Mesopotâmia – um dos berços da civilização

Conheça um pouco mais sobre a região que abrigou os grandes povos da antiguidade clássica e um pouco de sua história neste super post de História.

Mesopotâmia é uma palavra de origem grega que significa “entre rios”. A região leva este nome por estar em um vale entre os rios Tigres e Eufrates. A antiga Mesopotâmia ocupou a região dos atuais Iraque, Kwait, Síria e o sul da Turquia, localizados no Oriente Médio.

Ao longo de vários séculos os dois rios, no período de cheias, irrigavam suas margens, tornando-as extremamente férteis e, assim, atraindo diversas populações. Esta região ficou conhecida como crescente fértil, pois formava, cartograficamente, uma lua crescente.

mapa mesopotâmia
Figura 1: Mapa da antiga mesopotâmia e a crescente fértil. Retirado de: https://goo.gl/e9SYUp Marcadores: Mapa, Mesopotâmia, Crescente Fértil.

Diversos povos, como sumérios, acadianos, hititas, babilônios, assírios e caldeus, se concentraram nesta região e passaram a utilizar a agricultura como principal fonte de alimento.

A fertilidade da região e, por consequência, a alta produção de alimentos permitiu que os excedentes servissem como um catalisador do comércio entre as cidades.

Por volta de 4000 a.C. esses povos desenvolveram-se tanto que suas cidades se tornaram autossuficientes. Os governantes tinham poderes políticos e religiosos, entretanto restritos apenas às cidades. Este conjunto de qualidades caracterizava as comunidades como cidade-Estado, pois possuíam autonomia, independência e governo próprio.

mapa mesopotâmia e povoados
Figura 2: Mapa com as principais cidades-Estado da Suméria. Retirado de: https://goo.gl/oaMoju Marcadores: mapa, Suméria, cidade-Estado.

Religião na mesopotâmia

Os povos da Mesopotâmia eram politeístas, ou seja, acreditavam em uma multiplicidade de entidades, naturalmente ligadas à natureza, devido à condição de vida extremamente dependente de elementos naturais.

Os deuses deste período representavam coisas como o sol, rios, terra entre outros. Por exemplo, Shamach, deus do Sol, Anu, deus do céu, Ishtar, deusa das chuvas e diversos outros conhecidos até hoje.

Comumente os líderes políticos também exerciam a função de sacerdotes religiosos, lidando com rituais, oferendas e outros processos ligados ao mundo místico. Os sacerdotes eram considerados uma conexão entre o mundo terreno e o divino e os únicos que eram permitidos entrarem nos templos.

Os templos mesopotâmicos possuíam grandes proporções e eram chamados de Zigurate. Eram compostos por vários andares de construção sobrepostos sobre outros andares, formando uma grande estrutura retangular com pouca protuberância em altura.

templos da mesopotâmia
Figura 3: Estrutura de um Zigurate. Retirado de: https://goo.gl/ynaqqp Marcadores: Templo, Mesopotâmia, Zigurate.

Os sumérios

Os sumérios foram os primeiros povos a se estabelecerem no local, vindos da região oeste da Ásia. A partir do ano 3000. a.C. diversas cidades sumérias já se formavam. O Patesi, cargo de liderança, aglutinava poder político religioso e militar.

Com o crescimento da população outras funções surgiram, além das ligadas à produção de alimento, como comerciantes, pastores mercenários entre outras. Estas profissões eram administradas pelo governo, que controlava o comércio e recolhimento de impostos.

Para otimizar o registro das atividades foi criado um sistema de anotações que levaram à invenção da escrita cuneiforme. Outras grandes invenções surgiram a partir da civilização suméria, como o arado de cobre, o uso da força animal na agricultura e a construção de diques e canais de irrigação, que transportavam água para as regiões afastadas dos rios.

Os sumérios também dividiam o ano em 12 meses, a hora em 60 minutos e o círculo em 360 graus. Criaram o mais antigo sistema numérico da história com base em 60 símbolos e um calendário lunar de 28 dias, que permitia prever com exatidão as épocas boas para plantio e colheita. Também se atribui aos sumérios a invenção da roda e descoberta do vidro.

calendario na mesopotâmia
Figura 4: Calendário lunar mesopotâmico. Retirado de: https://goo.gl/aK7L9Y Marcadores. Calendário lunar, mesopotâmia.

A suméria foi, provavelmente, pioneira em desenvolver um sistema de escrita, apesar dos chineses terem protótipos por volta de 7000. a.C. e os Olmecas, nas Américas, também providenciarem seus próprios formatos de linguagem escrita.

Na sociedade suméria a escrita surgiu cerca de 4000. a.C. A organização social suméria se concentrava em torno dos templos religiosos e dos palácios onde era depositada a produção agrícola e a arrecadação de impostos. Tudo isto exigia um controle rígido, portanto os funcionários públicos utilizavam placas de argila e as marcavam com desenhos que representavam os objetos a serem registrados como animais, ferramentas entre outros. Após isto as placas eram colocadas ao sol para secarem e, assim, guardadas.

Cerca de 500 anos depois outro sistema mais complexo foi desenvolvido, a escrita cuneiforme. As pessoas marcavam a argila ainda molhada utilizando cunhas (ferramentas semelhantes a estiletes). Neste momento os desenhos, também chamados de logogramas (desenhos que representam conceitos) passam a representar sons e palavras específicas, parecido com o alfabeto ocidental.

Dica 1: Complemente o conteúdo visto aqui com a videoaula do canal Conhecimentos da Humanidade: https://www.youtube.com/watch?v=rqa3QVYHvpIx

Formação de Impérios.

A mesopotâmia encontra-se rodeada por uma região desértica extremamente infértil. Este oásis em meio ao atual oriente médio atraiu diversos povos que, naturalmente, procuravam uma localidade que permitisse sobreviver no deserto árido. Certamente uma região tão cobiçada e com tanta diversidade cultural seria palco de diversos conflitos, ascensões e quedas de impérios.

Por volta de 2350 a.C. os sumérios foram dominados pelo rei Sargão, soberano do povo acadiano. Sargão unificou diversos povos em um único governo, originando o primeiro Império Acadiano, um dos primeiros da história.

Em 1950 a.C. os amoritas dominaram a região mesopotâmica, erguendo então Babilônia, uma das cidades e centros comerciais mais famosos da região. O povo amorita só seria unificado por Hamurabi, o governante mais conhecido do período, entre 1792-1750 a.C.

Inaugurando o Primeiro Império Babilônico, o soberano era bastante habilidoso militarmente e politicamente. Foi o primeiro a registrar um código de leis, o Código de Hamurabi, conhecido pela célebre sentença “olho por olho, dente por dente”.

O código usa o princípio do Talião, ou retaliação, ou seja, uma punição na mesma medida do mal causado, por isto a frase. O escrito possui mais de 280 leis em mais de 3500 linhas, divididos em 46 colunas e foi entalhado em uma rocha de diorito de mais de dois metros de altura, para que tivesse ampla visibilidade entre a população. Apesar de origem babilônica, o Código de Hamurabi permanece em Paris, no Museu do Louvre, longe de sua região de origem.

Figura 5: O monólito do Código de Hamurabi e algumas de suas leis. Retirado de: https://goo.gl/XmqsyS Marcadores: Código de Hamurabi, leis, escritura.

Questões para fixar:

(UFCSPA/RS) A Mesopotâmia atual situa-se no Oriente Médio entre os rios Tigre e Eufrates, que ficam no atual Iraque, na região conhecida como Crescente Fértil. Seu nome vem do grego (meso=meio e potamos=água) e significa “terra entre rios”. A fertilidade desta região, localizada em meio a montanhas e desertos, deve-se à presença dos rios.

Sobre a civilização mesopotâmia, na Antiguidade Oriental, analisar os itens abaixo:

I – A estrutura social baseava-se na existência de uma pequena elite, controladora de uma vasta população que estava submetida ao trabalho compulsório, característica de um governo despótico, de fundamento teocrático, que domina todos os grupos sociais.

II – O Estado era responsável pelas obras hidráulicas necessárias para a sobrevivência da população, bem como pela cobrança de impostos e pela administração de estoques de alimentos.

III – Na religião mesopotâmia, o governante era representado e compreendido por seus súditos mais como uma divindade viva do que como um representante dos deuses.

IV – Em termos políticos, a Mesopotâmia caracterizou-se por ter, na instituição monárquica, personificada no governante, o seu principal fator de unidade.

Está(ão) CORRETO(S):

a) Somente o item I.

b) Somente os itens I e II.

c) Somente os itens I, III e IV.

d) Somente os itens II e IV.

e) Todos os itens.

Resposta: B

 (UFRN) As sociedades que, na Antiguidade  habitavam os vales dos rios Nilo, Tigre e Eufrates tinham em comum o fato de: 

a) terem desenvolvido um intenso comércio marítimo, que favoreceu a constituição de grandes civilizações hidráulicas. 

b) serem povos orientais que formaram diversas cidades-estado, as quais organizavam e controlavam a produção de cereais. 

c) haverem possibilitado a formação do Estado a partir da produção de excedentes, da necessidade de controle hidráulico e da diferenciação social. 

d) possuírem, baseados na prestação de serviço dos camponeses, imensos exércitos que viabilizaram a formação de grandes impérios milenares. 

Resposta: C

 (UPE) As sociedades da Antiguidade Oriental tiveram práticas sociais com influências marcantes das religiões e inventaram outras formas de conhecer o mundo. Na Mesopotâmia, ocorreu/ocorreram:

a) o predomínio de castas sacerdotais poderosas, mas que criticavam o poder existente e combatiam as superstições;

b) expressões artísticas pouco originais, direcionadas só para admiração dos deuses e das forças da natureza;

c) o uso da escrita cuneiforme, a descoberta do uso da raiz quadrada e a crença na ação de espíritos malignos causadores de doenças;

d) a crença em deuses antropomórficos, oniscientes e eternos que não eram adorados em templos;

e) uma arte direcionada para consagração dos feitos militares e não preocupada com a construção de uma arquitetura grandiosa.

Resposta: C

Sobre o(a) autor(a):

Guilherme Silva é formado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dá aulas de História em escolas da Grande Florianópolis desde 2016.