Dígrafo, encontros consonantais e encontros vocálicos

Revise o que são dígrafos, encontros consonantais e encontros vocálicos para garantir uma boa nota no Enem e nos vestibulares!

Dentro da grande área gramatical de Fonologia encontram-se o dígrafo, os encontros consonantais e os encontros vocálicos. Nesta aula vamos trabalhar cada um desses fenômenos da língua portuguesa para você mandar bem no Enem e nos vestibulares.

O que são dígrafos

Os dígrafos são grupos de letras representantes de um único fonema (único som). Veja abaixo alguns exemplos de dígrafos:

  • chchave, chuva, chuvisco
  • lh- ilha, calha
  • nh- banho, ganha
  • ss– passado, nosso
  • sc– nascer, descer, crescer
  • – naa, crea
  • xc– exceto, excêntrico
  • rr– morrer, birra
  • gugueixa, guincho
  • ququiabo, aquilo

As vogais nasais também são consideradas dígrafos. Por exemplo:

Publicidade
  • am– campo
  • anantigamente
  • ememprego
  • en- entrada
  • imimposto
  • in– tinta
  • omombro
  • on– onda
  • um– bumbo
  • un- mundano

Atenção: Os grupos am, em, en que se encontram no final do vocábulo não são dígrafos, mas sim ditongos nasais.

Por exemplo: amam, cantem, hífen.

O que é encontro consonantal

É a sequência de duas ou mais consoantes sem vogal intermediária num mesmo vocábulo.

Ex: pra-to; rapto, obs-tá-cu-lo 

O que é encontro vocálico

É sequência de fonemas vocálicos na mesma sílaba ou em sílabas separadas. Há três tipos de encontros vocálicos: ditongo, tritongo e hiato.

Ditongo

Um ditongo é a sequência de semivogal e vogal, ou vice-versa, na mesma sílaba. Podemos ter:

a) Ditongo crescente: quando a semivogal se posiciona antes da vogal em uma sílaba.

Exemplos: cá-rie, gló-ria, em-pó-rio

b) Ditongo decrescente: um ditongo decrescente ocorre quando a semivogal se posiciona depois da vogal.

Exemplos: man-tei-ga, pau-lis-ta

c) Oral: temos um ditongo oral quando ao falarmos a corrente de ar escapa apenas pela cavidade bucal.

Fale os exemplos a seguir em voz alta para ver como funciona: cai, lé-gua, ou-tro

d) Nasal: temos um ditongo nasal quando ao falarmos a palavra, a corrente de ar passa pela cavidade bucal e fossas nasais.

Novamente, fale os exemplos a seguir para perceber a passagem do ar: cãi-bra, cho-rão, com-põe.

Tritongo

É a sequência de semivogal, vogal e outra semivogal na mesma sílaba. Pode ser oral ou nasal. Veja os exemplos:

  • Tritongos orais: a-ve-ri-guai, en-xa-guei.
  • Tritongos nasal: sa-guões.

Hiato

Um hiato corresponde à sequência de duas vogais, cada uma delas pertencente a uma sílaba diferente.

Veja os exemplos: sa-í-da, sa-ú-va, mo-e-da

Sílaba

Uma sílaba constitui-se como um conjunto de fonemas emitidos num só impulso expiratório. É importante que você sempre lembre de que o centro da sílaba, na língua portuguesa, é sempre uma vogal.

A classificação das palavras em relação às sílabas se dá a partir do número da separação delas. Podem ser:

a) monossílabo- (uma sílaba). Ex: pé, ré, má, Deus;

b) dissílabo- (duas sílabas). Ex: ca-sa, lou-sa, li-vre;

c) trissílabo- (três sílabas). Ex: pa-ren-te, al-mo-ço;

c) polissílabo- (mais de três sílabas). Ex: re-for-mu-lar, ves-ti-bu-lar.

Separação silábica

A separação silábica deve ser realizada pela soletração.

  • Quando há consoante interna, não seguida de vogal, ela permanece na sílaba anterior.

Exemplo: rep-til, a-dep-to.

  • Separam-se os dígrafos rr, ss, sc, sç e xc.

Exemplo: car-ro, pas-so, flo-res-cer…

  • Separam-se as vogais dos hiatos.

Exemplo: sa-ú-va, ca-o-lho, xi-i-ta.

Lembre-se: sempre que houver dúvida na separação silábica, consulte um dicionário. Nos dicionários sempre há a separação silábica correta de cada palavras.

Acento tônico

O acento tônico corresponde à maior intensidade sonora existente numa sílaba. Em uma palavra, classificaremos as sílabas quanto à sua tonicidade da seguinte maneira:

  • Átonas: são as sílabas que não recebem acento tônico.
  • Pretônicas: sílabas que estão antes da sílaba com acento tônico.
  • Postônicas: sílabas que estão depois da sílaba tônica.

Para entender melhor, veja o exemplo a seguir:

cha – vei – ro

Classificação das sílabas da palavra acima: (cha) átona pretônica – (vei) sílaba tônica – (ro) átona postônica.

Classificação dos vocábulos quanto a tonicidade

Quando trabalhamos a fonologia de uma palavra, podemos também classificar os vocábulos quanto à sua tonicidade. Veja:

  • Monossílabos tônicos: São aqueles que se acentua a sílaba com maior intensidade sonora. Por exemplo: má, chá, fé
  • Monossílabos átonos: São os monossílabos que não recebem acento. Por exemplo: mas, na, nem
  • Oxítonos: são os vocábulos cuja a última sílaba é a tônica. Por exemplo: ci-, sa-ci, tá-tu
  • Paroxítonos: são os vocábulos cuja penúltima sílaba é a tônica. Por exemplo: ca-ne-ca, pe-nei-ra
  • Proparoxítonos: são os vocábulos cuja antepenúltima sílaba é a tônica. Por exemplo: ân-gu-lo, -si-ca.

Videoaula sobre dígrafo

Aprofunde seus conhecimentos sobre dígrafos com a videoaula da professora Mercedes:

Exercícios sobre dígrafo e encontros consonantais e vocálicos

1 – (UFRR/2007/1ª Fase)

NÓS, OS PALHAÇOS

O carioca, outrora alegre e gentil, virou grosseiro e irritadiço. Sai de casa pela manhã, como quem vai para uma briga; mantém para o colega de bonde, ônibus ou lotação, uma atitude de “mentalidade antipática”, e, para com o motorista ou cobrador, de beligerância em potencial. Não cede lugar a nenhuma senhora, e defende a tese de que todas as senhoras e senhoritas vão à cidade para apenas comprar um carretel; e, quando cede lugar a uma dama bonita, acha que adquiriu, com isso, direito de ser louco e imediatamente amado pela mesma.

O chofer considera todo colega um “barbeiro” e todo o pedestre um débil mental com propensão ao suicídio. O garçom irrita-se porque o freguês tem a veleidade de lhe pedir alguma coisa, e cada freguês acredita ter o privilégio natural de ser servido em primeiro lugar. Em resumo: o próximo a quem outrora chamávamos de cavalheiro, é hoje um “palhaço”.

Ainda ontem eu vinha para casa de táxi e esse quase se chocou com um carro particular. Quase ao mesmo tempo vieram os dois gritos:

– PALHAÇO!

– PALHAÇO!

Confesso que eu mesmo, que não entrei na conversa, me senti um pouco palhaço. Ou pelo menos, um membro do circo, esse vasto circo de neurastênicos.

RUBEM BRAGA, Português Textos e Testes, Édison de Oliveira e Paulo Simões, Editora do Professor, Porto Alegre, pp. 84-85.

Com referência aos vários aspectos fonéticos, julgue os itens abaixo.

Marque “C” para as corretas e “E” para as erradas.

(   )  Considerando-se os vocábulos “grosseiro” e “irritadiço” (linhas 1 e 2) pode-se afirmar que há, em ambos, dígrafo e encontro consonantal.

(   ) Na palavra “táxi”, verifica-se a ocorrência do fenômeno fonético chamado “dífono”, uma vez que o “x” representa dois fonemas.

(   ) O segmento “Sai de casa pela manhã, como quem vai para uma briga” (linha 3) contém 3 ditongos e 1 encontro consonantal.

(   ) Na expressão “beligerância em potencial” (linhas 6 e 7), o número de letras corresponde ao de fonemas.

(   ) O vocábulo “suicídio” (linha 15) apresenta dois encontros vocálicos, sendo ditongo decrescente (o primeiro) e crescente ou hiato (o segundo).

a) CEEEE

b) ECCEC

c) EECEC

d) CCCEC

e) ECCCE

2 – (UFAL/2014)

Pesquisa no Canadá mostra que leitores fluentes têm dificuldade de compreensão elementar

Revista Língua Portuguesa. Ano 7. Nº 78. Abril de 2012.

Considerando os vocábulos sublinhados no período, assinale a alternativa em que a análise dos aspectos fonológicos está incorreta.

a) Na palavra “compreensão”, há dois dígrafos e um encontro consonantal.

b) Na palavra “compreensão”, há um dígrafo e um encontro consonantal.

c) Na palavra “fluentes”, há um encontro consonantal e um dígrafo.

d) Na palavra “pesquisa”, há um dígrafo.

e) Na palavra “elementar”, há um dígrafo vocálico.

3 – (UNICAMP SP/2019)

Há dois tipos de palavras: as proparoxítonas e o resto. As proparoxítonas são o ápice da cadeia alimentar do léxico.

As palavras mais pernósticas são sempre proparoxítonas. Para pronunciá-las, há que ter ânimo, falar com ímpeto – e, despóticas, ainda exigem acento na sílaba tônica! Sob qualquer ângulo, a proparoxítona tem mais crédito. É inequívoca a diferença entre o arruaceiro e o vândalo. Uma coisa é estar na ponta – outra, no vértice. Ser artesão não é nada, perto de ser artífice.

Legal ser eleito Papa, mas bom mesmo é ser Pontífice.

(Adaptado de Eduardo Affonso, “Há dois tipos de palavras: as proparoxítonas e o resto”. Disponível em www.facebook.com/eduardo22affonso/.)

Segundo o texto, as proparoxítonas são palavras que

a) garantem sua pronúncia graças à exigência de uma sílaba tônica.

b) conferem nobreza ao léxico da língua graças à facilidade de sua pronúncia.

c) revelam mais prestígio em função de seu pouco uso e de sua dupla acentuação.

d) exibem sempre sua prepotência, além de imporem a obrigatoriedade da acentuação.

Gabarito:

  1. B
  2. B
  3. D

Simulado

.

Sobre o(a) autor(a):

Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Andressa da Costa Farias para o Blog do Enem. Andressa é formada em Letras Português e Literatura Brasileira pela Universidade Federal de Santa Maria. E atualmente cursa Doutorado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Colabora eventualmente escrevendo crônicas para o jornal Diário de Santa Maria (RS) das quais posta no blog pessoal: www.andressacf.blogspot.com Facebook: https://www.facebook.com/andressa.dacostafarias

Compartilhe: