Veja o que é Fenomenologia e as filosofias de Hegel a Husserl

A Fenomenologia é um método filosófico que se propõe a investigar os fenômenos da experiência.

Nessa aula você descobrirá como a Fenomenologia se tornou a corrente filosófica sensação do século XX e como esse conteúdo pode cair no Enem e nas provas dos vestibulares.

O que é Fenomenologia?

A Fenomenologia é uma corrente filosófica que ganhou notoriedade durante o século XX. O filósofo alemão Edmund Gustav Albrecht Husserl na tentativa de desvelar os mistérios do mundo que o cercava, optou por uma nova abordagem dos problemas filosóficos.

Assim, foi a partir das suas investigações filosóficas que surgiu a Fenomenologia.

retrato de HusserlFigura 1. Foto de Edmund Gustav Albrecht Husserl, um filósofo e matemático do século XX.

Husserl e a origem da Fenomenologia

Husserl, assim como a grande maioria dos filósofos que o precederam, buscava ter certeza acerca das coisas. Ora, certeza nas Ciências Humanas é algo bastante complicado. É como tentar resolver uma equação infinita, na qual cada operação concluída gera diversas outras em uma espécie de conta sem nexo ou fim.

Todavia, Husserl além de filósofo era chegado nas Exatas e como tal, trouxe uma visão diferente daquilo que os filósofos vinham fazendo até então. Quando ele começou a divagar sobre isso, a metodologia popular da filosofia era o Positivismo.

O alemão foi um crítico do Positivismo e ostentava uma certa desconfiança à metodologia francesa. Para ele, embora as teorias científicas sejam embasadas nos experimentos, estes experimentos são cheios de suposições e achismos.

Como a ideia de Husserl era acabar com as incertezas, esse tipo de coisa não era cabível – já que o Positivismo falha ao possibilitar suposições – para alguém que busca a certeza.

Por conta disso, Husserl fez algo que um outro filósofo já havia tentado antes. Ele se livrou de todo conhecimento incerto, bem como o fizera René Descartes, alguns séculos antes.

Entenda mais sobre Husserl com a videoaula do nosso canal:

Uma ótica universal e menos particular

A teoria de Husserl então era utilizar uma abordagem mais científica para lidar com a experiência. Dessa forma deixaria de lado toda aquela suposição, achismos e opiniões insensatas. Enfim, deixaria de lado tudo o que é particular.

Essa é uma lição demasiadamente valiosa. Visto que é comum observar pessoas que tomam suas experiências individuais como algo universal. Muitas vezes é necessário tentar entender os problemas a partir de uma ótica mais universal e menos particular.

Bom, Husserl afirmou que a Ciência busca a certeza, todavia, como ela é empírica, a ciência depende da experiência. Ora, a experiência está sujeita aos nossos “achismo” e opiniões particulares. Assim sendo, a experiência não pode ser considerada Ciência.

Portanto, a visão de Husserl foi criar uma abordagem livre das influências alheias. Essa abordagem foi denominada Fenomenologia. Assim, a Fenomenologia é a investigação sobre os fenômenos da experiência!

Em suma, de acordo com Husserl, a Fenomenologia é um método filosófico que se propõe a uma descrição da experiência vivida da consciência.

A Fenomenologia segundo Hegel

O alemão Georg Hegel foi um nome muito importante da Fenomenologia. Responsável por uma abordagem mais pragmática dos problemas mundanos, ele escreveu uma obra chamada “A Fenomenologia do Espirito” para tratar dos problemas abordados por essa corrente filosófica.

A Fenomenologia de Hegel tentou evidenciar a experiência da consciência que se relaciona com a substância enquanto objeto da própria consciência. É bacana ter em mente que a Fenomenologia de Hegel se apoia no movimento dialético que ele tanto defendia.

Bom, a Dialética dentro da Fenomenologia funciona assim: existe no mundo uma discordância entre a certeza que a consciência tem do objeto e a verdade sobre o objeto. Essa disputa (consciência x verdade) gera várias interpretações dos objetos, visto que nossa consciência do objeto varia.

Nesse sentido, conforme a gente vai vivendo e ganhando experiencia, a própria experiência faz com que surjam novas interpretações dos objetos. Logo, esses objetos acabam sendo distintos do que eram. Assim faz-se necessário uma nova interpretação para entendê-los.

meme hegel e fenomenologiaFigura 2. Meme sobre Hegel e sua famigerada citação acerca da consciência.

Entenda mais sobre Hegel com a videoaula

O Fenômeno enquanto objeto de estudo

Dizer que a Fenomenologia estuda os fenômenos é meio que chover no molhado. Entretanto, diferente do usual, quando empregamos o termo “fenômeno”, não há nada de sobrenatural ou extraordinário. É somente uma designação daquilo que pode ser observável.

Para além da visão, quando os filósofos dizem observar algo, eles se referem a perceber esse algo através dos seus sentidos. Além disso, tentam entender a essência que as coisas possuem.

Essa discussão acerca da essência das coisas é uma “parada” milenar. Platão a mais de dois mil anos atrás dizia que as coisas no mundo são meras sombras da sua real forma. Desde então essa discussão se arrastou, sendo objeto da atenção de muitos filósofos como Descartes, Hume e Kant.

filósofos antes da fenomenologiaFigura 3. Antes da Fenomenologia se estruturar como corrente filosófica, os filósofos Descartes (esq) Hegel (centro) e Kant (dir) foram os principais pensadores a discutir a compreensão que podemos ter dos fenômenos do mundo.

Todos esses filósofos, que precederam a Fenomenologia, serviram de base para o método fenomenológico. Ora, a fenomenologia tem como meta entender qual é a essência das coisas. Ou seja, entender aquilo que por anos a Filosofia tem debatido.

Por fim, quando Hegel veio com essa ideia de movimento entre consciência e concepção da realidade, ele gerou a maior reviravolta filosófica.

Com isso, a Fenomenologia ganhou ainda mais destaque nos debates filosóficos, tornando-se uma grande influência para os vários filósofos que o sucederam.

Exercícios

1) (Uem 2011)

A fenomenologia é um método e uma filosofia que surge no final do século XIX, com Franz Brentano, tendo como um dos principais representantes o filósofo Edmund Husserl. Sobre a fenomenologia, assinale o que for correto.

01) A fenomenologia de Edmund Husserl procura superar as teorias do conhecimento empirista e idealista, como também o dualismo entre o sujeito e o objeto.

02) Para a fenomenologia, a consciência é sempre consciência de alguma coisa; portanto, não há uma realidade pura, isolada do homem, mas a realidade enquanto ser percebido.

04) O filósofo alemão Martin Heidegger, pertencente à escola fenomenológica, resgata um conceito de verdade desenvolvido pelos gregos arcaicos: o conceito de alétheia, que significa o não oculto, aquilo que se mostra ou se desvela.

08) O filósofo francês Maurice Merleau-Ponty defende uma concepção dualista para a matéria e o espírito. De um lado, estão os objetos e o corpo, de outro, o sujeito e a consciência.

16) A gestalt, corrente da Psicologia que se desenvolveu no começo do século XX, ao reconhecer a influência da fenomenologia, opõe-se à psicologia de tendência positivista.

(Unicentro 2010)

2) Qual o postulado básico da fenomenologia?

a) A fenomenologia afirma que o conhecimento não passa de uma interpretação da realidade, isto é, de uma atribuição de sentidos determinada por uma escala ontológica de valores, constituindo-se, portanto, numa metafísica dos costumes.

b) Em nome da verdade subjetiva, a fenomenologia recusa o projeto da filosofia moderna, recusando o pensamento analítico. Seu postulado básico afirma que o real deixa de ser racional.

c) A fenomenologia procede por decomposição, enumeração e categorização dos objetos, fragmentando-os. Seu postulado básico é estabelecer a dicotomia entre razão e experiência.

d) A fenomenologia pretende realizar a superação da dicotomia razão-experiência no processo do conhecimento, afirmando que toda consciência é intencional, ou seja, o objeto só existe para um sujeito que lhe dá significado.

e) O postulado básico da fenomenologia é a metafísica fenomenológica, isto é, voltada para o reconhecimento do ser em si dos fenômenos, portanto, vinculada a uma noção de ser abstrata e a uma consciência transcendental.

3) (Uem 2010)

A filosofia de método fenomenológico foi criada na Alemanha pelo matemático e filósofo Edmund Husserl. A fenomenologia como teoria do conhecimento contesta tanto o empirismo quanto o idealismo. Para a fenomenologia, o empirismo conduz ao ceticismo, e o idealismo reduz o conhecimento a uma atividade puramente psicológica. Sobre a fenomenologia, assinale o que for correto.

01) Para a fenomenologia, só podemos alcançar a verdade reproduzindo, pelas experiências realizadas nos laboratórios, os fenômenos que observamos na natureza.

02) Edmund Husserl buscou nos Cursos de filosofia positiva, de August Comte, os princípios que irão fundamentar um método seguro para alcançar a verdade científica.

04) Da mesma maneira que Platão, a fenomenologia considera que o mundo sensível apresenta-se sob o engano da aparência. A verdade deve ser procurada no mundo inteligível das ideias.

08) A fenomenologia considera que a consciência é intencionalidade, ou seja, a consciência é sempre consciência de alguma coisa. Por isso, a fenomenologia não busca explicar a consciência, mas descrevê-la no ato do conhecimento. É a partir da intencionalidade da consciência que devemos entender como se produz o conhecimento.

16) O filósofo francês Jean-Paul Sartre encontrou na fenomenologia os fundamentos para elaborar a filosofia existencialista e sua concepção de liberdade.

Gabarito

1. 23 (01 – 02 – 04 – 16),

2. D,

3. 24 (08 – 16).

Sobre o(a) autor(a):

Os textos e exemplos acima foram preparados pelo professor Ernani Silva para o Blog do Enem. Ernani é formado em Filosofia pela Universidade Estadual Paulista. Ministra aulas de Filosofia em escolas da Grande Florianópolis. Facebook: https://www.facebook.com/ErnaniJrSilva

Compartilhe: