Guerra dos Emboabas: o que foi, causas e consequências

Guerra dos Emboabas foi um conflito motivado pelo direito de exploração do ouro em Minas Gerais. Opôs paulistas e imigrantes brasileiros e portugueses entre 1707 e 1709.

O que foi a Guerra dos Emboabas?

A Guerra dos Emboabas foi um conflito entre paulistas e imigrantes brasileiros e portugueses que ocorreu de 1707 a 1709 em Minas Gerais. A motivação do conflito foi o direito de explorar as minas de ouro que haviam sido descobertas há pouco mais de uma década.

De um lado estavam os bandeirantes paulistas, que foram os responsáveis pelo descobrimento do minério. Do outro, estavam os chamados emboabas, que eram aqueles que haviam migrado para a região em busca de enriquecimento na mineração.

Quem eram os emboabas?

A palavra emboaba significa “forasteiros” ou “estrangeiros”. Ela tem origem em buaba, que em tupi significa “ave de patas emplumadas”. Os imigrantes que chegavam em Minas Gerais começaram a ser chamados assim pelos paulistas pelo fato de usarem botas de canos longos. Por isso foram associados às aves. Portanto, emboabas eram todos aqueles que iam para a região das minas, com exceção dos paulistas.

Contextualização

No fim do século XVII, a principal atividade econômica do Brasil era a produção de açúcar. No entanto, a economia açucareira estava em crise. Com a invasão holandesa, os estrangeiros aprenderam as técnicas utilizadas nos engenhos do Nordeste.

Assim, após deixarem o território da colônia em 1654, os holandeses puderam iniciar sua própria produção em suas colônias no Caribe. Com isso, os preços do açúcar despencaram e o produto brasileiro foi perdendo espaço no mercado europeu.

Foi nesse contexto que o ouro foi descoberto no Brasil. Naquela época, eram organizadas numerosas expedições de bandeirantes pelo interior da colônia. Apesar de seu objetivo principal ser o apresamento de indígenas, os bandeirantes paulistas também buscavam por metais preciosos.

Em 1693 foi descoberto o primeiro campo aurífero em Minas Gerais. Nos anos seguintes, outras jazidas foram descobertas. A principal delas foi encontrada pelo bandeirante Borba Gato em 1695, nas proximidades do rio das Velhas. Ali se desenvolveu um importante centro urbano chamado Vila Velha. Mais tarde, o local se transformaria na cidade de Ouro Preto. Assim começava o ciclo do ouro.

A notícia da descoberta do ouro foi espalhada rapidamente e logo surgiu um grande movimento migratório em direção às minas. Pessoas de várias partes da colônia iam para Minas Gerais – especialmente da região açucareira que estava em declínio. Muitos portugueses também vieram para o Brasil tentar a sorte.

Mas ao chegarem lá, tiveram que lidar com os contrariados bandeirantes. As desavenças dos dois grupos levariam a um conflito armado que seria chamado de Guerra dos Emboabas.

Bandeirantes a caminho das minas - Guerra dos Emboabas
Entrada das minas, pintura de Oscar Pereira da Silva, 1920.

Quais foram as causas da Guerra dos Emboabas?

A principal causa da Guerra dos Emboabas foi o poder sobre a região das minas. Os paulistas acreditavam que deveriam ter exclusividade do direito de explorar as terras por terem descoberto que elas escondiam riquezas. Por isso não aceitavam que pessoas de outras partes da colônia tivesses os mesmos direitos sobre a região.

Mas não era apenas as riquezas da exploração do ouro que estavam em jogo no enfrentamento de paulistas e emboabas. Eles também disputavam cargos concedidos pela Coroa. Quem tivessem destaque na nova região que havia se tornado central para Portugal, poderia obter uma série de privilégios junto à Coroa e construir uma carreira administrativa.

Além disso, outra atividade que era muito lucrativa nas minas era a de contrato. Os contratadores tinham o direito de cobrar os impostos sobre alguma atividade ou ter o monopólio sobre o comércio de algum produto ou na alfandega de um porto.

Na região das minas, o contrato que mais gerava lucro era sobre o comércio de carne. Enquanto alimentos como milho e feijão eram associados aos escravos, a carne era sinal de abastança entre os brancos.  De acordo com a historiadora Adriana Romeiro, em 1707 era possível enriquecer mais rápido com o comércio de carne do que com a atividade de mineração.

Em resumo, as principais causas da Guerra dos Emboabas foi a disputa pelos territórios auríferos, pelos privilégios junto à Coroa e pelos contratos. Como os bandeirantes se colocaram contra os imigrantes, ambos os grupos tinham muito a perder caso a metrópole escolhesse um dos lados.

Onde e como ocorreu o conflito

Os conflitos entre paulistas e emboabas ocorreu na região do rio das Velhas e do rio das Mortes, ambos em Minas Gerais. Os primeiros confrontos ocorreram na região de de Sabará, Caeté, Vila Rica e São João Del Rey e já contaram com várias mortes.

No ano seguinte, em 1708, o conflito ganhou proporções maiores. No lado dos paulistas, quem comandava era o bandeirante Borba Gato (1649 – 1718). Já os emboabas eram liderados pelo português Manuel Nunes Viana (?-1738), que era um dos maiores comerciantes da região das minas. Portanto, ambos representavam bem os interesses de seus grupos.

Borba gato - Guerra dos Emboabas
Representação de Borba Gato produzida no século XX.

Com o objetivo de expulsar os bandeirantes de vez, Nunes Viana reuniu um exército de 3 mil homens. Aos poucos, os paulistas foram sendo afastados da região das primeiras minas. Eles perceberam que estavam em desvantagem e começaram a voltar para São Paulo ou a ir para os atuais estados de Goiás e Mato Grosso, onde descobriram novas minas de ouro.

Em 1709, os bandeirantes restantes se renderam sob a promessa de que suas vidas seriam poupadas. No entanto, eles foram traídos. Cerca de 300 paulistas foram assassinados às margens do rio das Mortes no episódio que ficou conhecido como Capão da Traição. Foi assim que terminou a Guerra dos Emboabas.

Quais foram as consequências da Guerra dos Emboabas?

Com o fim do conflito, os emboabas saíram vencedores e ficaram com o poder sobre a região mineradora. No entanto, ao fim do conflito, a Coroa portuguesa percebeu que, se quisesse ficar com as riquezas, teria que assumir a exploração do ouro. Foi nesse momento que foram criadas as Intendências de Minas e impostos como o quinto e a capitação.

Apesar da derrota dos bandeirantes, a Coroa concluiu que eles eram peça importante na continuidade e expansão da atividade mineradora. Afinal, eram os bandeirantes que encontravam novas minas. Além disso, a metrópole também se utilizava dos paulistas na repressão de grupos indígenas e quilombos.

Devido à importância conferida aos bandeirantes, a Vila de São Paulo foi elevada à cidade em 1711. Além disso, o território que pertencia ao Rio de Janeiro e São Vicente foi dividido. Assim nasceu a capitania de São Paulo e Minas do Ouro. Mais tarde, em 1720, Minas de Ouro seria separada definitivamente e receberia um novo nome: Minas Gerais.

Para saber mais sobre a Guerra dos Emboabas, confira este vídeo do canal “Se liga nessa história”:

Exercícios:
1 – (UFT TO/2020)   

O contexto colonial do século XVIII, em muito era marcado pelo poder dos homens potentados. A historiografia do período assim caracteriza esses homens: ricos e poderosos; protegidos por uma vasta cadeia de clientela; impunham o poder pela força; atraíam para seus domínios todos os tipos de fugitivos e criminosos; desqualificavam seus adversários com trocadilhos cômicos e ofensas em público.

Os confrontos entre os potentados criavam constantes situações de violência, como a verificada entre Manuel Nunes Viana e Jerônimo Pedroso, em razão do sumiço de uma espingarda, fato que se tornou uma das motivações para o desencadeamento da

a) Guerra dos Mascates, ocorrida em 1710-1711, que revelou a contrariedade dos senhores de engenho em relação ao comércio itinerante.

b) Conjuração Mineira, conspiração da elite mineira contra o governo português e a ameaça da derrama, ocorrida em 1789.

c) Guerra dos Emboabas, uma série de conflitos entre os paulistas descobridores de minas e forasteiros, ocorrida entre 1707 e 1709.

d) Conjuração Baiana de 1798, uma revolta dos homens livres e pobres, inclusive os alfaiates, contra a sobrecarga de impostos cobrados pela coroa portuguesa.

2 – (ESPM SP/2014)   

Outra preocupação da coroa foi a de estabelecer limites à entrada na região das minas. Nos primeiros tempos da atividade mineradora, a câmara de São Paulo reivindicou junto ao rei de Portugal que somente aos moradores da Vila de São Paulo, a quem se devia a descoberta do ouro, fossem dadas concessões de exploração do metal. Os fatos se encarregaram de demonstrar a inviabilidade do pretendido, diante do grande número de brasileiros, sobretudo baianos, que chegava à região das minas.

(Boris Fausto. História do Brasil)

A situação descrita no texto levou a ocorrência do conflito conhecido como:

a) Guerra do Contestado;

b) Guerra dos Mascates;

c) Guerra dos Emboabas;

d) Revolta de Felipe dos Santos;

e) Guerra Guaraníticas.

3 – (UNICAMP SP/2012)   

Emboaba: nome indígena que significa “o estrangeiro”, atribuído aos forasteiros pelos paulistas, primeiros povoadores da região das minas. Com a descoberta do ouro em fins do século XVII, milhares de pessoas da colônia e da metrópole vieram para as minas, causando grandes tumultos. Formaram-se duas facções, paulistas e emboabas, que disputavam o governo do território, tentando impor suas próprias leis.

(Adaptado de Maria Beatriz Nizza da Silva (coord.), Dicionário da História da Colonização Portuguesa no Brasil. Lisboa: Verbo, 1994, p. 285.)

Sobre o período em questão é correto afirmar que:

a) As disputas pelo território emboaba colocaram em confronto paulistas e mineiros, que lutaram pela posse e exploração das minas.

b) A região das minas foi politicamente convulsionada desde sua formação, em fins do século XVII, o que explica a resistência local aos inconfidentes mineiros.

c) A luta dos emboabas ilustra o processo de conquista de fronteiras do império português nas Américas, enquanto na África os portugueses se retiravam definitivamente no século XVIII.

d) A monarquia portuguesa administrava territórios distintos e vários sujeitos sociais, muitos deles em disputa entre si, como paulistas e emboabas, ambos súditos da Coroa.

Gabarito:

  1. C
  2. C
  3. D

Sobre o(a) autor(a):

Ana Cristina Peron é formada em História pela Universidade Federal de Santa Catarina e é redatora do Curso Enem Gratuito.