Propriedades periódicas

Revise as propriedades periódicas para entender melhor a tabela periódica! É Química para arrebentar em Ciências da Natureza no Enem!

Pode parecer só um monte de quadradinhos coloridos, mas o jeito como os elementos químicos são organizados na tabela periódica seguem uma periodicidade.

Você conhece as propriedades periódicas utilizadas para essa organização? Não? Então revise o assunto com esta aula para gabaritar as questões envolvendo Química no Enem e nos vestibulares!

Na classificação ou tabela periódica, os grupos reúnem elementos com semelhanças no comportamento químico.

Como a tabela periódica foi elaborada com base nas propriedades periódicas (químicas e físicas) dos elementos, analisando-a, podemos obter informações sobre eles, chegando-se assim a propriedades importantes. As propriedades podem ser divididas em periódicas (são as que se repetem de períodos em períodos) e aperiódicas (não se repetem de período em período).

As principais propriedades periódicas químicas dos elementos são: raio atômico, energia de ionização, eletronegatividade, eletropositividade e eletroafinidade.

Que tal rever cada uma delas?

Raio Atômico

O raio atômico é uma propriedade periódica difícil de ser medida. Pode-se considerar que corresponde à metade da distância (d) entre dois núcleos vizinhos de átomos do mesmo elemento químico ligados entre si.

propriedades periódicas - raio atômico
Raio atômico

Numa família o raio cresce de cima para baixo porque há um aumento no número de camadas ocupadas por elétrons. Num período o raio atômico cresce da direita para a esquerda, pois átomos situados mais à esquerda da tabela possuem carga nuclear maior. Isto se reflete na posição do elemento químico na Tabela Periódica.

propriedades periódicas - variação do raio atômico
Variação do raio atômico

Energia de ionização

É a energia mínima necessária que deve ser fornecida para que um átomo (ou íon) isolado em fase gasosa perca um elétron. Essa energia geralmente é medida de em elétron-volt (eV) – energia necessária para “arrancar” um elétron de um átomo neutro no estado gasoso. Essa energia em geral é expressa em elétron-volt (eV).

A primeira energia de ionização (EI1) é aquela requerida para remover o primeiro elétron de um átomo isolado no estado gasoso, a energia para remover o segundo elétron é chamada de segunda energia de ionização (EI2) e assim por diante. O  potencial de ionização aumenta periodicamente, conforme a figura abaixo:

propriedades periódicas - variação do potencial de ionização
Variação do potencial de ionização

Fique ligado(a)!

A primeira energia de ionização é sempre menor que a segunda, que por sua vez é sempre menor que a terceira. Isso ocorre porque, com a perda de elétrons, o íon fica cada vez mais positivo e, portanto, passa a atrair os elétrons com mais força.

Eletronegatividade

A eletronegatividade é a propriedade que um átomo de um elemento tem de atrair elétrons da ligação quando combinado com outro átomo. O átomo que atrai esses elétrons com mais força é mais eletronegativo. Na tabela periódica, a eletronegatividade apresenta uma tendência em aumentar de baixo para cima em um grupo e da esquerda para direita em um período, assim como a energia de ionização.

propriedades periódicas - variação da eletronegatividade
Variação da eletronegatividade na tabela periódica. Os gases nobres estão de outra cor para destacar sua elevada dificuldade de se combinar com outros átomos.

Portanto, o FLÚOR é o elemento mais eletronegativo na tabela periódica, ou seja, tem uma maior tendência em receber elétrons, em relação aos outros átomos.

Eletropositividade

É a capacidade que um átomo possui de se afastar de seus elétrons mais externos, em comparação a outro átomo, na formação de uma substância composta, ou seja, é a facilidade com que o átomo perde elétrons em uma ligação química. A eletropositividade cresce no sentido oposto da eletronegatividade: de cima para baixo nas famílias e da direita para a esquerda nos períodos.

propriedades periódicas - variação da eletropositividade
Variação da eletropositividade na tabela periódica

E agora, qual o elemento mais eletropositivo da tabela?

Acertou se você falou ou FRANCIO! Ele é o átomo com maior tendência em perder elétrons em uma ligação química.

Afinidade eletrônica ou eletroafinidade

É a quantidade de energia liberada quando um átomo gasoso, isolado e no seu estado fundamental, recebe 1 elétron. A quantidade de energia liberada pelo átomo será maior quanto mais fortemente o elétron atraído se ligar no átomo.

O comportamento da afinidade eletrônica na tabela periódica é parecido com a eletronegatividade: cresce de baixo para cima e da esquerda para a direita.

propriedades periódicas - variação da afinidade eletrônica
Variação da afinidade eletrônica na tabela periódica
Saiba mais sobre as propriedades da tabela periódica com a aula do CEG, nosso canal no youtube!

Para finalizar sua revisão, veja o exercício sobre propriedades periódicas dos elementos químicos que selecionamos para você!

1. Considerando as propriedades periódicas, indique a alternativa correta:

a) Para elementos de um mesmo período, a primeira energia de ionização é sempre maior que a segunda.
b) Com o aumento do número de camadas, o raio atômico, em um mesmo grupo, diminui.
c) Para íons de elementos representativos, o número do grupo coincide com o número de elétrons que o átomo possui no último nível.
d) Os elementos com caráter metálico acentuado possuem grande afinidade eletrônica.
e) Para elementos de um mesmo grupo, o volume atômico aumenta com o aumento do número.

2. Qual das opções abaixo apresenta a comparação errada relativa aos raios de átomos e de íons?

propriedades periódicas - exercícios

3. Considere o desenho a seguir, referente à tabela periódica dos elementos. A setas 1 e 2 referem-se, respectivamente, ao aumento de valor das propriedades periódicas

propriedades periódicas - exercício

a) eletronegatividade e raio atômico.
b) raio atômico e eletroafinidade.
c) raio atômico e caráter metálico.
d) potencial de ionização e eletronegatividade.
e) potencial de ionização e potencial de ionização.

Gabarito:

1.e, 2.e, 3.a

Sobre o(a) autor(a):

Munique é formada em química pela UFSC, tem mestrado e doutorado em Engenharia Química, também pela UFSC.