Auguste Comte e o positivismo

Augusto Comte foi o criador da disciplina Sociologia e da corrente do Positivismo. Entenda mais sobre seu pensamento e suas teorias neste resumo de Sociologia!

O Positivismo, pensamento positivista ou ciência positivista é uma doutrina sociológica, filosófica e política que surge no século XIX e é fortemente influenciada por ideais iluministas. Neste post você vai conhecer as principais características do Positivismo, conhecendo também o célebre pensador Augusto Comte, pai do positivismo e um dos precursores do pensamento sociológico. Vamos lá?

Augusto Comte
Augusto Comte
Fonte: https://bit.ly/2QbAPZP

Augusto Comte (1789-1957), nascido em Montpellier, França, foi o primeiro autor a sistematizar a Sociologia como ciência específica.

Seu pensamento se caracterizou pela tentativa de ordenação do conhecimento humano por meio de uma abordagem fundamentalmente descritiva e baseada em elementos quantitativos, contrapondo-se às explicações metafísicas e teológicas que dominavam as teorias filosóficas e sociais da época.

Comte recusava teorias baseadas em especulações e abstrações universais, pois acreditava apenas na observação dos fenômenos pela experiência sensível. A teoria positivista criada por Comte defendia que a experiência sensível seria a única a produzir dados concretos (positivos) pois ela parte da observação do mundo físico ou material. A metodologia positivista é a própria observação dos fenômenos.

O Positivismo de Augusto Comte

Ao desconsiderar completamente todo o conhecimento que não possa ser comprovado cientificamente a partir da experiência, o Positivismo tem como princípios: o real, o certo, o útil, o relativo, o preciso e o orgânico. Para os positivistas não há objetividade no conhecimento obtido pela metafísica ou pela teologia, pois estas não constroem suas teorias a partir de fenômenos observáveis cientificamente.

Augusto Comte - filosofia
Filosofia positivista
Fonte: https://bit.ly/2zvVKkH

Este apego aos fenômenos observáveis – embora hoje nos pareça um pouco radical, já que descarta toda a forma de pensamento que não se baseie em fatos empíricos – foi fundamental para o surgimento das ciências sociais.

Diferentemente da filosofia, as ciências sociais surgem como área do conhecimento capaz de pensar a sociedade em termos científicos e, portanto, práticos e objetivos. Contudo, Augusto Comte se utiliza dos princípios das ciências naturais para analisar os fenômenos sociais e isso o levou a alguns equívocos. A física social, criada por Comte, que depois se tornará a Sociologia, se constrói, neste primeiro momento, como uma ciência quantitativa, na qual os dados de pesquisa seriam capazes de construir teorias precisas sobre a sociedade. Para isso, a análise dos dados deveria ser objetiva.

O positivismo pregava “o amor por princípio, a ordem por base e o progresso por fim”. O lema da bandeira brasileira – ordem e progresso – é inspirada nos ideais positivistas. Para os positivistas o progresso da humanidade depende exclusivamente dos avanços científicos. É interessante notar que 4 dos 5 templos positivistas que existem no mundo estão em cidades brasileiras: Rio de Janeiro, Porto Alegre, São Paulo e Curitiba. Este fato demonstra como o Brasil foi influenciado pelo positivismo.

Augusto Comte - templo
Templo positivista em Porto Alegre
Fonte: https://bit.ly/2QVEYlX

De acordo com Comte, a humanidade teria passado por três estágios, sendo eles: 1) TEOLÓGICO, no qual a realidade se explica por ideias sobrenaturais.

Neste estágio a imaginação se sobrepunha à razão e as explicações sobre o mundo buscavam responder às seguintes perguntas “de onde viemos?”, “para onde vamos?”; 2) METAFÍSICO ou ABSTRATO, no qual continua-se procurando as respostas para as perguntas citadas, porém buscando respondê-las pela razão; 3) POSITIVO, considerado o último e definitivo estágio, onde já não se busca mais o porquê das coisas e sim entender como elas acontecem no mundo.

A imaginação passa a ser subordinada à observação e busca-se somente o visível e concreto.

As ideias positivistas foram desenvolvidas e aperfeiçoadas por vários autores nas décadas do século XX. Émile Durkheim, sociólogo francês, teve sua teoria baseada nos princípios positivistas, tendo sido um grande defensor do conhecimento objetivo observável. Assim como Comte, Durkheim acreditava que a sociedade poderia e deveria ser compreendida por uma análise científica, porém, diferente de seu antecessor, Durkheim aliava métodos quantitativos e qualitativos nas suas análises sociológicas.

Como você já deve ter percebido, o Positivismo foi fundamental para o surgimento da Sociologia como ciência, assim como teve forte influência na formação política da sociedade brasileira.

Veja abaixo um infográfico resumindo as principais contribuições de Comte:

Augusto Comte

Para saber mais sobre este tema, assista a esta a videoaula:

Exercícios:

1. (UNIOESTE) A filosofia da História – o primeiro tema da filosofia de Augusto Comte – foi sistematizada pelo próprio Comte na célebre “Lei dos Três Estados” e tinha o objetivo de mostrar por que o pensamento positivista deve imperar entre os homens. Sobre a “Lei do Três Estados” formulada por Comte, é correto afirmar que

a) Auguste Comte demonstra com essa lei que todas as ciências e o espírito humano desenvolvem-se na seguinte ordem em três fases distintas ao longo da história: a positiva, a teológica e a metafísica.

b) na “Lei dos Três Estados” a argumentação desempenha um papel de primeiro plano no estado teológico. O estado teológico, na sua visão, corresponde a uma etapa posterior ao estado positivo.

c) o estado positivista apresenta-se na “Lei dos Três Estados” como o momento em que a observação prevalece sobre a imaginação e a argumentação, e na busca de leis imutáveis nos fenômenos observáveis.

d) para Comte, o estado metafísico não tem contato com o estado teológico, pois somente o estado metafísico procura soluções absolutas e universais para os problemas do homem.

2. O positivismo foi uma das grandes correntes de pensamento social, destacando-se, entre seus principais teóricos, Auguste Comte e Émile Durkheim. Sobre a concepção de conhecimento científico presente no positivismo do século XIX, é correto afirmar:

a) A busca de leis universais só pode ser empreendida no interior das ciências naturais, razão pela qual o conhecimento sobre o mundo dos homens não é científico.

b) Os fatos sociais fogem à possibilidade de constituírem objeto do conhecimento científico, haja vista sua incompatibilidade com os princípios gerais de objetividade do conhecimento e a neutralidade científica.

c) Apreender a sociedade como um grande organismo, a exemplo do que fazia o materialismo histórico, é rejeitado como fonte de influência e orientação para as investigações empreendidas no âmbito das ciências sociais.

d) A ciência social tem como função organizar e racionalizar a vida coletiva, o que demanda a necessidade de entender suas regras de funcionamento e suas instituições forjadas historicamente.

e) O papel do cientista social é intervir na construção do objeto, aportando à compreensão da sociedade os valores por ele assimilados durante o processo de socialização obtido no seio familiar.

3. O positivismo é a linha de pensamento dominante no trabalho de Comte. Sobre essa corrente de pensamento, marque a alternativa correta:

a) o pensamento positivo baseia-se no bom humor e na felicidade, que devem comandar as ações do sujeito social moderno que busca entender os conflitos que se instauram no mundo pós-revolução industrial.

b) as classes sociais sempre estarão em conflito generalizado entre si, uma vez que o caráter positivo da realidade de uma sempre resultará em resultados negativos para as outras.

c) o conhecimento verdadeiro só pode ser obtido por meio da experimentação e pelo aferimento científico.

d) o mundo palpável e observável insere-se dentro do conceito de conhecimento negativo, e a jornada espiritual voltada para Deus configura-se como o conhecimento positivo.

Gabarito:

1) c

2) d

3) c