Como funciona o sistema excretor urinário

O sistema excretor tem a função de eliminar resíduos de substâncias resultantes do metabolismo intracelular e ingeridas na alimentação. Entenda como ele funciona!

Como resultado do metabolismo intracelular, todos os seres vivos necessitam expelir substâncias que foram produzidas, mas que podem ser inúteis, estar em excesso, ou até mesmo ser tóxicas para a célula. É o sistema excretor que garante que esse processo ocorra.

As plantas, por exemplo, precisam eliminar substâncias como o excesso de sal, por exemplo. No caso da siriúba (Avicennia schaueriana), por exemplo, uma planta presente em ambientes de mangue, as folhas possuem glândulas que permitem que o excesso de sal seja eliminado.

Siriúba - sistema excretor(A) Mangue-preto Avicennia sp., (B) folhas e flores de mangue-preto Avicennia sp., (C) excreção de sal em Avicennia sp. e (D) flor de Avicennia sp. Fonte: (A) Wikipédia (Domínio público), (B) Tarciso Leão/Flickr (CC BY 2.0), (C) Ulf Mehlig/Wikimedia Commons (CC BY-SA 2.5), (D) Bob Peterson/Flickr (CC BY 2.0).

Publicidade

Os humanos não somente precisam eliminar substâncias resultantes do metabolismo intracelular mas também substâncias ingeridas na alimentação. Até mesmo a água em excesso no nosso corpo pode desequilibrar a osmose das células, além de outras substâncias que não são biologicamente necessárias (cafeína, etanol de bebidas alcoólicas, etc).

Além disso, os rins ajudam na osmolaridade dos vasos sanguíneos. Isto é, na pressão arterial ao regular a quantidade de água e íons (tais como sódio, cloreto e potássio) e também controlar a concentração de água e sal (equilíbrio hidrossalino).

Composição do sistema excretor

O sistema excretor é composto basicamente pelos rins, os ureteres, a bexiga urinária e a uretra, como mostra a imagem a seguir.

Sistema urinárioIlustração dos órgãos que compõem o sistema urinário. Fonte: DUARTE, H. E. Anatomia Humana. 1ª ed. 2014.

Este conjunto de órgãos é responsável pela filtração do nosso sangue e eliminação de resíduos e substâncias intracelulares através da urina.

Rins

Os rins são órgãos pares, com formato semelhante ao de um feijão. Cada rim fica situado de um lado da coluna vertebral, junto à parede posterior do abdômen. São os principais órgãos excretores, essenciais para o equilíbrio iônico do sangue e manutenção da homeostase.

Além disso, os rins eliminam do corpo produtos metabólicos tais como a ureia, o ácido úrico e a creatinina.

Anatomia dos rins

Externamente, os rins são revestidos por uma membrana de tecido conjuntivo fibroso chamada de cápsula renal, como você pode observar na imagem a seguir:

Rim - sistema excretorIlustração da morfologia externa do rim. Fonte: DUARTE, H. E. Anatomia Humana. 1ª ed. 2014.

Para observar as estruturas internas dos rins, é preciso fazer um corte, pelo qual vemos uma região cortical (córtex) e uma região medular.

No córtex renal encontramos as unidades excretoras que são microscópicas, denominadas de néfrons. Estes podem ser encontrados em milhares num único rim.

Já na medula do órgão, encontramos estruturas que chamamos de pirâmides renais e que são compostas por túbulos coletores. Esses tubos são responsáveis por coletar a urina produzida pelos néfrons e encaminhar para a pelve renal.

A pelve renal (região que recolhe a urina), por sua vez, é uma estrutura em forma de taça, que resulta da convergência das pirâmides ou cálices renais. Assim, a urina produzida no córtex segue para os cálices em direção à pelve renal e, posteriormente, ao ureter.

É importante lembrar que os rins também fazem parte do sistema endócrino, já que são responsáveis por secretar certos hormônios, tais como o calcitriol, a renina, a eritropoetina, dentre outros. Alguns desses hormônios são produzidos pelas glândulas supra renais que, assim como o nome sugere, estão localizadas acima dos rins.

Estruturas internas do rimIlustração esquemática das estruturas internas do rim. Fonte: DUARTE, H. E. Anatomia Humana. 1ª ed. 2014.

Problemas nos rins

O mau funcionamento dos rins pode causar problemas graves como litíase renal (ou cálculo renal). Esse problema ocorre pela combinação de ácido úrico, oxalato de cálcio e fosfato de cálcio, podendo determinar a retenção de urina, dor e infecção por bloquear os ureteres.

Problemas mais graves também podem ocorrer, inviabilizando as funções renais e impedindo que as excretas sejam eliminadas. Através de transplantes de rins pode-se prevenir a morte de um indivíduo, e com a hemodiálise pode ser feita a retirada de substâncias nocivas no sangue.

Néfrons

Como vimos anteriormente, os néfrons estão presentes em grande quantidade dentro dos rins e são as unidades funcionais desses órgãos. Isso porque os néfrons são estruturas tubulares que permitem que, ao percorrê-lo, o filtrado proveniente do sangue sofra modificações essenciais para o processo de filtração e reabsorção de água e outras substâncias.

Rim e néfrons(A) Principais características morfológicas renais; (B) relação entre néfron e os capilares. (Adaptado de MCKINLEY,O’LOUGHLIN,2002)

Ureter

O ureter é um tubo muscular formado pelo estreitamento da pelve renal. Com aproximadamente 25 cm de comprimento, o ureter é a estrutura do sistema excretor responsável por levar a urina dos rins até à bexiga urinária.

Ureter - sistema excretorDesenho esquematizando as regiões do ureter. (DUARTE, H. E. Anatomia Humana. 1ª ed. 2014)

Bexiga urinária

A bexiga se assemelha a uma bolsa e é capaz de reter a urina temporariamente, sendo que tem capacidade para armazenar em torno de 300ml.

Nela encontramos um músculo chamado detrusor, que compõe a camada mais espessa e é responsável pela contração da bexiga, ou seja, seu esvaziamento.

Bexiga externa - sistema excretorBexiga - sistema excretorIlustração esquemática da região externa e interna da bexiga urinária. Fonte: DUARTE, H. E. Anatomia Humana. 1ª ed. 2014.

Uretra

Da porção inferior da bexiga sai a uretra, um tubo fibromuscular por onde ocorre a expulsão da urina.

Em , somente a urina passa pela uretra. Já em pessoas com pênis, além da urina, passa também o sêmen. Neste último, a uretra é maior (20 cm, enquanto que na vulva a uretra possui apenas 4 cm), devido à anatomia do pênis.

Pelve de uma pessoa com pênisIlustração esquemática da pelve de uma pessoa com pênis. Fonte: DUARTE, H. E. Anatomia Humana. 1ª ed. 2014

Formação da urina

O processo de formação da urina é, basicamente, uma filtração e reabsorção seletiva, regulado por mecanismos hormonais e nervosos.

Durante a filtração, o que acontece é que o líquido coletado e filtrado é composto basicamente pelo plasma sanguíneo, o qual contém, essencialmente, ureia, glicose, vitaminas, água, sais e aminoácidos. Nele não encontramos proteínas, pois elas possuem um grande peso molecular e, por isso, não atravessam os capilares de entrada nos rins.

Já na reabsorção, moléculas como a de água são reabsorvidas passivamente por osmose. Diferentemente da água, a molécula de glicose, aminoácidos e íons necessitam do transporte ativo para serem reabsorvidos ao longo dos néfrons.

Além disso, existe um mecanismo de secreção ativa que elimina o íon H+ do plasma para os túbulos dos rins.

Como nem todas as substâncias são reabsorvidas, a urina pode ser um bom indicador de possível utilização de drogas (como ocorre com atletas no exame de doping).

Composição da urina

A urina humana pode apresentar cerca de 95% de água e outros 5% de substâncias como glicose, creatinina, ureia e sódio, variando conforme a condição de cada indivíduo.

Regulação da diurese

A diurese é o processo de eliminação da urina, diretamente ligado ao volume de líquidos corporais, seja no plasma ou em nossos órgãos e tecidos.

O ADH (Hormônio antidiurético) é responsável pelo aumento da permeabilidade dos túbulos do sistema excretor.

Assim, em dias muito quentes, por exemplo, a diurese torna-se menor. Isso porque com o aumento da perda de água, a concentração plasmática aumenta, estimulando osmorreceptores que atuam no equilíbrio osmótico do plasma.

Outro mecanismo que regula a diurese é um hormônio chamado aldosterona, cuja função principal é aumentar a reabsorção de sódio, fazendo com que o organismo retenha mais água.

Videoaula sobre sistema excretor

Para finalizar seus estudos sobre sistema excretor, confira a videoaula e, sem seguida, responda aos exercícios:

Exercícios sobre sistema excretor

1- (FCM-PB/2020)

Nosso organismo recebe do sangue as substâncias nutritivas, e, abandonam ao sangue os compostos tóxicos resultantes do complexo fenômeno da nutrição. Esses produtos tóxicos na sua grande maioria são eliminados pela ação do trato urinário, e a outra pequena parte, são eliminadas através das glândulas sudoríparas, por meio do suor. Assinale a alternativa que associa corretamente as estruturas do sistema urinário representadas em algarismos romanos com suas funções representadas por letras.

I. Néfron.

II. Uretra.

III. Ureter.

IV. Bexiga.

V. Ducto coletor.

A. Bolsa de parede muscular localizada na cavidade pélvica, atrás da sínfise pubiana.

B. Produz a urina através da filtração e da reabsorção.

C. Conduz a urina produzida até a papila renal, daí para os cálices menores, maiores e pelve renal.

D. Conduz a urina para o meio externo.

E. Transportam a urina dos rins para a bexiga.

Assinale a alternativa correta:

a) I-C; II-B; III- D; IV-A; V-E.

b) I-E; II-D; II-A; IV-B; V- C.

c) I-B; II-D; III-E; IV-A; V-C.

d) I-B; II- C; III-D; IV- A; V-E.

e) I-C; II-D; III-E; IV-A; V-B.

2- (Mackenzie-SP/2019)

Dentro de cada rim humano, há cerca de um milhão de néfrons, consideradas as principais estruturas filtradoras de sangue do corpo humano. O esquema abaixo mostra de forma sucinta as principais partes de um único néfron.

Partes de um néfronFonte da ilustração: http://www.planetabio.com.br/excrecao.html (acesso em 04 de abr. 2019)

É correto afirmar que em:

a) 1 ocorre o processo de filtração glomerular, em que moléculas de grande peso molecular se deslocam, por difusão, dos capilares sanguíneos para o interior da cápsula renal (ou néfrica).

b) 2 se desloca o filtrado glomerular, cuja concentração é superior à concentração da urina, que se forma no final do processo.

c) 3 se desloca o filtrado glomerular que, à medida que se desloca pelo restante dos túbulos renais, vai adquirindo menores quantidades de ureia e ácido úrico.

d) 4, 5 e no tubo coletor, ocorre ação do hormônio antidiurético (ADH), responsável pelo aumento do processo de reabsorção passiva de água.

e) 5 ocorre reabsorção passiva de glicose, aminoácidos e sais minerais contidos no interior do filtrado glomerular.

3- (FCM PB/2017)

Durante uma trilha, realizada na Chapada dos Guimarães, um grupo de turistas perdeu-se de seu guia. Durante toda a manhã e parte da tarde, o grupo que estava perdido permaneceu sem água e debaixo de sol, o que fez com que eles sentissem cada vez mais sede. Em consequência desse fato, o sistema excretor desses indivíduos teve um acréscimo em um dos seus processos funcionais.

Baseado no exposto, analise as proposições abaixo como verdadeiras ou falsas e assinale a alternativa correta:

( ) produziu urina mais concentrada e células do encéfalo estimula a hipófise a liberar ADH.

( ) produziu uma urina diluída e escassa estimulando a hipófise a liberar menos ADH.

( ) com a ingestão de menos água, há uma expansão maior nos átrios cardíacos liberando hormônio PNA ( peptídeo natriurético atrial).

( ) a vasopressina sintetizada no hipotálamo, controla a reabsorção de água nos filtrados glomerulares. Com a ingestão de pouca água, o resultado é uma maior reabsorção de água pelos túbulos renais.

Está correta a letra:

a) V,F,V,F

b) V,F,F,V

c) F,F,V,F

d) F,F,V,V

e) V,F,F,F

GABARITO:

  1. C
  2. D
  3. B

REFERÊNCIAS:

FARIA, M. S. et al. Fisiologia Humana. 1ª ed. Universidade Federal de Santa Catarina, 2009. 253 p.

DUARTE, H. E. Anatomia Humana. 1ª Edição. Universidade Federal de Santa Catarina, 2014. 175 p.

JUNIOR, C. S.; SASSON, S.; JUNIOR, N. C. Biologia. 11ª Edição (Volume 2) – São Paulo, SARAIVA, 2013.

Sobre o(a) autor(a):

Eneli Gomes de Lima é graduanda na Universidade Federal de Santa Catarina desde 2018. Atualmente faz parte do laboratório de Biologia de Formigas e também do Programa de Educação Tutorial (PET) - Biologia, no qual atua na extensão Miolhe sobre gênero e sexualidade.

Compartilhe: