Vegetação brasileira: tipos, características e mapa

Para a Geografia, paisagem natural é somente aquela que apresenta características naturais de um determinado espaço geográfico. Vamos revisar quais são as paisagens naturais brasileiras?

Podemos classificar como paisagem natural a interação entre os elementos naturais (não alterados pelo homem) em determinado recorte espacial. Mesmo que atualmente sejam poucas as áreas onde a ação antrópica não se torna presente, a predominância de características naturais permite que certos aspectos marquem determinadas paisagens. Nesta aula, vamos falar da vegetação brasileira e das paisagens e características encontradas em cada uma.

Vegetação brasileira

As paisagens naturais brasileiras, são então, compostas pela interação entre as características naturais de cada localidade do país. A paisagem natural geralmente é composta pelos elementos que a nossa visão destaca, aquilo que se sobressai ao olharmos uma paisagem. Deste modo, podemos dizer que a vegetação é o que mais caracteriza uma paisagem natural.

A vegetação é o que mais nos chama a atenção pelo fato de possuir uma apresentação mais homogênea em questão de porte, densidade e das demais características que se destacam. Sendo assim, vamos para os tipos de vegetação natural brasileira.

Publicidade

mapa da vegetação brasileira

Mata Atlântica

A Mata Atlântica é uma vegetação típica das regiões de clima tropical e subtropical, com predominância de espécies com folhas latifoliadas. Apresenta composição variada em relação ao porte, variando de plantas de porte pequeno, a plantas de porte alto. Destaca-se pela sua densidade e por compor a paisagem de ambientes úmidos.

Em geral a Mata Atlântica possui solo pobre e é a vegetação brasileira mais degradada. Atualmente, somente 7% da Mata Atlântica é original, sendo o restante, mata secundária. Sua degradação deve-se principalmente à extração de madeira e à agricultura de produtos que não exigem solo rico em nutrientes. Estende-se pelo litoral brasileiro e em algumas partes mais continentais do país.

densidade da mata atlantica
Figura 2: Imagem ilustrando a densidade da Mata Atlântica.

Floresta Amazônica

Conhecida pela sua grande extensão de mata latifoliada em zona de clima equatorial, a Floresta Amazônica abriga uma enorme quantidade de espécies vegetais características do norte do Brasil. Milhares destas espécies encontram-se em extinção, fora as que já foram extintas pela intensa exploração antrópica.

Sua vegetação de folhas largas, também é uma vegetação que compõe uma floresta densa, com plantas capazes de atingir o porte alto.

Apesar de ser considerada o pulmão do planeta, esta é uma visão equivocada, pois a maior parte da liberação de oxigênio é proveniente da fotossíntese das espécies marinhas.

floresta amazonica vegetação brasileira
Figura 3: Formação vegetal da Floresta Amazônica.

Cerrado

Chamada também de “savana brasileira”, esta formação vegetal que compõe o planalto central brasileiro, é característica de clima tropical de altitude, compondo a segunda maior formação brasileira.

A vegetação do cerrado apresenta a maior biodiversidade do mundo, mesmo que ao analisarmos sua paisagem, seu visual rasteiro pareça não ter muita importância. O cerrado é o berço de muitas espécies de gramíneas, que apesar de não atingirem grandes alturas, são espécie importantes.

Além de gramíneas, a formação vegetal do cerrado é composta por arvoretas retorcidas. Atualmente esta formação vegetal vem sendo devastada pelo plantio de soja e pela pecuária.

cerrado da vegetação brasileira
Figura 4: Paisagem natural do centro-oeste brasileiro (Cerrado).

Pantanal

Essa formação possui uma vegetação que ocupa as planícies alagadas dos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A formação vegetal do Pantanal mato-grossense localiza-se em uma faixa de transição. Ou seja, é uma vegetação composta por uma variedade de espécies das demais formações que a circundam.

Por localizar-se em uma região de grandes banhadões abastecidos pelas cheias dos rios, este tipo de vegetação desenvolve-se somente nas épocas do ano onde o fluxo dos rios diminui.

pantanal mato-grossense
Figura 5: Banhados do Pantanal mato-grossense.

Caatinga

Típica do semiárido brasileiro, a vegetação da caatinga é encontrada no nordeste brasileiro. É marcada pela sua paisagem semidesértica e de espécies de plantas contorcidas e com a presença de espinhos.

As espécies da caatinga são adaptadas às temperaturas elevadas e à falta de água, armazenando em seu corpo a água durante os períodos de chuva para sobreviver durante os períodos de seca.

caatinga brasileira
Figura 6: Cactáceas em meio à Caatinga.

Mata dos Cocais

A Mata dos Cocais, região de transição entre a Floresta Amazônica e a Caatinga, é uma vegetação que pode ser encontrada no nordeste brasileiro, na região meio-norte.

Ocupando os estados do Maranhão, Piauí, Ceara, Pará e Tocantins, abriga espécies da família das palmeiras e coqueiros, como babaçu e a carnaúba. Leva este nome justamente pela grande presença de cocais, que são a fonte de renda das famílias locais por meio do extrativismo vegetal.

Suas espécies possuem grande valor comercial, pois além do consumo dos frutos na alimentação, é possível extrair delas a cera, a glicerina, o álcool, as fibras e o óleo. Também se encontra ameaçada por conta do desmatamento para plantação da soja.

mata dos cocais vegetação brasileira
Figura 7: Paisagem da Mata dos Cocais.

Mangue

A vegetação de mangue compõe o ecossistema costeiro chamado de Manguezal. Estende-se por toda a costa litorânea brasileira, estando presente em zonas tropicais e subtropicais.

Esta formação vegetal compõe a transição entre o ambiente marinho e o terrestre, surgindo do contato entre os rios e mares. Como o ambiente dos mangues é bastante lodoso, o solo possuí pouca oxigenação, devido a grande quantidade de matéria orgânica acumulada.

Leva este nome pois, por conta do ambiente lodoso, a espécie predominante é o Mangue, que possui três tipos: Mangue branco, Mangue vermelho e Mangue preto. É uma vegetação bastante devastada por conta da  ocupação desenfreada, ocasionada pelo forte turismo do litoral brasileiro.

mangue
Figura 8: Raízes expostas da vegetação de mangue.

Mata de Araucárias

A Mata de Araucárias leva este nome pela predominância do pinheiro brasileiro, a Araucária. Estende-se pelas regiões serranas do oeste catarinense e pelo estado do Paraná, aparece ainda, em algumas regiões do Rio Grande do Sul.

Marcada pela exploração extrativista, atualmente a Mata de Araucárias estende-se por regiões esparsas, não apresentando uma continuidade, ou densidade marcante e significativa.

Desenvolve-se nas áreas de maior altitude do clima subtropical, pois necessita de temperaturas inferiores para seu desenvolvimento.

mata das araucárias
Figura 9: Vegetação esparsa da Mata de Araucárias.

Campos sulinos

Vegetação característica do Rio Grande do Sul, região de clima subtropical, conhecida também como “pampas”. É uma formação vegetal composta basicamente por gramíneas e capim. Por possuir vegetação rasteira, esta é conhecida historicamente pelo uso destinado à pecuária.

pampas e campos sulinos
Figura 10: Gado em meio aos pampas do Rio Grande do Sul.

Estas categorias nos ajudam a entender as características da vegetação que compõe as paisagens naturais do território brasileiro.

Videoaulas sobre vegetação brasileira

Para revisar ou aprender mais sobre a vegetação brasileira, assista as duas videoaulas a seguir, gravadas pelo professor Carrieri, de Geografia.

Questões sobre a vegetação brasileira

.

Sobre o(a) autor(a):

Este texto foi elaborado pelo geógrafo e professor de Geografia Marcelo de Araújo para o Curso Enem Gratuito. Marcelo é formado em Geografia (licenciatura) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atualmente trabalha como autônomo. https://www.facebook.com/mdearaujo22

Compartilhe: