Crise hídrica no Brasil e no Mundo

A quantidade de água doce disponível no mundo é mínima quando comparada aos oceanos. Será que os problemas hídricos estão relacionados somente ao desperdício de água? Vamos revisar mais este tema para a prova do Enem!

A falta de água doce no mundo é algo que vem cada vez mais se tornando uma grande preocupação. Países como a China, onde a agricultura e os processos industriais são intensos, a água doce já se tornou algo escasso. Tanto que o país realiza importações de determinados produtos para economizar a água utilizada na produção do mesmo. Mas nem todo problema está ligado ao desperdício. Acompanhe essa aula para entender melhor a crise hídrica.

crise hídrica em são paulo
Figura 1: Sistema Cantareira em 2015. Represa de Atibainha em Nazaré Paulista (SP). Foto: Nacho Doce/Reuters. Fonte: G1.

Nos dias de hoje é muito comum ouvir que a água está acabando por conta do consumo exagerado de nós, seres humanos. Porém, não é realmente assim como pensamos. A água não está de fato acabando. Porém, uma série de fatores envolvem a problemática da água e a crise hídrica.

Aproximadamente 97% da água existente no mundo está concentrada nos mares e oceanos. Porém esta água possui a presença do sal, o que não torna ela própria para o consumo e para as atividades humanas. Existem hoje tecnologias que permitem a dessalinização da água do mar para torná-la potável. Porém, o processo de destilação da água para separá-la do sal é caro e usa muita energia.

Já a água doce, a qual utilizamos no nosso dia a dia, compõe apenas cerca de 3% da água disponível no planeta Terra. Sendo que desse total, somente 0,4% encontrada bastante acessível na superfície, em rios ou lagos. O restante encontra-se em geleiras ou nos aquíferos.

Água doce no Brasil

A água doce utilizada no Brasil, geralmente é captada por represas de armazenamento, responsáveis pelo abastecimento das grandes empresas estatais de distribuição da água.

Nos últimos anos destacaram-se casos de escassez de armazenamento detectados no Sistema Cantareira, composto por seis represas e responsável pelo abastecimento de 55% da população residente da grande São Paulo. A falta de água atingiu também algumas cidades de outros estados da região sudeste, mas a justificativa não foi o consumo inconsciente.

Entre os anos de 2013 e 2014 houve uma grande estiagem na região sudeste que foi responsável pelo esvaziamento das represas. Apesar de as represas possuírem grande potencial de armazenamento, a estiagem em conjunto com a grande demanda foram os causadores da falta de água na região.

A falta de água e a crise hídrica

A situação da água tanto no Brasil como no mundo encontra-se em situação delicada. Mas, não especialmente pelo consumo doméstico inapropriado.

As grandes cidades (como São Paulo) estão se tornando cada vez maiores devido ao seu aumento populacional. Como o aumento populacional exige uma maior demanda de distribuição de água, este tem sido um problema grave. Pois como a população aumenta e o número de represas continua o mesmo, o abastecimento torna-se debilitado e sofre as consequências.

Outro problema regional presente no Brasil são as secas do Nordeste. Como já sabemos, toda a parte mais interior da região nordeste é tomada pelo clima semiárido, onde os períodos de seca são mais longos que os períodos de chuva, havendo casos onde a chuva praticamente não aparece.

Nesta região, o armazenamento pela água da chuva é mínimo, o que torna a disponibilidade de água bastante escassa. No ano de 2005 o governo brasileiro botou em prática o projeto da transposição do rio São Francisco, visando transportar a água do maior rio brasileiro para a região.

A transposição do rio São Francisco causou grandes mudanças em algumas cidades do semiárido brasileiro, porém, como a obra ainda não foi concluída, não consegue alcançar a demanda de todas as cidades que sofrem com a seca.

protesto crise hídrica no iraque
Figura 2: Protesto em 2018, contra a má distribuição e escassez de água no sul do Iraque (Basra). Fonte: https://oglobo.globo.com/

Além do Brasil, muitos outros países do globo vêm sofrendo com ao mal planejamento da distribuição e armazenamento da água. No Oriente Médio, por exemplo, o controle da Turquia sobre as nascentes do rio Tigre e do rio Eufrates vem prejudicando o acesso da população à água. Isso acontece devido a uma série de projetos de obras hidrelétricas nas nascentes dos rios.

Mas afinal, o desperdício e má utilização da água existe? A resposta é: com certeza sim! Os maiores causadores do desperdício e má utilização da água são a agricultura e as indústrias.

A agricultura é um gerador econômico que consome quantidades absurdas de água no mundo inteiro. Segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), no Brasil, ano de 2017, somente a agricultura irrigada utilizou mais de 1 milhão de litros de água por segundo. Os problemas de escassez na China também são provenientes em maior parte da agricultura e dos processos industriais.

Estes dois ramos da economia, além de promoverem um consumo elevadíssimo de água, utilizam de produtos químicos poluentes e não se responsabilizam pelo tratamento da água utilizada. Como exemplo de grande poluente da água, temos os agrotóxicos utilizados na agricultura.

Para revisar o conteúdo de Crise Hídrica e aprender mais sobre este tema importantíssimo para o Enem, recomendamos a videoaula a seguir e a resolução dos exercícios que selecionei para você. Até a próxima!

Questões sobre a crise hídrica

Questão 01 – (UFAM/2015)

A respeito da crise da água no mundo, são feitas as seguintes afirmações:

I. A irrigação é o insumo que apresenta maiores taxas de desperdício de água.

II. A demanda por água procede basicamente de quatro atividades: a agricultura, a produção de energia, os usos industriais e o reflorestamento.

III.   De acordo com a ONU, a agricultura e a criação de animais são atividades que mais consomem água, representando 70% de toda água usada no planeta.

IV. Nos países desenvolvidos, o principal uso da água é doméstico.

Assinale a alternativa correta:

a) Somente as afirmativas I e II estão corretas

b) Somente as afirmativas I e III estão corretas

c) Somente as afirmativas I, II e IV estão corretas

d) Somente as afirmativas II e III estão corretas

e) Somente as afirmativas II, III e IV estão corretas

Gab: B

Questão 02 – (IFGO/2016)

A água é indispensável à vida humana. Como recurso presente na natureza, ela é objeto dos mais variados tipos de uso pela sociedade, segundo o setor de atividade econômica e social, conforme ilustra a figura abaixo.

exercício crise da água
Disponível em:< http://sitebarra.com.br/2015/02/a-culpa-nao-e dobanho-conheca-dos-donos-da-agua-no-brasil.html>. Acesso em: 11 nov. 2015.

Analise as manchetes do jornal Folha de São Paulo sobre a crise hídrica no estado de São Paulo.

     “Você sabe economizar água?” (Folha de São Paulo, 30/10/2015).

     “Aposta para evitar rodízio de água em SP agora precisa de nova obra” (Folha de São Paulo, 27/10/2015).

     “População da Grande SP aumenta consumo de água em plena crise” (Folha de São Paulo, 11/09/2015).

Assinale a alternativa que revela a contradição existente entre as informações presentes na figura e nas manchetes do jornal Folha de São Paulo.

a) Há um grande desperdício de água nas atividades econômicas industriais e no agronegócio, o que ocasiona escassez de água.

b) Embora o agronegócio consuma muita água, sua atividade é fundamental, pois produz todo alimento da mesa do brasileiro.

c) O consumo residencial é desprezível em relação ao industrial e ao agronegócio.

d) A atividade industrial não prejudica o consumo residencial de água, pois é uma atividade econômica fundamental.

e) Há incompatibilidade entre atividade econômica e consumo residencial.

Gab: C

Questão 03 – (UFU MG/2018)

Desmatamento agravou crise da água em SP

Depois de atingir o menor nível de água já registrado, a população vai em busca das últimas gotas. Especialistas defendem que o desmatamento nas bacias hidrográficas e as ocupações irregulares contribuem para diminuir a quantidade e a qualidade das águas tanto superficiais quanto subterrâneas, tendendo a aumentar as enchentes e os alagamentos nas cidades. Além disso, é sabido que a crise no abastecimento de água não se deve apenas ao calor e ao baixo índice de chuvas.

Disponível em: <http://www.dw.com/pt-br/desmatamento-agravou-crise-da-%C3%A1gua-em-sp/a-17637584>. Acesso em: 28 de mar, 2017. (Adaptado)

 

a) Explique a relação existente entre o desmatamento e a diminuição da quantidade e da qualidade das águas.

b) Como a ocupação irregular do espaço geográfico para a construção de moradias contribui para a ocorrência de enchentes e de alagamentos no meio urbano?

Gab:

a) A vegetação atua como regulador do ciclo hidrológico. Ao mesmo tempo em que facilita a percolação da água no solo, ela diminui o escoamento superficial, impedindo que produtos da erosão, juntamente com poluentes, atinjam os canais de drenagem. Com o desmatamento, essa proteção é perdida, os canais de drenagem passam a ficar assoreados, poluídos e, até mesmo, contaminados. O volume de água nos rios também tende a diminuir na estação seca, pois o volume de água, que deveria ter infiltrado no solo para formar as nascentes, é drasticamente reduzido devido ao aumento do escoamento superficial na estação chuvosa.

b) A ocupação irregular ou desordenada do espaço geográfico urbano, além do desmatamento, promove um processo de impermeabilização do solo. Com a pavimentação das ruas e a cimentação de quintais e de calçadas, a maior parte da água, que deveria infiltrar no solo, escorre na superfície, provocando o aumento das enxurradas e a elevação dos rios. Nessas áreas, também é comum encontrar um sistema de drenagem pluvial deficiente e lixo acomodado em local inadequado que entope os canais de drenagem, contribuindo ainda mais para as enchentes e para os alagamentos no meio urbano.

Sobre o(a) autor(a):

Este texto foi elaborado pelo geógrafo e professor de Geografia Marcelo de Araújo para o Curso Enem Gratuito. Marcelo é formado em Geografia (licenciatura) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atualmente trabalha como autônomo. https://www.facebook.com/mdearaujo22