Atividades físicas na terceira idade: Saiba os benefícios

Envelhecer é um processo biológico. Contudo, uma de suas consequências é a gradativa perda de funcionalidade. Vamos entender como o exercício físico contribui de maneira positiva para isso?

As pessoas estão vivendo cada vez mais e, como consequência, a população idosa vem aumentando. Sendo assim, é extremamente importante e necessário a prática de atividades físicas na terceira idade.

Além disso também é importante entendermos esse fenômeno e quais são as suas consequências na sociedade. E claro, não podemos esquecer, de pensarmos em como fica a qualidade de vida de pessoas na terceira idade e de que maneira a sociedade pode contribuir para torná-la melhor.

atividades físicas na terceira idade

Publicidade

Figura 1: a prática de atividades físicas na terceira idade pode contribuir para melhorar a socialização e a saúde. Descrição da imagem: um grupo de 5 idosos, sendo 3 homens e duas mulheres, estão juntando as mãos ao centro e demonstrando felicidade. Todos se mostram muito felizes.

O envelhecimento da população

A população mundial está ficando cada vez mais velha. Há alguns anos podemos observar que a quantidade de jovens está diminuindo ao passo que as pessoas têm vivido por mais tempo. No Brasil, especificamente, o cenário é o mesmo.

Isso pode ser observado, por exemplo, nos gráficos abaixo, retirados do site do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Neles observamos a pirâmide etária do ano atual, 2020, e a projeção feita para o ano de 2060.

Pirâmides etárias

Pirâmides etárias da população brasileira em 2020 e projeção para o ano de 2060.Pirâmides etárias da população brasileira em 2020 e projeção para o ano de 2060.

Através das pirâmides etárias acima, podemos observar que a região central da primeira está mais alargada que sua base, onde encontram-se as crianças e adolescentes. Isso nos mostra que a população brasileira está envelhecendo e que há uma menor taxa de crescimento na população mais jovem.

Essa característica se acentua quando observamos a tendência para o ano de 2060. Na pirâmide que projeta esse ano, podemos observar o topo da pirâmide está bastante espessado, demonstrando a provável maior longevidade da população brasileira.

Porque a população vive mais?

Essa mudança na população é produzida por vários motivos. Entre eles, o fato de que os recursos voltados à saúde humana estão mais avançados e tecnológicos como nunca. Com isso, a expectativa do brasileiro atualmente é em média 75 anos. Enquanto que em 1960, por exemplo, a expectativa de vida média era de 56 anos.

Como dito acima, o avanço da medicina e das demais áreas da saúde contribuem para essa evolução. Especialmente por conta dos investimentos cada vez maiores na medicina preventiva e o foco na melhora da qualidade de vida que contribuem fortemente para esse quadro.

Atividades físicas na terceira idade aumentam a qualidade de vida

Outro fator a ser levado em consideração é a quantidade de filhos que as famílias possuem em média. O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), mostrou que a taxa de fecundidade por mulher no Brasil é de 1,7 filhos, e está abaixo da média mundial, de 2,1 filhos por mulher.

Isso justifica em partes a projeção feita da pirâmide etária para 2060, mostrando que a quantidade de jovens e adultos diminuem com o passar dos anos.

Problemas do envelhecimento da população

Entretanto, apesar de ser muito positivo ter uma maior expectativa de vida, o envelhecimento da população traz diversos acarretamentos sociais. É nesse contexto também que os gastos com a saúde aumentam, pois é na terceira idade em que ocorre um maior acometimento de doenças crônicas não transmissíveis, gerando um maior gasto para a saúde pública.

Dentre as principais doenças que acometem os idosos estão uma vasta quantidade de doenças cardiovasculares, como a hipertensão, por exemplo. Além disso, diabetes, artrite e outras doenças reumatológicas aparecem com números expressivos.

Aspectos fisiológicos do envelhecimento

Com o passar da idade, a maioria das funções biológicas do organismo vão perdendo sua capacidade e funcionalidade. Isso é um processo natural do ser humano.

Tanto aspectos fisiológicos quando psíquicos sofrem interferência do envelhecimento. No sistema nervoso central, por exemplo, há a perda de massa encefálica, prejudicando aos poucos a cognição.

Além disso, a composição corporal sofre alterações bem expressivas no processo de envelhecimento. Dentre as mais substanciais, estão a perda de massa óssea e muscular. A diminuição do tecido ósseo e muscular traz inúmeras consequências para o dia a dia, podendo inclusive, trazer riscos à saúde do idoso. Esses são alguns dos motivos para a importância de uma prática de atividades físicas na terceira idade.

Os problemas da falta de atividades físicas na terceira idade

Atividades como juntar algo do chão, levantar objetos relativamente pesados, ou alcançar armários altos, podem se tornar extremamente difíceis. Muitas vezes atividades necessárias como tomar banho ou sentar e levantar do sofá, acabam sendo de grande dificuldade.

A perda de massa muscular, conceituada de sarcopenia, acarreta em problemas também posturais e de equilíbrio. Muitas vezes essa fraqueza muscular pode levar a quedas. E por falar em quedas, elas podem ser muito perigosas, e até fatais, para a terceira idade.

Outro grande problema é a osteopenia, ou seja, a diminuição da massa óssea, tornando o osso mais poroso e sujeito a fraturas. Essa condição, se não revertida, pode levar à uma osteoporose.

A osteoporose já é uma condição patológica, que torna os ossos extremamente porosos, aumentando muito o risco de fraturas. Juntando a falta de força muscular e o enfraquecimento dos ossos, as tarefas do dia-a-dia, além de difíceis, se tornam perigosas para a terceira idade.

Os benefícios de praticar atividades físicas na terceira idade

O sedentarismo, que é um comportamento muito comum para os idosos, piora ainda mais a situação. Acompanhado de condições mentais, que geralmente acompanham a velhice, como a depressão, solidão e ansiedade.

Portanto, juntando esses fatores, a prática regular de exercícios físicos entre os idosos infelizmente é baixa. Os exercícios físicos, além de prevenirem ou atenuarem as gradativas perdas de função decorrentes do envelhecimento, servem também como elemento de reversão dessas condições.

Um sujeito fisicamente ativo, com certeza, terá um envelhecimento mais saudável. O exercício físico também contribui significativamente para a manutenção da densidade óssea, atenuando os quadros de osteopenia.

Melhora no sistema cardiovascular

Um outro aspecto importante é a aptidão cardiovascular. Referente a capacidade aeróbia do indivíduo, ou seja, a sua eficiência dos sistemas cardiovascular e respiratório. Ter uma boa capacidade de captação e absorção de gases, convertendo-os em energia é essencial para a manutenção da saúde em todas as idades.

E é essa aptidão cardiovascular que previne as cardiopatias, como a hipertensão, por exemplo, que é tão presente na terceira idade.

Ter vasos sanguíneos saudáveis e eficientes é muito importante para os idosos, e o exercício contribuí para que isso aconteça. É com a prática de atividades físicas e com a contração muscular que o retorno venoso fica facilitado, contribuindo para o sistema cardiovascular.

atividades físicas na terceira idade: praticando de maneira correta

Portanto, fica visível que a prática regular de exercícios físicos é imprescindível na terceira idade. Contudo, ela precisa ser aplicada de maneira consciente por profissionais capacitados, pois alguns cuidados especiais precisam ser tomados.

As diretrizes de recomendações de atividades físicas, mostram que o mínimo necessário para a manutenção da saúde da terceira idade é acumular 150 minutos de atividades físicas moderadas durante a semana. Esses 150 minutos podem ser divididos em várias sessões, enquadrando-se na rotina individual do idoso. Outra opção é a prática de 75 minutos semanais, porém, de intensidade vigorosa.

Os exercícios de força muscular também precisam estar presentes no programa de treinamento do idoso pelo menos 2 vezes por semana. Exercícios de flexibilidade inexoravelmente precisam ser implementados. A falta de flexibilidade pode aumentar a chance de lesões e dificulta muito as tarefas do dia-a-dia.

Corpo ativo garante mais saúde

É muito importante a consciência de que um corpo ativo, possui suas funções mais preservadas.

O ideal, é se manter ativo em todas as faixas etárias, atenuando assim, os efeitos não tão desejados do envelhecimento. Porém, a introdução de um programa de treinamento apenas na terceira idade é importante.

A osteopenia e a outras doenças e dores crônicas podem ser revertidas com o exercício físico prescrito de maneira correta. A chance de desenvolvimento de doenças cardiovasculares ou metabólicas, que é aumentada com o passar da idade, diminui com a rotina de exercícios físicos.

Para complementar seu conhecimento, assista o vídeo do canal Envelhecer com Saúde falando sobre os benefícios da atividade física regular na saúde do idoso, e responda as questões sobre o tema.

Video-aula

Questões

1)(PUC GO – 2005)
“A NOVA VIDA NA TERCEIRA IDADE – Mudanças no comportamento dos idosos revelam que ser velho hoje é muito diferente do que há algumas gerações anteriores”.

(O Popular – 18/abr./2004)

( ) É sabido que com a idade, várias doenças assumem um papel importante no contexto de vida dos idosos. É de fundamental importância os exercícios das atividades física e mental na melhoria da qualidade de vida.

( ) A prática de uma dieta saudável apresenta uma pequena importância nos hábitos de vida de um idoso. A alimentação adequada deve ser rica em carboidratos e gorduras, pois representam uma importante fonte de energia para o organismo, com baixo risco para sua saúde.

( ) O abandono dos vícios como o tabagismo e álcool não elimina alguns fatores de risco para doenças cardiovasculares nem diminui a ocorrência de infartos e derrames cerebrais.

( ) O combate à hipertensão arterial, ao diabetes e ao estresse contribui de forma significativa para a longevidade saudável do idoso. São processos patológicos que, de uma forma silenciosa, ocasionam prejuízos e limitações à vida dos indivíduos.

( ) O processo de envelhecimento no idoso, é caracterizado por uma série de fatores que são consequências de alterações celulares e bioquímicas. O aparecimento de rugas, por exemplo, dá-se em razão da diminuição da síntese do colágeno por células do tecido conjuntivo, denominadas fibroblastos.

2)(UECE – 2012)
Diversos fatores concorrem para o estabelecimento de uma doença óssea que gera um enorme transtorno para pessoas idosas, por fazer com que seus ossos se quebrem com facilidade. Dentre os fatores causadores dessa doença estão a produção excessiva do paratormônio, que estimula o aumento de osteoclastos, e a deficiência de vitamina A, que desequilibra a atividade de osteoblastos e osteoclastos. Esta doença é denominada:

A) osteoporose.

B) raquitismo.

C) osteomalácia.

D) Osteopenia.

GABARITO:

1 – V F F V V V

2-A

Sobre o(a) autor(a):

O texto foi escrito pela professora Milena Boeng, bacharela em Educação Física pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e pós-graduanda em Musculação e Condicionamento Físico.

Compartilhe: