Formas nominais do verbo: infinitivo, gerúndio e particípio

Aprenda agora como usar e quais as funções do infinitivo, particípio e do gerúndio. Os verbos não apresentam flexão de tempo e modo e, assim, perdem algumas das suas principais características. Veja com exemplos de Português para o Enem, que é pra gabaritar na prova de Linguagens.

Nesta aula você vai aprender as formas nominais dos verbos. Essas formas são também chamadas de verbos não finitos. As formas nominais dos verbos são chamadas deste modo porque desempenham papel semelhante aos dos substantivos, adjetivos ou dos advérbios.

Formas nominais dos verbos

Nesta forma, os verbos não apresentam flexão de tempo e modo e, assim, perdem algumas das suas principais características.

As formas nominais do verbo são três: infinitivo, gerúndio e particípio. Preste atenção para não errar nas questões das formas nominais dos verbos nos vestibulares, concursos e no Enem.

Publicidade

Confira uma introdução com a professora Mercedes, do canal do Curso Enem Gratuito, para você dominar logo os fundamentos desta matéria sobre as formas nominais do verbo:

Infinitivo

Todo verbo é reconhecido por meio do infinitivo quando está terminado em AR (1º conjugação), ER (2º conjugação) ou IR (terceira conjugação). Para compreender melhor, observe os exemplos:

1. Ela amou a surpresa do professor!

O verbo “amou” tem como infinitivo o verbo “AMAR” (1º conjugação).

2. A candidata tinha certeza da aprovação.

O verbo “tinha” tem como infinitivo o verbo “TER”  (2º conjugação).

3. João havia ido até o cursinho ontem.

Verbo “havia” é conjugado como “HAVER” (1º conjugação) e “ido” como verbo “IR” (3º conjugação).

Classificação do infinitivo

Os verbos do infinitivo podem ser classificados em infinitivo pessoal (flexionado) e infinitivo impessoal (não flexionado). Essas formas verbais são utilizadas em situações distintas. Vamos ver?

Infinitivo pessoal

O infinitivo pessoal é utilizado principalmente em situações em que temos um sujeito definido ou em que pretendemos definir esse sujeito. As terminações do infinitivo pessoal são iguais às do futuro do subjuntivo nos verbos regulares. Veja alguns exemplos de flexão do infinitivo pessoal:

  • Verbo julgar: julgar, julgares, julgar, julgarmos, julgardes, julgarem
  • Verbo correr: correr, correres, correr, corrermos, correrdes, correrem.
  • Verbo sorrir: sorrir, sorrires, rir, rirmos, rirdes, rirem.

Agora, observe alguns exemplos de uso desse modo verbal:

A banca parou para eles julgarem o quadro.

Foi essencial correrem atrás das provas.

A professora pediu para os alunos sorrirem para a foto.

Infinitivo impessoal

O infinitivo impessoal é comumente utilizado em locuções verbais. Também podemos observar seu uso em verbos preposicionados, assim como quando não há um sujeito definido.

Veja alguns exemplos de uso do infinitivo impessoal:

Nós queremos entender o uso das formas nominais do verbo.

Meus filhos gostam de ouvir histórias antes de dormir.

É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã.

Gerúndio

A forma verbal do gerúndio expressa o processo que ocorre a ação. O gerúndio caracteriza-se pela terminação “ndo”. Veja alguns exemplos:

Julgando – correndo – sorrindo

Esta forma verbal não se flexiona e pode exercer tanto o papel de advérbio quanto o de adjetivo.

Resumo sobre o Gerúndio:

Veja agora com a professora Kel, do canal do Curso Enem Gratuito, um resumo rápido para você nunca mais equecer o que é o Gerúndio:

Observe algumas orações com verbos no gerúndio:

Estavam julgando todos os candidatos naquele momento de prova.

Disse “adeus” correndo.

Todos estavam sorrindo com o resultado da aprovação.formas nominaisFigura 1 – exemplo de uso de gerúndio

Particípio

A forma verbal do particípio expressa o resultado da ação. Veja os exemplos, comparando o seu sentido com o dos verbos que acabamos de ver no gerúndio.

Julgado – corrido – sorrido

A forma verbal do particípio pode ser regular ou irregular.

Particípio regular

O particípio regular se caracteriza pela terminação -ado, -ido. Observe os exemplos a seguir:

Tinha julgado o candidato pela aparência.

O professor tem aceitado todas as provas atrasadas.

A água tinha sido benzida para o momento da avaliação.

Particípio irregular

O particípio irregular pode exercer o papel de adjetivo. Veja os exemplos:

Ele adora batata frita!

Os aprovados foram aceitos com louvor!

Todos beberam a água benta.

Agora que você revisou as principais características das formas nominais dos verbos, leia e analise criticamente a crônica “A matutar” de Luis Fernando Veríssimo sobre o uso do gerúndio.

A matutar

No dia 22 de Abril de 1500, Pedro Álvares Cabral não estava descobrindo o Brasil, estava a descobrir o Brasil. Um dos grandes mistérios da nossa história e da história da nossa língua em comum é: porque é que o gerúndio (forma nominal do verbo caracterizada pelo sufixo “ndo”), que quase não é usado em Portugal, é tão usado no Brasil? Já se disse que a diferença entre o português brasileiro e o português português é uma questão de tempo e de espaço. Os portugueses falariam como falam, correndo (ou a correr), comendo (ou a comer) sílabas, trocando o gordo “o” pelo menos expansivo “u”, porque lhes falta o espaço e o tempo, que encontraram nas colônias, para palavras inteiras e dicção pausada. Seria uma língua apertada. Mas isto não esclarece o mistério do gerúndio. 

Atribui-se a proliferação do gerúndio no português brasileiro à influência do inglês, que teria provocado o gerundismo, ou o hábito de empregar o gerúndio, mesmo quando não cabe ou não se deve. Existe até um nome para o uso excessivo do gerúndio: endorreia. Uma palavra suficientemente horrível para fazer os portugueses se sentirem vingados por tudo o que fizemos com a língua do Cabral. Digam o que disserem, de endorreia eles nunca sofreram. (…)

Texto publicado originalmente em: https://gauchazh.clicrbs.com.br/colunistas/luis-fernando-verissimo/noticia/2016/05/matutando-5806374.html

Videoaula sobre classificação dos verbos

Veja também nossa aula sobre classificação de verbos para o Enem:

Exercícios  

.

Sobre o(a) autor(a):

Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Andressa da Costa Farias para o Blog do Enem. Andressa é formada em Letras Português e Literatura Brasileira pela Universidade Federal de Santa Maria. E atualmente cursa Doutorado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Colabora eventualmente escrevendo crônicas para o jornal Diário de Santa Maria (RS) das quais posta no blog pessoal: www.andressacf.blogspot.com Facebook: https://www.facebook.com/andressa.dacostafarias

Compartilhe: