Platão e Suas Formas de Governo

Você se interessa por política? Quer saber mais sobre a democracia? Confira aqui as principais ideias de Platão acerca da Formas de Governo que são tema recorrente do ENEM.

Faz pouco mais de dois mil anos que estudamos o legado de Platão e dentre as várias coisas analisadas por ele se encontra a política. Platão pensava que ela (a política) deveria ser ensinada a sociedade, sobretudo, aos jovens em sua base educacional. Isso porque Platão entendia a política como uma virtude. (Aliás, poderia uma virtude ser ensinada?)

Platão divagava a respeito da organização dos tipos de governo em seus estudos sobre política. Convido você a ler a obra A Republica (um dos trinta e seis livros que ele escreveu) para conhecer ainda mais sobre o assunto.

Como a obra já tem mais de dois mil anos, ela é de domínio público. Sendo assim, você pode ler esta obra em pdf aqui.

Para Arístocles, vulgo Platão, a organização das nações se fundamentava nas formas de governo que as cidades estados (Polis) adotavam. Essas formas de governo se alteram ao longo dos anos à medida em que os Estados passam a desenvolver sistemas de acordo com as suas demandas sociais.

formas de governo em platão e seus livros
Figura 1. A imagem mostra fragmentos da obra “A República” de Platão. São pedaços de pergaminho onde se vê letras do alfabeto grego. Uma das maiores influências da cultura ocidental, seja em seus aspectos políticos ou metafísicos.

 

A origem da política de Platão

Tendo em vista que Platão ficou a maior parte da sua vida em Atenas, trocando uma ideia com seus alunos (incluindo Aristóteles) sobre uma tal de Filosofia Política, seu ponto de partida não poderia ser outro senão o governo ateniense. Lá ele propôs sua teoria acerca das formas de governo, do mundo das Ideias e da consciência dos cidadãos.

Antes de partimos para esse “rolê” de Formas de Governo, é interessante ter em mente que fundamentando isso está a interpretação do mundo feita por Platão. Algo bastante peculiar e pioneiro para a época, uma vez que, para o filosofo de ombros largos nosso mundo não passava de uma cópia de um outro mundo chamado Mundo Das Ideias.

as divisões de alma e corpo em platão
Figura 2. Na imagem vemos um esquema em que temos as divisões das almas no Mundo das Ideias de Platão. Deriva do mundo das Ideias a Polis justa, que é governada pelos filósofos, protegida pelos guardiões e mantida pelos produtores. Cada grupo cumprirá sua função de acordo com a aptidão de sua alma, todos trabalhariam então para o bem da Polis.

 

De maneira sucinta, para que a Polis prospere precisaríamos dividir seus habitantes em três grupos cujas almas (é meu camarada, existe toda uma teoria sobre as Almas da galera) possuem distintas virtudes. Dessa forma, elas iriam exercer uma função na sociedade, colaborando como podem para o bom funcionamento da Polis.

Ora, tendo os cidadãos comprometidos com seus deveres de acordo com suas respectivas virtudes, Platão propõem três formas de governo para que seja possível a administração da cidade estado, são elas:  a Monarquia, a Aristocracia e a Democracia.

Os dirigentes das cidades deveriam ser filósofos detentores do conhecimento verdadeiro, seus atributos precisariam ser diferenciados como ser Belos e Bons.

Formas de governo em Platão

– Monarquia: A Monarquia, uma das mais antigas formas de governo, é como o nome sugere: o governo em que apenas uma pessoa exerce o poder. Para Platão, essa pessoa seria o Rei-Filósofo. Ora, para o filósofo, só alguém cuja alma aspire as mais ilustres virtudes poderia ser encarregada de governar.

formas de governo em platão (monarquia)
Figura 3. Na imagem vemos uma cena do filme “Minions” em que um minion vestido de rei segura um microfone na mão. Hoje (2019) existem no mundo 33 reinos, 3 principados, 3 emirados, 2 sultanados, 1 império, 1 grão-ducado e 1 papado que ao todo somam 44 monarquias.

 

– Aristocracia: A Aristocracia, uma espécie de meio termo entre Monarquia e Democracia, é o governo composto por um grupo de pessoas escolhidas segundo suas virtudes a fim de construir o bem comum. Para Platão, é necessário que os cidadãos tivessem uma boa educação moral, para assim entender os interesses do povo.

tabela com as formas de governo em platão
Figura 4. Na imagem há uma tabela resumindo as formas de governo em Platão. A monarquia, a aristocracia e a (boa) Democracia, nesta ordem de preferência, são as formas adequadas, enquanto que a demagogia, a oligarquia e a tirania, são as que devem ser evitadas. A tirania é a pior das formas de governo e a democracia a pior das melhores e a melhor das piores.

 

– Democracia: Já a Democracia, que apareceu pela primeira vez na cidade-Estado de Atenas, tinha suas características distintivas da democracia atual. Nem todas as pessoas eram autorizadas a falar e a votar na assembleia, este privilégio era dos cidadãos.

Diferente das democracias modernas, ser um cidadão de Atenas era um pouco complicado. Veja bem, para começar você não podia ser mulher, nem escravo e nem estrangeiro. Ademais, você só precisava ter mais de vinte anos e ser proprietário de terras.

tirinha da mafalda
Figura 5. Tirinha de Quino, Mafalda – O Kratos (não é o mano do God of War) é a autoridade exercida por um governo. Na tirinha vemos quatro quadrinhos. No primeiro, Mafalda lê um verbete do dicionário: “DEMOCRACIA (do grego demos, povo e kratos, sabedoria) governo no qual a soberania é exercida pelo povo.” Nos demais quadrinhos, Mafalda está em várias situações cotidianas “se acabando de rir”.

 

A degeneração política

Cada um desses três governos é passível de degeneração. Isto é, pode se converter em algo ruim.

Assim sendo, a monarquia poderia se tornar uma tirania. Ou seja, um governo em que o monarca é extremamente repressor e utilizará seus poderes para benefício próprio de maneira tal que sua vontade será imposta acima da vontade do povo.

A aristocracia poderia se transformar em oligarquia. Isto é, um governo em que uma pequena elite detém o poder e o usa para benefício próprio em detrimento de zelar pelo coletivo. Seria como se os políticos governassem para favorecer a eles mesmos (Familiar?).

Por sua vez, a demagogia é a degradação da democracia. Nesta degeneração, o povo não consegue agir de maneira coletiva gerando assim uma desordem social, o caos.

Segundo Platão há uma ordem classificatória das Formas de Governo: partindo da mais ilustre delas é a aristocracia seguida da timocracia, oligarquia, democracia, demagogia e enfim chegando a mais vil, a tirania.

brasão da república federativa do brasil
Figura 6. Na imagem vemos o brasão da República Federativa do Brasil. Entre 1882 e 1889 o Brasil passou pelo período monárquico. Embora com o golpe 1889 nos convertemos em uma República Presidencialista, em 1961 recorremos ao Parlamentarismo, em 1964 a uma ditadura e atualmente “desfrutamos” da democracia presidencialista.

 

Dica: Quer saber mais sobre o Regime Militar no Brasil, confira nesse vídeo bem-humorado da HBO:

A democracia

Deu para notar que a democracia está do lado “bom da força”. Contudo, Platão não era assim um grande fã dela, afinal de contas foi a democracia que matou Sócrates e levou Atenas à guerra e à ruína.

Segundo Platão, a prosperidade da Polis se pautava em sua capacidade de educar as pessoas para que essas aprendam virtudes e assim trabalhassem juntas na construção de um bem comum.

Ora, é possível um governo, em que as pessoas não são igualmente capazes de aprender sobre suas virtudes e sobre a justiça, dar certo?

Em outras palavras, se nem todos são capazes de trocar uma ideia sobre política, nem todos “manjam” de administrar a cidade, já que uns são melhores do que outros em aspectos diversos, por que todos devem exercer o poder político?

É essa crítica a igualdade que Platão faz a Democracia ateniense. O “velhote” insinuava que ela levaria fatalmente à tirania, a pior forma de governo pois, o tirano é a antítese do rei-filósofo.

O bacana nessa ideia é que do ponto de vista de Platão, ainda que todas as pessoas sejam diferentes, era necessário que elas (homens e mulheres) tivessem a oportunidade de desempenhar qualquer papel na Polis.

Quer dizer, há mais de dois mil anos atrás já pensavam que a capacidade para algo reside única e exclusivamente na capacidade do indivíduo e não em seu sexo (#FEMINISMO). Assim, para Platão, as mulheres teriam os mesmos diretos visto que a cidade perfeita prioriza a justiça (e não um pênis).

república de platão
Figura 7. Vemos duas imagens de fundo amarelo. Na primeira uma mulher na pose clássica do movimento feminista com um dos braços dobrados e o punho fechado. Na segunda, vemos um homem fazendo a mesma pose. Na República de Platão, há igualdade entre os gêneros. As mulheres recebem as mesmas condições e podem conseguir as mesmas posições. Platão foi revolucionário ao defender que as mulheres têm as mesmas capacidades que os homens para serem administradoras.

 

Educação e o governo

Em todas as (boas) formas de governo de Platão, temos em comum a educação. Se tivermos uma educação na qual o conhecimento verdadeiro seja a passagem para formação de cidadãos dispostos para a construção de uma cidade perfeita, as formas de governos por ele descritas seriam bem-sucedidas.

estado ideal de platão
Figura 8. No processo educacional de Platão as crianças são entregues a tutela do estado para que fosse assegurado a igualdade de oportunidades.

 

Em suma, esse barbudo de ombros largos (Platão) acreditava na ideia de que a educação era a solução para a transformação do mundo atual em um mundo melhor e mais justo. Para tanto, a pessoa responsável por guiar a galera nesse mundo seria esse tal de filosofo rei.

Enfim, Platão é um mano muito atual. É possível notar em suas obras temas como a livre expressão, o bem comum, o feminismo e a fraternidade universal do homem. O Cara lá na Grécia Antiga discute desde o controle da natalidade e o amor livre até os padrões de moralidade e posse pública da riqueza.

Todavia, existe em meio a esse mar de temas uma unidade em seu pensamento, um anseio constante de contemplar uma sociedade em que a virtude reina soberana. Uma sociedade em que Sócrates, em vez de ser assassinado, fosse eleito rei. É isso que ele escreveu em “A República”, a primeira utopia da história. Irado!

Exercícios sobre as formas de governo em Platão:

1) Universidade do Estado do Pará (UEPA), 2015

Platão: A massa popular é assimilável por natureza a um animal escravo de suas paixões e de seus interesses passageiros, sensível à lisonja, inconstante em seus amores e seus ódios; confiar-lhe o poder é aceitar a tirania de um ser incapaz da menor reflexão e do menor rigor.

Quanto às pretensas discussões na Assembleia, são apenas disputas contrapondo opiniões subjetivas, inconsistentes, cujas contradições e lacunas traduzem bastante bem o seu caráter insuficiente.

CHATELET, F. História das Ideias Políticas. Rio de Janeiro: Zahar, 1997, p. 17

Os argumentos de Platão, filósofo grego da antiguidade, evidenciam uma forte crítica à:

A) oligarquia

B) república

C) democracia

D) monarquia

E) plutocracia

2) Universidade Estadual de Goiás (UEG), 2010

O mundo grego no século IV a. C. era marcado por uma estrutura de cidades-Estado dispersas pelo território helênico. Essa fragmentação política levou os filósofos a procurarem estabelecer uma ideia sobre as formas de governo que fossem as mais adequadas. Entre essas ideias, pode-se destacar

A) a democracia racional, defendida por Demócrito

B) a oligarquia comercial, defendida por Sócrates

C) a aristocracia rural, defendida por Heráclito

D) o governo de filósofos, defendido por Platão

3) Universidade Estadual de Goiás, 2008

A forma com que os gregos viviam as questões da polis levou às primeiras reflexões sobre as formas ideais de governo. Coube a Platão escrever a primeira obra sistematizada de ciência política do Ocidente, A República. Nesta obra, Platão, entre outros assuntos, discute temas como justiça, educação, cidadania e formação dos governantes. A classificação das formas de governo realizada por Platão em A República é a seguinte:

A) Aristocracia, Democracia, Oligarquia, Tirania, Anarquia e Monarquia
B) Aristocracia, Timocracia, Oligarquia, Democracia, Demagogia e Tirania
C) Timocracia, Democracia, Aristocracia, Demagogia, Monarquia e Tirania
D) Monarquia, Oligarquia, Democracia, Tirania e Timocracia

Gabarito

  1. C, 2. D, 3. B.

 

Sobre o(a) autor(a):

Os textos e exemplos acima foram preparados pelo professor Ernani Silva para o Blog do Enem. Ernani é formado em Filosofia pela Universidade Estadual Paulista. Ministra aulas de Filosofia em escolas da Grande Florianópolis. Facebook: https://www.facebook.com/ErnaniJrSilva