O processo de industrialização do Brasil

Você sabe qual é a diferença entre o processo de industrialização do Brasil e dos países considerados desenvolvidos? Vamos revisar este conteúdo para o Enem!

Com um século de atraso da consolidação da sua industrialização, o Brasil é considerado um país subdesenvolvido. Entre outros fatores, pela sua industrialização tardia. Enquanto os países considerados desenvolvidos, como por exemplo Inglaterra, França e Estados Unidos, tiveram o início do seu processo no período da Primeira Revolução Industrial, a industrialização brasileira iniciou-se por volta do final do século XIX.

industrialização brasileira anos 50
Figura 1: Produção automobilística na década de 50.

 

Início da industrialização brasileira

O início da industrialização do Brasil acontece por conta das mudanças da estrutura econômica não somente nacional, mas de todo o globo terrestre, em conjunto com o contexto político e social do país. A mudança responsável para o início deste processo foi a “abolição” da escravidão e início do trabalho remunerado.

Com o início do trabalho remunerado, a população brasileira passou a consumir muito mais produtos do que antes. Não somente produtos característicos da cultura brasileira, mas também aqueles difundidos no território nacional pelos imigrantes.

A partir do aumento gradual do consumo por parte da população brasileira e com o marco político da proclamação da república, o processo de industrialização brasileira começou a dar pequenos passos a cada período histórico.

Podemos dividir estes períodos em quatro fases para melhorar o entendimento. É sempre importante ressaltar que estas mudanças ocorreram de forma gradual, e não em anos específicos. Deste modo, as datas são somente para uma contextualização não precisa.

Primeira fase da industrialização no país

A primeira fase é caracterizada por uma época onde o país ainda era uma colônia europeia. Deste modo, Portugal, que comandava o Brasil na época, não permitia que indústrias se instalassem no país. Esta fase é então caracterizada pelo período de 1500 a 1808 e é marcada pela produção artesanal e utilização de engenhos.

Segunda fase

A segunda fase foi ocasionada pela chegada da família real ao Brasil, em 1808, que permitiu a implantação das primeiras indústrias no país entre o período de 1808 a 1930. Esse período foi marcado pela chegada das indústrias com tributo de taxas que chegaram até 60% para as mercadorias importadas.

Esse período, que chamamos aqui de segunda fase é o período onde o poder do café entra em declínio. Com o declínio do café, muito fazendeiros largaram as atividades agrícolas e passaram a investir os recursos acumulados nas atividades industriais, que estavam cada vez mais em alta.

As primeiras indústrias eram voltadas para o ramo alimentício e outros produtos os quais não necessitavam de tanta tecnologia. Já que pouco da tecnologia dos demais países havia chegado ao território brasileiro.

Terceira fase da industrialização brasileira

Após a segunda fase, chegamos ao período onde temos a construção de novos modos de transporte de mercadorias, como por exemplo a construção de ferrovias ao longo de todo território brasileiro. Os investimentos para a construção destas novas vias de circulação vieram em boa parte dos antigos cafeicultores que agora consolidavam suas indústrias no país.

Neste período, grandes companhias como a Siderúrgica Nacional (1947) e a PETROBRAS (1953) foram criadas, estimulando a mineração. Isso porque havia uma grande demanda de metais que abasteciam as indústrias e a extração de petróleo, que se tornaria uma importante matéria prima para produção de plástico e combustíveis. Essas mudanças ocorreram aproximadamente entre os anos de 1930 e 1955, durante o governo Vargas.

Quarta fase

Por fim, a quarta fase, que se estende até a atualidade, é o período que se inicia no mandato do presidente Juscelino Kubitschek, responsável por iniciar o processo de abertura econômica. Este processo foi responsável por trazer ao Brasil novos investimentos de outras nações e empresas multinacionais durante a segunda metade da década de 1950.

A partir do ano de 1964, com o início da ditadura militar, o processo de abertura econômica foi levado á um nível que causou grandes problemas para a indústria brasileira. A grande quantidade de empresas e investimentos estrangeiros descontrolaram a economia do país. Já que o Brasil passou a perder a autonomia perante seu crescimento econômico, criando dependência dos países que passaram a instalar sua multinacionais aqui.

Além da dependência criada em relação aos outros países, a indústria nacional passou a desvalorizada. Essa desvalorização começou a diminuir efetivamente somente no início do século XXI, quando durante o governo do presidente Luiz Inácio da Silva, a indústria nacional passou a receber maior atenção novamente.

Atualmente, no governo Jair Bolsonaro, a desvalorização das indústrias e serviços brasileiros voltou a ser pauta. Já que a postura de relações econômicas do partido em vigência possui tendências extremamente liberais, levando muitos especialista a temer uma volta aos problemas econômicos que se iniciaram em 1964.

Este é um conteúdo bastante importante para o Enem, por isso, para que você aprenda mais, sempre recomendamos as videoaulas e as questões que estão sempre ao final das aulas!

Veja as aulas do prof. Carrieri sobre o assunto:

Questões

(IFRS/2016)    

Leia as afirmações abaixo, que se referem às características da industrialização brasileira.

I. A modernização da economia, as novas relações de trabalho, o acúmulo de capital e as novas infraestruturas proporcionadas pela cultura da cana-de-açúcar, na região Nordeste do Brasil, foram os principais fatores que impulsionaram o desenvolvimento da indústria no país.

II. A industrialização do Brasil conseguiu desenvolver todas as regiões do país, contribuindo para a redução das desigualdades econômicas e sociais entre elas.

III.   O desenvolvimento da indústria no Brasil contribuiu para o intenso processo de urbanização, principalmente nas regiões Sudeste e Sul.

IV. A formação de metrópoles no Brasil está relacionada à concentração industrial em determinadas regiões, e também ao êxodo rural, resultante da modernização do campo.

Quais estão corretas?

a) Apenas I e II.

b) Apenas III e IV.

c) Apenas I, II e III.

d) Apenas I, III e IV.

e) I, II, III e IV.

Gab: B

(UESB BA/2016)    

Entre as características que se aplicam às atividades industriais, no Brasil, na década de 90 do século XX, encontram-se

01) a substituição de importações e a desconcentração industrial, em todo território.

02) a crescente participação econômica do Estado e a concentração industrial no Sudeste.

03) o domínio de novas empresas estatais e a desindustrialização intra-regional.

04) a hegemonia do capital privado nacional e a acentuada internacionalização econômica.

05) o aumento de unidades produtivas de bens de consumo não duráveis e a mudança na divisão internacional do trabalho, com o Sudeste polarizando as demais regiões.

Gab: 04

(UEPG PR/2019)   

Sobre a economia e o processo de industrialização brasileiro, assinale o que for correto.

01) O governo Vargas, entre as décadas de 1930 e 1950, foi responsável pela criação de indústrias estatais de bens de produção e infraestrutura, como a Petrobrás e a CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), e de bens de produção, como a FNM (Fábrica Nacional de Motores), que fabricava veículos, máquinas e motores como tentativa de impulsionar a industrialização do país com uma política de cunho nacionalista.

02) Durante o governo de Juscelino Kubitschek, entre as décadas de 1950 e de 1960, houve aumento de produção de bens duráveis no Brasil, como automóveis e eletrodomésticos, com atração de capital estrangeiro.

04) Atualmente, no governo Temer, o crescimento industrial brasileiro baseia-se no investimento em startups, incentivadas pelo setor público com a redução e simplificação de impostos, tornando o país um paraíso para capitais tecnológicos e de inovação, como ocorreu recentemente na Coreia do Sul.

08) Entre as décadas de 1960 e 1970, o Brasil passa pelo chamado “milagre econômico” no governo militar, com crescimento acelerado baseado em parte em empresas estatais nas áreas de energia e telecomunicações e em obras no setor de transportes, como a construção da Transamazônica com captação de recursos estrangeiros levando ao endividamento externo.

Gab: 11

 

Sobre o(a) autor(a):

Este texto foi elaborado pelo geógrafo e professor de Geografia Marcelo de Araújo para o Curso Enem Gratuito. Marcelo é formado em Geografia (licenciatura) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atualmente trabalha como autônomo. https://www.facebook.com/mdearaujo22