Oriente Médio: localização, características e história

O Oriente Médio é uma região da Ásia que se estende do leste do Mediterrâneo até ao golfo Pérsico. Apesar de abrigar uma maioria árabe, possui grande diversidade cultural. Veja mais!

Permeado por diversos preconceitos no Ocidente, o Oriente Médio está longe de se resumir a guerra por recursos e religião. Saiba mais desta região que foi o berço das primeiras grandes civilizações nesta aula do Curso Enem Gratuito.

Região do Oriente Médio

Muitas vezes, ao imaginarmos a grande região do que se denomina Oriente Médio, vem à nossa cabeça paisagens desérticas, conflitos armados e religião muçulmana. É certo que todos estes elementos fazem parte da vida naquela região do globo. Mas de forma alguma podem definir a vida e a história daquela região.

A nossa visão sobre o Oriente Médio é construída por meio do Orientalismo, termo que o intelectual Edward Said atribuiu às “lentes” com que os ocidentais olham o Oriente, sua cultura, história e habitantes. O próprio termo “Oriente Médio” é uma denominação eurocêntrica, apontando um lugar entre o Oriente próximo e o Extremo Oriente, sempre tomando como referência a localização da Europa.

Publicidade

O fato é que tal região possui uma história que remonta à pré-história e à antiguidade, tendo sido o berço das primeiras grandes civilizações do mundo.

Países do Oriente MédioOs países que fazem parte do Oriente Médio são Israel, Líbano, Palestina, Jordânia, Síria, Turquia, Iraque, Barein, Kuwait, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Omã, Iêmen, Catar, Chipre e Irã. Fonte: https://bit.ly/2SGfnmb

Oriente Médio e Árabes

Atualmente, diversos países fazem parte do Oriente Médio. Alguns deles, apesar de serem Estados Muçulmanos, não são todos árabes. Ser árabe trata-se de uma etnia, uma questão de pertencimento e identidade que congrega fatores não só religiosos, mas políticos, históricos, culturais, linguísticos e fenotípicos.

Israel, Irã, Turquia e Chipre, por exemplo, são países não árabes que ficam no Oriente Médio. No caso, Israel não é nem árabe e nem um Estado muçulmano, mas sim judeu.

No mapa em seguida você encontra diferentes compreensões territoriais do Oriente Médio. Elas estão divididas da seguinte maneira:

  • Definição tradicional de Oriente Médio: Egito, Turquia, Líbano, Síria, Israel, Jordânia, Iraque, Arábia Saudita, Omã, Iêmen, Irã, Emirados Árabes, Kuwait, Catar, Chipre, Bahrein e Palestina.
  • Definição do G8 do Grande Oriente Médio: países do Oriente Médio com adição do Marrocos, Saara Ocidental, Mauritânia, Argélia, Tunísia, Líbia, Sudão, Somália, Etiópia, Afeganistão e Paquistão
  • Ásia Central (algumas vezes associada ao Grande Oriente Médio): Cazaquistão, Uzbequistão, Quirguistão, Turcomenistão, Tajiquistão, Azerbaijão, Armênia e Geórgia.

Mapa do Oriente MédioMapa do Oriente Médio. Fonte: https://cutt.ly/OfDA1W0

Primeiras civilizações

A região da Mesopotâmia, que corresponde principalmente ao território do atual Iraque, é o berço das primeiras grandes civilizações. Por lá passaram sumérios, babilônios, assírios e caldeus (segundo império babilônico).

Oriundos também da Mesopotâmia, mas vinculados principalmente a região do atual Estado de Israel, estavam os hebreus. Essa população, que teve Abraão como fundador de acordo com sua tradição religiosa, era fiel à primeira grande religião monoteísta do mundo, que hoje chamamos de judaísmo.

Outra grande civilização da região foram os antigos egípcios que reinaram desde 3.200 a.C. até o domínio romano em 39 a.C. Tudo isso ocorreu muito antes do surgimento do Islã, que só apareceu na Península Arábica no século VII com Maomé, ou seja, na Idade Média.

Um fator muito importante para o surgimento dessas primeiras sociedades complexas e letradas foi a localização próxima a grandes rios. Tal fator permitiu que essas complexas estruturas sociais se organizassem em torno de uma produção que dependia da água.

Os rios forneciam água e terra fértil para criações, eram um meio de deslocamento e proporcionavam matérias-primas para a construção e a fabricação de objetos. Além disso, estavam profundamente atrelados à aspectos religiosos.

Riqueza, pobreza e conflitos

Outro elemento comumente ligado ao Oriente Médio é o petróleo. Desde a Segunda Revolução Industrial, o combustível virou sinônimo de riqueza, pois passou a ser aplicado tanto em indústrias como no transporte.

O petróleo é uma riqueza mineral oriunda de matéria orgânica acumulada por milhões de anos, e justamente alguns pontos do Oriente Médio têm acesso a reservas naturais do combustível. Por isso, juntamente com a Venezuela, vários países da região fundaram em 1960 a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

Dessa forma, o petróleo não só mudou a condição social de grupos privilegiados no Oriente Médio como também mudou a própria paisagem da região. Cidades inteiras, como é o caso de Dubai, surgiram do dinheiro provido pela exportação de Petróleo.

Contudo, a maior parte da população dos países ricos em petróleo é pobre. Isso porque as riquezas naturais são controladas e exploradas por grupos restritos, como as poderosas famílias da Arábia Saudita.

Junto com o petróleo, a religião, a escassez de água, o tráfego por canais e rios, terrorismo, governos autoritários e fronteiras são outros motivos centrais no que diz respeito aos conflitos no Oriente Médio.

Um dos conflitos mais importantes que ocorre hoje em dia é o da luta dos curdos, que reivindicam a criação do Curdistão. Este povo, composto por cerca de 30 milhões de indivíduos, possui uma identidade própria, mas assim como os judeus até o fim da Segunda Guerra Mundial, não possuem seu próprio Estado.

Videoaula sobre Oriente Médio

Por fim, revise esta aula com este vídeo bem completo do canal Nerdologia sobre o Oriente Médio, apresentado pelo historiador e professor de história Filipe Figueiredo:

Questões sobre o Oriente Médio

Para finalizar seus estudos, confira questões que já caíram em vestibulares com o tema desta aula e teste seus conhecimentos.

1 – (UERJ/2020)

Charge Oriente MédioAdaptado de billingsgazette.com, 05/01/2016.

Entre 2014 e 2017, derrotar o Estado Islâmico (ISIS) foi uma das prioridades da política externa dos Estados Unidos. Ao final de 2017, o ISIS foi considerado militarmente derrotado, perdendo o controle de praticamente todos os territórios que havia conquistado na Síria e no Iraque.

A charge aponta a existência de uma incoerência entre os seguintes aspectos da política externa estadunidense no Oriente Médio:

a) alinhamento étnico e liberdade religiosa

b) fundamento ideológico e interesse econômico

c) conservadorismo social e protagonismo ambiental

d) multilateralismo diplomático e unilateralismo bélico

2 – (UCB DF/2019)

Desde o final de 2010, países do norte da África e do Oriente Médio enfrentaram fortes protestos contra o autoritarismo, a corrupção governamental, a violência policial. O conjunto de mobilizações recebeu o nome de Primavera Árabe.

MACHADO, I. J.; AMORIM, H.; BARROS, C. R. Sociologia hoje: ensino médio. 2. ed. São Paulo: Ática, 2016.

A respeito da Primavera Árabe e das respectivas consequências, tanto regionais quanto globais, assinale a alternativa correta.

a) No Egito, no Iêmen e no Líbano, os governos ditatoriais permanecem.

b) As primeiras mobilizações da Primavera Árabe tiveram início na Síria, no ano de 2010.

c) Israel consistiu no primeiro estado onde o governo foi derrubado pelas manifestações da Primavera Árabe.

d) A Rússia, durante os conflitos ocorridos pela Primavera Árabe, protegeu os governos ditatoriais da Líbia e do Iraque, até hoje no poder.

e) Insurgentes da Síria e do Iraque, no contexto da Primavera Árabe, aproveitaram a situação de conflitos e passaram a reivindicar territórios para formar o novo Estado fundamentalista islâmico.

3 – (UCB DF/2018)

O Oriente Médio é formado por 15 países e pela pequena porção asiática do Egito. A expansão do islamismo propiciou que a religião se tornasse o elemento mais importante na definição dos valores e das normas sociais. Predominou também na legislação dos estados e na definição das relações, amistosas ou hostis, entre países ou entre grupos de um mesmo país. BALDRAIA, André; SAMPAIO, Fernando  dos Santos; SUCENA, Ivone Silveira. Ser protagonista: geografia, 3o ano: ensino médio. Organizadora Edições SM: obra coletiva. 3a. ed. São Paulo: Edições SM, 2016.

Em relação aos conflitos políticos, étnicos e culturais entre os povos do Oriente Médio, assinale a alternativa correta.

a) Bashar al-Assad, ditador sírio, recebe apoio das potências ocidentais, sobretudo dos Estados Unidos, na luta contra o Estado Islâmico.

b) O Estado de Israel, nas últimas décadas, transformou-se no ponto de convergência dos interesses muçulmanos para a expansão e o fortalecimento do islamismo.

c) O Afeganistão é um dos países mais ricos do Oriente Médio e é acusado de patrocinar grupos jihadistas ligados ao Estado de Israel.

d) A união entre xiitas e sunitas após a Primavera Árabe, em 2010, pacificou o mundo islâmico, pondo fim às disputas por território no Oriente Médio.

e) Os curdos somam mais de 30 milhões de pessoas, constituindo uma nação sem estado. Eles ocupam um vasto território, que engloba áreas da Turquia, da Síria, do Iraque e do Irã.

Gabarito:

  1. B
  2. E
  3. E

Sobre o(a) autor(a):

Os textos acima foram preparados pelo professor Angelo Antônio de Aguiar. Angelo é graduado em história pela Universidade Federal de Santa Catarina, mestrando em ensino de história na mesma instituição e dá aulas de história na Grande Florianópolis desde 2016.

Compartilhe: