Figuras de Palavra

Metáfora, Metonímia, Catacrese, Antonomásia, Sinestesia e Comparação são figuras de palavra. Esse conteúdo pode ser cobrado na prova de linguagens do Enem, então confira este resumo para se sair bem nas provas!

Neste post você vai aprender sobre as figuras de palavras que usamos na Língua Portuguesa. Você já ouviu falar? Não? Então, vamos explicar. As figuras de palavras ou figuras de estilo são palavras que assumem sentidos diversos, dependendo do contexto.

Figuras de palavra é uma subdivisão das figuras de linguagem. O ato de fugir da norma padrão buscando uma maior expressividade se refere às figuras de linguagem. Quando o desvio ocorre pelo não conhecimento da norma culta, temos os chamados vícios de linguagem.

Resumindo bem, as figuras de linguagem são recursos que tornam mais expressivas as mensagens.

Classificação das figuras de palavras

Existem cinco tipos de figuras de palavras, que é o que neste post vamos nos prender, são elas:

1 – Metáfora – Trata do emprego da palavra fora do seu sentido básico, recebendo nova significação por uma comparação entre seres de universos distintos. A metáfora vai trabalhar por meio da comparação implícita entre termos, transformando o sentido denotativo (sentido próprio ou literal, aquilo que é norma culta) das palavras em conotativo (sentido figurado, transformando em algo totalmente novo e expressivo).

Ex.: “Meu coração é um balde despejado” (Fernando Pessoa)

2 – Comparação – Na comparação sempre há um conectivo ou uma expressão estabelecendo a relação de comparação:

COMPARAÇÃO

Ex.:  “Meu coração tombou na vida tal qual uma estrela ferida pela flecha de um caçador.” (Cecília Meireles) – Este lutador tem postura semelhante aos deuses nórdicos.

Há uma comparação de ideias, bem diferente da metáfora em que ocorre uma comparação implícita. Nessa figura de palavras o termo comparativo (como, tal qual, tal como, assim, etc.) aparece no enunciado, constituindo uma comparação explícita.

3 – Metonímia – De acordo com Fernando Pestana, é uma figura de linguagem baseada no uso de um nome no lugar de outro, pelo emprego da parte pelo todo, do efeito pela causa, do autor pela obra, do continente pelo conteúdo etc. Ou seja, ocorre a substituição de uma palavra por outra porque há entre elas uma relação de todo e parte.

Ex.: Sócrates tomou as mortes. (O efeito é a morte, a causa é o veneno).

– O bronze (sino) repicava na torre da igreja. (a matéria pelo objeto) – Essa juventude (os jovens) está perdida. (o abstrato pelo concreto) – Vivo do suor (trabalho) do meu rosto. (o efeito pela causa) – Gostaria de ter um Picasso (um quadro) em casa. (o autor pela obra) – O Brasil (as pessoas do Brasil) vibrou com a conquista da Copa do Mundo. (o continente pelo conteúdo)

4 – Catacrese –  É um tipo de metáfora que se cristalizou na cultura popular, devido esses termos serem utilizados com frequência, muitas vezes deixamos de perceber que eles têm sentido figurado.

Ex.: – Ele enterrou uma farpa no dedo. – Com os dentes do serrote, ele serrou a perna da cadeira. – Estou com coceira no céu da boca.

O pé da mesa estava quebrado.

5 – Perífrase –  Consiste no uso de maior quantidade de palavras para exprimir o que poderia ser dito com menos palavras, ou seja, é a substituição de um nome por uma expressão que o identifique com mais facilidade.

Ex.: – O poeta dos escravos escreveu poemas condoreiros. (Castro Alves) – A terra dos faraós é ainda um lugar misterioso. (Egito) – A rainha dos baixinhos continua fazendo sucesso. (Xuxa) – O rei dos animais é até mais respeitado pelos homens. (leão)

O Rei do Futebol (em vez de Pelé).

6 – Sinestesia – Ocorre quando há uma combinação de diversas impressões sensoriais (visuais, auditivas, olfativas, gustativas e táteis) entre si, e também entre as referidas sensações e sentimentos. É a mistura das sensações que temos graças aos nossos órgãos do sentido.

Figuras de Palavra - Sinestesia

Ex.: – “O aroma (olfato) endoideceu, upou-se em cor (visão), quebrou / Gritam-me sons de cor e de perfumes (audição, visão, olfato).” (Mário de Sá Carneiro) – Sua voz aveludada (audição, tato) me tornou um de seus fãs. – O cheiro gostoso (olfato, paladar) daquela comida entrava por meu nariz como um néctar divino.

“Como era áspero o aroma daquela fruta exótica” (Giuliano Fratin)

Aprenda mais sobre as figuras de palavras no vídeo do canal Descomplica:

Faça o Simulado

Sobre o(a) autor(a):

Regina é Licenciada Plena em Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e, além de manjar de Português, gosta de desenhar pessoas.