O que é um texto?

Nós os lemos a todo momento. Eles circulam e estão expostos em todas as esferas da atividade humana. Mas o que é, de fato, um texto? O que faz um texto ser um texto? Descubra lendo o nosso post preparado especialmente para esclarecer essas dúvidas.

Esta aula tem o objetivo de apresentar o conceito de texto, um elemento com o qual temos contato diário ao longo de toda nossa vida. Entretanto, nem sempre refletimos sobre a natureza do texto e sobre a sua definição. Trata-se de uma abordagem que é muito empregada nas questões de linguagens do Enem e de outros vestibulares.

Além disso, o seu conceito é importante não somente para a área de Linguagens, mas também para todas as outras, visto que o texto é a unidade de sentido utilizada por todas as questões desse e de outros exames, materializando-se de diferentes formas. O contexto e o conhecimento de mundo são dois aspectos que também serão explorados ao longo da nossa aula.

Texto por todos os lugares

Eles estão por toda parte. Nas ruas, na televisão, no cinema, no rádio, na internet, na igreja, nos museus, na minha e na sua casa. Nas fofocas, nas piadas, nas orações, nas aulas, nas palestras. Nos supermercados, nos barzinhos, nos tribunais, nos restaurantes, nos hotéis, nos clubes, nas lojas, nas escolas, nos hospitais, nas universidades.

Nos livros, nos álbuns, nos cadernos de anotações, nos gibis, nos jornais, nas roupas, nas embalagens, nas cores, nas formas, nas revistas, nos panfletos, nos convites, e até aqui. Isso mesmo! Ele está aqui, nesta aula, nos observando (ou sendo observado).

Enfim, poderíamos fazer uma lista gigante sobre onde podemos encontrá-los e como eles se manifestam. Nosso contato com eles se dá praticamente desde o nosso nascimento e, à medida que crescemos e ampliamos nossas atividades e nossa circulação social, esse contato tende a aumentar.

A entidade misteriosa e multifacetada a qual estamos nos referindo tem nome. É nosso amigo íntimo, de longa data. Estamos falando sobre o elemento-chave dos estudos da Língua Portuguesa, e até mesmo dos estudos de Literatura e de Redação: o texto.

Por ser tão presente, abundante e corriqueiro em nosso cotidiano, acabamos consumindo os textos sem pensar na particularidade de cada um. Uma coisa é certa: cada um possui uma finalidade específica em nossa sociedade e características relativamente estáveis.

Também podemos dizer que todo texto é destinado a um determinado público-alvo, além de possuir um discurso, uma ideologia, uma intencionalidade. Mas o que torna um texto como tal? E qual é a definição de texto? São duas perguntas simples e básicas para qualquer estudante determinado a investigar os labirintos da linguagem.

As respostas a essas duas questões devem estar na ponta da língua e nos pensamentos de qualquer um que deseja realizar as provas do Enem. Pois bem, vamos às respostas.

Geralmente, entendemos o texto como um conjunto de frases, ou seja, algo que foi feito para ser lido. Mas a definição de texto não é tão simples quanto parece. Imagine, por exemplo, que você está lendo um livro e, de repente, encontra em uma página qualquer um papel com a palavra “madeira”. Ora, certamente você ficará intrigado ou simplesmente não dará importância a isso.

Agora, vamos imaginar outra situação: você está no meio de uma floresta e ouve alguém gritar: “Madeira!”. Bem, se você pretende preservar sua vida, sua reação imediata é sair correndo. Isso acontece porque a situação em que você se encontra levou-o a interpretar o grito como um sinal de alerta.

o que é um texto
Madeira!

A partir desses exemplos simples, podemos chegar a algumas conclusões importantes. A primeira conclusão é a de que os textos não são apenas escritos, eles também podem ser orais. Ou seja, os textos não estão apenas em livros, na internet, nos gibis, ou outros suportes. Uma entrevista de emprego, uma fofoca, uma canção, uma palestra, e outras situações que se valem da oralidade, também são textos.

A segunda conclusão é a de que os textos não são simples amontoados de palavras ou frases, ou seja, eles precisam fazer sentido, precisam ser coerentes. Na segunda situação, uma única palavra foi capaz de transmitir uma mensagem de sentido completo, por isso ela pode ser considerada um texto.

Mas o que leva um texto a fazer sentido? Isso depende de alguns fatores de textualidade, como o contexto e o conhecimento de mundo. É o que vamos detalhar nos próximos parágrafos.

Contexto

O contexto pode ser:

  • explícito, quando é expresso por palavras (o texto em que se encontra a frase ou a frase em que se encontra a palavra);
  • ou implícito, quando está embutido na situação em que o texto é produzido.

Logo, a simples mudança de contexto faz com que a palavra “madeira” seja interpretada de maneiras diferentes. Na primeira situação, embora a palavra esteja dentro de um livro, ela está totalmente fora de contexto, por isso não produz sentido algum.

Já na segunda situação, a palavra “madeira” está contextualizada: você está no meio de uma floresta, e o grito que a pronuncia pode soar como um sinal de alerta, que uma árvore está caindo e é necessário ter o máximo de atenção para não ser atingido.

Conhecimento de mundo

Ao longo de sua vida, o leitor adquire conhecimentos utilizados durante a leitura e o contato com os textos. Ele constrói o sentido do texto quando articula diferentes níveis de conhecimento, entre eles o conhecimento de mundo.

Esse tipo de conhecimento costuma ser adquirido informalmente, através de nossas experiências pessoais e convívio em sociedade. Não somente na sala de aula e nas bibliotecas, mas quando você escuta uma música, quando aprecia uma obra de arte, quando assiste a um documentário, filme ou seriado, quando conversa com outras pessoas, etc.

Ativar seu conhecimento de mundo no momento certo pode ser útil tanto para salvar sua vida no meio da floresta ou para resolver questões do Enem. Não somente as questões de Linguagens: o conhecimento de mundo também é requisitado nas questões de Geografia, Sociologia, História, Biologia, Matemática…

Além das questões, o conhecimento de mundo, e o contexto também, são indispensáveis para o sucesso (a tão sonhada nota 1000!) da sua redação do Enem, isto é, o texto dissertativo-argumentativo que você produzirá a partir de um tema geralmente polêmico, uma questão problemática a ser solucionada.

A noção de texto nas provas do Enem
o que é um texto
Inestante, poema concreto de Augusto de Campos, é um formato de texto muito utilizado nas provas de Linguagens do Enem.

Até aqui, vimos que os textos podem ser orais ou escritos. Mas essa noção precisa ser ampliada, pois há textos que não contam com o auxílio da palavra, seja ela escrita ou oral. É o caso, por exemplo, da fotografia e da pintura. Dizemos, então, que há textos verbais e visuais. Há ainda textos que utilizam os dois recursos, como os filmes, que usam imagens, diálogos e legendas, os quais chamamos de textos verbo-visuais.

Então, chegamos ao conceito de texto mais ampliado e consistente: todo enunciado que faz sentido para um determinado grupo em uma determinada situação. No Enem, essa noção mais moderna de texto é a que vale. Se analisarmos as questões de Linguagens das últimas edições do exame, constataremos isso.

O Enem utiliza muito textos visuais e verbo-visuais, como charges, infográficos, histórias em quadrinhos, poemas concretos, pinturas, propagandas, caricaturas, fotografias, entre outros.

Dúvidas sobre texto e contexto? O professor Pasquale aprofunda esses conceitos nesta videoaula:

Exercícios

Questão 1 (Enem-2011)

O anúncio publicitário está intimamente ligado ao ideário de consumo quando sua função é vender um produto. No texto apresentado, utilizam-se elementos linguísticos e extralinguísticos para divulgar a atração “Noites de Terror”, de um parque de diversões. O entendimento da propaganda requer do leitor:

a) a identificação com o público-alvo a que se destina o anúncio.

b) a avaliação da imagem como uma sátira às atrações de terror.

c) a atenção para a imagem da parte do corpo humano selecionada aleatoriamente.

d) o reconhecimento do intertexto entre a publicidade e um dito popular.

e) a percepção do sentido literal da expressão “noites do terror”, equivalente à expressão “noites de terror”.

Questão 2 (Enem-2012)

Cartaz afixado nas bibliotecas centrais e setoriais da Universidade Federal de Goiás (UFG), 2011

Considerando-se a finalidade comunicativa comum do gênero e o contexto específico do Sistema de Biblioteca da UFG, esse cartaz tem função predominantemente:

a) socializadora, contribuindo para a popularização da arte.

b) sedutora, considerando a leitura como uma obra de arte.

c) estética, propiciando uma apreciação despretensiosa da obra.

d) educativa, orientando o comportamento de usuários de um serviço.

e) contemplativa, evidenciando a importância de artistas internacionais.

 

Questão 3 (Enem-2010)

MOSTRE QUE SUA MEMÓRIA É MELHOR DO QUE A DE COMPUTADOR

E GUARDE ESTA CONDIÇÃO: 12X SEM JUROS.

Campanha publicitária de loja de eletroeletrônicos. Revista Época. N° 424, 03 jul. 2006.

 Ao circularem socialmente, os textos realizam-se como práticas de linguagem, assumindo configurações específicas, formais e de conteúdo. Considerando o contexto em que circula o texto publicitário, seu objetivo básico é:

a) influenciar o comportamento do leitor, por meio de apelos que visam à adesão ao consumo.

b) definir regras de comportamento social pautadas no combate ao consumismo exagerado.

c) defender a importância do conhecimento de informática pela população de baixo poder aquisitivo.

d) facilitar o uso de equipamentos de informática pelas classes sociais economicamente desfavorecidas.

e) questionar o fato de o homem ser mais inteligente que a máquina, mesmo a mais moderna.

 

GABARITO

1- D

2- D

3- A

Sobre o(a) autor(a):

Texto produzido pelo Professor João Paulo Prilla para o Curso Enem Gratuito. JP é licenciado em Letras- Português, Inglês e respectivas Literaturas (2010) pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões e mestrando em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Ministra aulas de Literatura, Língua Portuguesa e Redação em escolas da Grande Florianópolis desde 2011.