Futurismo: o que foi, características e o Manifesto Futurista

Conheça o movimento artístico que chamamos de Futurismo. Veja esta revisão para gabaritar as questões envolvendo Artes no Enem e nos vestibulares!

“(…) Já não há beleza senão na luta. Nenhuma obra que não tenha um carácter agressivo pode ser uma obra-prima. (…)” Esse é um trecho do Manifesto Futurista, que contém traços de revolução, incitação e até mesmo de fascismo. Quer entender por quê? Acompanhe essa aula sobre o Futurismo!

O que foi o Futurismo

Alguns anos antes da eclosão da Primeira Guerra Mundial, a humanidade presenciou drásticas mudanças na noção sobre distâncias. Foi um período em que houve o advento dos aeroplanos, dos automóveis e de vários meios de comunicação.

Como não poderia deixar de ser, a arte acompanhou todo esse movimento e diversas reflexões acerca do acelerado desenvolvimento da tecnologia e em quê isso refletiria na sociedade foram geradas. Tomados pelo êxtase da modernidade tecnológica, surgiram pessoas que defendiam ideais de tornar a velocidade e o dinamismo sua filosofia.

Publicidade

O Manifesto Futurista

Foi nesse período que o poeta italiano Filippo Marinetti publicou o Manifesto Futurista no jornal italiano La gazzeta dell’Emilia, em 1909. Poucas semanas depois, seria publicado no jornal Le Figaro, de Paris.

No Manifesto Futurista, o poeta exaltava sua antipatia às manifestações artísticas que continham a sistemática, tradicional e acadêmica forma do fazer artístico. O que Marinetti defendia é que a arte deveria acompanhar essa nova energia dinâmica da sociedade moderna da época. Abaixo, dois trechos contidos no Manifesto Futurista:

“1. Nós pretendemos cantar o amor ao perigo, o hábito da energia e a intrepidez.
2. Coragem, audácia e revolta serão elementos essenciais da nossa poesia. (…)”(*)

Contendo alto teor provocativo e algumas vezes até fascista (pregava “higienização” através da guerra, opressão ao feminismo, destruição de museus e bibliotecas), o Manifesto ganhou grande alcance e logo aderiram ao movimento não só artistas plásticos, mas compositores, escritores, designers, arquitetos, produtores e diretores de cinema.

Já em 1910, pintores italianos como Umberto Boccioni (1882-1916), Carlo Canà (1881-1966), Giacomo Balla (1871-1958), Gino Severini (1883-1966) e Luigi Russolo (1885-1947) aderiram ao movimento e lançaram o Manifesto dos pintores Futuristas.

Nele, afirmavam que a Itália deveria parar de olhar para o passado com pesar e nostalgia e passar a celebrar a contemporaneidade, o cotidiano da vida moderna, a fim de desenvolver uma cultura que seja capaz de refletir a então recente industrialização.

Passado um mês, quando o Futurismo gradativamente foi se tornando reconhecido, lançaram Pintura Futurista: manifesto técnico, que ressalta a importância dos artistas expressarem a dinamicidade essencial do movimento.

Características do Futurismo

Vamos apresentar as características do Futurismo a partir da análise da pintura “The speeding automobile”, de Giacomo Balla.

futurismo - exemplo

BALLA, Giacomo. The speeding automobile, 1912.

A partir da obra de Balla, é importante fazer algumas considerações quanto às principais características do Futurismo. As pinturas foram bastante influenciadas por Paul Signac (1863-1935), artista que utilizava a técnica do pontilhismo. Signac separava as cores em pontos ou manchas individuais justapostas. De forma similar, os pintores futuristas buscavam criar a ilusão da velocidade através de toques de cor que o espectador combina opticamente, ou seja, os pigmentos não são misturados de forma física.

Os pintores futuristas também influência do Cubismo (em 1911): passaram a registrar planos quebrados, múltiplos ângulos e repetições de imagens, de forma a transmitir na tela a mudança de tempo e espaço. Entretanto, usavam cores mais fortes que os cubistas.

A temática mais recorrente gira em torno das máquinas (automóveis, trens, bicicletas). No Futurismo, portanto, a grande tônica são as cores fortes e o movimento.

Futurismo no Brasil

No Brasil, o movimento foi um influenciador na produção de artistas ligados ao Modernismo. Anita Malfatti e Oswald de Andrade utilizaram-se de muitas ideias e concepções futuristas. Essa influência pode ser observada na Semana de Arte Moderna, que ocorreu em 1922.

Veja a aula do prof. Rolo e conheça todas as vanguardas europeias:

Questões sobre o Futurismo

Agora que você já aprendeu o que foi o Futurismo, responda às questões a seguir, selecionadas pela professora Renata!

Questão 1. Sobre o Futurismo, estão corretas as seguintes alternativas:

I. No Brasil, todas as tendências de vanguarda foram chamadas de Modernismo, que equivale ao Futurismo, para os italianos, e ao Expressionismo, para os alemães.

II. Na literatura brasileira, seus principais representantes foram Manuel Bandeira e Augusto Frederico Schmidt, que se apropriaram de ideais futuristas para a realização de uma escrita automática e telegráfica.

III. O Futurismo difundiu-se por meio de manifestos e conferências, encontrando na literatura seu meio ideal de realização artística.

IV. Entre suas principais características estão a decomposição das figuras em formas geométricas, a não retratação da realidade de forma real (realidade fragmentada), a não utilização da perspectiva e tridimensionalidade e o uso do humor.

a) Todas estão corretas.

b) Apenas I está correta.

c) I e III estão corretas.

d) II e IV estão corretas.

e) II e IV estão corretas.

Questão 2. Complete corretamente a lacuna:

As vanguardas europeias passaram pela Literatura Brasileira deixando sua
contribuição, especialmente ao somarem com ___________________________________, pois juntos vieram romper com a antiga estética que até então reinava em nosso país.

a) O Expressionismo e Impressionismo.
b) O Cubismo e o Futurismo.
c) A Semana de Arte Moderna e o Futurismo.
d) A Semana de Arte Moderna e o movimento modernista.

Questão 3. Com relação ao Futurismo, é correto afirmar que consiste em um:

a) Movimento com excessiva fragmentação dos objetos e destruição de sua
estrutura formal.
b) Movimento da arte moderna que explora o domínio da imaginação, suas
características irracionais e espontâneas, tendo como maior interesse o labirinto da
mente humana.
c) Movimento artístico que tentou reproduzir a velocidade da sociedade de forma
plástica.
d) Movimento que se caracteriza pela ausência de relação imediata entre formas e
cores da realidade.
e) Movimento que não teve bases bem definidas e lançou outro olhar sobre a
natureza, especialmente pelo uso da luz.

GABARITO:

1-C, 2-C, 3-C.

Sobre o(a) autor(a):

Renata Gambagorte é formada em Licenciatura em Artes Visuais pela Universidade Estadual do Paraná com pós graduação em Cenografia pela Universidade Federal do Paraná. Atualmente atua na rede de ensino em Curitiba. Facebook: https://www.facebook.com/renatagmbgrt

Compartilhe: