Os persas – Conflitos culturais de uma região turbulenta

Turbine seus conhecimentos sobre o Império Persa e entenda como as relações culturais modificaram-se ao longo dos séculos. Revise História para o Enem!

Pérsia foi a denominação dada pelos gregos antigos à região que compreendeu a dominância dos reis aquemênidas, responsáveis pelo primeiro Império Persa. Os persas começaram a povoar a região do atual Irã, juntamente com diversos outros povos nômades, por volta de 2000 a.C.

Aproximadamente em 559 a.C. o povo persa unificou em torno da figura de Ciro, O Grande, por conta de suas vitórias militares e por sua habilidade de liderança e estratégia. Através de Ciro os persas puderam subjugar outros povos, expandir seu território e dar início à formação do território persa em uma configuração imperial.

O sucessor de Ciro foi Dario, tendo chegado ao poder aproximadamente em 522 a.C. Com o novo governante, o Império Persa aumentou seus domínios ainda mais, comandando cerca de 10 milhões de habitantes, que possuíam culturas, costumes, idiomas e religiões diferentes.

Com uma população tão plural, foram necessárias algumas medidas para controlar os povos da região. Dario então propôs um sistema único de impostas, uma legislação que abrangesse a todos.

Além disso, criou também um sistema de moedas unificado e diversas construções civis de estradas que proporcionavam um deslocamento facilitado entre as áreas do império. A rota mais conhecida foi denominada Estrada Real, ligando as cidades de Susa e Sardes.

mapa da persia
Figura 1: Mapa do Império Persa Retirado de: https://goo.gl/nJkv7E Marcadores: Império Persa, Mapa, Ciro.

A partir de 514 a.C. Dario intentou invadir os territórios gregos. Entretanto, enfrentou algumas derrotas. Este evento é conhecido como Guerras Médicas, ou também Guerras Greco-Pérsicas.

A derrota possibilitou a Grécia tornar-se temporariamente a maior potência da região oriental do Mediterrâneo. Em uma resposta lenta a estes conflitos, Xerxes I, filho de Dario, avançou sobre os domínios Gregos em aproximadamente 480 a.C. O confronto ocorreu no desfiladeiro das Termópilas, e envolveu mais de 300 mil soldados persas contra aproximadamente 7 mil soldados do lado grego.

Por dias, o exército grego foi capaz de bloquear a passagem pelos portões estreitos das Termópilas para impedir a invasão persa, até que um residente grego auxiliou o exército de Xerxes a encontrar um caminho alternativo que permitiu um avanço mais contingente.

Aos poucos o exército grego foi minado, até que o Rei Leônidas decidiu manter 300 soldados espartanos, juntamente com outros batalhões de téspios e tebanos para que a maior parte de seus soldados pudessem bater em retirada.

Esta batalha ficou bastante conhecida por conta das adaptações para histórias em quadrinhos e posteriormente para o cinema. Entretanto, é necessário analisar essas obras com cautela, já que, em nome do entretenimento, muitos acontecimentos, personagens e relatos são manipulados para que sejam mais épicos, tristes, emocionantes e outras intenções de seus produtores.

quadrinhos 300 persas
Figura 2: Comparativo entre cenas do filme 300 (2006) e o quadrinho Os 300 de Esparta (1998). Retirado de: https://goo.gl/3uD1pc Marcadores: Cinema, Os 300 de Esparta, Quadrinhos.

 

cena 300 persas x esparta
Figura 3: Cena clássica do filme retirada de forma muito semelhante aos quadrinhos. Tradução livre: Aqui é Esparta! Retirado de: https://goo.gl/y3uF6k Marcadores: Cinema, Quadrinhos, Os 300 de Esparta.

Religião dos persas

As principais contribuições da religião persa são ligadas às ideias de Juízo Final, o conceito de paraíso pós morte, da dicotomia entre bem e mal, da chegada de um messias e a ideia de ressurreição.

O profeta do Zoroastrismo é Zaratustra. Segundo relatos religiosos, teria ascendido à presença divina de Aúra-Masda, entidade que representa o Bem e opositora ao Mal, aglutinado na imagem do deus Arimã. A partir desta experiência, o profeta teria se dedicado à vida sacerdotal intensamente, através de pregações e peregrinações. Zaratustra também escreveu o Zend-Avesta, o principal texto sagrado zoroastrista, contendo hinos, orações, rituais religiosos e práticas civis.

A princípio, somente o deus Aúra-Masda era cultuado entre a população, entretanto, na prática, diversos outros deuses que representavam a força do bem e a constante luta contra as trevas também eram alvos de adoração. Uma crença muito presente entre os persas era de que a luta insistente contra o mal proporcionaria a vida eterna.

Pluralidade cultural e herança

O Império Persa proporcionou uma das primeiras oportunidades de povos distintos, em diversos aspectos como cultura, origem, idiomas e costumes diferentes, de conviverem em um território unificado. Essa configuração singular possibilitou um sincretismo cultural bastante intenso, ou seja, as diferentes características destes povos, por vezes, acabavam entrelaçando-se, o que dava origem a um novo costume.

As constantes disputas pela área de influência da antiga Pérsia, foram temas da história em quadrinhos Persépolis da franco-iraniana Marjane Satrapi. Na história a autora fala bastante sobre como o Irã historicamente foi alvo de diversas invasões, por ficar em uma região estratégica.

Mas, para além da geopolítica, ela fala de como esses conflitos duraram muito mais do que as longínquas batalhas da antiguidade clássica. Durante o século XX, o Irã entrou em guerra com o Iraque e com outros povos da região por conta da disputa pelo petróleo, conflito que envolveu não só interesses internos, mas intenções geopolíticas internacionais.

persepolis - aula sobre os persas
Figura 4: Tradução livre: “2500 anos de tirania e submissão”, como meu pai disse. Primeiro nossos próprios imperadores. Depois a invasão árabe pelo oeste. Seguida pela invasão mongol vinda do leste. E finalmente o imperialismo moderno. Marcadores: Persépolis, Marjane Satrapi, Quadrinhos.
Conheça mais sobre o quadrinho e a Revolução Iraniana através do podcast Historiador em Quadrinhos:

Marjane também apresenta sua experiência pessoal vivendo durante a revolução iraniana, a única revolução conservadora da história, transformando o irã em uma teocracia. Ou seja, um governo regido estritamente por regras religiosas, fato que acirrou ainda mais os conflitos políticos e econômicos entre Irã e as ideias ocidentais, muitas vezes representadas pela figura dos Estados Unidos.

É interessante percebermos que, se em outrora, a região da Pérsia foi imbuída de muita diversidade cultural em certa medida harmônica, a partir da segunda metade do século XX a cultura tornou-se um elemento crucial para o estopim de diversos conflitos.

persepolis e a regiao dos persas
Figura 5: Crianças sendo obrigadas a usar o véu, logo após a Revolução Islâmica (ou Revolução Iraniana), em 1979. Retirado de: https://goo.gl/9vadyf Marcadores: Quadrinhos, Persépolios Marjane Satrapi

 

Continue estudando sobre os Persas com a aula e paródia do prof. Felipe!

Para finalizar sua revisão e fixar melhor o conteúdo, resolva os exercícios que selecionamos para você:

(PUC-SP) Pode-se dizer que um dos elementos fundamentais da religião persa na Antiguidade, após Zaratustra, é:

a) o politeísmo, caracterizado pela prática da adoração dos ídolos zoomórficos nos templos religiosos.

b) o caráter local do culto, já que cada região possuía suas próprias divindades supremas.

c) o dualismo representado pela oposição entre o princípio do bem e do mal.

d) a estrita obediência por parte de toda a população dos preceitos religiosos contidos nos Vedas.

e) a descrença na imortalidade da alma e na ressurreição.

Resposta: C

(UFPB/2000) Com relação ao Império Persa, é incorreto afirmar:

A) Os persas desenvolveram uma administração relativamente descentralizada, com base nas satrapias.

B) As estradas e os correios foram bastante aperfeiçoados durante esse Império.

C) A religião persa era o zoroastrismo, que pregava a existência de uma luta entre o mal e o bem, na qual o bem só seria vencedor no dia do juízo final.

D) Os persas perseguiram ferozmente as religiões de outros povos, matando sacerdotes e destruindo templos, como foi o caso do templo de Salomão em Jerusalém.

E) Os povos dominados pelos persas eram obrigados a pagar tributos e fornecer homens para os exércitos do Grande Rei.

Resposta: D

(UFAM 2008)

1 – Os Persas foram, na Antiguidade, um dos povos mais importantes a ocupar a região da Mesopotâmia. Sobre sua história e cultura é possível afirmar que:

a) A vitória de Dario I sobre os Gregos marcou o início da ascensão Persa no Mediterrâneo, favorecendo a expansão da escrita cuneiforme e dos cultos monoteístas.

b) Desenvolveram uma religião própria, o Zoroastrismo, e começaram sua expansão territorial após as conquistas lideradas por Ciro, o Grande.

c) Famosos por suas obras arquitetônicas, os Persas construíram na Babilônia as maiores pirâmides da Mesopotâmia, tornando aquela cidade o centro de seu Império.

d) O declínio do Império Persa foi marcado pela derrota de Xerxes para os Assírios na batalha de Susa.

e) Adotando uma religião que opunha, de forma maniqueísta, o bem e o mal, os Persas dominaram o comércio mediterrâneo após conquistar o Egito, a Ásia Menor e a Macedônia, sob a liderança de Nabucodonosor.

Resposta: B

Sobre o(a) autor(a):

Guilherme Silva é formado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dá aulas de História em escolas da Grande Florianópolis desde 2016.