Filo dos Cordados

Todos os vertebrados estão classificados dentro do Filo dos Cordados. Mas, não só eles. Sabia que há espécies de invertebrados que estão classificados nesse filo também? Não? Então, acompanhe esta aula de Biologia para o Enem!

Os vertebrados são os animais mais complexos da escala zoológica. Dentro desse grupo estão classificados, inclusive, os seres humanos. Todos os animais caracterizados pela presença de vértebras estão classificados dentro de um único filo: o Filo dos Cordados.

Porém, dentro desse filo não encontramos apenas animais com vértebras e crânio, mas também animais invertebrados. Então, que características fazem com que todos eles estejam dentro de um único grupo? Vem comigo nesta aula de Biologia para o Enem e entenda mais sobre o Filo dos Cordados.

exemplo de animais do filo dos cordados
Imagem 1: Parecem animais do filo dos Cnidários, mas não são. As ascídias, esses animaizinhos azuis que você vê na foto, são animais marinhos fixos e bentônicos classificados dentro do Filo dos Cordados, assim como os vertebrados.

Características gerais do Filo dos Cordados

A principal característica dos Cordados e que dá nome ao grupo é o fato de que esses animais possuem, em pelo menos uma fase da vida, uma estrutura chamada de Notocorda. A notocorda, também chamada de cordão dorsal, é uma estrutura que se parece com um bastão fino e flexível localizado no dorso do ser vivo. Essa estrutura tem a função de sustentar o organismo do animal.

Nos animais vertebrados, a notocorda está presente apenas na fase embrionária. À medida que o animal se desenvolve, ela é substituída pela coluna vertebral, que passa a dar sustentação ao organismo.

embrião de galinha filo dos cordados
Imagem 2: Fotografia obtida através de microscópio óptico de um embrião de galinha. Na imagem, você pode ver a notocorda assinalada pelo número 2. Imagem retirada de: http://embrioufrn.blogspot.com/

Além da notocorda, os animais vertebrados também possuem, em pelo menos uma fase da vida estruturas chamadas de fendas branquiais. Essas fendas, também chamadas de fendas faríngeas, são derivadas da faringe desses animais durante o desenvolvimento embrionário. Parece estranho mas, sim, você teve estruturas que se assemelham externamente às brânquias dos tubarões quando era um pequeno embrião.

Outra coisa que talvez você não saiba é que todos os cordados possuem um “rabinho” em algum momento das suas vidas. Mesmo nós, humanos. Esse “rabinho” é chamado de cauda pós-anal, que pode ser óssea ou apenas musculosa, dependendo da espécie de cordado.

fotografia embrião humano filo dos cordados
Imagem 3: Fotografia de um embrião humano de 4 semanas do lado esquerdo e do lado direito um desenho esquemático das regiões do embrião. Note que na parte de cima do embrião há dobras no que parece ser o “pescoço” dele. Essas dobras são os arcos faríngeos ou branquiais. Veja também que nós, humanos, também temos uma espécie de “rabinho” nessa fase do desenvolvimento embrionário. Imagem retirada de:  https://www.famema.br/ensino/embriologia/organogenese2.php
Anatomia dos Cordados

A forma corpórea dos cordados é extremamente diversa. Como esses animais ocupam diferentes nichos ecológicos, tanto em ambientes aquáticos quanto terrestres, seus corpos terão diversas adaptações a esses habitats. Sendo assim, temos cordados invertebrados e fixos ou de vida livre. Temos também cordados vertebrados com nadadeiras ou com patas, adaptadas ao caminhar. Há ainda os cordados alados, como os morcegos.

– Simetria nos Cordados

Os Cordados são animais com simetria bilateral. Isso quer dizer que conseguimos dividir os corpos dos Cordados em duas porções iguais, ou simétricas. Essa característica está presente em todos os animais que se movimentam bastante, pois facilita o deslocamento do animal.

simetria corpo humano
Imagem 4: Desenho esquemático do corpo humano sendo atravessado por um plano vertical para demonstrar a simetria bilateral dos vertebrados.

– Desenvolvimento embrionário dos Cordados

Os cordados são considerados animais triblásticos. Ou seja, possuem a formação de três folhetos embrionários (ectoderme, mesoderme e endoderme) durante a fase de gástrula do desenvolvimento embrionário.

Além disso, os Cordados são considerados animais celomados, uma vez que no interior de seus corpos há uma cavidade (celoma) revestido por tecidos derivados da mesoderme.

Outra característica importante do desenvolvimento embrionário dos Cordados é o fato de que eles são classificados como deuterostômios, assim como os equinodermos. Isso porque esses animais formam primeiro o ânus e depois a boca durante o desenvolvimento de seu sistema digestório (o ânus se forma a partir do blastóporo, um poro presente na etapa de gástrula).

Como o Filo dos Cordados é extremamente variado, não podemos generalizar as características do revestimento e dos sistemas presentes nesses animais. Sendo assim, é importante que você conheça as principais classificações de animais dentro desse filo.  Podemos dividir o Filo dos Cordados em três Subfilos:

Cefalocordados

Os cefalocordados são pequenos animais que se assemelham aos peixes. Porém, não se confunda! Eles não podem ser chamados de peixes, uma vez que não são vertebrados. Sendo assim, dizemos que possuem formato pisciforme (formato de peixe).

Em geral, os cefalocordados são animais muito pequenos, medindo aproximadamente 6 centímetros de comprimento. São muitas vezes encontrados parcialmente enterrados no substrato marinho.

cefalocordados do filo dos cordados
Imagem 5: Fotografia de dois exemplares de cefalocordados, conhecidos como anfioxos, parcialmente enterrados no substrato.

Nesse grupo de Cordados a notocorda permanece sustentando o corpo do animal durante toda a sua vida, assim como suas fendas faríngeas. Essas fendas, participam não só da respiração do animal, mas também são capazes de filtrar a água em busca de pequenas partículas de matéria orgânica das quais o animal se alimenta.

Os cefalocordados possuem um sistema circulatório aberto, onde os fluidos saem de um vaso principal localizado na região ventral e se espalham no espaço intersticial, distribuindo substâncias. O sistema circulatório desses animais não possui coração bem definido, sendo assim, o vaso ventral tem também a função de bombeamento.

A musculatura dos cefalocordados está ancorada na notocorda e se movimentam de acordo com a deformação da estrutura. Em cada um dos músculos encontramos um protonefrídeo, estrutura responsável pela filtragem do líquido intersticial para remover as excretas e formar a urina.

Os cefalocordados se reproduzem através de reprodução sexuada. Para isso, possuem sexos separados (são dioicos) e realizam fecundação interna. Após isso, são colocados ovos no ambiente que liberarão larvas. Sendo assim, dizemos que esses animais realizam desenvolvimento indireto.

Os representantes mais famosos desse grupo são conhecidos como anfioxos. Seus embriões são muito utilizados como modelos para os estudos de embriologia (desenvolvimento dos embriões).

Urocordados

Os urocordados, conhecidos também como tunicados, são animais marinhos bentônicos, que vivem fixos no substrato ou aderidos a rochas. Sua aparência lembra os animais do Filo Cnidaria, porém, o fato de possuírem notocorda durante sua fase larvar os classifica dentro do Filo dos Cordados.

Seus corpos são revestidos por uma estrutura complexa que chamamos de túnica. Essa estrutura pode ter uma textura bastante macia ou cartilaginosa. Alimentam-se a partir da filtração da água do mar, obtendo pequenas partículas orgânicas e zooplâncton.

Os tunicados possuem um sistema circulatório bastante particular, onde o coração consegue bombear fluidos em dois sentidos opostos: para as fendas faríngeas, onde o “sangue” será oxigenado; e para o corpo todo, transportando os gases respiratórios.

Todos os representantes dos urocordados são animais monoicos (ou hermafroditas). Como são animais fixos, sua fecundação é externa com desenvolvimento indireto, uma vez que formam larvas natantes. Por serem bastante simples, os urocordados podem também realizar reprodução assexuada através de brotamento, o que faz com que algumas espécies formem colônias.

urocordados
Imagem 6: Fotografia de ascídias, representantes dos urocordados.
Vertebrados

Os animais vertebrados são também chamados de Craniatas. São animais que possuem notocorda apenas na fase embrionária, uma vez que ao longo do seu desenvolvimento essa estrutura vai sendo substituída por um conjunto de estruturas ósseas ou cartilaginosas que conhecemos como coluna vertebral.

A coluna vertebral é responsável por proteger um cordão nervoso dorsal – a medula espinal – e também pela sustentação do corpo do animal. Além disso, os vertebrados possuem crânio protegendo uma porção anterior dilatada do tubo neural, que compõe parte das estruturas cefálicas.

Os vertebrados possuem um esqueleto interno (endoesqueleto) cartilaginoso ou ósseo. Esse esqueleto acompanha o crescimento e desenvolvimento do animal. A este esqueleto estão aderidos a musculatura do animal, composta de músculos estriados esqueléticos que permitem a movimentação voluntária desses animais.

Outra característica importante dos vertebrados são as adaptações desses animais em relação à sua temperatura e à do ambiente. Em relação à isso, podemos classificar os animais vertebrados em:

– Animais heterotérmicos: também chamados de ectotérmicos, esses animais não conseguem manter sua temperatura constante. Ou seja, não possuem mecanismos metabólicos para regular sua temperatura. Por tal motivo, seus corpos possuem a temperatura do ambiente em que se encontram. Algumas espécies utilizam como recurso para ajustar sua temperatura a exposição ao Sol. Os peixes, os répteis e os anfíbios são animais ectotérmicos.

– Animais homeotérmicos: também chamados de endotérmicos, esses animais mantém sua temperatura constante através de processos metabólicos realizados por suas células.  Sendo assim, a sua temperatura corporal é independente da temperatura do ambiente em que se encontram. Os mamíferos e as aves são os únicos grupos de animais endotérmicos.

fotografia de uma onça
Imagem 7: Fotografia de uma onça pintada, mamífero brasileiro pertencente ao Filo dos Cordados.
E aí? Conseguiu aprender um pouco mais sobre o filo dos cordados? Beleza! Então, para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto, veja esta videoaula do canal Biologia Prof. Guilherme:

Agora, para finalizar sua revisão, que tal testar seus conhecimentos?

Questão 01 – (PUC SP/2018)    

Considere a seguinte filogenia.

filogenia dos cordados
Fonte: Reece e cols. Biologia de Campbell. 10a. ed. Porto Alegre: Artmed, 2015.

De acordo com as informações expressas na filogenia, é CORRETO afirmar que

a) a notocorda é uma estrutura que surgiu há cerca de 542 milhões de anos.

b) a respiração pulmonar nos vertebrados surgiu há mais de 400 milhões de anos.

c) a homeotermia é uma novidade evolutiva surgida no Cenozoico.

d) a coluna vertebral é uma estrutura surgida há cerca de 300 milhões de anos.

Questão 02 – (UniRV GO/2018)    

A maioria dos Vertebrados possui notocorda apenas na fase embrionária e após esta fase é substituída por uma coluna vertebral cartilaginosa ou óssea. Eles apresentam um esqueleto interno cartilaginoso ou ósseo, que crescem à medida que o corpo se desenvolve. Com relação aos vertebrados, julgue as questões abaixo como sendo Verdadeiras(V) ou Falsas(F).

a) O esqueleto tem como função principal apoio aos músculos responsáveis pelo movimento e sustentação.

b) Os vertebrados apresentam diversos mecanismos de adaptações às variações de temperatura, podendo ser endotérmicos e ectotérmicos.

c) Animais ectotérmicos usam energia solar para controlar a temperatura corpórea, exemplo os mamíferos.

d) Animais endotérmicos utilizam energia do metabolismo para regular a temperatura corporal, exemplo os répteis.

Questão 03 – (UNITAU SP/2017)    

Os animais do filo Chordata incluem alguns dos seres mais elaborados de todo o reino animal, como as aves e os mamíferos, com toda a sua complexidade estrutural e de funcionamento. Apesar disso, o grupo inclui, também, algumas formas primitivas, relativamente simples, como as ascídeas e os anfioxos. Os animais do filo Chordata apresentam, pelo menos, quatro características em comum, em pelo menos alguma fase da vida embrionária ou adulta, o que os torna “parentes”.

Sobre as estruturas desses animais, leia as afirmações a seguir.

I. Estrutura dorsal de sustentação com formato de cilindro flexível, que se forma entre os tubos digestivo e nervoso.

II. Aberturas localizadas na região da faringe, de origem embrionária e que podem ou não persistir na fase adulta.

III. Estrutura nervosa formada pela ectoderme do embrião. Estende-se longitudinalmente na superfície dorsal dos animais.

IV. Representa a porção terminal da coluna vertebral, obrigatória na fase embrionária de todos os cordados, com presença facultativa nos adultos e exercendo funções variadas.

Com base nas afirmações acima e em seus conhecimentos acerca da evolução dos Chordata, assinale a alternativa que apresenta a correspondência CORRETA entre as descrições e os respectivos nomes das estruturas.

a) I-notocorda; II-fendas branquiais; III-tubo nervoso; IV-cauda pós-anal

b) I-notocorda; II-fendas traqueais; III-tubo digestivo; IV-cauda pós-anal

c) I-notocorda; II-canal do reto; III-fendas pulmonares; IV-cauda pós-anal

d) I-notocorda; II-tubo digestivo; III-fendas pulmonares; IV-cauda pós-anal

e) I-notocorda; II-tubo nervoso; III-fendas pulmonares; IV-cauda pós-anal

GABARITO: 

1) Gab: A

2) Gab: VVFF

3) Gab: A

Sobre o(a) autor(a):

Juliana Evelyn dos Santos é bióloga formada pela Universidade Federal de Santa Catarina e cursa o Mestrado em Educação na mesma instituição. Ministra aulas de Ciências e Biologia em escolas da Grande Florianópolis desde 2007 e é coordenadora pedagógica do Blog do Enem e do Curso Enem Gratuito.