Efeito estufa

Você sabe o que é o efeito estufa? Alguns cientistas afirmam que ele está relacionado ao aquecimento da Terra, mas será que é verdade? Vamos revisar mais este conteúdo para o Enem!

Ao contrário do que muitos pensam, o efeito estufa não é prejudicial para o nosso planeta. Muito pelo contrário, ele é um fenômeno fundamental para a manutenção da vida na Terra. Sem o efeito estufa, a temperatura da Terra diminuiria, dificultando o desenvolvimento das espécies existentes.

O efeito estufa é responsável por manter a temperatura da Terra no nível considerado “normal”, mas afinal como isso acontece? Bem, existem alguns gases na atmosfera terrestre que são responsáveis em absorver parte da radiação solar, impedindo que toda ela retorne ao espaço.

A radiação solar, ao atingir o planeta Terra, é absorvida em parte pela superfície terrestre e pelos corpos d’água. Ao atingir a superfície terrestre, a radiação não absorvida é refletida de volta ao espaço. No caminho de volta, os gases chamados de gases de efeito estufa são responsáveis por manter no planeta parte do calor irradiado pelo Sol. Dessa maneira, mantém a temperatura da Terra de certa forma estável.

Esse fenômeno leva o nome de efeito estufa justamente por possuir efeito semelhante ao de uma estufa. Os raios solares, ao aquecerem uma estufa com plantas, auxiliam o processo de desenvolvimento destas. Porém, se considerarmos o processo ao ar livre, o calor tende a se dissipar de forma mais rápida. Deste modo, a estrutura de uma estufa permite que o calor fique armazenado por maior tempo.

esquema do efeito estufa
Figura 2: Esquema ilustrando a dinâmica do efeito estufa. Fonte: https://rogeriocerqueiraleite.com.br

 

Os gases de efeito estufa presentes na atmosfera terrestre são os seguintes: Gás metano, dióxido de carbono, óxido nitroso e os gases fluoretados. Apesar de grande parte da emissão desses gases acontecer por meio de atividades antrópicas, sua emissão acontece de outras formas naturais também.

O tema efeito estufa é um tema bastante polêmico nos dias de hoje, tendo em vista que este é associado a questão do aquecimento global. Grande parte das pesquisas disponibilizadas nos meios de comunicação apontam que o efeito estufa vem sendo intensificado pelo homem.

Este apontamento acontece devido à intensificação da emissão de gases de efeito estufa pela ação antrópica. Como por exemplo, as atividades industriais, agropecuárias e até mesmo pela existência de aterros sanitários e lixões.

Parte da comunidade científica acredita que o aumento destes gases na atmosfera terrestre pode causar um desequilíbrio no efeito estufa, fazendo com que a temperatura da Terra se eleve de acordo com o nível da possível degradação da atmosfera, causada pela ação humana.

Porém, alguns cientistas alegam que tudo isso não passa de suposições científicas. Eles justificam que muitos estudos não conseguem comprovar que de fato o efeito estufa está passando por alterações.

Alguns estudos mais atuais, inclusive, levantam a hipótese de que a alteração da porcentagem dos gases de efeito estufa presentes na atmosfera pela ação humana não acontece. Estes estudos levam em consideração a dimensão da atmosfera terrestre em comparação com a quantidade de gases emitidos por atividades antrópicas, que no caso, seria mínima.

Além disso, na atualidade, alguns grupos contrários à teoria do aquecimento global acredita que as teorias acerca do aquecimento da Terra são fomentadas para que produtos considerados “ecologicamente corretos” tenham um maior valor de mercado.

Como exemplo, temos a substituição do CFC (Clorofluorcarboneto), gás componente de geladeiras antigas, aerossóis, ar condicionados, entre outros, pelos gases HCFC (Hidroclorofluorcarbonos), HFC (Hidrofluorcarbonos) e PFC (Perfluorcarbonos). Estes novos gases de substituição possuem um valor de compra mais alto, servindo como justificativa para o aumento do valor comercial do produto final.

Mera coincidência (ou não), nos últimos anos, foi descoberto que estes gases utilizados para substituir o CFC são também “prejudiciais” para o funcionamento natural do efeito estufa, permitindo que as indústrias substituam novamente estes gases por outros de maior valor e considerados “sustentáveis”.

Segundo os gráficos e estatísticas do IPCC (Intergovernamental Panel on Climate Chante), entidade responsável por analisar as mudanças climáticas do planeta, a Terra não está nem aquecendo e nem resfriando. O planeta Terra encontra-se em um período estável em relação ao seu clima e alguns cientistas consideram que a base de dados climáticos armazenados até a atualidade não é suficiente para apontar um possível aquecimento do planeta.

Deste modo, vale ressaltar que o efeito estufa é um processo natural do planeta Terra, importantíssimo para a vida no planeta. Não esqueça também de que, enquanto alguns cientistas afirmam que as mudanças climáticas estão ocorrendo, outros afirmam que não e que dificilmente as atividades antrópicas serão capazes de alterar sua dinâmica, já que a dimensão da atmosfera terrestre é quase que incomparável a dimensão das atividades do homem.

E você, acha que o funcionamento do efeito estufa corre riscos? Para aprender mais, indicamos a videoaula a seguir e a resolução dos exercícios!

Questões

Questão 01 – (UFPel RS/2016)    

charge sobre efeito estufa

O clima de uma região é definido por fenômenos meteorológicos cuja periodicidade é marcada considerando um período de tempo de 30 anos ou mais.

Assinale a alternativa que aponta a característica do clima, própria do outono no Rio Grande do Sul, destacada na charge.

a) O aumento das temperaturas ocorre pelo aquecimento global.

b) A inversão térmica é causada pela intensa evaporação nesta estação do ano.

c) A estação se caracteriza por uma maior amplitude térmica diária (diferença entre a temperatura máxima e mínima durante o dia).

d) A variabilidade da temperatura média pelo efeito La Niña sempre ocorre nesta estação.

e) A maior amplitude térmica diária é causada pelo efeito estufa global.

f) I.R.

Gab: C

Questão 02 – (UEA AM/2015)    

A temperatura média global da Terra é hoje de +15º C, mas a temperatura efetiva de radiação é hoje de –18º C. A temperatura baixa de Marte é explicada pela ausência quase total de vapor de água e CO2 em sua tênue atmosfera. A temperatura altíssima da superfície de Vênus deve-se, principalmente, à quantidade elevada de CO2 que não deixa escapar a maior parte do calor para o espaço.

(Fillipe T. P. Torres e Pedro J. de O. Machado. Introdução
à climatologia
, 2011. Adaptado.)

O fenômeno que explica as temperaturas encontradas na Terra, em Marte e em Vênus é

a) o efeito estufa.

b) a ilha de calor.

c) o buraco na camada de ozônio.

d) a inversão térmica.

e) a evapotranspiração.

Gab: A

Questão 03 – (ESPCEX/2015) 

A metropolização resulta de uma intervenção humana extensa e profunda sobre a superfície da Terra, uma vez que implica alterações significativas da paisagem e da qualidade de vida da população urbana.

Entre os impactos ambientais causados pela intervenção humana no ambiente urbano, pode se destacar

I. a formação das ilhas de calor na periferia das grandes cidades, associada à escassez de áreas revestidas de vegetação, com consequente aumento do poder refletor da luz solar que incide no solo urbano.

II. a maior ocorrência de chuvas torrenciais nas metrópoles, em relação às áreas rurais adjacentes, devido à grande quantidade de material particulado em suspensão, favorecendo a condensação da água na atmosfera.

III.   a grande poluição do ar e a consequente intensificação de problemas respiratórios, agravados pelo fenômeno climático da inversão térmica que ocorre, em geral, no inverno.

IV. o aumento do efeito estufa gerado pelo movimento do ar das zonas rurais para as zonas urbanas, elevando a temperatura nas cidades.

Assinale a alternativa que apresenta todas as afirmativas corretas

a) I e II

b) I e III

c) II e III

d) I, II e IV

e) I, III e IV

Gab: C

 

Sobre o(a) autor(a):

Este texto foi elaborado pelo geógrafo e professor de Geografia Marcelo de Araújo para o Curso Enem Gratuito. Marcelo é formado em Geografia (licenciatura) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atualmente trabalha como autônomo. https://www.facebook.com/mdearaujo22