Como fazer o balanceamento das equações químicas

Vem com a gente aprender o balanceamento das equações químicas através do método das tentativas! É Química para mandar bem nas questões de Ciências da Natureza do Enem e dos vestibulares!

O balanceamento de uma equação química normalmente é objeto de muitas dúvidas e até medo por parte dos estudantes. Contudo, a partir do momento em que se entende o que é o balanceamento e o método para fazê-lo, é fácil perceber que não se trata de um bicho de sete cabeças. Nesta aula, vamos entender o que é o balanceamento das equações químicas, para que ele serve e como resolver questões com o método da tentativa.

O que é o balanceamento das equações químicas

As equações químicas estão corretas quando representam um fenômeno químico que realmente ocorre, por meio de fórmulas corretas (aspecto qualitativo) e coeficientes corretos (aspecto quantitativo). Lembrando que em uma reação química os átomos permanecem praticamente “intactos”.

Assim, podemos dizer que acertar os coeficientes ou balancear uma equação química é igualar o número total de átomos de cada elemento no 1º e no 2º membros da equação.

Publicidade

Observe a reação abaixo:

C2H6O(l) + O2(g) → CO2(g) + H2O(g)

As substâncias do lado esquerdo da seta (C2H6O e O2) são os reagentes. Enquanto isso, as substâncias do lado direito da seta CO2 e H2O são os produtos. Observe, na combustão do etanol que o número de átomos de carbono, por exemplo, não é o mesmo nos reagentes e nos produtos e essa desigualdade contraria a lei da conservação das massas.

Lei da conservação das massas

“Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma” (Lavoisier). A lei da conservação de massas indica que a soma das massas de todos os reagentes deve ser igual à soma das massas de todos os produtos (princípio de Lavoisier).

Como fazer o balanceamento de equações químicas

Existem vários métodos utilizados para realizar o balanceamento de uma equação, mas o mais utilizado é o método das tentativas, que é baseado nos seguintes princípios:

  1. Atribuir um coeficiente inicial ao elemento (ou radical) que aparece apenas uma vez em um dos membros da reação;
  2. Se mais de um elemento aparece uma única vez, prefira o elemento que possui maior número de átomos (maiores índices);
  3. Escolhido o elemento, transponha seus índices de um membro para outro, usando-os como coeficientes;
  4. Prossiga com os outros elementos (ou radicais) usando o mesmo raciocínio até o fim do balanceamento.

Exemplos

Vamos ver um exemplo para ficar mais claro! Observe a reação química a seguir:

Al + O2 → Al2O3

Veja que a reação está desequilibrada. Há um átomo de Al nos reagentes, enquanto que nos produtos o número de átomos desse elemento é 2. Algo semelhante ocorre com o O: há dois átomos antes da seta e três átomos de oxigênio após a seta.

Agora, observe que tanto o Al como o O aparecem somente uma vez nos dois membros da equação. Mas, como o O que possui índices maiores (2 e 3), vamos iniciar o balanceamento por ele:

Veja que “trocamos” os índices do oxigênio antes e depois da seta, usando-os como coeficientes. Isso pode ser realizado porque multiplicar 2×3 e 3×2 resulta no mesmo número, facilitando assim o equilíbrio desses átomos.

Agora só falta acertar o Al :

Entendeu? Que tal mais um exemplo para nunca mais esquecer?

– Seguindo o raciocínio anterior, devemos começar pelo Al, ou com o S ou com o radical  e não com o H ou o O pois aparecem várias vezes não dois membros da equação.
– No entanto, vamos começar pelo  que apresenta índices maiores 1 e 3.

– Prosseguimos com o Al:

E finalmente, o coeficiente da água pode ser acertado pela contagem dos hidrogênios e dos oxigênios:

Videoaula

Para entender ainda melhor como fazer o balanceamento das equações químicas pelo método da tentativa, assista à videoaula abaixo, com o professor Sobis, de Química!

Exercícios

Para terminar, resolva os exercícios abaixo!

.

Sobre o(a) autor(a):

Munique é formada em química pela UFSC, tem mestrado e doutorado em Engenharia Química, também pela UFSC.

Compartilhe: