aula escrita desse conteúdo e depois resolver o simulado! Bora estudar, gente! \o/

Hora do Simulado sobre os vírus

 

.

.

===

Para você mandar bem no Enem não tem segredo: Tiram notas melhores aqueles que mais se dedicam, que mais estudam. Tanto faz se na escola ou em casa, se no ônibus ou no metrô.

O que faz a diferença é o compromisso de estar sempre conectado no conhecimento.